ELEIÇÕES

Para ajudar no combate à depressão, Ribeiro Neto apresenta PL 312/01 para alterar programa pedagógico na rede de ensino

Dados da OMS e IBGE mostram que a doença é a segunda que mais mata adolescentes e jovens de 15 a 29 anos

Apesar da pouca idade, o grau de consciência e responsabilidade do vereador Ribeiro Neto(Patriotas) tem sido um diferencial no Parlamento de São Luís. Em se tratando da depressão, por conta dos dados assustadores apresentados tanto pela Organização Mundial de Saúde – OMS quanto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o edil apresentou o PL de nº 312/2021, que institui no projeto pedagógico das escolas municipais, medidas de conscientização, prevenção e combate à depressão, à automutilação e ao suicídio.

Dados da OMS apontam que cerca de 5,8% da população brasileira sofrem de depressão – um total de 11,5 milhões de casos. Estima-se que entre 20% e 25% da população teve, tem ou terá depressão, sendo essa a doença psiquiátrica com maior prevalência no Brasil.

O índice é o maior na América Latina e o segundo maior nas Américas, atrás apenas dos Estados Unidos.  Entretanto, muito embora os números sejam assustadores, técnicos do órgão afirmam que a depressão pode ser prevenida e tratada.

“Exatamente com base nos dados da OMS e do IBGE foi que entendemos a importância  de debater essa problemática dentro da Câmara de São Luís, pois se nossas crianças tiverem mais informações e uma melhor compreensão sobre o que é a doença e como ela deve ser prevenida e tratada, poderemos ajudar a reduzir esses números”, afirmou Ribeiro.

ESTATÍSTICA  

O percentual de brasileiros que declarou ter recebido diagnóstico de depressão por profissional de saúde mental subiu 34,2% em seis anos, mostrou dados do IBGE. A Pesquisa Nacional de Saúde de 2019 apontou que 10,2% (16,3 milhões) das pessoas com mais de 18 anos sofrem da doença.

Quando o levantamento anterior foi realizado, em 2013, eram 7,6% (11,2 milhões) — um adicional de 5,1 milhões de casos no período. As regiões urbanas registram a maior prevalência de casos de depressão (10,7%), enquanto nas áreas rurais o índice é de 7,6%.

Estados do Sul e Sudeste têm 15,2% e 11,5%, respectivamente, de adultos com diagnóstico confirmado de depressão, segundo a pesquisa. Em seguida aparecem, Centro-Oeste (10,4%), Nordeste (6,9%), incluindo a capital maranhense e Norte (5%). Quando analisados os dados por sexo, as mulheres são as que mais sofrem de depressão: 14,7%, versus 5,1% entre os homens. Os idosos entre 60 e 64 anos representam a faixa etária com maior incidência: 13,2%.

 PROJETO NA PRÁTICA 

Pelo projeto, as escolas públicas deverão incluir, em seus projetos pedagógicos, medidas de conscientização, prevenção e combate à depressão, realizando ações como palestras e debates, além da distribuição de cartilhas de orientação aos pais, alunos, professores e servidores das escolas públicas municipais.

“Precisamos de politicas públicas capazes de atuar de maneira positiva no combate à depressão, doença que atualmente afeta ricos e pobres, então nada melhor que isso seja feito dentro do ambiente escolar”, finalizou.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo