casa » Arquivos do Altor: João Filho (página 373)

Arquivos do Altor: João Filho

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

Eleições 2014 é previsão bíblica

COMPARTILHE

 

Por Leonardo Boff

DILMA

Nestas eleições presidenciais, os brasileiros se confrontaram com uma cena bíblica, testemunhada no salmo número um: tinha que escolher entre dois caminhos: um que representa o acerto e a felicidade possível e outro, o desacerto e infelicidade evitável.

Criaram-se todas as condições para uma tempestade perfeita com distorções e difamações, difundidas na grande imprensa e nas redes sociais, especialmente uma revista que ofendeu gravemente a ética jornalística, social e pessoal publicando falsidades para prejudicar a candidata Dilma Rousseff (PT). Atrás dela se albergam as elites mais atrasadas que se empenham antes em defender seus privilégios que universalizar os direitos pessoais e sociais.

Face à estas adversidades, a Presidenta Dilma ao ter passado pelas torturas nos porões dos órgãos de repressão da ditadura militar, fortaleceu sua identidade, cresceu em determinação e acumulou energias para enfrentar qualquer embate. Mostrou-se como é: uma mulher corajosa e valente. Ela transmite confiança, virtude fundamental para um político. Mostra inteireza e não tolera malfeitos. Isso gera no eleitor ou eleitora o sentimento de “sentir firmeza”. Sua vitória se deve em grande parte à militância que saiu às ruas e organizou grandes manifestações. O povo mostrou que amadureceu na sua consciência política e soube, biblicamente, escolher o caminho que lhe parecia mais acertado votando em Dilma. Ela saiu vitoriosa com mais de 51% dos votos.

Ele já conhecia os dois caminhos. Um, ensaiado por oito anos, fez crescer economicamente o Brasil, mas transferiu a maior parte dos benefícios aos já beneficiados à custa do arrocho salarial, do desemprego e da pobreza da grande maioria. Fazia políticas ricas para os ricos e pobres para os pobres. O Brasil fez-se um sócio menor e subalterno ao grande projeto global, hegemonizado pelos países opulentos e militaristas. Esse não era o projeto de um país soberano, ciente de suas riquezas humanas, culturais, ecológicas e digno de um povo que se orgulha de sua mestiçagem e que se enriquece com todas as diferenças.

O povo percorreu também o outro caminho, o do acerto e da felicidade possível. Neste ele teve centralidade. Um de seus filhos, sobrevivente da grande tribulação, Luiz Inácio Lula da Silva, conseguiu com políticas públicas, voltadas aos humilhados e ofendidos de nossa história, que uma Argentina inteira fosse incluída na sociedade moderna. Dilma Rousseff levou avante, aprofundou e expandiu estas políticas com medidas democratizantes como o Pronatec, o Pro-Uni, as cotas nas universidades para os estudantes vindos da escola pública e não dos colégios particulares; as cotas para aqueles cujos avós vieram dos porões da escravidão assim como todos os programas sociais do Bolsa Família, o Luz para Todos, a Minha Casa, minha Vida, o Mais Médicos entre outros.

A questão de fundo de nosso país está sendo equacionada: garantir a todos, mas principalmente aos pobres, o acesso aos bens da vida, superar a espantosa desigualdade e criar mediante a educação oportunidades aos pequenos para que possam crescer, se desenvolver e se humanizar como cidadãos ativos. Esse projeto despertou o senso de soberania do Brasil, projetou-o no cenário mundial como uma posição independente, cobrando uma nova ordem mundial, na qual a humanidade se descobrisse como humanidade, habitando a mesma Casa Comum.

O desafio para a Presidenta Dilma não é só consolidar o que já deu certo e corrigir defeitos mas inaugurar um novo ciclo de exercício do poder que signifique um salto de qualidade em todas as esferas da vida social. Pouco se conseguirá se não houver uma reforma política que elimine de vez as bases da corrupção e que permita um avanço da democracia representativa com a incorporação da democracia participativa, com conselhos, audiências públicas, com a consulta aos movimentos sociais e outras instituições da sociedade civil.

É urgente uma reforma tributária para que tenha mais equidade e ajude a suplantar a abissal desigualdade social. Fundamentalmente a educação e a saúde estarão no centro das preocupações desse novo ciclo. Um povo ignorante e doente não pode dar nunca um salto rumo a um patamar mais alto de vida. A questão do saneamento básico, da mobilidade urbana (85% de população vive nas cidades) com transporte minimamente digno, a segurança e o combate à criminalidade são imperativos impostos pela sociedade e que a Presidenta se obrigará a atender.

Ela, nos debates, apresentou um leque significativo de transformações a que se propôs. Pela seriedade e sentido de eficácia que sempre mostrou, podemos confiar que acontecerão. Há questões que mal foram acenadas nos debates: a importância da reforma agrária moderna que fixa o camponês no campo com todas as vantagens que a ciência propiciou. Importa ainda demarcar e homologar as terras indígenas, muitas ameaçadas pelo avanço do agro-negócio.

Por último e talvez o maior dos desafios nos vem do campo da ecologia. Severas ameaças pairam sobre o futuro da vida e de nossa civilização, seja pela máquina de morte já criada que pode eliminar por várias vezes toda a vida e as consequências desastrosas do aquecimento global. Se chegar o aquecimento abrupto, como inteiras sociedades científicas alertam, a vida que conhecemos talvez não possa subsistir e grande parte da humanidade será letalmente afetada. O Brasil por sua riqueza ecológica é fundamental para o equilíbrio do planeta crucificado. Um novo governo Dilma não poderá obviar esta questão que é de vida ou morte para a nossa espécie humana.

Que o Espírito de sabedoria e de cuidado oriente as decisões difíceis que a Presidenta Dilma Rousseff deverá tomar.

*Leonardo Boff é teólogo e filósofo, e também escritor. É dele o livro “Proteger a Terra e cuidar da vida: Como escapar do fim do mundo” (Record, 2010)

Brasil 2×2 Londrina termina com briga e prisão

COMPARTILHE

BRAS6

O jogo entre Brasil de Pelotas X Londrina do Paraná, válido pelas semifinais da série D, foi marcado por muita briga e discussão. Vários cartões foram distribuídos e o policiamento teve que intervir. A confusão foi tamanha, que Ximbica, um membro da comissão técnica do Londrina, desmaiou após receber um chute do goleiro do Brasil, Eduardo Martini, e saiu de campo imobilizado. O goleiro foi retirado de campo pela Polícia Militar.

COM A BOLA ROLANDO…

Buscando reverter o resultado negativo da primeira partida, o Londrina começou pressionando o Brasil. Trocando passes no campo ofensivo, não demorou para o Tubarão chegar com perigo ao gol de Eduardo Martini. Aos 10 minutos de jogo, após lançamento para área do Brasil, a zaga afastou mal e, no rebote, Paulinho soltou a bomba. A bola passou muito perto da meta gaúcha. Dois minutos mais tarde, Celsinho tabelou com Bruno Batata e cruzou para dentro da área, mas ninguém chegou para completar.

BRAS1 BRAS2

Os paranaenses pressionavam insistentemente e perdiam boas chances. Aos 26 minutos, Bruno Batata chutou de fora da área, a bola desviou na zaga, enganou o goleiro, mas foi para fora. Na cobrança do escanteio, Silvio subiu livre e cabeceou, mas a zaga tirou em cima da linha. Aos 35 minutos, Paulinho cobrou falta rapidamente e Bruno Batata chutou forte, mas a bola foi para fora. Dois minutos mais tarde, Alan Vieira cruzou e Bruno Batata antecipou bem a zaga e cabeceou. A bola passou muito perto.

Na saída de campo, os jogadores dos dois times, exaltados, iniciaram uma confusão e a polícia teve que intervir e fazer um cordão de isolamento para que os jogadores rubro-negros pudessem caminhar ao vestiário. Revoltada, torcida mandante arremessava objetos dentro do gramado.

CONFUSÃO GENERALIZADA 

O ditado mais certo do futebol é “quem não faz toma.”. O Brasil, na primeira chance que teve, abriu o placar, para desespero do Tubarão. Aos 37 minutos, David Ceará saiu jogando errado, o time gaúcho recuperou a bola e armou contra-ataque. No cruzamento, Nena completou e não deu chances ao goleiro Vitor. Após o gol sofrido, o time do Londrina se perdeu em campo e não conseguiu manter a pressão que vinha fazendo em cima do Brasil.

Na volta do intervalo, mais um erro da zaga do Tubarão permitiu que o Brasil marcasse gol. De forma bizarra, o zagueiro Sílvio tentou chapelar o atacante Nena e sair jogando, mas perdeu a bola para Alex Amado que tocou para Nena, que só completou para o gol e fechou o caixão do Londrina.

Durante o segundo tempo, o Londrina até tentou pressionar para conseguir diminuir a desvantagem e conseguiu o empate. Aos 20 minutos, Celsinho cobrou escanteio, Alexandre Oliveira tentou a finalização e, no rebote, Diego Roque completou, sem chances para Eduardo Martini. Empolgado, o Tubarão chegou ao empate quatro minutos mais tarde. Novamente na bola parada de Celsinho, a bola sobrou para Sílvio,que escorou para o gol. Após o empate, uma confusão generalizada começou entre jogadores e comissão técnica de ambos os times. Após a paralisação, o juiz decidiu recomeçar o jogo.

A bola voltou a rolar e o Brasil teve chance de ampliar após o goleiro Vitor derrubar Nena dentro da área. O próprio atacante bateu, mas o goleiro se redimiu e defendeu a cobrança.

Com o empate, o Brasil se classificou e agora espera o resultado entre Confiança e Tombense para ver qual será o adversário.

BRA3

BRA4

BRA5

Weverton Rocha fala sobre desafios

COMPARTILHE

#Matéria de assessoria#


“Meu primeiro desafio é ajudar o governo do estado a conseguir recursos para melhorar a vida dos maranhenses, pois a dívida é histórica”.

WEV

O deputado federal reeleito, Weverton Rocha (PDT), foi entrevistado pelo Programa Palavra Aberta, da TV Câmara, onde fez uma breve análise sobre a expectativa do Congresso Nacional para a próxima legislatura, que contará com 28 partidos, e ressaltou a importância de se discutir no plenário, pautas relevantes para a sociedade, como a Reforma Política, a necessidade do diálogo entre o Governo e o Congresso.

Na ocasião, Weverton ressaltou a eleição, logo em primeiro turno, do professor universitário, ex-juiz, ex-deputado federal e ex-presidente da EMBRATUR, Flávio Dino (PCdoB), como governador do estado, após uma frente ampla composta por nove partidos terem trabalhado em prol de sua eleição e a do senador eleito Roberto Rocha (PSB). Outro ponto tratado durante a entrevista foi à diversidade dos partidos que compõem a bancada maranhense, onde Weverton ponderou que isto evidencia que o eleitor cada vez mais tem escolhido o candidato, e não o partido ou coligação a qual este integra.

Quando questionado sobre os desafios para o próximo mandato, o parlamentar ressaltou o seu objetivo de contribuir com o governo do estado, buscando atrair desenvolvimento para o Maranhão que necessita de empenho de todas as esferas do poder público para sanar a dívida histórica com o estado. “A dívida é histórica. O povo do Maranhão precisa do aporte do Estado e da União”, destacou o parlamentar maranhense.

Weverton destacou, ainda, o seu trabalho em prol dos pequenos produtores e trabalhadores rurais injustiçados com as ampliações de reservas biológicas e indígenas, os quais ele pretende continuar defendendo, e a luta pela educação e pelo trabalhador, que são bandeiras de defesa do seu partido, o PDT, ressaltando a necessidade da implantação da escola em tempo integral, visando combater problemas como falta de segurança, tráfico de drogas e marginalização da juventude. “Não adianta o Estado construir mais cadeias, aumentar o número de policiais nas ruas, se não oferecer educação de qualidade em tempo integral, com alimentação, acesso a esporte e cultura”, finalizou Weverton.

 

Aécio leva taca nas urnas do maranhão

COMPARTILHE

PT

Se no primeiro turno a surra foi grande, no segundo turno a taca foi ainda maior. A disputa entre Dilma & Aécio pela presidência da república mostrou o quanto o nordeste é forte e o Maranhão representa para o Brasil. Com 78,76% dos votos válidos, Dilma faturou 2.475.762 votos, contra 667.517 de Aécio Neves no Maranhão. Em 217 municípios maranhenses, Aécio venceu só em São Pedro dos Crentes, com uma diferença de apenas 5 votos.

A oportunidade de fazer um mandato diferente e bem melhor que o primeiro, levou Dilma à vitória ontem (26) no segundo turno com mais de 3 milhões de votos à frente de Aécio Neves. Em uma disputa acirrada, talvez a mais disputada dos últimos 20 anos, Dilma só viu a vitória após os acréscimos. Mesmo assim, o Brasil fez a festa e principalmente as regiões norte e nordeste.

Mas não foi só nas regiões taxadas como pobres, que Dilma foi bem votada. No sudeste Dilma bateu Aécio no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, terra do tucano. No norte, apenas no Acre o tucano venceu a petista. Já no Centro-Oeste Aécio fez a festa. Agora fica a grande pergunta: Porque Aécio perdeu até em seu estado? Cadê os 92% de aprovação do governo Aécio? Se um filho não serve bem sua terra, vai servir a nação?

A grande questão que tomou conta do Brasil logo após a vitória de Dilma foi o ódio e a xenofobia. Sulistas escrachando como os nordestinos e até os tucanos do norte e nordeste falando e escrevendo horrores nas redes sociais. Isso é a prova da violência no país. O que mostra são os interesses individuais e não coletivos.

Durante a campanha vi pessoas com alta capacidade de conhecimento, falando coisas inexistentes e esquecendo a história do Brasil. Muitos mostraram que não conhecem seus Estados e muito menos seu país. Pessoas falando de economia, inflação, emprego, educação, saúde, transporte e até aumento na conta de luz da Cemar. Foram os verdadeiros papagaios ensaiados.

Até em nossa brilhante imprensa, vi colegas profissionais falando coisas absurdas. Esses perderam as aulas de Jornalismo social. O Brasil não pode voltar a miséria, o povo pobre também sente fome e sede. O pobre merece respeito. Estaremos de olho nos próximos 50 meses.

O partido democrático trabalhista (PDT) foi o que mais vestiu a camisa petista no segundo turno. Representado por Weverton Rocha, Julião Amim & Ivaldo Rodrigues, o PDT promoveu uma campanha 24h e não saiu das ruas nenhum segundo. Os pedetistas mobilizaram o Maranhão inteiro, principalmente São Luís.

 

Professores participaram de curso de formação continuada

COMPARTILHE

#Matéria de Assessoria#

PROF2

Bequimão – Professores da Unidade Integrada Domingos Bouéres e da Unidade Escolar Aniceto Cantanhede, participaram nesta terça-feira (21), de atividades de formação continuada no Instituto Federal do Maranhão (IFMA) – Campus Maracanã. Nessas duas escolas, o instituto mantém o projeto “Hortas Escolares como Salas de Aula ao Ar Livre”, por meio do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e em parceria com a Prefeitura Municipal de Bequimão.

Desde o início deste ano, quando prefeito Zé Martins assinou o convênio e o IFMA foi contemplado no edital, já aconteceram diversas visitas da coordenação do projeto e dos alunos bolsistas a Bequimão. Nessa fase preparatória, está sendo levantada a maneira como será possível abordar conteúdos das diversas disciplinas nas hortas escolares.

PROF1PROF3

Com a ida dos professores ao Campus Maracanã, eles tiveram a oportunidade de formação, assistindo palestras sobre educação do campo, violência na escola, gestão escolar (reuniões produtivas) e plano em ação (planejamento escolar). Essa programação faz parte da Semana de Educação, Ciência e Tecnologia e do Encontro de Cursos Superiores que a instituição realiza anualmente.

HORTAS ESCOLARES

PROF4PROF5Pelo projeto, as hortas escolares servirão como salas de aula ao ar livre. Os alunos podem, por exemplo, aprender Matemática ao calcularem a área dos canteiros; ou mesmo História, descobrindo a origem de cada espécie cultivada.

As atividades terão duração de quatro anos, envolvendo 20 bolsistas da Licenciatura em Ciências Agrárias, que trabalharão em parceria com os professores de Bequimão. A ideia é tornar as aulas mais dinâmicas e, com isso, conseguir melhorar indicadores educacionais dessas escolas.

Além de servir para as aulas, a produção das hortas escolares deverá ser utilizada na merenda escolar, melhorando ou desenvolvendo hábitos alimentares saudáveis entre os alunos. “Esse projeto é uma grande possibilidade de se fazer extensão verdadeira e continuada, porque tem um prazo largo de duração. Não é aquela coisa pontual, que cria expectativa e não tem acompanhamento. Aqui, tem início, meio e fim”, ressaltou o professor Elias Rodrigues, coordenador do projeto.

Lisca dança o “Melô” de linguarudo!

COMPARTILHE

LISCA1

Demorou! O que a torcida Boliviana já esperava, aconteceu. Após uma conversa com o presidente do Sampaio, Sergio Frota, ficou decidido o desligamento do treinador Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi (Lisca Doido) como gosta de ser chamado. Após o resultado de empate contra o Náutico, no último sábado aqui no castelão, quando o Sampaio vencia por 1×0, e acabou cedendo o empate, Lisca que já havia sido demitido anteriormente após o empate contra outro Pernambucano (Santa Cruz), teve o retorno do cargo, mas agora não teve jeito. Caiu mesmo.

Sérgio Frota anunciou o nome do novo comandante nesta tarde, em coletiva no CT José Carlos Macieira, e trata-se do maranhense, Vinicius Saldanha que assume a direção técnica até o termino do campeonato Brasileiro série B. Vinícius que havia assumido a gerência de futebol do clube, agora vai visar apenas à comissão técnica. Amanhã (20) Saldanha terá seu primeiro desafio, contra o Bragantino-SP no estádio castelão.

SALDANHA1SALDANHA2

Com 44 pontos na tabela e ocupando a 9ª posição, o Sampaio ainda briga por uma vaga ao G4, que dará o acesso à séria A de 2015. Vinícius será o terceiro treinador, a comandar o Sampaio nesta temporada. O primeiro foi Flávio Araújo, que saiu para a chegada de Lisca que agora deu lugar a Saldanha.

Coerente em suas decisões, Sérgio Frota, demorou bastante para demitir o técnico Lisca. Lisca teve todo e estrutura para trabalhar e não pode reclamar, se não trouxe os resultados esperados, a única solução seria o que foi feito, demissão. No futebol não se tem lucro, mas, as vitórias recompensam. Em caso de fracasso, a única solução é R-u-a.

Resultado das eleições 2014 mostra quem tem força em Bequimão

COMPARTILHE

ANÁLISE APROFUNDADA DAS ELEIÇÕES 2014/2016

BEQUIMÃO 2014-2016

Em uma análise mais aprofundada e sem paixões partidárias, foi constatada de forma clara, que após os resultados das eleições pra governador, senador, deputado estadual e federal, os grupos políticos de Bequimão, comandados por Dr. Leonardo Cantanhede e Juca Martins, proclamaram suas forças sem muito esforço.

Após o derramamento de dinheiro pela maioria dos cabos eleitorais tanto dos que apoiaram Zé Inácio, quanto Othelino Neto, o que se viu em Bequimão foi uma verdadeira compra de votos descaradamente por parte desses candidatos, porém em ambos os casos tiveram uma votação muito aquém do que se pensava.

No famoso senadinho, todos falam em uma boca só, que o ex-prefeito, Diniz, estava furioso por ter gasto em torno de 350 mil reais pra dar uma boa votação ao seu candidato e por estar em último lugar, conforme pesquisas eleitorais, avisado pelo próprio deputado Othelino, via telefone, se virou nos trinta pra reverter à situação, senão morreria politicamente em Bequimão. A façanha não deu certo, mas isso não significa que Diniz não é uma força.

O CORRE-CORRE VISANDO 2016:

 Após o alerta do experiente deputado, o que se viu foi um entra e sai frenético na casa do Ex-prefeito, e pra quem tinha menos de 10 votos ele andou distribuindo 2 mil reais e assim por diante.

FAZENDO OS CÁLCULOS: tirando os 300 votos dado pela limitada liderança do Vereador Elanderson de Jacioca, onde ainda consegue ter votos em um reduto muito pequeno, a votação dada a Othelino pelo ex-prefeito Diniz foi de pouco mais de 1200 votos, juntando-se com a votação dada pelo vereador Sassá, o que posso classificar como muito pouco pra tamanho investimento. O certo é que Diniz continua com a canoa alagada, podendo naufragar a qualquer momento, dependendo da sua postura a partir de agora.

O NOVO COM O VÍRUS DE MONTEIRO:

Já Zé Inácio, que em comício realizado dia 04/10 na Praça 2 de novembro, no centro de Bequimão, em período vedado pela lei eleitoral, anunciou em praça  Pública que se elegeria e que sairia de Bequimão com 5 mil votos; profecia esta concretizada em partes, pois se elegeu mas, só teve pouco mais de 3 mil votos, ou seja, apenas 400 votos a mais que na eleição de 2010, quando obteve (2.700 votos), onde nem se comprara o valor gasto naquela eleição. Já nesta, a farra foi de algo em torno de 800 mil reais somente em Bequimão. No Estado todo, a farra gira em torno de 15 milhões de reais. Isso significa que cada voto de Zé Inácio em Bequimão teve valor mínimo de R$ 243 reais.

Isso ocorreu devido muitas lideranças terem recebido o dinheiro do candidato, e não ter dividido a grana com os eleitores, como foi o caso no povoado Quindiua, onde para duas lideranças locais foram pago algo em torno de 13.000 reais, e teve sua votação diminuída em quase 100 votos em relação a 2010.

 ANÁLISE PARCIAL: Zé Inácio ganhou, mas não levou o troféu, pois se elegeu mais não teve seu governador eleito, o que dificultará sobremaneira sua vida política na assembleia.

MAQUINA NA MÃO:

O prefeito Zé Martins, mesmo sem a presença do Pai, Juca Martins, não fez campanha, apenas algumas reuniões, tendo perdido parcialmente o controle do grupo por falta de lideranças comprometidas, Zé viu seu grupo muito dividido, inclusive tendo sido alertado por seu pai, que deveria ter pulso forte com os traidores, como foi o caso de algumas lideranças do grupo. Mesmo assim, Zé Martins deu uma boa votação ao candidato Adriano Sarney. O secretário Bastico, que após um acordo com seu grupo, só fez campanha para o candidato a deputado federal, Pedro Fernandes, onde a votação foi abaixo do esperado, conseguindo pouco mais de 600 votos, e que a matemática seria pelo menos 1.000 mil votos nas urnas bequimoenses, tentando mostrar força para seu líder Juca Martins.

NA CORDA BAMBA:

Já o vereador Cheira Sunga que acendeu a mesma vela pra Deus e o pro Diabo; pela frente do prefeito Zé Martins ele dizia que apoiava Adriano Sarney e por traz pedia voto pra Zé Inácio, inclusive o que parece é ter votado juntamente com sua família para o petista, agora vive entre a cruz e a espada, podendo ficar fora das eleições 2016.

VISÃO FUTURA:

Já Cesar Cantanhede, fez uma opção consciente e firme, quando foi procurado por Ivaldo Rodrigues, e depois de uma conversar com todos os partidos do grupo, após a maioria das lideranças do seu grupo não querer apoiar Zé Inácio, decidiu por apoiar Ivaldo, mesmo sem muita estrutura financeira, manteve sua palavra até o final, dando uma votação excelente, quase 1.200 votos, consideravelmente uma votação de liderança e amizade, juntamente com o vereador Sinhô e Dr. Leonardo Cantanhede.

ANÁLISE PARCIAL: Mostrar que é possível fazer uma campanha limpa e sem derramamento de dinheiro e ainda conseguir uma boa votação, foi o principal objetivo do grupo, onde  mostrou força pra fazer valer o acordo feito com todo seu grupo político em 2012 e com as pessoas simpáticas a seu grupo, que seria candidato natural de consenso em 2016.

CONCLUSÃO FINAL DA ANÁLISE:

1º – Só não enxerga a verdade quem não quer. O Grupo de Zé Martins mostrou que está vivo mesmo tendo diminuído bastante a votação de seu candidato a estadual, votação esta até menor que na eleição de 2010. Mesmo que pequena, mas com a máquina municipal na mão, Zé Martins é um candidato forte à reeleição, mas pode sem dúvidas ser barrado pela oposição, bastando o grupo comandado por Dr. Leonardo ser inteligente.

2º – O Grupo de Oposição à Zé Martins, formado por Cesar Cantanhede, Dr. Leonardo, Antonio Diniz, Zé Inácio, Vereador Sinhô, Vereadora Raquel, Vereador Sassá, Vereador Elanderson, somando as suas votações em todas as esferas superam em muito a votação de Zé Martins e de seu Grupo. Mas não podemos esquecer que as eleições para prefeito, são totalmente diferentes.

3º – Vejam bem, a oposição do Maranhão, somente chegou ao poder e derrubou a Oligarquia Sarney, depois que todos seus integrantes e pretensos candidatos terem recuado e que fizessem valer os acordos feitos durantes a costura das coligações pra Governo e Senador, barrando nomes de Peso como foi o caso do Ex- Prefeito de São Luís, João Castelo, deputada estadual, Eliziane Gama e outros mais.

4º – Se todos do grupo de Dr. Leonardo, pensarem bem e ouvirem a voz do povo, que querem ver o acordo e ter como Candidato a Prefeito em 2016, Cesar Cantanhede, certamente irão lutar por uma vitória em Bequimão como foi em 2008. Caso contrário é remar contra a maré, pois com vários candidatos é dar um tiro no escuro e decretar o “salve-se quem puder”, pois cada um detém sua liderança conforme sua forma de fazer política. Se for pra dividir eleitores, Zé Martins terá a maior fatia.

5º – De nada vai adiantar criar novos grupos e sair se lançando candidato com meia dúzia de votos, haja vista que os eleitores de Zé Martins não se dividem, são fiéis. Daí Vale o lembrar: UNAM-SE E GANHEM A ELEIÇÃO OU PREPAREM-SE PRA CAMINHOS SINUOSOS. O alerta está feito!

Facção criminosa ameaça invadir Mirinzal

COMPARTILHE

MIRINZAL

Uma facção criminosa de São Luís, capital do Maranhão, ameaça invadir a cidade de Mirinzal, na baixada ocidental maranhense. Ontem (17), o comandante da 2ª Companhia Independente de polícia militar de Mirinzal, Major Diniz, informou aos moradores da cidade, que o comando havia recebido uma ligação da facção e pediu para todos se recolherem evitando assim uma surpresa inesperada.

Mir1 Mir2

O motivo seria a morte de um integrante dessa facção. O crime aconteceu no último sábado (11) na cidade de Mirinzal. Um rapaz identificado como Hugo Baeta, matou a golpes de chave de fenda, o filho de “Escobar” um criminoso conhecido da polícia, integrante de facção criminosa. Já na segunda feira (13) um jovem conhecido como Jubileu, que segundo informações, teria passado a chave de fenda para Hugo matar o filho de Escobar, também foi morto.

B2 Mir3

Com isso o clima ficou tenso na cidade de Mirinzal, e uma ameaça de invasão de criminosos de uma facção, chegou aos ouvidos da PM local, que pediu aos moradores para se recolherem durante todo o dia. Nenhum comercio da cidade funcionou e a zona urbana ficou totalmente deserta.

A ordem é para que Hugo, assassino do filho de Escobar, se apresente logo, ou haverá uma invasão de terroristas da facção na cidade. Agora fica a pergunta: Onde estão os representantes da segurança pública do Estado? Vão cruzar os braços mais uma vez ou evitar uma tragédia? O certo mesmo, o povo é quem paga o preço.

B1B4

Se é verdade essa invasão de criminosos ou não, ninguém tem certeza, o certo mesmo, é que se quiserem ir à baixada, vão e voltarão na maior tranquilidade. A saída do Ferry Boat é a melhor fuga de bandidos aqui no Maranhão, talvez do Brasil. Nos portos de acesso ao Ferry, ninguém pede documentos, ou se quer a passagem tem nome de alguém; tudo é feito nas coxas.

 

O trabalho continua acelerado…

COMPARTILHE

REGO7

Enganou-se quem achava que as obras no Complexo do Coroadinho iriam parar logo após as eleições de 5 de outubro. Quem apostou nessa hipótese, acabou se enganando completamente. Os trabalhos de recuperação das ruas no Complexo do Coroadinho estão em pleno avanço e devem alcançar outras regiões. Graças aos requerimentos do Vereador Manoel Rêgo (PTdoB), aprovados na Câmara Municipal e sancionados pelo prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior(PTC), as obras estão sendo feitas e melhorando a vida de milhares de pessoas da região.

RG2RG6RG3RG7

Atuante, Manoel Rêgo vem trabalhando firme e mostrando porque foi eleito vereador de São Luís e representa um povo humilde e trabalhador. Nesta semana, Rêgo teve mais dois requerimentos aprovados na Câmara e beneficiarão milhares de pessoas no interior do Maranhão e em São Luís.

RGR5RGR4

Outubro é um mês especial para o vereador, já que seu aniversário é justamente dia 12, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e dia das crianças. Mas quem ganhou o presente foi justamente a criançada. Manoel Rego distribuiu brinquedos em várias regiões da capital e ficou satisfeito.

RGR1RGR2

“Sou um homem feliz, tenho Deus no coração e procuro passar isso para as pessoas. Trabalho em prol das pessoas, me preocupo com todo mundo e procuro ajudar do jeito que posso. Hoje no dia do meu aniversário, quero deixar muitas crianças felizes; esse será meu grande presente – disse Manoel Rêgo”.

RG1RG5

Com agenda cheia, Rêgo participa de várias reuniões em diversos bairros, sempre acompanhado do prefeito de São Luís e vários vereadores da base aliada. Respeitado, o vereador procura sempre está no meio do povo buscando soluções para os problemas nas comunidades carentes da ilha.

RG4 RG5