ESPORTE

Ronaldo defende Copa no Brasil e ataca políticos.

Ronaldo Fenômeno, "Poeta"
Ronaldo Fenômeno, “Poeta”

Mais uma vez o ex-jogador Ronaldo Nazário, que um dia foi chamado de “Fenômeno” mostrou que calado é um verdadeiro “Poeta”. Se fechasse a boca, alcançaria dois objetivos: “Não falaria besteiras e ainda perderia uns quilinhos”.

Ao defender a realização da Copa do Mundo no Brasil durante fórum de gestão esportiva realizado nesta sexta-feira (25), Ronaldo Fenômeno aproveitou para bater forte nos políticos. “O povo está traumatizado com os corruptos. Está todo mundo revoltado e eu também estou”, disse.

Membro do Comitê Organizador Local (COL), o ex-jogador explicou a sua função no órgão e pediu que a população manifestasse a sua indignação nas urnas, e não durante o Mundial. “Sou completamente contra superfaturamento, mas não sou eu que faço auditoria e assino contrato. O que espero é que a população cobre cada vez mais. Estão chegando às eleições de outubro. Está todo mundo descontente, mas tem de escolher bem o seu candidato e votar com consciência. As manifestações foram um aviso de que a população está de “Saco cheio”, disse.

Segundo Ronaldo, ainda há confusão entre as pessoas sobre o legado que o Mundial deixará ao Brasil, e a expectativa criada pela população foi muito maior do que a realidade. “As pessoas começaram a imaginar a Copa do Mundo como a salvação de todos os problemas do nosso país. Achavam que a Copa ia fazer com que tivéssemos uma saúde de qualidade e educação digna. A Copa não vai resolver esses problemas, mas vai trazer centenas de milhares de oportunidades e empregos e novos estádios.” O que fenômeno esqueceu, é que em estádios, são poucos funcionários e na maioria, serão os verdadeiros elefantes brancos.

O ex-jogador também voltou a explicar a sua declaração, dada em 2011, de que “Copa não se faz com hospitais”. O Fenômeno, que foi muito criticado pelo comentário e virou alvo de manifestantes, disse que não há relação entre a realização do Mundial e melhorias na saúde e que as duas coisas são distintas. “Não foi desviado dinheiro da saúde para a Copa do Mundo. O projeto do Mundial é de 2007 e a verba já estava separada. O Brasil é um país muito rico e tem dinheiro para fazer tudo”, explicou. Mais uma vez, “o Babaca” esqueceu que em um país rico, não existe miséria e no Brasil a coisa está cada vez mais complicada.

Como exemplo do legado da Copa do Mundo, Ronaldo citou Cuiabá. O Fenômeno esteve na capital de Mato Grosso na quarta-feira (23) junto com o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, para vistoriar a Arena Pantanal e ficou impressionado com as obras na cidade. “Lá não era feita qualquer intervenção de mobilidade urbana havia 40 anos. A Copa do Mundo veio e a cidade tem hoje mais de 70 intervenções urbanas. Se não fosse a Copa, Cuiabá iria continuar do mesmo jeito sei lá por mais quanto tempo. Quem ia fazer alguma coisa naquele lugar?”. Agora fica a pergunta Sr. Ronaldo. Quem vai usar esse estádio após a copa do mundo, se o futebol do estado do Mato Grosso é fragilizado e não tem torcida?

Ronaldo também saiu em defesa da Fifa. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro. O que não pode é ter superfaturamento e desvio de dinheiro.” Ronaldo, eu não sabia que a Fifa é uma empresa. Agora que teve superfaturamento e desvio de verbas, isso teve. O senhor deve morar em outro país ou está tendo lucro também. “Fica calado, será melhor para os organizadores”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo