casa » Arquivos do Altor: João Filho (página 3)

Arquivos do Altor: João Filho

Parceria entre Prefeitura e UNDB cria ação em saúde em Bequimão-MA

COMPARTILHE

Moradores do município de Bequimão poderão fazer consultas, gratuitamente, nas clínicas de Odontologia, Fisioterapia, Psicologia e Nutrição, além de terem acesso a serviços de Biomedicina e Farmácia, do Centro Universitário Dom Bosco (UNDB). O termo de convênio foi firmado, nesta sexta-feira (06), pelo prefeito bequimãoense Zé Martins e pela reitora Maria Ceres Rodrigues Murad. A cooperação também prevê atividades conjuntas de ensino, pesquisa, extensão e a implantação de residências médicas no município, pelo prazo de 20 anos.

As consultas deverão ser agendadas previamente e, depois, ocorrerão em laboratórios modernos e com equipamentos sofisticados, utilizados para a formação dos estudantes dos cursos da área da Saúde. “A intenção é favorecer a melhoria da saúde da população do nosso Estado, visando essa relação ensino/assistência. Os alunos terão acesso a esses pacientes, para o aprendizado, e a população terá uma assistência de qualidade”, explicou a coordenadora de implementação da área da Saúde na UNDB, Edna Coutinho.

No termo de convênio, foram apontados como objetivos da parceria com a Prefeitura Municipal de Bequimão o desenvolvimento de ações e políticas públicas e privadas convergentes, voltadas à criação das condições necessárias e suficientes para os cursos de saúde; o intercâmbio de conhecimentos técnicos, científicos e culturais; a cessão mútua de recursos laboratoriais; a cooperação para uma gestão ativa do Sistema Único de Saúde (SUS); e o desenvolvimento conjunto de projetos específicos voltados para instalação de programas de residência médica.

Isso significa que, daqui a alguns anos, quando for instalado o curso de Medicina na UNDB, o município de Bequimão poderá receber turmas de residência médica, em áreas altamente especializadas e de referência. Leitos do Hospital Lídia Martins poderão ser utilizados para atividades acadêmicas, nos moldes de um hospital universitário.

O prefeito Zé Martins conheceu as instalações da Clínica da Odontologia, acompanhado do coordenador do curso, Pedro Almeida. A estrutura serve para a prática dos futuros odontólogos, com supervisão dos professores. “Estou muito honrado com mais essa parceria com uma instituição universitária de referência, como é a UNDB, cujo objetivo é dar melhor qualidade de vida para o povo de Bequimão. Nossa gestão sempre teve como prioridade a questão da saúde. Todo esse trabalho vai servir para que a gente possa cumprir nosso exercício social com os bequimãoenses”, garantiu o prefeito.

Ainda serão divulgados os canais para marcação das consultas. Neste mês de março, será feito um evento de lançamento do projeto, que também contemplará outros municípios do Maranhão.

Fotos: Ascom/Bequimão

Prefeito Anderson Wilker inaugura escola no povoado Japeú

COMPARTILHE

O sistema educacional de Alcântara tem melhorado nos últimos 3 anos. Desde que assumiu a gestão do município, o prefeito Anderson Wilker tem trabalhado para melhorar o patamar educacional do município. Uma das primeiras medidas foi a entrega de 12 ônibus escolares, acabando com um problema antigo no município, que atrapalhava alunos da zona rural. Além disso na gestão atual, os alunos recebem uniforme escolar, como rege uma lei municipal.

Após a entrega dos veículos escolares, o prefeito Anderson Wilker baseado no planejamento feito no início de sua gestão preparou o Plano de Cargos e Remuneração do Magistério que já foi aprovado pela Câmara Municipal de Vereadores e sancionado pelo Executivo Municipal.

Mas as mudanças na educação de Alcântara não pararam por ai. O prefeito Anderson Wilker após cortes de gastos autorizou o secretário municipal de Infraestrutura, Obras e Serviços Públicos, Edson Barbosa (Olhinho) a iniciar as reformas das escolas na sede e zona rural do município. O trabalho tem sido feito e melhorado a vida de quem estuda e trabalha na rede municipal de ensino de Alcântara.

Neste sábado (07), o prefeito Anderson Wilker entregou a Escola Municipal Vereador Bononi Ferreira para os moradores da comunidade Japeú e região. Com a reforma e ampliação, o Centro Educacional ganhou a padronização que foi implantada na atual gestão. Diante de uma multidão, o prefeito Anderson Wilker falou das dificuldades, mas destacou o trabalho que tem sido realizado para mudar a situação precária deixada por gestores anteriores.

“Todos lembram do momento de dificuldades que Alcântara viveu há 04 anos. No passado nada tinha, quando assumi a gestão encontrei uma única ambulância velha, hoje temos 3 novas e vou entregar mais 01 ainda este mês para a zona rural, no povoado Raimundo Sú, algo inédito em Alcântara. Graças ao povo de Alcântara hoje estou prefeito. Mas fui eleito no pior momento da política econômica do Brasil, onde a crise tem tirado o sono de milhares de prefeitos. Ninguém faz nada sozinho. É com muita luta, parcerias com o governo do Estado e o deputado Othelino Neto que estamos fazendo o melhor para Alcântara”, destacou o prefeito Anderson Wilker.

Estiveram presentes os vereadores Haroldo Júnior, João Ricardo, Nilson Pereira, Nhô Ré, Ivan Ferreira, Pontaense, Ribinha, Vandeco e Mário, secretários municipais, sociedade em geral, lideranças políticas e comunitárias, servidores e alunos e a participação da Banda de Música de Alcântara.

Fotos: Guará Potência

Parceria entre Prefeitura e UFMA vai realizar exames preventivos em mulheres quilombolas de Bequimão-MA

COMPARTILHE

Após reunião com representantes da Prefeitura de Bequimão, o Professor Drº José Eduardo Batista (Chefe do Departamento de Patologia da UFMA), apresentou um Projeto sobre saúde da mulher, que trabalha as “Alterações Citológicas, Doenças Sexualmente Transmissíveis em Mulheres Quilombolas atendidas nas Unidades Básicas de Saúde de Municípios do Maranhão”. Após ouvir o professor Batista, a Prefeitura de Bequimão fechou a parceria com a Universidade Federal do Maranhão para execução desse projeto que vai beneficiar diretamente mulheres quilombolas.

Segundo o Chefe do Departamento de Patologia da UFMA, o projeto visa realizar exames preventivos e consultas uma vez por mês em mulheres de 15 a 75 anos moradoras de Quilombos. A ação faz parte de um projeto de estudo composto por 2 professores e 3 estudantes de pós-graduação em saúde da UFMA.

Após a reunião foi acordado que a primeira ação irá acontecer dia 28 de março, das 8h às 14h, na UBS do povoado Quindíua, com mulheres da comunidade Santa Rita. Segundo o professor responsável pelo projeto, serão atendidas 30 mulheres quilombolas por ação.

Atualmente o município de Bequimão já dispõe de 11 comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Palmares. Um dos motivos que levou a Prefeitura de Bequimão fechar a parceria com a UFMA para realização de exames e consultas em mulheres quilombolas.

Durante a reunião estiveram presentes os secretários Sidney Bouéres (Saúde), Josmael Castro Júnior (Assistência Social), Rodrigo Martins (Cultura), Karine Moraes (coordenadora da Atenção Básica), Francisco Macedo (coordenador da Secretaria de Igualdade Racial e líder Quilombola), o vice-prefeito Magal (representando o prefeito Zé Martins) e o Professor Drº José Eduardo Batista (UFMA).

Vereadora Fátima Araújo solicita pavimentação asfáltica para o bairro Tamancão/Anjo da Guarda

COMPARTILHE

Com o intuito de melhorar a mobilidade e acessibilidade da capital maranhense, a vereadora de São Luís, Fátima Araújo (PCdoB) solicitou através de Requerimento ao Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo e ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a recuperação de ruas no bairro Tamancão/Anjo da Guarda, na área Itaqui-Bacanga.

De acordo com o Requerimento Nº 109/2020, as vias que precisam ser recuperadas pela Prefeitura de São Luís com urgência, são as ruas da Mangueira e do Apicum e a 2ª travessa do Apicum localizadas no bairro Tamancão.

Segundo a vereadora Fátima Araújo, as vias estão intrafegável e precisam ser recuperadas com o máximo de urgência, já que o inverso está deixando-as ainda mais precárias. Segundo a parlamentar, a pavimentação asfáltica trará benefícios aos moradores, já que no verão a poeira adoece crianças e idosos.

Vereadora Fátima Araújo solicita Carreta da Mulher para os bairro Vila Conceição e João de Deus

COMPARTILHE

Mês de março é considerado o mês da mulher. Pensando nisso e na prevenção da saúde da mulher ludovicense, a vereadora Fátima Araújo (PCdoB), solicitou através de Indicação à Secretária de Estado da Mulher, Ana Mendonça (Ana do Gás) e ao governador Flávio Dino a Carreta da Mulher para realização de ação de saúde nos bairros Vila Conceição e João de Deus.

De acordo com a Indicação da vereadora Fátima Araújo, as ações de saúde no combate ao câncer deverão acontecer dias 08 e 22 de março, sendo que no bairro Vila Conceição/João de deus deverá acontecer no Espaço Cultura, dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher e no bairro João de Deus deverá acontecer dia 22 de março na Praça da Juventude. As datas deverão ser agendadas de acordo com a disponibilidade da Carreta da Mulher, já que o Maranhão inteiro está recebendo esse tipo de ação do governo do estado.

Segundo a vereadora Fátima Araújo, uma ação de saúde da mulher nos bairros do complexo de comunidades do João de Deus vai ajudar muitas mulheres carentes. “Nossas comunidades são compostas por famílias carentes, que necessitam de assistência. As ações serão realizadas para atender as necessidades de mulheres carentes dos bairros da região. Sabemos a importância de oportunizar os exames preventivos e demais serviços oferecidos pela Carreta da Mulher”, destacou a vereadora.

Vereadora Fátima Araújo solicita ao governo do estado pavimentação asfáltica para o bairro Lago Azul/São Raimundo

COMPARTILHE

A vereadora de São Luís, Fátima Araújo (PCdoB), solicitou através de Indicação ao Secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto e ao governador Flávio Dino, a pavimentação asfáltica e recapeamento de ruas do bairro Lago Azul na região do São Raimundo.

Segundo a Indicação de autoria de Fátima Araújo, que já foi aprovada no Plenário Simão Estácio da Silveira na Câmara Municipal de São Luís, as ruas das Flores, rua Bibita e rua Fé em Deus localizadas no Lago Azul/São Raimundo estão em situação de calamidade pública, abandonadas pelo poder público.

Segundo a vereadora Fátima Araújo, a pavimentação asfáltica vai melhorar a acessibilidade e mobilidade urbana no bairro, dando mais qualidade de vida aos moradores. Facilitando a passagem de veículo que usam as vias do bairro. De acordo com a parlamentar, os buracos acabam causando acidentes e prejuízos aos moradores.

Fátima Araújo solicita à Prefeitura de São Luís recuperação de ruas do Residencial João Alberto

COMPARTILHE

A vereadora de São Luís, Fátima Araújo (PCdoB) solicitou através de Requerimento ao Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo e ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, a recuperação das ruas travessa Terezinha Sousa, 2ª Travessa Terezinha de Sousa e 3ª Travessa Terezinha de Sousa, localizadas no bairro Residencial João Alberto.

De acordo com o Requerimento Nº 113/2020, a vereadora solicita terraplanagem e pavimentação asfáltica das vias citadas acima.

A vereadora Fátima Araújo pede urgência no trabalho, já que segundo a justificativa do requerimento, as vias estão em péssimo estado de conservação, já que os moradores e transeuntes clamam por melhor acessibilidade e mobilidade urbana. Além de melhorar a qualidade de vida dos moradores, já que naquele bairro existem muitas crianças e idosos.

Lava Pratos da Vila Lobão reúne milhares de foliões

COMPARTILHE

Para encerrar com chave de ouro o Carnaval do Movimento Solidariedade & Ação, o bairro Vila Lobão no Complexo de comunidades do João de Deus, recebeu no último sábado (29) o Lava Pratos, que reuniu milhares de foliões e grandes atrações regionais (blocos, cantores, DJ’S e bandas). O bicho Terra se apresentou pela primeira vez no bairro Vila Lobão e fez a alegria dos moradores.

O evento teve o apoio da vereadora de São Luís, Fátima Araújo (PCdoB), que além de levar diversão e alegria, consegue gerar trabalho e renda para quem mora na comunidade com venda de comidas e bebidas. Todos os vendedores que trabalharam no Carnaval ou Lava Pratos realizados pelo Movimento Solidariedade e Ação foram isentos de pagamento de taxas. A vereadora Fátima assumiu toda despesa com taxas.

“Todo mundo aqui nestas comunidades sabe que meus eventos realizados com o apoio do Movimento Solidariedade & Ação tem objetivo de ajudar nossos moradores. Os eventos culturais, tanto de Carnaval, São João ou Aniversários Bairros realizados com meu apoio tem objetivos de levar alegria aos moradores, mas também de gerar trabalho e renda. Tem família que consegue pagar seu aluguel, comprar a cesta básica com renda de venda durante os eventos. Isso me deixa feliz, me dar mais ânimo para continuar trabalhando por quem mais precisa. Essa é a minha missão, lutar pelas famílias. Foi pra isso que fui eleita pelo povo de São Luís”, destacou Fátima Araújo, bastante emocionada.

Durante o evento de Lava Pratos no bairro Vila Lobão, a vereadora Fátima Araújo teve a honra de receber a ilustre presença do secretário de Estado de Cidades, Rubens Pereira Júnior, que subiu no palco acompanhada de sua esposa.

Bequimão cumpre metas na educação e avança nos desafios para o Selo Unicef

COMPARTILHE

Distante a pouco mais de 80 quilômetros da capital, São Luís, o município de Bequimão, na Baixada Maranhense, com uma população estimada em 21,2 mil habitantes, saiu do zero para uma condição em que as crianças e os adolescentes locais tenham educação de qualidade.  A meta proposta foi trazer de volta 33 alunos desistentes para o ambiente escolar – eles conseguiram rematricular 44.

“Foi um imenso desafio”, lembra o secretário de Cultura e Promoção da Igualdade Racial de Bequimão, Rodrigo Martins. Ele conta que assumiu a gestão há apenas seis meses, quando os bequimãoenses estavam com pontuação zero no Selo UNICEF.

Bequimão e outros 1.923 municípios do Semiárido e da Amazônia Legal aceitaram o desafio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para transformar a realidade de crianças e adolescentes que estão em situação vulnerável. Lançado há 20 anos, o Selo UNICEF convida as prefeituras a assumirem como prioridade o compromisso com a implantação de políticas públicas para esse público.  As ações são divididas em ciclos, que coincidem com as eleições municipais.

O desafio atual (2017-2020) tem como objetivo alcançar crianças e adolescentes excluídos das políticas públicas, melhorar a qualidade das já existentes para esse público, prevenir e enfrentar as formas extremas de violência contra eles e promover a participação da comunidade, especialmente de adolescentes.

O Selo propõe que a comunidade local trabalhe junta para garantir os direitos dos mais jovens com ações em áreas como educação, saúde e assistência social. Se conseguir, o município é certificado com um selo, que reconhece os esforços e avanços nessas áreas e atesta que aquele lugar coloca a infância e a juventude como prioridade.  “Nesses últimos meses, nós não só atingimos a meta como conseguimos ultrapassá-la”, orgulha-se Rodrigo, “A gente nem aparecia no mapa. Hoje, estamos entre os melhores do estado”, completa.

Exclusão escolar – Uma das metas propostas para conseguir o Selo UNICEF é identificar as causas de evasão e exclusão escolar. Hoje, quase dois milhões de crianças e adolescentes com idade escolar obrigatória (4 a 17 anos) estão fora das salas de aula no Brasil. Para que eles voltem a frequentá-las, é preciso fazer muito mais do que oferecer vagas nas escolas. A comunidade envolvida no trabalho precisa buscar esses jovens onde eles estiverem – e onde mais precisam.

“Onde algum direito não estiver chegando para esses meninos e meninas, nós trabalharemos para defender e assegurar que esses direitos sejam garantidos”, afirma a oficial de Educação do UNICEF no Brasil, Julia Ribeiro.

Uma das ferramentas utilizadas em Bequimão para trazer de volta os 44 alunos foi o Busca Ativa Escolar, uma plataforma que ajuda os gestores a identificar e enfrentar as situações de exclusão. Entre as causas mais comuns, estão o trabalho infantil, crianças e adolescentes com deficiências sem infraestrutura para chegar às escolas e a pobreza.

“Mais de 53% deles vivem em famílias com até meio salário mínimo. Certamente, outros direitos não estão sendo respeitados, não só o da educação”, lamenta Julia.

De acordo com o oficial de Educação do UNICEF para a Amazônia Legal, Angelo Damas, a região Norte, hoje, apresenta percentualmente o maior número de crianças fora da escola em relação à população. “Dentro do nosso programa de apoio aos municípios, o UNICEF já identificou mais de 15 causas que levam a essa exclusão”, diz.

Segundo dados do Censo Escolar, do Ministério da Educação, quase 1 milhão de pessoas em idade escolar abandonaram a escola em 2018. As regiões Norte e Nordeste ficam nas primeiras colocações nesse pódio. Nas séries iniciais, quase 35 mil crianças no Norte pararam de ir à escola, enquanto 59,9 mil no Nordeste deixaram de frequentar o local.

“Um dos maiores problemas da Amazônia Legal é o acesso das crianças à escola, devido às longas distâncias. Elas precisam de escolas próximas às suas residências, mas isso é só uma das causas da exclusão escolar”, afirma o oficial.

Adaptação – Para Angelo Damas, é preciso atrair esse público para o ambiente escolar, adaptando o ensino às necessidades deles e repensando as metodologias. “A gente trabalha com uma premissa de que toda criança aprende. E se a criança não está aprendendo, é preciso mudar as formas como a gente ensina.”

A especialista em Educação do UNICEF para o Semiárido, Verônica Bezerra, endossa o discurso. “Queremos compreender e ajudar os sistemas públicos a construírem uma escola que seja para todos e que a proposta escolar faça sentido para cada menino e menina que está na escola.” Para ela, uma escola “ideal” começa por amparar especialmente as crianças na primeira infância. “Educação é uma forma de proteção. Cuidar e educar são coisas que não podem estar apartadas. Na primeira infância, é onde tudo começa”, afirma.

Segundo relatos da especialista, ofertar vagas para crianças de até cinco anos de idade tem sido um imenso desafio. “Mas não são só vagas, é o que essa escola vai oferecer a essa criança. Nessa idade, ela precisa ser estimulada.”

Para Verônica, creches e pré-escolas são ambientes que vão muito além de dar banho, alimentar, trocar fralda. “É isso e muito mais. É preciso um ambiente que se responsabilize pelo estímulo e pelo direito da criança de brincar, de ter experiências diferentes, de propostas cognitivas que auxiliem esse percurso de descobertas tão natural nessa etapa – e essencial para tudo o que vem depois”.

Verônica lembra, ainda, que, por meio do Busca Ativa Escolar, os alunos podem ser matriculados nas escolas em qualquer período do ano, de janeiro a dezembro.  “Essa diretriz amplia a concepção de que as crianças e adolescentes não vão à escola apenas para passar de ano ou para cumprir um currículo. O ambiente escolar é mais que isso, deve ser um meio para que eles desenvolvam seus potenciais. Isso é válido em qualquer um dos 365 dias do ano”, ressalta a especialista.

Educação – O município que aderiu à proposta do Selo UNICEF também consegue cumprir uma agenda importante em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), como parte do compromisso brasileiro para que suas metas sejam cumpridas até 2030.

Dentre esses objetivos, existem cinco que são obrigatórios para que alcance o Selo: viabilizar a volta às aulas; os direitos sexuais e reprodutivos; a valorização da primeira infância; a proteção contra a violência, em especial a redução dos homicídios, e a participação e mobilização de adolescentes.

Em relação à educação, a meta dos municípios é enfrentar a evasão, a exclusão escolar e a distorção idade-série. De acordo com informações do Censo Escolar, o Brasil “perdeu” quase 1,5 milhão de crianças na educação básica, em um período de quatro anos até 2018. Em outra pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados mostram que se o País tivesse 100 pessoas com até 25 anos de idade, 40 não estariam em nenhuma instrução ou teriam apenas o fundamental incompleto.

A ideia para alcançar essa primeira meta é unir esforços em diferentes áreas para entender as causas que levam esse público a abandonar os estudos e viabilizar a matrícula e a permanência deles na escola.

Umas das ferramentas é o Busca Ativa Escolar, uma plataforma gratuita criada que ajuda a combater as causas que tiram crianças e adolescentes das escolas. A plataforma vem apoiar os governos na identificação, no registro, no controle e no acompanhamento de quem está fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

Tudo é feito pela internet e o gestor pode acessar a plataforma pelo celular (SMS ou smartphones), tablet ou computador. Para quem não tem acesso a dispositivos móveis, há formulários impressos disponibilizados por agentes comunitários e técnicos verificadores.

A ferramenta é uma parceria entre o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas).

Estratégias – Para tentar transformar o ambiente das escolas, O UNICEF e parceiros apoiam estratégias para que os jovens em idade escolar permaneçam estudando. Entre elas, está o “Fora da escola não pode”. Essa ação quer garantir que eles estejam na escola e aprendendo, a partir da conscientização de diversos atores responsáveis por essa inclusão. A plataforma Busca Ativa Escolar é uma das ferramentas para que isso ocorra.

Já o “Trajetórias de Sucesso Escolar” trabalha para o enfrentamento da cultura de fracasso escolar no Brasil, como problemas com distorção idade-série, reprovação e abandono. Para combater esse problema, as ações são integradas e desenvolvidas em três níveis de gestão: redes, escola e sala de aula. A ideia é fazer com que crianças e adolescentes não só voltem para a escola, mas permaneçam estudando.

O Selo – Implantado pela primeira vez em 1999, no Ceará, o Selo UNICEF já contabiliza 20 anos de história e de mudança na vida de milhões de crianças e de adolescentes em situação de vulnerabilidade no Semiárido e na Amazônia Legal. Atualmente, 18 estados são alcançados pela ação – Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e norte de Minas Gerais, no Semiárido, e Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, na Amazônia Legal.

Saiba mais: Selo UNICEF encerra ciclo de ações e convoca municípios do Semiárido e Amazônia Legal a apresentarem resultados

Com o sucesso das experiências, o Selo cresceu e, hoje, procura aplicar o aprendizado das edições anteriores aos participantes da atual. A metodologia foi unificada para o Semiárido e Amazônia Legal e introduziu o conceito de Resultados Sistêmicos no lugar de ações, visando dar sustentabilidade às iniciativas dos municípios e garantir que as crianças e adolescentes continuem sendo beneficiadas pelas políticas públicas implementadas mesmo após o fim do ciclo.

O Selo é dividido em ciclos, que coincidem com as eleições municipais. No atual ciclo (2017-2020), mais de 2,3 mil prefeituras, em 18 estados, estavam aptas a participar da edição. Dessas, 83% aderiram à ação – ou seja, 1.924, sendo 1.509 do Semiárido e 805 da Amazônia Legal. Cumprindo as metas propostas pela ação, o município recebe, após três anos, um selo que comprova e reconhece o esforço da comunidade envolvida.

No ciclo de 2017-2020, os municípios devem apresentar os resultados das ações desenvolvidas até 31 de março, por meio da plataforma Crescendo Juntos, no site do Selo UNICEF. A comprovação das atividades é feita por meio de documentos comprobatórios e anexados no portal. O envio pode ser feito pelo computador, celular ou tablet ou com auxílio de agentes comunitários, caso o município não tenha acesso à internet.

(Com informações da Agência Rádio Mais)

Bequimão terá Dia D de combate ao sarampo, nesta quinta-feira (5)

COMPARTILHE

A Campanha de Imunização contra o Sarampo será intensificada a partir desta quinta-feira (5), no município. A Prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realizará o Dia D de combate à doença, a fim de proteger e também alertar a população bequimãoense acerca dos riscos de exposição ao Measles morbillivirus. A programação acontece no Centro de Saúde Santo Antônio, das 8h às 17h, com orientações e aplicação de vacina.

Altamente transmissível, o vírus que causa o Sarampo é capaz de infectar até 90% das pessoas sem imunidade, que compartilham do mesmo espaço com pessoas contaminadas. A doença é transmitida pelo contato com gotículas do nariz, da boca ou da garganta da pessoa infectada. Os sintomas se manifestam em até 14 dias e incluem coriza, tosse, infecção nos olhos, erupção cutânea e febre alta.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Sidney Bouéres, há quase oito anos Bequimão não tem registros de casos de Sarampo. A situação confortável, segundo ele, se deve às diretrizes de saúde implantadas no município desde 2013, quando Zé Martins assumiu a administração do município.

Por determinação do prefeito, as doses da vacina que previnem a doença passaram a ser permanentes nos postos de saúde espalhados por Bequimão. “O serviço de imunização é oferecido de forma contínua. Os agentes de saúde fazem o mapeamento completo das condições de saúde dos moradores nas comunidades. As equipes da Estratégia Saúde da Família, por sua vez, vão até esses locais e prestam toda a assistência de saúde, incluindo a aplicação de vacinas”, explica o secretário Sidney Bouéres.

Vacinas de rotina
Entre as vacinas oferecidas pela Prefeitura de Bequimão, continuamente, estão a BCG (tuberculose), Hepatite B, Rotavírus, Sabin VOP (Poliomielite), Tetravalente, Pneumocócica (VPC10), Meningocócica C (Meningite), Tríplice viral, Tetravalente bacteriana (DTP), Dupla adulto e Pneumocócica Polissacarídica 23V.

Para manter a caderneta de vacinas atualizada, os usuários do sistema público de saúde podem se dirigir, das 8h às 17h, ao Centro de Saúde Santo Antônio, na sede de Bequimão, e às Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), localizadas nos povoados Bebedouro, Macajubal, Pontal, Jacioca, Mojó, Quindiua, Paricatiua e Santana.