NOTÍCIAS

Professora diz que levou calote da Escola Dom Quixote

Muitas empresas aproveitaram a famigerada reforma trabalhista para pisotear funcionários. Os patrões que já tinham o prazer de humilhar ou até mesmo massacrar seus funcionários, agora estão se aproveitando de uma PEC para fazerem suas macacadas. De acordo informações obtidas de uma ex-funcionária, a Escola Dom Quixote fechou as portas em novembro de 2017, e os vencimentos foram pagos só até junho do mesmo ano. Após isso, nenhum centavo foi depositado nas contas dos funcionários.

Para a ex-funcionária que não quis se identificar, será preciso a Delegacia Regional do Trabalho (DRT) intervir para ajudar os ex-funcionários. “Rescisão, FGTS e a Carteira de Trabalho estão com pendências, deixando assim, nós, ex-funcionários, impossibilitados de trabalhar em outro estabelecimento. Deram calote na gente”, desabafou.

Cerca de 30 funcionários, dentre eles alguns que trabalhavam há mais de 15 anos, estão prejudicados com a situação. A escola tinha dois polos, com funcionamento nos bairros do Parque Vitória e Cohatrac. Hoje, segundo uma das professoras, os donos apenas queriam dar calote. “A escola novamente abriu as portas, só que com o nome de Escola Biometria (Parque Vitoria) e Milenium no Cohatrac”, disse a professora, destacando que o Sindicato das Escolas Particulares (SINTERP) está ciente da situação e não tomou, até agora, alguma providência sobre o caso.

O caso já foi denunciado em vários veículos de comunicação da cidade. Agora resta a direção da Escola Dom Quixote se manifestar sobre a situação ou até mesmo a Delegacia Regional do Trabalho.

 

Por Maxsuel Bruno

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo