casa » EDUCAÇÃO » Bequimoense em Congresso de Fruticultura

Bequimoense em Congresso de Fruticultura

COMPARTILHE

SBREA

O bequimõense José Ribamar Gusmão Araújo, que é professor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), é um dos organizadores do XXIV Congresso Brasileiro de Fruticultura, que acontecerá de 16 a 21 de outubro em 2016, no Centro de Convenções do Sebrae, em São Luís. Ele se reuniu com o também filho de Bequimão, João Martins, superintendente do Sebrae, para tratar sobre o evento.

Ao lado do professor Hamilton Santos Almeida, Gusmão detalhou como será o congresso, que reunirá as principais autoridades do país no assunto, além de pesquisadores internacionais, engenheiros agrônomos, caravanas de empresários, produtores e estudantes.

Na reunião, os professores integrantes da comissão organizadora estadual do evento trataram sobre a cessão do espaço para a realização do congresso e destacaram a importância do Sebrae para o desenvolvimento da cadeia produtiva da fruticultura  no estado. Com o tema “Fruteira Nativa e Sustentabilidade”, o evento terá uma programação científica, idealizada pela Uema e pela Sociedade Brasileira de Fruticultura.

“O Maranhão possui 312 milhões de hectares para plantação de frutas de clima tropical e temperado, além de 12 rios permanentes. Temos, por natureza, potencial para sermos grandes produtores de frutas. Entretanto, não exploramos essa vocação. Um exemplo disso é o caju. Possuímos uma das melhores áreas para cultivo da fruta no Nordeste, no entanto estamos em quinto lugar no ranking da região, ficando atrás do Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia. O Sebrae, com o importante trabalho  que realiza junto aos empreendedores rurais, pode ajudar o Maranhão a expandir suas áreas destinadas à fruticultura”, acredita o professor Hamilton Almeida, presidente do XXIV Congresso Brasileiro de Fruticultura e coordenador regional da Sociedade Brasileira de Fruticultura.

“Um dos principais ganhos do evento, realizado pela primeira vez no Maranhão, será o despertar dos produtores maranhenses para os benefícios e a lucratividade das plantações de pomares básicos, incentivando a fruticultura e tornando o estado um excelente produtor de frutas”, revela o professor.

CONHECIMENTO GERA MUDANÇAS

Para o diretor superintendente do Sebrae, a presença das universidades, que realizam a pesquisa, o ensino e a extensão do conhecimento, é extremamente salutar quando se pensa no desenvolvimento sustentável do estado. “O Maranhão tem grande vocação agrícola. Vocação e potencial de solo e clima, além de ser recortado por uma grande quantidade de rios que fornecem água para irrigação das culturas. A cadeia da fruticultura é foco de atenção do Sebrae há algum tempo e podemos ter resultados ainda melhores se os núcleos de produção científica estiverem conosco, transferindo tecnologias e conhecimentos”, aponta João Martins.

De acordo com o dirigente da instituição, as universidades podem contribuir com os pequenos produtores no processo de assimilação e prática do conhecimento, para que possam ser empreendedores rurais de sucesso e, assim, implementar as mudanças necessárias que refletirão em uma nova realidade produtiva para o estado.

“Toda produção de conhecimento advém de uma base experimental, do empirismo, que se for usado a favor das potencialidades do nosso estado, pode iniciar um processo sem volta de mudança e desenvolvimento em todas as regiões”, defende João Martins que já articula alguns projetos com o Governo do Estado, por intermédio do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Bira do Pindaré.

“São projetos para a disseminação do conhecimento que visa despertar o maranhense para as potencialidades econômicas e os recursos naturais de suas respectivas localidades. Mas só poderemos concretizar essa ideia se as universidades estiverem conosco, numa importante parceria técnico-científica-empreendedora”, destaca o diretor superintendente ao informar que a equipe do Sebrae já trabalha para apresentar, oficialmente, a proposta para o Governo do Estado. “A ideia é iniciar os projetos pela Baixada Maranhenses, uma das regiões mais carentes do estado em ações desenvolvimentistas”, informa Martins.

SOBRE O CONGRESSO

O Congresso Brasileiro de Fruticultura (CBF) é um evento técnico-científico, realizado a cada dois anos, e desde a sua primeira edição reúne um número expressivo de profissionais de pesquisa, ensino e extensão, produtores, empresários, empresas públicas e privadas direta e indiretamente interessadas no setor do agronegócio frutas, que vem se transformando em uma das principais fontes de renda do país.

No Maranhão, o evento contará com o apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea/MA), Governo do Estado, Prefeitura de São Luís, Embrapa Cocais, Sebrae, Banco do Brasil, BNB, Basa e Caixa Econômica Federal, além da Fapema, CNPq, Incra, Vale, dentre outros.

 

Assessoria do Sebrae

 

Sobre João Filho

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

IESF abre inscrições para vestibular

O Instituto de Ensino Superior Franciscano – IESF está com inscrições abertas para o vestibular ...

Indicação da vereadora Fátima Araújo solicita ao governo do Estado construção de creche no Pirapora

Em sessão ordinária realizada nesta segunda-feira (11), no Plenário Simão Estácio da Silveira, da Câmara ...

Vereadora Fátima Araújo leva estudantes do “Educar para Vencer” para a Feira do Livro

Uma das maiores incentivadoras da educação básica, a vereadora Fátima Araújo tem feito um trabalho ...

Alunos do projeto Educar para Vencer voltam às aulas

Os quase cem alunos matriculados para as aulas de reforço escolar do projeto Educar para ...

Câmara aprova projeto que amplia horário dos postos da bilhetagem eletrônica em São Luís

De autoria do vereador Raimundo Penha (PDT), o projeto de lei nº 155/17 já foi ...