ELEIÇÕES

Debate TV Difusora: Weverton destaca geração de emprego e renda como prioridades

Weverton Rocha diz que reeditará o programa Primeiro Emprego, criado pela ex-governadora Roseana Sarney

A geração de emprego e renda foram as principais propostas defendidas pelo candidato da coligação Juntos pelo Trabalho, Weverton Rocha (PDT), no primeiro debate entre os candidatos a governador do Maranhão. Realizado pelo Sistema Difusora, o debate reuniu sete dos nove candidatos ao governo, já que dois faltaram: Joás Moraes (DC) e Carlos Brandão (PSB). Moraes justificou a ausência alegando problemas no deslocamento para São Luis e Brandão não explicou o motivo da falta.

Na apresentação das candidaturas, Weverton destacou um pouco de suas realizações como senador. “Sou filho de uma professora e de um técnico agrícola. Trouxe o hospital de Amor para Imperatriz, sou autor da Lei que proíbe o corte de energia nas sextas-feiras e finais de semana, presidi a sessão do Senado que tornou o Auxílio-Brasil definitivo no valor de 600 reais”, disse Weverton Rocha, afirmando ainda que quer “virar a chave e fazer com que o Estado gere emprego e coloque comida na mesa”.

A primeira pergunta respondida por Weverton Rocha foi sobre a economia agrícola no Matopiba, área de produção de grãos que reúne os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Ele disse que, “é preciso haver uma mediação, o Matopiba é uma realidade mundial e o agronegócio gera renda para o estado. A agricultura familiar coloca alimento na mesa dos trabalhadores e sempre terá nosso apoio”.

Weverton respondeu a todas as perguntas dos demais candidatos e dos jornalistas presentes. Sempre com foco na geração de postos de trabalho, o candidato do PDT deixou claro que irá aproveitar as experiências que deram certo e implantar novas medidas que gerem emprego. “Nunca votei na família Sarney mas irei retomar o programa Primeiro Emprego da ex-governadora Roseana; irei criar o programa Segunda Chance, que irá subsidiar o pagamento do salário das mulheres acima dos 40 anos de idade, reinserindo-as no mercado de trabalho; também irei manter os programas Restaurante Popular e Escola Digna, do governo Flávio Dino”, explicou.

Perguntado sobre a crise dos ferryboats, Weverton Rocha disse que o “estado não tem competência nem condições de gerir, mas caso eleito farei o acompanhamento rigoroso, com o estado comprando as embarcações novas e de qualidade e realizando licitação para a operação do sistema”, adiantou.

Sobre o tema educação, Weverton disse que essa é uma bandeira de seu partido. “O Maranhão é um dos estados em que mais os alunos passam de ano sem saber ler ou escrever. Sou filho de professora e meu partido é da educação, da escola de tempo integral. É preciso valorizar os professores com melhores salários e realizar concurso para a área”, garantiu. Weverton Rocha disse ainda que é preciso qualificar a juventude para o mercado de trabalho.

Sobre segurança pública, um dos destaques de Weverton Rocha no debate foi o plano de cargos e carreiras dos policiais militares, explicando que as “promoções por indicação política são uma vergonha”. Ele disse ainda que destinou recentemente ao Maranhão “10 viaturas blindadas para combater o crime organizado e 12 viaturas para implantação de novas patrulhas Maria da Penha”.

Nas considerações finais, Weverton Rocha reforçou o tema do emprego, reafirmando a implantação dos programas Primeiro Emprego, Segunda Chance e de qualificação profissional dos jovens. Ele explicou também que, independente de quem seja o presidente eleito, irá sentar à mesa e dialogar para trazer recursos para o Maranhão. “Sou do partido do Ciro Gomes, meu vice é do partido do atual presidente e tenho comigo a militância do partido do presidente Lula. Não importa quem será o presidente que você irá eleger, o que importa é ter um governador de diálogo, que sabe conversar e sabe trabalhar”, finalizou.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo