NOTÍCIAS

Flávio Dino aponta “Metralhadora” em direção a Sarney

Diz um provérbio popular, que “dois não brigam, quando um não quer”. Foi assim até o final de 2017, quando Flávio Dino tentou aguentar as pressões e perseguições lideradas pelos principais opositores. A partir de janeiro, o clima esquentou e já mostra como será a campanha eleitoral de 2018. Em sua rede social, o governador chegou a mandar um aviso de que se jogar pedra, será recebido com pedra. Neste final de semana, em um desabafo, o governador mostrou a Sarney que está preparado para guerra e mandou um petardo na testa de Sarney com gosto de gás.

O governador rebateu as críticas do ex-senador José Sarney ao seu governo. Dino chegou a mandar um recado ao velho Sarney e foi curto e grosso. “Só agora o pai de Roseana Sarney, que foi quatro vezes governadora, descobriu que há pobreza no Maranhão. Foi deputado, governador, presidente da República, presidente do Senado por 3 vezes. E agora ele [Sarney] cobra que eu resolva suas omissões em apenas 3 anos. Oposição irresponsável”, declarou o comunista.

O governador Flávio Dino só errou quando fala sobre as décadas de Sarney no poder do Maranhão, no qual classificou de “coronelismo maranhense”. Se um grupo político é formado por um exército de soldados, e muitos desses que estavam no grupo oligárquico, já desembarcaram no “batalhão comunista”, inclusive quem foi Secretário de Educação do Estado na gestão de Roseana Sarney, como argumentar sobre atraso?  Se o grupo de Sarney era uma “quadrilha criminosa”, porque recrutar vários integrantes do time do Oligarca? São perguntas que precisam ser respondidas.

Flávio Dino chegou a dizer que a oligarquia governava para poucos e privilegiava uma turma que somente se locupletava do poder. “Para os que têm sobrenome Sarney/Murad/Lobão. Sempre vetaram e perseguiram quem pensava diferente. Nunca usaram o poder federal em favor dos 99% da população que tanto precisam de políticas públicas”, disparou Flávio Dino, que deixou de citar outros sobrenomes que hoje fazem parte de seu grupo.

Abaixo, a íntegra do desabafo do governador.

Há 62 anos no poder, o senador Sarney descobriu agora que há pobreza no Maranhão. Foi deputado, governador, presidente da República, presidente do Senado por 3 vezes. E agora ele cobra que eu resolva suas omissões em apenas 3 anos. Oposição irresponsável.

Durante essas décadas no poder, o coronelismo maranhense jamais criou as condições para a nossa educação se desenvolver. E agora reclamam de pobreza. Basta ver que me entregaram IDEB de 2,8 e em queda. Um escândalo.

Sempre governaram para poucos. Para os que têm sobrenome Sarney/Murad/Lobão. Sempre vetaram e perseguiram quem pensava diferente. Nunca usaram o poder federal em favor dos 99% da população que tanto precisam de políticas públicas.

A maior política de combate à pobreza está na educação. Temos ações desde a educação infantil à pos-graduação. Já fizemos obras de manutenção, reforma ou construção em 700 Escolas. E atualmente temos um IDEB em crescimento. Basta comparar.

Os ataques do império midiático do coronelismo se voltam até contra empresas associadas ao próprio grupo, no caso o site G1. Tudo porque o site reconheceu que estamos cumprindo fielmente nosso programa de governo, com índice de 92%, o maior do País.

A nossa resposta para tanta injustiça e perseguição é a de sempre: muito trabalho para concluir essa etapa e a apresentação de um novo programa de governo para impulsionar ainda mais o Maranhão.

Com Informações de John Cutrim

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo