EDUCAÇÃO

Projeto de lei de Fátima Araújo visa implantar Projeto de Meditação e Inteligência Emocional nas escolas municipais

O projeto, caso seja aprovado será desenvolvido nas escolas da rede municipal de Ensino da capital maranhense.

Tramita na Câmara Municipal de São Luís o Projeto de Lei nº 93/2021, de autoria da vereadora Fátima Araújo (PC do B), que dispõe sobre a criação do Projeto de Meditação e Inteligência Emocional a ser desenvolvido nas escolas da rede municipal de Ensino da capital maranhense.

Com a implantação e o desenvolvimento do Projeto nas Unidades de Educação Básica, a parlamentar Fátima Araújo explica que pretende aumentar a qualidade de vida de educandos e professores, bem como obter resultados cada vez mais positivos nos processos educacionais.

O Projeto de Meditação e Inteligência Emocional tem como objetivos aperfeiçoar o processo educativo nas escolas por meio do desenvolvimento da meditação e da inteligência emocional da comunidade escolar e dos alunos; estimular a melhoria da atenção, concentração, memória, aprendizado e do desempenho cognitivo.

Também objetiva promover o autoconhecimento e a autorregulação e um maior controle das emoções desde cedo; melhorar o controle da impulsividade e irritabilidade; reduzir os níveis de ansiedade e estresse, a incidência de violência e bullying e os índices de evasão escolar; promover a melhoria da qualidade de vida da comunidade escolar e alunos; bem como fomentar a empatia e a solidariedade na escola e na sociedade.

“Quando falamos sobre saúde infanto-juvenil, geralmente evidenciamos a dimensão física. No entanto, a própria Organização Mundial de Saúde (OMS), define a saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social e, não apenas, a mera ausência de doença ou enfermidade. Nesse sentido, as questões socioemocionais são de suma importância para o desenvolvimento da aprendizagem de nossos alunos, como relata a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em suas 10 competências gerais”, explicou Fátima Araújo.

A vereadora justifica ainda que o desenvolvimento do Projeto de Meditação e Inteligência se torna relevante nas escolas da rede municipal de Educação pelo fato de que a população mundial está inserida em uma sociedade cada vez mais interligada por meio da internet.

“Atualmente, estamos vivendo em uma sociedade altamente conectada que apresenta inúmeros estímulos e demandas de toda ordem. E as nossas crianças e adolescentes não estão imunes a isso. Pelo contrário, é cada vez mais comum encontrarmos casos de depressão, estresse e ansiedade infantil, bem como problemas de aprendizagem, cujas fontes são psicológicas”, enfatizou a vereadora Fátima Araújo.

Dentro deste cenário, disse a vereadora, vislumbra-se a importância do desenvolvimento da meditação e da inteligência emocional nas escolas, com foco no desenvolvimento integral dos alunos, e também, dos professores. “Respeito, empatia, foco e melhor controle das emoções são aprendizados da meditação que são levados para a vida toda”, explicou Fátima Araújo.

Atividades

De acordo com o projeto, as atividades do programa serão consideradas extracurriculares e desenvolvidas semanal ou quinzenalmente. Cabendo ao poder municipal realizar convênios ou parcerias com instituições públicas ou privadas.

Meditação

A meditação é uma técnica que desenvolve habilidades como concentração, tranquilidade e foco no presente. Trata-se de uma prática ancestral de origem oriental que, atualmente, tem sido disseminada no mundo todo por possibilitar uma série de benefícios para os praticantes já comprovados cientificamente, como: redução do estresse, controle da ansiedade, melhora dos sintomas da depressão, da autoestima, aumento no tempo de foco, redução da perda de memória relacionada à idade, geração de comportamento de altruísmo, auxílio no combate a vícios, melhora do sono, aumento da tolerância à dor, dentre outros.

Os benefícios da meditação em escolas foram comprovados através de pesquisas. Em 2012, um estudo realizado em Oakland, Califórnia, comparou alunos que praticavam meditação com os que não praticavam. Foram cerca de 800 alunos e 50 professores analisados. O resultado mostrou que houve melhora expressiva naqueles que meditavam, com aumento do foco, controle emocional, compaixão e participação nas aulas.

No Reino Unido, testes foram feitos em escolas-modelo. Nestas instituições, a meditação melhorou o desempenho dos alunos, a inteligência socioemocional e a resiliência. Devido ao resultado, a experiência foi replicada para toda a rede escolar do País. Em alguns países da Europa e Estados Unidos a meditação nas escolas já é uma prática difundida. Seguindo essa tendência, no Brasil, várias escolas têm inserido a meditação na rotina dos alunos e professores e já conseguem obter resultados positivos na prática.

Por Thaís Frazão

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo