BEQUIMÃO

Profissionais de saúde de Bequimão promovem ação alusiva ao “Janeiro Branco”

Campanha promovida em todo o país é um convite à reflexão sobre a saúde mental

A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou nesta quarta-feira (27) atividades alusivas ao “Janeiro Branco”, na sede da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e no Hospital Lídia Martins. A campanha promovida em todo o país é um convite à reflexão sobre a saúde mental.

Foram feitas algumas dinâmicas, com a participação da secretária municipal de Saúde, Ramone Araújo, e de profissionais que compõem o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). Na quinta-feira (28), as atividades, que incluem roda de conversa sobre o tema, chegarão ao Centro de Saúde Santo Antônio.

As atividades externas, feitas em edições anteriores, precisaram ser suspensas neste ano, para evitar aglomerações. Com esse impedimento, a Semus dedicou a programação de 2021 aos profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente do combate ao coronavírus, em Bequimão.

“São dinâmicas de reflexão, rodas de conversa, nas quais as pessoas têm oportunidade de externar suas tensões e medos no dia-a-dia do trabalho. A ideia de trabalhar com os profissionais da saúde partiu do alto índice de estresse, de medo, de ansiedade, provocados durante essa pandemia da Covid-19. Então, nós escolhemos os profissionais de saúde, por ser um público que está na linha de frente e tem sofrido com os efeitos dessa pandemia. A nossa atividade buscou ouvi-los e levar até eles um pouco de conforto neste momento tão difícil”, explicou a secretária de saúde, Ramone Araújo.

Coordenaram as atividades alusivas à campanha “Janeiro Branco” a terapeuta ocupacional Luciana Almeida, a nutricionista Ana Cláudia Martins, a enfermeira Cláudia Costa e o psicólogo do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Wanderson Farias. Ao todo, 60 profissionais do setor da saúde foram alcançados pela ação no município.

O psicólogo Wanderson Farias destacou a importância de promover campanhas desta natureza no ambiente de trabalho, principalmente durante a pandemia.

“Quando se investe em saúde mental, dentro do espaço organizacional, você está investindo na qualidade de vida desse funcionário. Uma iniciativa que tem a grande possibilidade de gerar melhores resultados, com um funcionário trabalhando com maior engajamento, maior liberdade, expressividade, com mais felicidade. A tendência é que os resultados apareçam na mesma proporção. Então, investir na qualidade de vida do funcionário é investir na qualidade do serviço prestado”, frisou.

Pandemia x Saúde Mental

A pandemia escancarou a necessidade de discutir o assunto e promover a saúde mental. Uma pesquisa do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) sobre o comportamento dos brasileiros durante o isolamento revelou que a prevalência de pessoas com estresse agudo na primeira coleta de dados, realizada de 20 a 25 de março de 2020, foi de 6,9% contra 10,3% verificada na segunda, efetuada entre 15 e 20 de abril. Em junho, na sondagem mais recente, evoluiu para 14,7%. Em relação à depressão, os números saltaram de 4,2% para 8%, caindo em junho para 6,6%.

Depressão x Ansiedade

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelaram que o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, equivalente a 5,8% da população, atrás dos Estados Unidos, com 5,9%. A depressão é uma doença que afeta 4,4% da população mundial. O Brasil é ainda o país com maior prevalência de ansiedade no mundo (9,3%).

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo