NOTÍCIAS

Mutirão na Reserva Canaã reúne órgãos do Estado, Município, Ong’s e recebeu apoio da vereadora Fátima Araújo

Uma reserva com 2.500 metros quadrados, um rio com cinco nascentes e plantas das mais variadas, recebeu neste sábado (6), um grupo de voluntários que de forma educativa trabalhou a conscientização da importância do espaço ambiental para a capital maranhense. A ação contou com o apoio de órgãos municipais e estaduais, Ong’s, imprensa local e da vereadora Fátima Araújo – que vai disponibilizar uma emenda parlamentar no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente para que seja investida na revitalização do rio e da  mata ciliar. O rio Cutim que nasce no bairro São Cristóvão e desemboca no rio Anil, clama por socorro.

Durante a ação foi feita uma visita na área ambiental, onde os participantes puderam ver de perto a degradação do rio e da mata ciliar. Na área pode ser vista árvores como mangueiras, buritizeiros, juçareiras, anajazeiras, além de plantas como sororoqueira, aninga, bananeiras, Maria Mole, guananinzeiros e o famoso pé de ingá, além de poço com água cristalina. Um verdadeiro paraíso verde, abandonado pelo poder público desde os anos 90. A reserva é de responsabilidade da Prefeitura de São Luís, mas está abandonada e serve como esconderijo de marginais que usam a mata para cometer crimes.

O morador do Residencial Canaã, Riva Barros, destaca a importância da revitalização da reserva para São Luís. “Já tiramos várias toneladas de lixos daqui desta reserva. Hoje já podemos andar aqui e não sentir mais tantos odores. Queremos que o poder público administre colocando iluminação, cercas, calçadas e revitalize esta área, transformando em uma área de lazer para nossas famílias e turistas. Nossa comunidade iniciou a limpeza em agosto, mas é necessário que a Caema também faça sua parte e pare de jogar esgoto no rio. Além disso, a reserva servia para abrigar a família do mosquito da dengue, que afetou em 2017, todos os moradores da região”, disse o taxisista.

A vereadora Fátima Araújo, moradora da região, destacou a importância da revitalização e se colocou a disposição dos moradores do residencial Canaã. “Temos uma maravilha natural ao lado de nossas casas, mas é necessário preservar e cuidar daquilo que é nosso. Vou destinar uma emenda de R$100.000,00 para que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente possa fazer a revitalização da reserva Canaã. Estamos precisando de água e estamos tendo disperdícios de água, já que o rio recebe dejetos há mais de 20 anos vindos do residencial. Quero fazer um apelo ao presidente da Caema, para que ele possa resolver este problema o mais rápido possível, já que crianças do bairro tomam banho no rio e minha preocupação é justamente com a saúde de nossas crianças. A reserva Canaã é vida e precisa ser vista pelo poder público municipal e estadual”, enfatizou a Pequena Guerreira, que meteu a mão na massa ajudando na limpeza da reserva.

A superintendente de educação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Conceição Marques, falou da importância de conscientizar a população quanto à importância da reserva para todos. “É uma unidade de conservação de São Luís, mas o Estado se coloca a inteira disposição da sociedade. Na medida em que a população passe a conhecer as leis e deveres, será possível implantar o projeto Atitude Consciente, para que a região possa ganhar através da informação, sabendo da importância dos recursos naturais, a povo vai ter consciência de que a reserva não é um mato. A reserva é um reservatório de oxigênio e precisa ser cuidada”, destacou.

Edina Moreno, representante da ONG Amigos da Reserva Canaã (ARCA), sabe da importância de revitalizar a área, mas reconhece que depende de todos. “É importante termos a reserva conservada, evitando o foco de doença, abrigo de criminosos e além disso vai servir para a comunidade e toda São Luís. O residencial tem 184 casas, mas apenas 20 moradores contribuem com a ARCA, ajudando na preservação da reserva. O poder público nunca ajudou com nada e por isso fizemos esta ação onde mobilizamos vários órgãos e entidades, além da imprensa no sentido de mobilizar todos os poderes para salvar a reserva”, finalizou.

LEI DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Lei 9.605/1998 – Lei dos Crimes Ambientais – Reordena a legislação ambiental quanto às infrações e punições. Concede à sociedade, aos órgãos ambientais e ao Ministério Público mecanismo para punir os infratores do meio ambiente. A legislação ambiental brasileira é uma das mais completas do mundo. Apesar de não serem cumpridas da maneira adequada, as 17 leis ambientais mais importantes podem garantir a preservação do grande patrimônio ambiental do país. SAIBA MAIS SOBRE AS LEIS ACESSANDO AQUIwww.planetaorganico.com.br.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo