NOTÍCIAS

Santa Casa vira depósito de pacientes do Socorrão I

Com o fim das macas nos corredores do hospital Socorrão I, a Santa Casa, que está com salários atrasados desde fevereiro, vira um verdadeiro depósito de pacientes. Na tarde desta sexta-feira (29) o prefeito Edivaldo acompanhou a transferência dos pacientes que se encontravam nos corredores do Hospital Djalma Marques (Socorrão I) para a Santa Casa de Misericórdia, que está à beira da falência. A ação, se é que posso classificar assim, foi coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), com o objetivo de melhorar o atendimento hospitalar e o reforço da humanização no cuidado com os pacientes da unidade de saúde municipal.

Os pacientes foram transferidos de ambulância. Anteriormente, já haviam sido transferidos mais de 50 pacientes do primeiro piso do hospital, mas o município simplesmente usa e abusa da Santa casa sem ajudar em nada. Na tarde de sexta-feira, foram mais 60 e com isso a Santa já não consegue fazer milagres. A transferência foi possibilitada a partir de um convênio com a Santa Casa, o que possibilitará ao Socorrão I atender às entradas de urgência e emergência com mais eficiência e qualidade, segundo Helena.

“Este é um dia muito importante. Ampliamos a parceria com a direção da Santa Casa, que nos disponibilizou cerca de 150 leitos, o que nos possibilitou zerar o número de macas nos corredores do Socorrão I. Aqui, os pacientes continuarão o seu tratamento nas enfermarias”, afirmou o prefeito Edivaldo.

A titular da Semus, Helena Duailibe, também acompanhou a transferência dos doentes, com os diretores do Socorrão I, Ademar Bandeira; e da Santa Casa, Abdon Murad. De acordo com a secretária, a unidade de emergência e urgência recebe, em sua maioria, enfermos que sofreram ferimentos graves, como traumas agudos. “No Socorrão, boa parte dos pacientes vem do interior. Em muitos casos, após o atendimento será possível realizar logo a transferência para a Santa Casa. Com isso, seguimos a determinação do prefeito Edivaldo que é qualificar e humanizar a saúde da capital”.

A parceria entre o Socorrão I e a Santa Casa permite ainda uma assistência diferenciada aos pacientes. “A orientação do prefeito Edivaldo é que não tenhamos mais macas nos corredores ocupadas por pacientes em internação. Portanto, a ação maca zero vai melhorar a nossa qualidade de atendimento”, disse Ademar Bandeira. “Vai facilitar e deixar o Socorrão apenas com tratamentos de emergência. A Santa Casa recebe de braços abertos essa iniciativa da Prefeitura”, destacou Abdon Murad.

O Socorrão recebe, em média, 12 mil atendimentos mensais, em urgências clínicas, cirúrgicas, ortopédicas, neurológicas e neurocirúrgicas com pacientes da capital e do interior do estado. À medida que os doentes eram transferidos do Socorrão I, as alas das enfermarias da Santa Casa começam receber os pacientes que já se mostraram satisfeitos com a ação do poder municipal.

“Estou muito contente porque já esperava ficar no corredor no Socorrão, mas qual foi minha surpresa quando me lavaram na maca, de ambulância, para esta cama aqui na Santa Casa”, disse o jardineiro Raimundo Matos Paixão, de 52 anos, que está com úlcera. Ele inclusive fez questão de cumprimentar o prefeito Edivaldo.

ZERO1 ZERO

“Agradeço a Deus por estar sendo bem atendido”, disse a aposentada Maria Elizabeth Araújo Carneiro, de 62 anos, ao chegar de ambulância. O vigilante Carlos Alberto Ferreira, de 52 anos, que também foi conduzido de ambulância estava aliviado, após deixar o corredor do Socorrão I. “No leito de um hospital nos sentimos melhor e não precisamos observar outros doentes mais graves que a gente”.

INVESTIMENTOS

Como parte da reestruturação da rede de urgência e emergência, determinada pelo prefeito Edivaldo, já está em funcionamento desde o dia 21 de março a nova UTI do Socorrão I, que hoje conta com mais 10 leitos – 20 no total – resultado do investimento feito pela Prefeitura de São Luís no hospital, que desde 2006, não passava por reformas físicas.

Após o término das reformas, o Socorrão I contará com um espaço com quatro leitos para atendimento especializado de urgências buco maxilares, serviço inédito na rede pública de saúde. Além disto, está sendo feita a recuperação do telhado, do centro de material, da farmácia e a revitalização das estruturas elétrica e hidráulica de todos os ambientes. A Prefeitura também iniciou a reforma da área vermelha. Só não foi divulgada a quantia da ajuda à Santa Casa, que já virou Mendiga a muito tempo.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo