DIA-DIA DO MA

Donos de Ferry boats querendo aumentar passagem na calada da noite?

Um transporte podre, enferrujado, desgastado e quase parando, pode ser esta a definição daquilo que nós baixadeiros chamamos de Ferry boat. O carnaval de 2017 por pouco não teria uma ressaca amarga, com sabor de desrespeito aos milhares de passageiros que atravessam a baía de São Marcos todos os dias pagando R$11,00 para sentar em cadeiras duras e desconfortáveis, isso quando não passamos 1h30 em pé de São Luís ao Porto de Cujupe.

Graças a Procuradoria Geral do Estado, o aumento de 5% nas passagens não aconteceu na quarta feira de cinzas, até quando, ninguém sabe. Sem estruturas para transportar idosos, vários Ferry boats, sequer tem rampas, e muitos idosos, ou até pessoas com dificuldades de mobilidade, são obrigadas a subirem escadas, já que o contêiner que os donos de Ferry chamam de salas, não suporta tanta gente que necessita ficar embaixo.

O aumento das passagens de Ferry boat foi o grande assunto da mídia na quarta feira de cinzas, mas até agora não vi sequer um deputado se manifestar sobre o tema, já que a desculpa dos empresários em aumentar o valor do bilhete, seria por causa do ICMS que foi inflacionado pelos próprios parlamentares que para agradar o governador esqueceram-se do povo.

O lindo de tudo isso, é que o aumento do ICMS criado pelo governo do estado faz com que tudo aumente no Maranhão, mas o governo prega que foi ele quem coibiu o aumento das passagens. Lindo isso né? Emocionante, para não dizer trágico.

Tratou-se em 2015 de licitação do transporte de Ferry boat, mas foram simplesmente palavras ao vento. Hoje, ninguém fala no assunto. Criou-se uma tal Agência de Mobilidade Urbana, também conhecida por MOB, que simplesmente funciona só a partir das 13h, trabalha pouco, não faz nada, não sabe de nada, mas tem muita gente pendurada no “Cabide” que mais parece um elástico.

O certo mesmo, é que ninguém se manifesta, o serviço é precário e muito caro. O bonito é ver nos feriados, tantos órgãos infiltrados no meio do povo fingindo que estão trabalhando, só para fazer média. É AGED, SMTT, PM, PRF, PRE, EMAP, Vigilância Sanitária, PROCON, Guarda Portuária e Polícia Fazendária. Sabe quem trabalha? Os funcionários das empresas de Ferryboats, PM e mais nada. Você não pode tirar sequer uma foto, para onde se aponta uma câmera, tem alguém com colete do estado. De nada adianta, por exemplo, um lanche na Lanchonete do Ferry boat no período do carnaval, custava no mínimo R$8,00 (Um refrigerante de lata 350 Ml + Um pacote de biscoito), que no supermercado, compram-se esses dois produtos por R$3,65. A pergunta é: onde estava o PROCON?

Agora vai após os feriados nos Portos de Cujupe e Espera, desaparecem todos os “Papagaios de Piratas”. Após o carnaval, os passageiros só vão dar “topadas” nesses personagens, na semana santa. Triste, em tudo que se ver tem teatro. Para piorar, as passagens de Ferry boats no Maranhão, você pode comprar sem sequer um documento. E pode comprar qualquer quantidade. Inacreditável. Uma desorganização total.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo