NOTÍCIAS

Alô Procon-MA: Sistema de bilhetagem eletrônica dos coletivos de São Luís apresenta desconfiança aos usuários

Muitos usuários do sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana da capital estão desconfiados com o sistema de bilhetagem dos ônibus urbanos e semi-urbanos que rodam nos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar. De acordo com vários usuários, as empresas tiram do visor o valor descontado em cada passagem e o passageiro não sabe quanto está pagando para viajar, principalmente estudantes que pagam meia passagem.

Segundo denunciantes, onde deveria aparecer o valor descontado na tela, principalmente quando o cartão é estudantil, fica fixo no visor apenas #111 que não representa nada e está ali apenas para confundir a cabeça dos passageiros. Como forma de constatar a veracidade da denúncia, o editor deste Portal de Notícias percorreu grande parte da capital de ônibus coletivo e constatou que a denuncia tem veracidade. Nos ônibus da Requinte, Maranhense e Taguatur que fazem linha para região do Maiobão, estão sem mostrar o valor descontado e muitos virados para os cobradores, onde o passageiro não tem acesso ao visor do aparelho. Nos demais ônibus para outras regiões poucos estão aparecendo o valor descontado.

O Editor questionou alguns cobradores, mas as respostas foram unânimes: “Não sei de nada, aqui apenas cumpro ordem. Ha mais ou menos um mês que isto foi virado, mas não sei o motivo. Muitos passageiros já me questionaram, mas eu sinceramente não sei explicar” – destacou um cobrador de ônibus.

Nossa equipe tentou entrar em contato com o SET, mas devido o horário e por ser um sábado ninguém atendeu as ligações. O mesmo aconteceu com a SMTT. Mas o espaço fica aberto para quem queira se manifestar, a favor ou contrário sobre o assunto.

Para finalizar, gostaríamos que o presidente do Procon-Maranhão, Duarte Júnior, que em feito bom trabalho, precisa urgentemente fiscalizar e se for comprovado essa denúncia, chamar a polícia, já que além de lesar o consumidor, estariam cometendo um crime grave.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo