casa » Arquivos do Altor: João Filho (página 384)

Arquivos do Altor: João Filho

Ivaldo Rodrigues fará parte da comissão do Passe Livre Estudantil em São Luís

COMPARTILHE
Vereador Ivaldo Rodrigues (PDT)

Vereador Ivaldo Rodrigues (PDT)

A Câmara Municipal de São Luís criou nesta quarta-feira (14) uma comissão para discutir a viabilidade da implantação do Passe Livre Estudantil na capital maranhense. A comissão foi criada após realização de audiência pública, proposta pelo vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB), onde o tema foi debatido em plenário.

Além de Pedro Lucas, a comissão é composta pelos vereadores Pavão Filho (PCdoB), Fábio Câmara (PMDB), Ricardo Diniz (PHS), Ivaldo Rodrigues (PDT), José Joaquim (PSDB), Marlon Garcia (PTdoB), Osmar Filho (PSB) e Rose Sales (PCdoB).

Também fazem parte da comissão, representantes da CES (Central Estudantil Secundarista), MEI (Movimento Estudantil Secundarista), UEE (União Estadual dos Estudantes), UBES (União Brasileira dos Estudantes), UNE (União Nacional dos Estudantes), AMESU (Associação Metropolitana Estudantil Secundarista) e dos Grêmios do Liceu Maranhense, IFMA, Escola Rio Grande do Norte e CEGEL.

Depois da criação, ficou acertado que o primeiro passo da comissão será uma reunião com o secretário municipal Canindé Barros (Trânsito e Transportes), marcada para a próxima semana. Também na agenda da comissão, há uma reunião com o presidente do SET (Sindicato das Empresas de Transportes), Gilson Coimbra.

Todos os integrantes da comissão participaram da audiência pública realizada nesta quarta-feira, no Plenário da Câmara, e muitas propostas foram apresentadas, como a desoneração do ICMS do diesel. . 

“Este é o primeiro passo para a implantação do Passe Livre Estudantil. A ideia é manter uma comissão permanente até que uma solução seja encontrada. Esperamos que nossos congressistas aprovem o projeto no Senado, que propõe a instituição do benefício”, declarou Pedro Lucas.

PROJETO DO SENADO

Um projeto do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) propõe instituir o programa Passa Livre Estudantil, assegurando a gratuidade no sistema de transporte coletivo local, para o estudante de ensino fundamental, médio ou superior, que esteja regularmente matriculado e com frequência comprovada em instituição pública ou privada de ensino.

O custo ficará a cargo da União e o valor a ser repassado aos Estados será com base no número de estudantes beneficiados e o valor da tarifa local. 

Segundo o artigo 2º do Projeto de Lei, o montante dos recursos financeiros necessários aos custeios do programa será calculado com base no número de alunos transportados e no valor da tarifa fixada para o acesso ao transporte público coletivo local.

O município será responsável pelas informações pelas quais serão calculados os repasses do custo do passe livre, que serão bancados com recursos da União provenientes dos royalties do petróleo. Em seu discurso na tribuna, Ivaldo Rodrigues foi categórico, quando falou que passe livre estudantil, não é um favor e sim um investimento para o futuro do Brasil. Veja o vídeo do discurso de Ivaldo, para você ter acesso ao vídeo, deve está conectado ao facebook.

Festival de música barroca em terceira edição

COMPARTILHE
Um verdadeiro espetáculo

Um verdadeiro espetáculo

Em sua terceira edição, o Festival de Música Barroca de Alcântara acontecerá de 5 a 10 de junho no município histórico de Alcântara e nas cidades de São Luís, Rosário e Bacabeira, com apresentações de sete grupos no total. A produtora Equinox do Brasil, realizadora do evento, convidou os grupos Discurso HarmônioMarabrasAs Flautas de São PauloTrio Vargas, Kanji e De Camargo,Orquestra Maré do AmanhãGrupo Anima e Capella Paulistana. O tema deste ano é Música Holandesa nos Trópicos.  A entrada para os concertos e demais atividades será franca.

Além dos concertos, que acontecerão à noite em sua maioria, haverá ações didáticas, cortejos e conferências, bem como a entrega do prêmio Equinox Jovem Talento Maranhense. Em São Luís, haverá programação no Convento das Mercês (que estará comemorando seus 360 anos de fundação), na Igreja do Desterro e no Teatro Arthur Azevedo (Rua do Sol).

 O festival terá início em Bacabeira, com a apresentação dos grupos Marabras e Discurso Harmônico (Igreja Imaculada Conceição), além de ação didática e cortejo. No dia seguinte, será a vez de Rosário, que receberá As Flautas de São Paulo e Discurso Harmônico(Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário), além de ação didática.

Nos dias 7 e 8, a cidade de Alcântara reviverá o encanto da época barroca, com as apresentações dos grupos Discurso Harmônico,Trio Vargas, Kanji e De CamargoOrquestra de Cordas Maré do AmanhãAnima e Capella Paulistana (Igreja do Carmo), além de ação didática.

Nos dias 9 e 10 será a vez de São Luís. Dia 9, as apresentações acontecerão no Convento das Mercês (Orquestra de Cordas Maré do Amanhã e Capella Paulistana) e na Igreja do Desterro (As Flautas de São Paulo e Trio Vargas, Kanji e De Camargo). No dia 10, o encerramento da programação será no Teatro Arthur Azevedo, com As Flautas de São Paulo e o Grupo Anima, além da entrega do prêmio Equinox do Brasil Jovem Talento Maranhense.

Influências – O festival homenageará as influências musicais e artísticas holandesas que marcam, até hoje, de maneira despercebida, a cultura maranhense e nordestina. Em 25 de novembro de 1641, as tropas holandesas enviadas por Mauricio de Nassau desembarcaram em São Luís, na praia do Desterro, perto da igreja de mesmo nome e do Convento das Mercês. Cerca de dois mil soldados em 15 naus, comandados por experientes heróis de guerra holandeses, que já haviam participado de outras batalhas na Bahia, Pernambuco e Paraíba, passaram em frente ao Forte São Luís, debaixo de violento fogo de canhões, adentrando a foz do Rio Bacanga. Desembarcaram rapidamente e tomaram a capital, saqueando-a. O famoso governador Bento Maciel Parente, conhecido por ser “perseguidor de índios”, não pôde oferecer resistência e entregou a cidadela aos navegadores flamengos.

Os holandeses tinham como objetivo a expansão da indústria açucareira com novas áreas de produção de cana-de-açúcar. Depois, expandiram-se para o interior da capitania. Em 1642, os colonos, insatisfeitos com a presença holandesa, começaram movimentos para a expulsão dos holandeses do Maranhão.

As guerrilhas só acabaram em 1644, após três anos intensos, despovoando e destruindo quase toda a vila de São Luis, quando os holandeses, já sem reforços da Holanda, se retiraram do Maranhão. Era o fim da colônia holandesa no Estado. 370 anos mais tarde, a música do “invasor herético”, da “Nova Holanda” sul americana, junto à música do Brasil Colônia, iria servir de tema principal à terceira edição do Festival de Música Barroca de Alcântara.

Sobre os participantes:

Grupo Anima

Nasceu no Brasil há 25 anos como resultado de reflexões sobre a interpretação musical e a memória musical brasileira. A estrutura inicial do grupo teve como base o movimento de música antiga, cujos princípios interpretativos norteiam até hoje o grupo e foram ampliados e transformados por meio das múltiplas formações pelas quais passou. Seus espetáculos resultam de trabalho de pesquisa de interpretação baseado na música de comunidades não letradas, afastadas de centros urbanos no Brasil e na música da Idade Média e do renascimento europeus. O constante diálogo entre a etnomusicologia, a musicologia histórica, a hermenêutica e o teatro contemporâneos, leva ao palco um roteiro musical onde se faz presente o tempo não linear, encarando o momento da apresentação e o palco como um espaço-tempo ritualizado, próprio para a realização musical em um sentido pleno. Sobre o palco a Idade Média e a Renascença europeias encontram-se na música da tradição oral brasileira não urbana, ambas atualizadas nos arranjos musicais construídos pelos intérpretes e também propostos por integrantes do Grupo e convidados.

Capella Paulistana   

Nasceu a partir da iniciativa da soprano Marília Vargas de fundar um grupo essencialmente vocal, especializado na pesquisa e interpretação da música antiga, especialmente a colonial latino-americana e brasileira.            Sempre contando com profissionais com carreira no Brasil e exterior, sua formação pode variar em função das necessidades impostas pelo repertório, incluindo eventualmente convidados escolhidos especialmente em função da demanda musical de cada programa. Assim, adaptando uma fórmula de sucesso em vários ensembles europeus, o grupo afirma-se como um dos mais significativos grupos vocais em atividade no país.

As Flautas de São Paulo

Dirigido por Cesar Villavicencio e Ricardo Kanji, é o mais novo conjunto de flautas doces do Brasil. É o único grupo do país que possui um consort completo de flautas Praetorius. Reúne músicos de quatro gerações que se dedicam à flauta doce e à pesquisa e interpretação da música antiga. Kanji, músico de grande atividade artística internacional, foi pioneiro nos anos 1960 com seu grupoMusikantiga. Villavicencio, seu pupilo, tem levado a flauta aos novos campos de experimentação com a eletrônica. O conjunto já se apresentou no Festival de Música Antigua de Lima (Peru), no XXIV Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (MG), no XXIII Congresso da Anppom em Natal (RN), na I Mostra de Música Antiga de Alegre (ES), na Semana de Música Antiga da UFMG em Belo Horizonte (MG), na I Mostra Internacional de Flauta Doce, Aulos, em Florianópolis (SC). Além de seu envolvimento com a interpretação do repertório antigo, este conjunto está elaborando estratégias para formar um grupo de pesquisa no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista.

Discurso Harmônico

 O grupo é uma proposta de músicos comprometidos com a interpretação historicamente informada da música barroca, utilizando réplicas dos instrumentos originais do período.  Este movimento de música historicamente informada tem influenciado as principais salas de concertos do mundo, e no Brasil, esse movimento tem encontrado uma demanda cada vez maior. Com o intuito de renovar o interesse da plateia pelos grandes clássicos dos séculos XVII e XVIII, não apenas no que tange à Europa, mas abordando também o rico repertório colonial e barroco latino-americano, o grupo busca sempre uma interpretação atual e interessante, condizente com o espírito contemporâneo ao repertório proposto.  A formação do Discurso Harmônico inclui artistas com sólida técnica instrumental e reputação consolidada. Seu núcleo carioca é formado por Laura Rónai, responsável pela cadeira de Flauta Transversal da UniRio, Elione Medeiros, responsável pela cadeira de fagote da mesma instituição, e Roger Lagr e Eduardo Antonello (da UFRJ), dois jovens expoentes da nova geração que se dedica à pesquisa e interpretação histórica.

Orquestra Maré do Amanhã (projeto Estrada Cultural)

Criado por Carlos Eduardo Prazeres em agosto de 2010, o projeto Estrada Cultural ensina música clássica a crianças e adolescentes de comunidades em risco social. Seu primeiro núcleo foi criado no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, onde o projeto foi iniciado com 40 crianças, com aulas de teoria musical, violino, violoncelo e flauta. Atualmente, o projeto atende a 200 crianças, com aulas nos turnos da manhã e tarde, atingindo 16 comunidades do Complexo da Maré, além de Xerém e Caju.

Com apenas três meses de trabalho, as crianças apresentaram um resultado fantástico, realizando seis apresentações no final do ano de 2010.  Nascia assim a Orquestra Maré do Amanhã, o braço profissionalizante do projeto, cujo diferencial é não ser apenas um projeto social, mas oferecer uma oportunidade real de mudança de vida para seus alunos, preparando cada um deles para o mercado de trabalho, enquanto evita que sejam arregimentados pelo tráfico de drogas. O projeto Estrada Cultural/Orquestra Maré do Amanhã engloba geração de renda e oportunidade de trabalho, educação para qualificação profissional e garantia dos direitos da criança e do adolescente.

Marabrass

Fundado em junho de 2003, o nome do grupo é uma junção do termo Mara, prefixo do nome do Estado do Maranhão, e Brass, palavra inglesa que significa metais. Com um repertório variado, o grupo interpreta obras que compreende desde a música renascentista até a contemporânea, incluindo compositores brasileiros, sendo alguns maranhenses. Tem como objetivo principal divulgar a música instrumental para metais às mais diversas plateias. Atualmente, o grupo participa como base do projeto Orquestrando a Vida, do SESC, atendendo alunos das diversas bandas de músicos da região metropolitana de São Luís, além de realizar apresentações em concertos didáticos fomentando a formação de plateias da capital e interior do Estado.

Trio Vargas, Kanji e de Camargo

O trio é composto pela soprano Marília Vargas, formada no canto barroco na Schola Cantarum Brasiliensis, na Suíça, já tendo se apresentado várias vezes em São Luis; pelo flautista e cravista Ricardo Kanji, que foi professor no Conservatório Real de Haia (Holanda) de 1973 a 1995, e também diretor da Orquestra Concerto Amsterdam, de 1991 a 1996; e por Guilherme de Camargo, nas cordas dedilhadas. Juntos, eles apresentam um programa inédito dedicado à música holandesa nos trópicos.

Serviço:

O quê

II Festival de Música Barroca de Alcântara

Quando

De 5 a 10 de junho

Onde

Alcântara, Bacabeira, Rosário e São Luís

Entrada franca

Joãozinho do PT esclarece polêmica em matéria jornalística

COMPARTILHE
Um coração já bastante ferido

Um coração já bastante ferido

O ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caxias, João Batista da Cruz Rios, o “Joãozinho do PT” enviou nota a este Blog, esclarecendo a polêmica que acabou se espalhando através de uma matéria que foi publicada no Jornal Pequeno, no Domingo (04) e foi replicada por este blog. E como este site sempre trabalha para seu público, irá ceder o direito de resposta, mesmo não sendo citado na nota. Leia abaixo a nota de Joãozinho do PT.

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Venho por meio desta, informar que ha um equivoco na matéria denominada Agente vazou operação da PF para lideranças petistas do Maranhão”, e subtítulo “violação de sigilo funcional”,  publicada no Jornal Pequeno edição de domingo 04 de maio de 2014 de autoria do Jornalista OSWALDO VIVIANI e no blog de propriedade do Sr. JOHN CUTRIM, porém, matéria esta de responsabilidade do Jornal Pequeno e, por conseguinte, do citado blog, devo dizer que o jornalista deve ter sido induzido a erro.

Pois, eu nunca fui alvo daquela e nem de outra operação da Policia Federal, nunca teve e nem tem motivo para isso. Nunca fui sequer investigado, muito menos tive minha casa objeto de busca e apreensão como afirma levianamente a dita matéria.

Nesse sentido, venho a público esclarecer e afirmar que o meu nome foi citado indevidamente pelo Jornalista OSWALDO VIVIANI na referida matéria veiculada no jornal Pequeno e no blog do JOHN CUTRIM, contrariando assim, os princípios do bom jornalismo, que entre outros, deve tomar o cuidado de apurar a realidade dos fatos antes de publicar qualquer matéria para não cometer erro e ou crime de imprensa preconizado na Lei 5.250 de fevereiro de 1967 art. 20.

Assim sendo, não admito ter meu nome veiculado em matéria jornalística ou em qualquer outro veículo de comunicação, sendo acusado de forma caluniosa e leviana, como sendo fraudador e ou tendo desviado recursos públicos, pois, o conteúdo da matéria no que diz respeito ao meu nome, caracteriza crime de calunia conforme preceitua o art. 134 – CP.

Portanto, conforme acima esclarecido e com fulcro nos artigos 29 e 30 da Lei 5.250 de fevereiro de 1967, solicito os responsáveis pela divulgação da matéria supracitada, a publicação da presente nota.

 

São Luís 04 de maio de 2014

  João Batista da Cruz Rios    

Agricultor/Consultor Agrário                                                                          

 

Vereador trabalha 24hs pelo povo do Maranhão

COMPARTILHE
Ivaldo após maratona de reuniões

Ivaldo após maratona de reuniões

Enquanto alguns parlamentares levantam tarde, chegam atrasados no trabalho e nem cumprem com metade de seus compromissos, o vereador Ivaldo Rodrigues da uma lição e mostra porque escolheu ser o representante do povo.

Com agenda cheia durante todo o dia, Ivaldo ainda encontra tempo para visitar os amigos, tomar café com os aliados e fazer aquele passeio por várias comunidades da grande Ilha de São Luís. O grande compromisso de Ivaldo começa às 10hs da manhã no plenário da Câmara Municipal de São Luís. Mas isso não impede que o Vereador seja um verdadeiro “Madrugueiro” e acorda bem cedo para planejar o seu dia de lutas.

Antes de começar seu compromisso na Câmara, Ivaldo atende dezenas de pessoas em sua casa e mais dezenas de amigos em seu gabinete. Além disso, o vereador cumpre com sua agenda de reuniões e ainda tira um tempo para gravar os Informes do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Veja este vídeo, onde o vereador fala da história do PDT.

Mas você pensa que Ivaldo Rodrigues se preocupa somente com a capital, são Luís, onde foi eleito Vereador pelo PDT? Se você pensou assim, está redondamente enganado. O vereador Ivaldo Rodrigues é da baixada maranhense e se preocupa com seu povo. Enquanto alguns políticos brigam por besteiras, Ivaldo Rodrigues compra briga pelo povo do Maranhão.  Foi assim quando lutou pela criação do COMEFC e por isso foi o único vereador  do Brasil, a receber uma homenagem pelo primeiro aniversário da entidade. Sem medo e sem papas na língua, Ivaldo fala o que pensa e por isso é muito querido pela população da baixada onde nasceu. Veja este vídeo onde Ivaldo fala sobre a sua região.

O bicho pegou hoje na Câmara municipal de São Luís

COMPARTILHE
Vereadores Marquinhos X Fábio Câmara

Vereador Marquinhos X Fábio Câmara

Enquanto São Luís pegava fogo na manhã de hoje (12), dois vereadores da capital maranhense perdiam as estribeiras na Câmara municipal. Os dois parlamentares foram contidos pela turma do deixa-disso. A cena lamentável foi protagonizada pelos vereadores Marquinhos (PRB) e Fábio Câmara (PMDB) que discutiam sobre a ida do secretário de trânsito e transporte, Canindé Barros, amanhã a câmara.

O vereador Marquinhos acabou falando que muitas denúncias da Câmara contra o transporte eram sopradas pelo próprio Canindé. Fábio Câmara não gostou da atitude do colega e disse que ele teria que provar as acusações e se iniciou uma discussão entre os dois. No bate boca entre os dois vereadores, Marquinhos insinuou que Fábio não era “macho” para negar esses fatos.

Foi quando o peemedebista falou que “Marquinhos” têm um passado duvidoso na política. O vereador do PRB saiu de sua mesa e foi até a bancada de Fábio: “fala na minha cara agora se tu és homem”.

Após o tumulto o presidente da casa, Isaías Pereirinha, resolveu encerrar a sessão por falta de decoro parlamentar. A partir daí, o peemedebista partiu com tudo para brigar com Marquinhos. No segundo round, Marquinhos ficou na dele. Já Fábio Câmara se empolgou ao ver o irmão dentro do plenário. Novamente muita gente teve que segurar os brigões e a sessão foi encerrada após o vereador Nato, que faz parte da comissão de ética da Câmara, pedir o encerramento.

Com o mau exemplo dos parlamentares, o clima de confusão contagiou até a galeria da Casa. Os membros da Comissão de Ética vão analisar os fatos. Veja o vídeo da confusão.

Sampaio esclarece polêmica sobre negociação com as Óticas Diniz

COMPARTILHE

*Nota do site do Sampaio*

Esse Arione Diniz é um grande Laranja

Esse Arione Diniz é um grande Laranja

Após várias semanas de tentativas de contato com as Óticas Diniz para buscar parceria no patrocínio da camisa do Sampaio Corrêa, finalmente, na última segunda feira, dia 05 de maio, fomos recebidos, muito atenciosamente, diga-se de passagem, pela gerente de marketing da empresa, que ficou de apresentar nossas cotas de patrocínio ao Presidente da Empresa, Sr. Arione Diniz.

Muito bem, a resposta veio na quarta feira, dia do jogo contra o Palmeiras, por volta das 15h, quando o Sr. Diniz ligou pessoalmente para o Gerente de Marketing do Sampaio e ofereceu uma proposta de patrocínio pontual no valor de R$ 10 mil reais para estampar o peito da camisa (que é o local de maior visibilidade) no jogo contra o Palmeiras. Diante do constrangimento da proposta, muito abaixo do aceitável, ele mesmo nomeou sua proposta como proposta de valor simbólico.

Mesmo sendo possível estampar o patrocínio a tempo para o jogo, que aconteceria em poucas horas, o Departamento de Marketing do Sampaio recusou a proposta, por estar abaixo do mínimo que se poderia aceitar, principalmente para um jogo daquele porte.

Diante da recusa, é fato comprovado pela imprensa, que o Sr. Diniz foi pessoalmente, de cabine em cabine, dentro do Castelão, a diversas rádios, para difamar o Sampaio Corrêa e sua equipe de colaboradores, afirmando que propôs um valor bem acima do oferecido e que o Sampaio recusou!

Hora, Sr. Diniz, todos nós sabemos que uma empresa do seu porte, que chegou aonde chegou graças aos maranhenses, só teria a ganhar ao apoiar um clube de massa como o Sampaio Corrêa. Porém, ao oferecer de forma oportunista, migalhas, e além disso, difamar o clube, o senhor não apenas ofende o Sampaio Corrêa, mas também ofende o povo do Maranhão, que está cansado de saber que as Óticas Diniz patrocinam um enorme número de eventos e clubes de futebol Brasil afora. De oportunistas, querendo apenas tirar vantagem do nosso atual momento, queremos é distância!

O Sampaio Corrêa vem lutando sozinho desde a série D, sem apoio de quase ninguém, a não ser da sua imensa e apaixonada torcida, que sempre foi sua maior patrocinadora. Agora na série B, vamos continuar buscando parcerias, além das que já estão ao nosso lado como Hospital São DomingosMateus SupermercadosSmaak (River, You Happy, Roots)Cervejaria Proibida e outras empresas que acreditam e apoiam o Sampaio. Entendemos que com seriedade e, acima de tudo, integridade, alcançaremos nosso objetivo de tornar o Sampaio referência no futebol brasileiro.

Sindicado dos Servidores Municipais tem novo Presidente

COMPARTILHE
Sindicato dos Servidores de Bequimão

Sindicato dos Servidores de Bequimão

O Sindicato dos Servidores Municipais de Bequimão (Sismubeq) realizou hoje (10) eleição para a escolha da nova diretoria para o mandato de dois anos. Diferente das últimas eleições, que o presidente sempre foi aclamado, desta vez houve duas chapas. Uma chapa foi encabeçada pela atual presidente, Vande Lourdes. Já a segunda chapa foi formada pelo professor Ivaldo Oliveira, que tinha apoio do ex-prefeito Antônio Diniz (PCdoB). No total, 467 associados estavam aptos a votarem nesta eleição e escolherem o melhor para o Sindicato.

E como diz o provérbio futebolístico, que em time que está ganhando não se mexe, os servidores optaram pela permanência da atual presidente, Vande Lourdes, que foi eleita para comandar a casa dos associados por mais três anos. Na votação, Vande Lourdes recebeu 209 votos contra 133 de Ivaldo Oliveira; uma diferença de 76 votos. Com isso, Diniz sofre mais uma derrota em Bequimão.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bequimão foi fundado em 28 de Maio de 2005.  De acordo com o professor Marcelo Almeida que escreveu em sua página no facebook, durante esses nove anos de existência, o Sismubeq conseguiu conquistar uma série de direitos para os servidores que viviam a mercê, sem ter a quem recorrer.

 Não estou dizendo que esgotaram as necessidades de conquistas por parte dos servidores, seria pueril e até hipócrita da minha parte. Ao contrário, muito ainda tem que ser feito, muita coisa ainda precisa mudar em nosso município – disse o professor Marcelo.

Marcelo Almeida ainda ressaltou que, ainda é preciso muitas lutas, muitas idas e vindas e muitos sacrifícios. A verdade é que hoje quando o servidor tem algum problema, alguma dificuldade, ele não fica à deriva, ele recorre ao sindicato do servidor.

 Para finalizar, Marcelo deixou uma frase aos companheiros de luta. “SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ, SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ”.

A posse da nova diretoria vai acontecer dia 28 de maio, exatamente na data em que o Sindicato completará nove anos de lutas.

Após quase 72hs FMF divulga borderô de Sampaio X Palmeiras

COMPARTILHE
Felino Maldito do Futebol

Felino Maldito do Futebol/Imagem da Internet

Parece até engraçado, mas na verdade não passa de um vício crônico por parte da Federação Maranhense de Futebol (FMF)  só divulgar o borderô das partidas quase uma semana após o jogo. O jornalista e radialista, Zeca Soares, foi muito feliz quando em seu Blog, classificou esse “Modelo” como desrespeito ao torcedor maranhense.

O jogo entre Sampaio X Palmeiras, válido pela primeira partida da segunda fase da Copa do Brasil, aconteceu na última quarta feira (07) e só ontem (09) a Federação Maranhense de Futebol divulgou o borderô da partida. Segundo o borderô da FMF, apenas 22.759 torcedores estiveram no castelão, sendo que 4.202 não pagaram ingressos e entraram através do 0800. Somente 18.557 pagaram entrada. A renda foi de R$ 624.550,00 e as despesas chegaram a R$ 203.882,24.

A pergunta que fica é: Se o estádio estava com quase 80% de sua capacidade lotada, onde colocariam quase 18 mil torcedores, se a capacidade do Castelão é só de 40 mil lugares? De acordo com os comentários de cronistas esportivos que estiveram no Castelão, 35 mil torcedores estiveram no gigante do outeiro da cruz na última quarta-feira.

A grande verdade mesmo, é que os que deveriam pagar ingressos para ajudar o clube, acabam entrando de carona e prejudicam o time do coração. Mas uma coisa é certa, o Sampaio está amarrando cachorro com lingüiça. Contratar a FMF para administrar a renda do jogo, é simplesmente querer matar um pato afogado no meio da lagoa.

É justamente a FMF que fabrica os ingressos e isso é tudo que os dirigentes da FMF querem. O que me chama atenção mesmo, é que a parcial sai e a Federação demora três dias para conferir pouco menos de mil ingressos. Será que essa demora é pra conferir os ingressos ou para fabricar e substituí-los pelos vendidos e ficarem com a grana já apurada? Só aqui no Maranhão fabricam ingressos dentro do estádio. E ainda falam de falsificação. É muita cara de pau.

Nos jogos do campeonato maranhense deste ano, foi a mesma coisa. Estádio lotado e na hora apareceu apenas metade do público. Isso se chama assalto a mão armada. Ninguém vai explicar nada sobre essa tal evasão de renda? O Sampaio vai ficar calado mais uma vez ou vai aceitar porque dói menos? Tá na hora de Sérgio Frota ligar o alerta ou vai chorar o caldo derramado.

Com a FMF não dar pra ser sócio, afinal a bactéria de Alberto Ferreira ainda continua alojada na casa do futebol maranhense!

Jornalista “Modinha” mostra que conhece tudo, menos de futebol

COMPARTILHE
O Moto merece respeito

O Moto merece respeito

Se estivesse ficado calado, o jornalista Márcio Henrique, do Jornal O Estado do Maranhão, poderia concorrer ao prêmio de poeta da crônica esportiva do Brasil. Mas, optou por escrever uma matéria de um assunto que pouco domina. Deveria no mínimo, ter pesquisado um pouco sobre o assunto ou mesmo ter pedido ajuda aos veteranos da bola.

O pior de tudo, é que o profissional trabalha em uma verdadeira escola de conhecimento esportivo, principalmente do futebol. Só para começar, Sr. Márcio Henrique vou citar alguns nomes que poderiam ter evitado esse vexame que você passou ao falar de futebol e principalmente do Moto Club de São Luís, sem conhecimento de causa. Na Rádio Mirante temos: Gilson Rodrigues, Zeca Soares, Laércio Costa, Fontineli, Tércio Dominice, Roberto Fernandes, Neres Pinto e o colunista do Jornal o Estado, Edvan Fonseca. Isso pra você não ter que entrar em contato com Juraci Filho, Edy Garcia e Fernando Souza, que trabalham em outras emissoras, mas que poderiam e podem te enriquecer de informações sobre futebol.

O jornalista foi bem claro e mostrou com suas palavras, que não entende de futebol e pouco conhece a linda história do Moto Club. A torcida do Papão do Norte merece respeito e principalmente a diretoria. Agora me responda com toda sinceridade. Qual clube do Maranhão tem um CT totalmente estruturado? Pesquise mais um pouco sobre o futebol e principalmente o maranhense, para não ficar enchendo lingüiça com matérias sem fundamentos, como essa que foi escrita em seu Blog. Leia abaixo o texto.

Tex 1

Text2

Agora leia alguns comentários de torcedores do Moto.

COMET1COMT2

O pior, é que está virando moda, jornalista falar do Moto, sem conhecer no mínimo a história do Club. É bom conhecer um pouco mais. O Papão foi rebaixado sim, mas não surgiu agora. Tem história no futebol nacional e é um time grande do Brasil.

Agora vai um papo de amigo de profissão. Fica calado Márcio Henrique, que você será um grande Jornalista!

Pedetista Carioca desce o braço na TV globo

COMPARTILHE
Atuante & Corajosa

Atuante & Corajosa/Imagem retirada da internet

A radialista, colunista do jornal O Dia e deputada estadual, Cidinha Campos (PDT/RJ), publicou, no jornal e em suas páginas de redes sociais, um artigo com duras críticas à apresentadora Regina Casé (Esquenta) e à abordagem feita pela TV Globo, do caso da morte do dançarino “DG”. Leia abaixo e manifeste sua opinião a respeito:

ARTIGO ESCRITO DIA 04/05, DOMINGO:

Rio – Uma hora e meia de irresponsabilidade: foi o que se viu no programa da Regina Casé na tarde do último domingo. A polícia ainda não disse o que aconteceu no Pavão-Pavãozinho, mas a vítima, o dançarino DG, já foi canonizada como um misto de Rudolf Nureyev e São Francisco de Assis.
Eu lamento a morte desse rapaz, assim como lamento a morte de Edilson dos Santos, o jovem com deficiência metal, morto na mesma operação, e todos os PMs assassinados por bandidos nas UPPs e fora delas. Para esses, não se dedicou um programa na TV nem se produziu uma torrente de lágrimas em cadeia nacional.
DG era lindo, alegre, pontual, como disse Regina Casé. Mas o que fazia Ele pulando de um prédio para o outro em plena madrugada? A polícia afirma que ele estava com o bandido maior da área, o tal de Pitbull, foragido da cadeia, que naquela noite promovia um churrasco na comunidade, quando o tiroteio começou.
É fato que o dançarino gostava de companhias pouco recomendáveis. No seu Facebook, postou que era “amigo eterno do Cachorrão” (traficante morto na mesma comunidade em janeiro) e chegou a dizer que os moradores iriam descer o morro “cheios de ódio na veia e bico na mão” para vingar a morte do facínora.
No mesmo domingo do programa, um grupo fez uma manifestação na Avenida Atlântica, mãe da vítima à frente tocando um bumbo, gritando “Fora, UPP!”. Certamente, preferem que os traficantes continuem donos das favelas. Uma repórter do jornal O DIA foi agredida na manifestação. Agora virou moda. Não faz muito tempo, jornalistas e qualquer serviço do estado só subiam a favela com autorização do tráfico. Quem tem saudades desta época?
Nunca houve no Brasil um programa de combate ao domínio do tráfico tão determinado e corajoso quanto a UPP. É mentira que a ocupação social não esteja acontecendo. Pode não ser na velocidade que desejamos, mas acontece na velocidade possível. Só quem não mora no Alemão pode ignorar o teleférico, o cinema, as creches, escolas, biblioteca, centro de computação. O mesmo vale para a Rocinha, para o Santa Marta, Chapéu Mangueira e tantas outras comunidades.
A esquerda caviar, que ganha dinheiro mostrando a cultura da favela, mas gosta de passar férias em Angra e Paris, não vai reconhecer nunca o trabalho do governo, a menos que ganhe cachê para isso. As UPPs são a nossa chance de retomar o Rio para os fluminenses. Alimentar o discurso contra elas equivale a voltar para um passado que uma emissora com a responsabilidade da TV Globo não tem o direito de esquecer.