casa » Arquivos do Altor: João Filho (página 290)

Arquivos do Altor: João Filho

Baile da Terceira Idade é promovido pela Secretaria de Saúde de Bequimão

COMPARTILHE

O 1º Baile da Terceira Idade, que aconteceu na quinta-feira (04), mostrou que não há limite de anos de vida para se divertir. A festa foi organizada pela Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, e reuniu idosos e seus familiares vindos de diversas comunidades de Bequimão.

Animado pelos metais de Sapo Boi, o baile contou com a presença do prefeito Zé Martins, que foi homenageado pelos foliões. “Foi a primeira vez que um prefeito de Bequimão lembrou dos idosos, oferecendo um baile pra gente se divertir. Nós não somos velhos. Ainda somos novos, porque velho só o mundo”, disse dona Terezinha, conhecida como Barbie do Pontal.

Aos foliões, foi servido caldo de ovos, feijão, bolo de leite, bolo de milho, bolo de tapioca, água, refrigerante e cerveja. As comidas e a decoração foram preparadas pelos profissionais da saúde, que também entraram na brincadeira. Os mais animados do baile participaram da eleição do rei, da rainha e das princesas.

Colaboraram na organização do baile as secretarias de Cultura e Promoção da Igualdade Racial e de Administração e Transporte.

Fotos: Rodrigo Martins

VEJA MAIS NO TRIBUNA DE BEQUIMÃO (Fotos)

Primeira noite do Carnaval “Abre Alas” de Bequimão é marcada pela alegria

COMPARTILHE

Começou, nesta sexta-feira (05), o Carnaval “Abre Alas” de Bequimão 2016. A primeira noite de folia foi uma amostra da alegria e descontração que deve rolar nos cinco dias da programação organizada pela Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial.

No início da noite já se podia ouvir o batuque do Bloco Estrela do Samba, que acompanhou o Rei Momo, a Rainha do Carnaval e o prefeito Zé Martins no cortejo até a Praça Dois de Novembro, onde está montado o palco da folia. Na entrega da chave à corte momesca, o prefeito ressaltou que foram muitas as dificuldades enfrentadas para fechar a programação deste ano, em razão da crise vivida no país. “Mesmo assim, vamos fazer uma festa bonita, alegre, segura e com a dignidade que as pessoas de Bequimão”, garantiu o prefeito.

O Rei Momo, João, acompanhado da Rainha do Carnaval, Letícia, deu boas vindas aos foliões bequimãoenses e aos visitantes. “Espero que todos possam aproveitar para brincar e se divertir no carnaval”, disse. A cerimônia de entrega da chave foi encerrada com os metais de Sapo Boi, tocando as clássicas marchinhas, para relembrar os antigos carnavais no município.

BANDAS

A Banda Macário esquentou os foliões na primeira noite de festa. Ainda teve a irreverente banda Tricha, de Pinheiro, que animou a galera com suas paródias de músicas famosas e letras de duplo sentido. A animação completou com a banda Brasas do Forró, que abriu o show com canções de sucesso em carnavais do passado e continuou com sequências de forró das antigas.

Na programação deste sábado, estão previstas as bandas Ajayô, A Chefona e o swing de Oz Bambaz. Às 20h, tem o baile de Máscaras da Melhor Idade, no Colégio Os Batutinhas.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE DOMINGO A TERÇA

DIA 07.02.2016 (DOMINGO)

Local: Restaurante Beira Mar – Orla Marítima

10h às 18h (Matinal e vesperal “Abre Alas”)

Local: Travessa Santo Antônio, Centro/ “Passarela Abre Alas”

16h às 20h – Desfiles dos Blocos Tradicionais e Alternativos

Local: Praça Dois de Novembro

17h – Banda Macário

20h – Banda Tricha

23h – Bruno Shinoda

01h – Banda Miragem

DIA 08.02.2016 (SEGUNDA-FEIRA)

Local: Restaurante Beira Mar – Orla Marítima

10h (“Abre Alas” Feijão Folia)

Local: Praça Dois de Novembro

16h – Show da Alegria – Vesperal das Crianças

19h – Marcelo Marques

23h – Banda Bahamas da Bahia

01h – Gasparzinho da Bahia

DIA 09.02.2016 (TERÇA-FEIRA)

Local: Praça Dois de Novembro

17h – Banda Macário

20h – Bicicletinha do Samba

22h – Banda Turbinado

00h – Banda Astral

02h – Thiaguinho Mala Mansa

VEJA MAIS NO TRIBUNA DE BEQUIMÃO (incluindo Fotos)

 

Roberto Rocha prega como melhorar o mercado de trabalho em São Luís, mas não paga os funcionários da Rádio Capital AM

COMPARTILHE

Com salários atrasados, funcionários da Rádio Capital AM, entraram em greve desde segunda-feira (01) e quem sintoniza a Rádio Capital AM na frequência 1.180kHZ vai escutar somente música na sua programação, quando no período da noite fica fora do AR por falta de sonoplastas. Certamente algo muito estranho para uma emissora de amplitude modulada, que tem como Slogan: “A Informação além da Notícia”.

O motivo da greve são os salários atrasados. Há quase três meses os funcionários lotados na operação de áudio da Rádio Capital AM não sabem a cor da grana e nem explicações são dadas aos funcionários. A emissora que tem 90% de sua programação arrendada; recebe em dia a grana, mas não repassa aos funcionários. Para protestar contra o patrão que hoje está no mandato de Senador e prega geração de emprego em São Luís, os Operadores resolveram paralisar as atividades.

Somente com o pagamento dos salários atrasados, os programas voltarão ao ar normalmente, até lá, a rádio funciona no piloto automático (Computador) e somente músicas vão ser exibidas. Nos meses de setembro a outubro do ano passado, a Rádio pertencente ao Senador Roberto Rocha ficou fora do por 73 dias em virtude da suspensão do fornecimento de energia elétrica, tudo por conta de débitos junto a Cemar que giravam em torno de trinta mil reais.

Sem solução para o problema, que já se tornou crônico, está na hora da Delegacia Regional do Trabalho (DRT) intervir fortemente para resguardar os direitos destes funcionários que trabalham e precisam receber para honrar seus compromissos e colocar o pão de cada dia na mesa de suas famílias.

A falta de uma gestão qualificada voltada para a Rádio Capital AM, faz com que os donos das emissoras coloquem pessoas da família sem nenhum conhecimento de causa em cargos de direção e muitos não tem a mínima aptidão nem conhecimento do mundo do veículo chamado Rádio e o resultado está aí: desastroso.

Uma boa saída poderia ser a venda da emissora para grupos que queiram colocar em novos, seguros e bons caminhos a Rádio Capital AM de São Luís. O difícil entender é como um cidadão como o Senador Roberto Rocha, que não cumpre com suas obrigações trabalhistas, pode pregar geração de emprego, criação de zona franca em São Luís, se ele é um zero à esquerda? Um verdadeiro falso profeta!

TEXTO: Samir Ewerton (Com Edição)

Carnaval em Anajatuba promete ser o melhor da Região

COMPARTILHE

Diferente de muitos gestores que já anunciaram o cancelamento das festas Carnavalescas, no município de Anajatuba, sob o comando do prefeito Sydnei Pereira – os quatro dias da festa momesca prometem ser o melhor da Região.

Uma mega estrutura de palco foi montada para receber as nove bandas, no principal corredor da Folia, na sede, de sábado (06) a terça-feira(09). No entanto, uma radiola de reggae irá garantir a alegria dos foliões no povoado Afoga. Na terça-feira de Carnaval, último dia de festa, acontecerá um encontro de blocos alternativos no povoado Bacabal, de onde seguiram para a sede.

No sábado, a folia será embalada pelas bandas Ki-Banda e Canários do Reino, além do cantor Herton Rá. No domingo, o ponto alto ficará por conta da pernambucana Mara Pavanele e, ainda, Ki-Balada e Césio Tenório. Na segunda feira (08), Safadões do forró, Kaiambá e Ki-balada subirão ao palco.

Na segunda-feira (08), a partir das 16h30, na tenda eletrônica, sob o comando do DJ Carlão, acontecerá o vesperal infantil. Além de um reforço da polícia militar, centenas de seguranças foram contratados para garantir a tranquilidades dos visitantes e foliões anajatubenses.

E na terça-feira (09), Ki-balada, Pegada dos Plays e a banda cearense Brasas do Forró garantirão a alegria no último dia da festa de Momo.

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

A crise Brasileira e a falta de um Projeto Político Nacional

COMPARTILHE

#POR FLÁVIO FERREIRA#

O Brasil está parado política e economicamente, chegando ao ponto de ameaçar seriamente a estabilidade democrática e as conquistas sociais obtidas nas últimas décadas. De fato, embora no seu passado recente o País já tenha passado por várias crises, ora políticas e ora econômicas, nunca sofreu de ambas concomitantemente e em tal magnitude como no presente momento. Segundo opinião prevalente entre os especialistas, a desestabilização política é gravíssima e diretamente responsável pelo quadro de severa deterioração fiscal que assola a Nação. Em outras palavras, para liberar as amarras que impedem uma retomada do crescimento econômico do País, antes será preciso romper as travas que imobilizam politicamente o governo federal, corrigindo o desarranjo estrutural que impede um entendimento entre o executivo federal e o congresso nacional visando a adoção de projetos voltados para a recuperação da economia. Nessa questão, há consenso também que muito além do despreparo gerencial e administrativo da Presidente Dilma, o grande responsável pela sua falta de protagonismo é o fantasma da perda do mandato, o que no momento pode ocorrer tanto na esfera legislativa pelo resultado da votação do pedido de impeachment em curso no Congresso Nacional como também pelo julgamento favorável no TSE da ação que impugna o seu mandato por alegado abuso de poder político e econômico na eleição de 2014.

Entretanto, é certo que quer seja pela via legislativa quer seja pela via judicial, a cassação do mandato da presidente será inegavelmente um processo longo, custoso e demorado, sujeito a inúmeras ações protelatórias e recursos, o que poderia arrastar uma decisão final para as vésperas da eleição de 2018. Ora, a população brasileira que está sofrendo há muito tempo com a alta do desemprego e agora também da inflação, não pode esperar tanto, e, portanto, aguarda ansiosamente pela harmonização dos poderes da república com vistas a uma solução rápida e efetiva para o grave problema econômico que atinge o país.

Assim, não há como negar que o país está em uma encruzilhada. Sem qualquer horizonte de mudança política e consequentemente de mudança econômica, a jovem democracia brasileira vem apresentando dificuldades para administrar satisfatoriamente uma questão tão complexa. Neste momento, o interesse nacional deve prevalecer, sempre respeitando a nossa Constituição Federal. Pois bem, é interessante notar que no discurso tanto do governo quanto da oposição, há um denominador comum – qual seja ambos defendem os próprios posicionamentos invocando o apoio do povo brasileiro – e isso certamente poderia ser usado para desarmar os espíritos e chegar ao entendimento. De fato, a presidente Dilma afirma constantemente que qualquer tentativa de retirá-la do palácio do planalto é um “golpe” contra a democracia, pois teria sido eleita pelo povo em 2014 para ocupar a presidência no período de 2015/2018, e, é em nome deste mesmo povo que lutará com todas as forças para impedir a cassação do seu mandato. Já a oposição acusa a presidente de ter dado um “golpe” nas instituições e no povo brasileiro, tendo em vista que a campanha política dela em 2014 foi pautada não só por crimes eleitorais (abuso de poder político e econômico) como também por inverdades a respeito do seu projeto de governo e, especialmente, quanto a real situação fiscal brasileira e projeções macroeconômicos para o futuro. Entende a oposição que a população votou na proposta de continuidade da política econômica do primeiro mandato do governo Dilma – bandeira da campanha de 2014 – e que se soubesse a verdade sobre o “teatro fiscal” criado nos últimos dois anos, embrião do atual quadro de recessão que se abateu sobre a nação, o resultado eleitoral teria sido diferente.

Ora, se é verdade que até o momento temos que aceitar que o pleito eleitoral de 2014 foi legítimo do ponto de vista formal (exceto se o TSE entender que ocorreu algum crime eleitoral, objeto do julgamento do pedido de cassação do mandato), respaldando a tese da presidente Dilma, é igualmente verdade que na campanha de 2014 o eleitor não recebeu informações honestas e fidedignas, impedindo uma adequada formação de juízo de valor sobre o real projeto de governo da candidata Dilma, gerando obviamente vício de consentimento nos eleitores e lançando um manto de ilegalidade material sobre o pleito, dando assim respaldo para a tese da oposição. Portanto, são dois pontos de vistas diametralmente opostos, porém, formados e defendidos a partir de um único evento, e nesse caso caberia ao eleitor através de uma Consulta Popular manifestar a sua vontade soberana escolhendo uma das correntes políticas. Essa Consulta precisaria ser simples, concedendo ao eleitor a possibilidade de escolha de uma das seguintes alternativas:

1)      A presidente Dilma deve cumprir integralmente o mandato até o final de 2018.

2)      O atual vice-presidente deve assumir a presidência governando até o final de 2018.

3)      Deve ser convocada nova eleição e o eleito e seu vice deverão cumprir mandato até o final de 2018.

Certamente nem governistas e nem oposicionistas fariam qualquer objeção quanto a oportunidade e conveniência dessa Consulta Popular. Pelo contrário, se de fato assumem falar em nome da maioria do eleitorado, nada mais justo que aceitem o escrutínio popular. Na verdade, a recusa de qualquer um seria o reconhecimento explícito da ausência de apoio do eleitor, e, portanto, da falta de legitimidade para atuar politicamente. Ademais, a Consulta Popular traria outras vantagens significativas:

a)Tornaria desnecessário dar seguimento não só ao julgamento do pedido de impeachment que tramita no Congresso Nacional como também ao julgamento do pedido de cassação do mandato que tramita no TSE. Não podemos esquecer que considerando o atual quadro de acirramento político e social, haverá aprofundamento desse fenômeno independentemente dos resultados, tendo em vista que se perdedora em qualquer esfera, a ala governista vai insistir na tese de “golpe” por desrespeito a vontade popular na eleição de 2014, e pelo contrário, se perdedora a ala oposicionista, igualmente vai insistir na tese de “golpe” contra a democracia, bem como de ilegitimidade do governo por fraude eleitoral e uso da máquina pública na compra de apoio por ocasião dos julgamentos dos pedidos de cassaçãoA pacificação nacional só será obtida através da via eleitoral.

b)Depois que a presidência da República estiver ocupada por detentor de apoio popular majoritário, será possível cobrar do Congresso Nacional a adesão necessária para votar e aprovar as propostas e os projetos de interesse mais imediatos e urgentes para o país.

  1. c) A harmonização entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo, vai evitar que o Supremo Tribunal Federal tenha que tomar decisões nas atuais questões políticas envolvendo os demais poderes da República. Nesse particular não podemos esquecer que os ministros da corte suprema são indicados pelo presidente da República, e, que mais da metade dos atuais integrantes do STF assumiu o cargo nos últimos treze anos, portanto, na vigência de governos do partido da presidente Dilma. Ora, tendo em vista a atual polarização na política nacional, diante de decisões do STF favoráveis ao atual governo federal –independentemente do acerto e da interpretação correta das normas constitucionais por parte da suprema corte– é certo que um número cada vez maior de brasileiros vai opinar que o voto da maioria dos ministros pode ter tido motivações pouco republicanas, com graves consequências para a nossa jovem democracia. O Supremo Tribunal Federal precisa escapar dessa armadilha, mantendo a sua aura de Tribunal Constitucional independente e totalmente apolítico. O Brasil só tem a ganhar com isso.
  2. d) Superada a crise política, será possível agir para liberar as amarras que travam a economia, dando a devida segurança jurídica para aqueles que desejam e podem investir no país, com a consequente retomada do crescimento econômico e recuperação dos empregos perdidos durante o atual período recessivo em que vivemos.

Na sociedade há um sentimento difuso, porém crescente, indicando que os ocupantes de cargos nos poderes federais em Brasília lutam apenas por seus privilégios, enquanto o povo brasileiro sangra, perdendo empregos e salários, e é assolado ainda pelo espectro da inflação. Não devemos aceitar que os interesses da Nação fiquem subordinados aos interesses dos detentores do poder político. É o momento de deixar de lado projetos individuais mesquinhos para adotarmos um Projeto Político Nacional que contemple todos os cidadãos do País.

Atenciosamente

Flávio Ferreira

(11) 99590-7799

 

Confira a Programação completa do Carnaval de Bequimão 2016

COMPARTILHE

A prefeitura de Bequimão, por meio da Secretaria de Cultura e Igualdade Racial, divulgou nesta quinta feira (4), a programação completa, com atrações, locais e horários da folia momesca.

DIA 05.02.2016 (SEXTA-FEIRA) “ABERTURA OFICIAL”

Local: Praça Dois de Novembro

18h – Banda Macário

18h30 – Abre Alas com o Rei Momo e Rainha do Carnaval desfilando em carro aberto, ao som da banda de Sapo Boi

20h30 – Abertura Oficial do Carnaval ”Abre Alas”, com Entrega da chave da cidade ao Rei e a Rainha

21h – Banda Tricha

00h – Banda Brasas do Forró

DIA 06.02.2016 (SÁBADO)

Local: Restaurante Beira Mar – Orla Marítima

10h às 18h (Matinal e vesperal “Abre Alas”)

Local: Praça Dois de Novembro

18h – Banda Ajayô

21h – Banda A Chefona

00h – Oz Bambas

Local: Colégio Bequimãoense

20h – Baile de Máscara da Melhor Idade

DIA 07.02.2016 (DOMINGO)

Local: Restaurante Beira Mar – Orla Marítima

10h às 18h (Matinal e vesperal “Abre Alas”)

Local: Travessa Santo Antônio, Centro/ “Passarela Abre Alas”

16h às 20h – Desfiles dos Blocos Tradicionais e Alternativos

Local: Praça Dois de Novembro

17h – Banda Macário

20h – Chegadões do Forró

23h – Bruno Shinoda

01h – Banda Miragem

DIA 08.02.2016 (SEGUNDA-FEIRA)

Local: Restaurante Beira Mar – Orla Marítima

10h (“Abre Alas” Feijão Folia)

Local: Praça Dois de Novembro

16h – Show da Alegria – Vesperal das Crianças

19h – Marcelo Marques

23h – Banda Bahamas da Bahia

01h – Gasparzinho da Bahia

DIA 09.02.2016 (TERÇA-FEIRA)

Local: Praça Dois de Novembro

17h – Banda Macário

20h – Bicicletinha do Samba

22h – Banda Turbinado

00h – Banda Astral

02h – Thiaguinho Mala Mansa

DO TRIBUNA DE BEQUIMÃO

 

Com passagens esgotadas, não há previsão para viagens extras de Ferryboat

COMPARTILHE

Quem pretende viajar de Ferryboat para a Baixada Maranhense por algum tipo de veículo, não será possível no período de carnaval. As passagens encontram-se todas esgotadas nas duas empresas que prestam esse serviço. De acordo com o gerente técnico da Servi Porto, Landrin Sandin, nesta época as vendas aumentam 40% e todos os bilhetes foram vendidos de forma antecipada.

A orientação de Sandin é que as pessoas sigam viagem por terra, para evitar algum tipo de transtorno. “Não teremos viagens extras. O melhor é que as pessoas evitem ir até o terminal para ficar esperando.

“Colocamos até outros horários para atender esta demanda, e agora está tudo esgotado”, ressaltou. Na sede da empresa, algumas pessoas tentavam comprar passagens. Foi o caso do operário Rubenilson Sousa. “Vim aqui tentar, quero ir para Pinheiro na sexta-feira. Se eu não conseguir, o jeito é pegar o carro, e ir pela estrada, porém leva mais tempo pra chegar. Vou ter que seguir por terra mesmo”, afirmou.

A Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB) informou que, para garantir mais tranquilidade aos passageiros do serviço de Ferry Boat, a Portaria Nº 044/2015, em vigor desde julho do ano passado, estabelece horários fixos de viagens para dias convencionais e atípicos. A Portaria estabelece cotidianamente 12 viagens sentido Ponta da Espera – Cujupe/Cujupe – Ponta da Espera. Para os dias em que há maior demanda de passageiros nos Terminais, como nos feriados, a Portaria também prevê viagens extras, com horários previamente estabelecidos e que podem chegar até 20 viagens.

Desde 2015, MOB e Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) trabalham conjuntamente no sentido de orientar o passageiro sobre a compra antecipada de passagens, medida que segundo eles, tem diminuído gradativamente a formação de filas de espera no terminal. Vale ressaltar, que as campanhas da MOB são todas pela internet, o que dificulta a comunicação com os passageiros, haja vista que grande maioria não tem acesso as ferramentas usadas pelo órgão fiscalizador. Os bilhetes para viagens adicionais, com horários já determinados pela Portaria, encontram-se à venda nos boxes das empresas operadoras, localizados no Posto Bacanga, na Areinha.

APROXIMADAMENTE 90 MIL PASSAGEIROS
Durante o carnaval de 2014, os Ferryes chegaram a transportar quase 90 mil passageiros. No último ano, MOB e a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), conjuntamente, intensificaram o trabalho de campanhas de conscientização do usuário para a compra antecipada de bilhetes. Artur Cabral, presidente da MOB, orienta que a venda antecipada é uma determinação para garantir o bem estar do usuário: “Com a medida, a formação de filas de espera para embarque nos Ferry’s tem sido gradativamente reduzida, garantindo mais comodidade e tranquilidade aos passageiros na hora das viagens”. NOTA DA MOB.

MOB1MOB2

O IMPARCIAL ONLINE

 

 

 

Servidores de Alcântara recebem salários nesta quinta feira (4)

COMPARTILHE

#COMUNICADO#

A Prefeitura de Alcântara comunica a todos os servidores públicos municipais que antecipou para esta quinta-feira, 04 de fevereiro, o pagamento dos salários referentes ao mês de janeiro, incluindo o novo salário mínimo.

De acordo com a gestão municipal, salário pago antes do previsto no Calendário 2016 de Pagamento do Servidor Público Municipal é mais um compromisso de respeito e valorização da atual administração de Alcântara com o funcionalismo público.

Na atual gestão, os servidores recebem em dia os salários e conquistaram ainda o sistema próprio de previdência Alcântara Previdência e concursos públicos. VEJA A NOTA ABAIXO.

NOTA ALCÂNTARA

 

Câmara Municipal vai fazer ajustes para evitar demissões

COMPARTILHE

Numa reunião realizada com os servidores da Câmara Municipal de São Luís, no início da tarde da terça-feira (3), o presidente da Casa, vereador Astro de Ogum, fez esclarecimentos sobre as situações que o Legislativo irá enfrentar durante o ano. O presidente deixou claro que deverão ser feitos alguns ajustes administrativos para que sejam evitadas demissões e priorizar os funcionários que efetivamente trabalham.

“Por conta dessa caótica situação financeira que o Brasil, o Maranhão e os municípios, no nosso caso São Luís, atravessam temos de está conscientes de que medidas de ajustes deverão ser tomadas, pois o remédio é amargo, mas quando precisa ser usado não tem outra maneira”, afirmou ele.
Completando disse esperar contar com a compreensão de todos servidores e dos vereadores, com quem esteve reunido antes do encontro com os funcionários, tratando do mesmo assunto.

Falando claramente sobre o assunto, Astro de Ogum apontou aspectos que influenciam nas decisões que os gestores públicos estão tendo de tomar. No caso da Câmara Municipal, ele citou a redução nas transferências que são feitas ao município, que veio repercutir também no repasse que a Prefeitura faz para a Câmara. Outro ponto citado foi o reajuste no salário mínimo em descompasso com a situação financeira do país e o impacto sobre a folha de pagamento do Legislativo.

Assim como conversou com os vereadores, Astro de Ogum também disse aos servidores que sua administração não tem a menor intenção de prejudicar ninguém. “Temos como prioridade a valorização do servidor, notadamente aquele que efetivamente trabalha e o assunto de demissão não consta em nossa pauta, embora exista uma decisão da justiça para exoneração de cerca de quatrocentos (400) funcionários”.

Finalizando, Astro de Ogum enfatizou que essas reuniões realizadas no início dos trabalhos legislativos da Câmara tiveram o objetivo de deixar  todos conscientes da situação “que estamos enfrentando, mas também tranquilizar que nós iremos trabalhar de maneira incansável para manter equilibrada a estrutura político-administrativa e financeira da Câmara”.

Texto: Alteré Bernardino