casa » TRÂNSITO » Federalização de estradas do MA ganha força após aprovação do acordo para uso da base de Alcântara

Federalização de estradas do MA ganha força após aprovação do acordo para uso da base de Alcântara

COMPARTILHE

A federalização das Mas 106 e 014 em rodovias federais, essa é a proposta do deputado federal Gildenemyr (PL) , autor do projeto de Lei 4407/2019, em tramitação na Câmara Federal desde de agosto deste ano. O projeto ganhou força, após o Plenário da Câmara dos Deputados aprovar, na última terça-feira (22), o acordo entre Brasil e Estados Unidos sobre lançamentos a partir do centro espacial de Alcântara, no Maranhão.

A proposta de Gildenemyr, defendida em Brasília altera Lei no 5.917/73, que aprovou o Plano Nacional de Viação, para transformar a MA-014 , que passa pelos municípios de Vitória do Mearim, São Bento e Viana e a MA- 106 liga Alcântara à Baixada Maranhense, em rodovias federais.

Segundo o deputado, estas duas rodovias deverão ser utilizadas com frequência para a chegada de equipamentos para a Base de Alcântara e devido a isto é necessário que as estradas estejam em excelentes condições para facilitar o trabalho a ser desenvolvido no Centro de Lançamento de Alcântara.

“O que vemos no Maranhão são estradas que estão com sua infraestrutura comprometida apesar, dos anúncios de investimentos vultuosos. As MAs 014 e 106 serão acessos principais para a chegada de equipamento para a Base de Alcântara, já que o AST foi aprovado pelo Congresso. Então, precisamos ter estas duas vias em excelentes condições em sua estrutura e sinalização,” afirmou o deputado.

Segundo trecho do projeto, o objetivo é ampliar ainda mais a potência do Centro de Lançamento de Alcântara – a segunda base de lançamento de foguetes da Força Aérea Brasileira, que sedia os testes do Veículo Lançador de Satélites (VLS) e destina-se, a realizar missões de lançamento de satélites.

ACORDO SALVAGUARDAS TECNOLÓGICAS
O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) prevê o lançamento de foguetes, espaçonaves e satélites que usam tecnologia norte-americana a partir da base mediante remuneração.

O governo Bolsonaro argumenta que o acordo vai viabilizar comercialmente o centro de Alcântara. O interesse dos EUA na base decorre da sua localização, na linha do equador, que reduz o consumo de combustível de foguete, tornando os lançamentos mais baratos.

Sobre João Filho

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

Bequimão realiza pela primeira vez a Campanha Maio Amarelo de prevenção ao acidente de trânsito

A Campanha Maio Amarelo de prevenção ao acidente de trânsito é uma ação educativa e ...

Estrada do peixe virou estrada do lamaçal na baixada maranhense

As promessas do governador Flávio Dino para melhorar a Estrada do Peixe que liga a ...

Exclusivo: Venda de Ferry Boats pode está sendo negociada com Marcelo Tavares e Zé Reinaldo por meio da Construtora Franere

Em conversa com uma pessoa que trabalha no terminal do Porto de Cujupe sobre a ...

Câmara realiza Audiência Pública com taxistas nesta sexta-feira (31)

Será realizada nesta sexta-feira (31), na Câmara Municipal de São Luís, uma Audiência Pública com ...

Com o sistema de recarga fora do AR, telefones cortados nos Socorrões I e II e sem comando, São Luís agoniza em todos os setores

A situação de São Luís está cada dia pior, quando o assunto é gestão pública. ...