BEQUIMÃO

Prefeitura de Bequimão e Força Estadual de Saúde imunizam quilombolas

O trabalho em conjunto amplia a imunização contra o novo coronavírus nos quilombos

A Prefeitura de Bequimão recebeu um importante reforço do Governo do Maranhão durante a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Desde o começo do mês, uma equipe da Força Estadual de Saúde, formada por profissionais da Unidade Regional de Saúde de Pinheiro, atua de forma conjunta com os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), na imunização dos moradores das comunidades quilombolas do município.

O reforço da vacinação foi necessário após a disponibilidade de uma remessa exclusiva para o grupo prioritário. “Com mais vacinas, cresceu também a demanda por profissionais no nosso município. A Força Estadual de Saúde tem nos ajudado muito nesse trabalho, atuando de forma conjunta com as nossas equipes. A Campanha de Vacinação contra o coronavírus foi intensificada e nós conseguimos ampliar, consideravelmente, a cobertura em nosso município”, contou a secretária Municipal de Saúde, Ramone Araújo.

Bequimão tem onze comunidades certificadas como remanescentes de quilombos pela Fundação Cultural Palmares. Para a imunização das pessoas que residem nessas comunidades, o município recebeu do Estado 1090 doses da vacina Astrazeneca, produzida pela Universidade de Oxford, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz. Todas as doses já foram aplicadas.

Mais doses e inclusão de novas comunidades no grupo prioritário

A expectativa é que novas doses destinadas às comunidades quilombolas cheguem em breve ao município. O prefeito João Martins revelou que fez o pedido ao Governo do Maranhão, solicitando também a inclusão no grupo prioritário da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 as comunidades que ainda estão em processo de certificação junto à Fundação Palmares.

“Entendemos que as demais comunidades remanescentes de quilombos do nosso município, assim como as de outros municípios, também precisam ser incluídas o mais rápido possível na Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Não podemos retirar o direito do acesso à vacina dos moradores dessas comunidades, que têm a mesma ancestralidade, simplesmente por questões de trâmites burocráticos no processo de certificação. Os direitos dessas comunidades precisam ser assegurados. Seus moradores estão em uma situação de vulnerabilidade ainda maior e precisam ser imunizados o quanto antes. A nossa gestão reconhece e respeita a importância histórica dessas pessoas e, por esse motivo, solicitamos ao Governo do Estado que essas comunidades, ainda não certificadas, também sejam incluídas na vacinação”, informou o prefeito de Bequimão.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo