NOTÍCIAS

Rede Social ou Rede Marginal?

COMPARTILHE

A política do Maranhão é diferente de qualquer parte do Brasil. Aqui, fala-se o que quer, entra-se na vida pessoal, envolve família, denigre-se imagem de adversários e transforma-se concorrência em guerra. Isso não é de hoje, a história da política maranhense conta como alguém pode anoitecer líder e amanhecer na zona do rebaixamento. Tudo mudou na política, menos o pensamento daqueles que brigam para estarem ou voltarem ao poder.  No início do século, segundo os mais velhos, tudo era feito para massacrar adversários, até partir para o lado pessoal, com agressões e pancadarias.

Hoje, com a era das novas tecnologias, alguns grupos, principalmente os que estão no poder da sombra, usam “Exércitos da Maldade” com “Soldados Perigosos” bons de artilharias e bem pagos para “baterem” em adversários como forma de perseguição política. As redes sociais que mais parecem “redes marginais” empregam dezenas de “profissionais” corruptos que se infiltram na imprensa como “pistoleiros” dos teclados, com a missão de destruir reputações, histórias de vida e até famílias, com matérias altamente maldosas e criminosas muita das vezes.

Na pauta dos “Soldados do Mal”, estão adversários e aliados de políticos oposicionistas de seus “patrões”, que são achincalhados com mentiras, que as vezes atingem classes trabalhadoras, povos, sem sequer se importarem com quem realmente precisa ser visto, o povo. Desde as eleições de 2016, surgiram os “combatentes da corrupção”, cometendo o mesmo crime, gente que apareceu na lista de fantasmas da Assembleia Legislativa do Maranhão com salário de mais de R$ 6 mil reais e nunca sequer deu um prego em uma barra de sabão na Alema.

Muitos pousam de honestos, mas foram levados pela polícia federal por suspeita de extorsão, outros ainda usam fraldas com medo das investigações. As redes sociais no Maranhão tem um significado diferente do resto do mundo, não socializam, apenas marginalizam os que pensam diferente, opinam diferente ou trabalham para sobreviver. No Maranhão, basta aparecer sem querer em foto com algum integrante do grupo Sarney (mesmo que como papagaio de pirata) que será destruído pelos soldados da maldade.

Esta semana, bastou a ex-governadora colocar um ônibus na estrada, que ela e seus aliados passaram a ser massacrados na internet por soldados do Quartel Palaciano. Até remanescentes quilombolas foram achincalhados, uma falta de respeito com a aquele povo, que tem uma história de luta e honestidade, que precisa ser visto, principalmente por aqueles que defecam pelos dedos nas redes sociais, como referência histórica. Ultimamente os “soldados da maldade” atiram sem ver quem será atingido, mas é bom lembrar, que tudo que sobe, desce! Se tiver no grupo adversário é corrupto, ajudou afundar o Maranhão, mas basta pular a linha do equador, que se torna uma nova criatura, vai ajudar a reconstruir o Estado.

O bem, nas redes sociais corre a passos de tartarugas, mas o mal corre com a força e a velocidade de um furacão, já que o ódio e a discórdia são patrocinados com dinheiro público para atingir o maior número de pessoas, que na grande maioria tem pouca informação do grande “lixão” que se tornou a política maranhense por parte de alguns políticos.

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar