casa » POLÍTICA (página 70)

POLÍTICA

A Penúria da rica Baixada Maranhense

COMPARTILHE

Na edição de hoje, peço vênia aos nossos leitores para reproduzir uma primorosa crônica da lavra de Expedito Moraes, administrador e baixadeiro natural de Cajarí. A “deferência” se justifica em razão da aura sentimental de que se reveste o tema abordado. Assim, para o nosso deleite, passemos à leitura do bucólico texto:

“Todo dia Dona Antônia acorda cedo e procura alguma coisa pra fazer o “café” da família. Dona Tunica, como é conhecida, se abastece no povoado mais próximo, na quitanda do Seu Teodoro, com o dinheirinho do Bolsa Família. Além de ser muito pouco, Seu Téo vende tudo muito caro. Mas é o único quitandeiro do povoado. Bem surtido, é abastecido pelos caminhões dos Armazéns Peixoto e Martins e por outros fornecedores alienígenas. Nada, nada mesmo é produzido neste Maranhão de um potencial tão rico.

Tem uma bancada dentro do seu comércio, que chama de frutaria, e lá se encontram laranjas, bananas, melancias, mangas, maçãs, tanjas, atas e outras frutas que vêm da Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, São Paulo etc. Até o quiabo, maxixe, cheiro verde, vinagreira, João Gomes (verdura).  Na Ceasa, 98% dos produtos vêm de fora do nosso estado. Seu Téo está bem sucedido, afinal ele é a ponta de um perverso e quase imperceptível sistema de transferência de renda dos estados não produtores para os produtores.

As crianças, todas as manhãs, precisam percorrer o caminho que atravessa o campo, agora muito seco e cheio de torrões (Barro duro). Descalças, andam uma légua até a escola municipal. Chegam com o suor escorrendo pelo rosto misturado com a poeira e mortos de sede. No caminho não tem água em lugar nenhum. Apenas um pequeno açude, escavado pelo prefeito anterior, resiste até a seca virar tragédia. Mesmo assim é onde os animais bebem e são lavados, as pessoas banham, lavam e recolhem água para consumo doméstico. Essas crianças desnutridas alimentam a esperança de saciar sua fome com a “merenda escolar”.

Com a aflição da pobreza, Dona Tunica se desespera. Sem comida em casa, sem água para suas necessidades, para molhar as plantas e o seu “canteiro”. Da pequena roça, plantada num pedacinho de terra que sobrou do lado de fora da cerca eletrificada do fazendeiro, morreu tudo por causa da escassez de chuvas. O poção (Local cheio de água) mais próximo que dava uns tamatazinhos (Peixe cascudo) e umas taririnhas (Peixe Traíras) secou. Seu Chico, marido de Tunica, não sabe mais o que fazer, apesar de no inverno pegar sua canoa e “empurá-la à vara” até o meio do campo para, com uma puçá (material de pesca) ou uma tarrafa, pegar o “Cumê” (Alimento) da semana em poucos minutos.

Famílias como a de Chico e Tunica existem aos montes nos campos da Baixada. São famílias quase nômades, que no inverno vão pro “Teso” (Pedaço de chão acima do nível do campo), para onde levam as criações, a fim de que não morram afogadas nas enchentes ou atoladas na lama, visto que o  pasto fica submerso nas abundantes águas que recobrem os campos. Ali constroem ranchos cobertos e tapados de pindoba, giral de assoalho de rachas de palmeira ou marajá, portas e janelas de meançabas (Artesanato feito de palha de Palmeira de babaçu). Tudo é improvisado. Mais tarde será descartado, vai virar “tapera” assim que começar o “abaixamento”. Logo estarão em algum lugar perto de uma “baixa”.

Esta crônica parece uma obra de ficção, mas não é. É uma dura realidade. Somente os baixadeiros genuínos conhecem esse infortúnio anual. Por isso, acreditamos que os planos, projetos e ações reivindicados pelo FÓRUM DA BAIXADA são capazes de reverter essa penúria e proporcionar melhoria de vida pra mais de meio milhão de pessoas.”

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

Vereador faz discurso emocionante ao falar de Jerry Abrantes

COMPARTILHE

O vereador de São Luís, Ivaldo Rodrigues (PDT), entregou nesta segunda feira (10) o Título de Cidadão “In Memória” para a família do saudoso Jerry Abrantes, falecido dia 11 de Abril deste ano, vítima de uma Hepatite Viral. O título já havia sido aprovado pela Câmara antes de Jerry falecer e seria entregue justamente três depois que o pedetista morreu. Com a perda de Jerry Abrantes, a Câmara de vereadores decidindo entregar o Título In Memória aos familiares.

Durante a sessão solene, Ivaldo Rodrigues, autor do requerimento, Fez um discurso muito emocionado ao falar do amigo de longas datas. Mesmo sendo forte, Ivaldo não suportou a emoção e veio às lágrimas. Com o plenário lotado de amigos e familiares de Jerry, o vereador foi aplaudido pelos presentes.

WP_20150810_12_29_23_Pro - Cópia WP_20150810_12_51_52_Pro - Cópia

“Para mim não é um momento que eu gostaria de fazer, porque é um momento muito difícil para mim. Eu gostaria de falar que os homens grandes são eternos, porque o Jerry era um homem do bem e abriu caminhos intransponíveis para que outras pessoas pudessem trilhar. Essa é um dia pra mim de profunda tristeza, por ter que prestar uma homenagem “In Memória” para alguém que eu quero tanto bem”, destacou o autor do requerimento que originou o título de cidadão de São Luis ao saudoso Jerry Gonçalves Abrantes.

Durante seu discurso, o vereador ainda falou das homenagens que Jerry irá receber na capital maranhense, como o terminal de Integração da Cohama que passará ser chamado de Jerry Abrantes. Outra homenagem ao pedetista acontecerá onde a Rua Projetada no Parque Atlântico, se chamará Jerry Abrantes, além do mês de Julho que passará a ser chamado de Julho Amarelo, onde será feita uma campanha em combate a hepatite viral, em homenagem ao Jerry, já que ele foi vítima desse vírus e veio a óbito.

WP_20150810_12_37_56_Pro - Cópia WP_20150810_12_52_19_Pro

A sessão solene foi presidida pelo vereador Francisco Carvalho (PSL) e teve como primeiro secretário José Joaquim (PSDB) e segundo secretário, Ivaldo Rodrigues (PDT), autor do requerimento. Estiveram presentes na sessão solene, a mãe de Jerry, a senhora Ilma Abrantes Gonçalves da Silva, o filho do homenageado, Jerry Gonçalves de Abrantes Filho, representando o pai, Larissa Abdalla Brito, viúva do homenageado, além de autoridades estaduais e municipais, amigos e familiares de Jerry Abrantes. O “coral de São João” fez a justa homenagem ao eterno pedetista, mesmo que paraibano, adotou São Luís do Maranhão como sua terra.

 

“Política é para se trabalhar pelo povo e não para se beneficiar dela”

COMPARTILHE

Filho de um pescador e de uma dona de casa, o vereador Armando Costa, 52 anos, deixou a minúscula cidade de São João Batista aos 16 anos, para tentar a vida na capital. Foi em 1979. Veio, viu e venceu. Enfrentou muitas dificuldades, mas conseguiu superar tais obstáculos.

A política o atraiu e em 1985, quando ingressou na JFL-Juventude da Frente Liberal, que aglutinava os jovens do extinto Partido da Frente Liberal, sigla que surgiu quando o antigo PDS começava a ser extinto. Foi assessor do vereador Pavão Filho, quando este assumiu o primeiro mandato, em 1989.

Tentou seu primeiro mandato em 2004, ficando na suplência, na esteira dos 1.229 votos conquistados. Não se abateu e na eleição seguinte, em 2008, conquista seu primeiro mandato, com 2.988 votos. Na eleição de 2012, surpreendeu, se elegendo para o segundo mandato, com 7.397 votos, superando experientes parlamentares que muita gente imaginava não ficasse abaixo de Armando em número de sufrágios. Atualmente, é o presidente municipal do Partido Social Democrata Cristão (PSDC).

Homem de fala mansa, gestos calculados e extremamente humilde, Armando Costa gosta de está sempre misturado ao eleitorado na periferia. Adora jogar umas partidas de sinuca e bater papo, sempre que pode, principalmente na sua principal base eleitoral, a Ilhinha, onde reside até hoje.

Nessa entrevista ao ATOS E FATOS, ele aborda variados assuntos, como o cenário político nacional, a expectativas em torno do mandato do governador Flávio Dino e  a administração do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Eis a íntegra da entrevista:

ATOS E FATOS – O senhor tem uma história interessante. Já que, em três eleições, saltou de 1.229 para 2.988 e 7.397 votos. Qual o segredo desse crescimento, que chega a mais de 300%?

ARMANDO COSTA- Trabalho, trabalho e trabalho! No exercício do mandato, não se tem descanso. Recebemos muitas críticas, mas elas são infundadas, porque muita gente não sabe o sacrifício que passamos, atendendo a eleitores em quase todas as suas demandas. É uma ação cansativa, que requer disposição e, sobretudo vocação.

ATOS E FATOS- Nesse caso, o senhor admite que o vereador continua atuando como se fosse um autêntico assistente social?

ARMANDO COSTA- É a mais pura verdade. Somos a base da pirâmide política. O eleitor carente, quando se depara com alguma dificuldade, recorre imediatamente ao vereador, parlamentar que está mais próximo, às vezes mora na mesma rua, no mesmo bairro. Você conta nos dedos deputados estaduais eleitos por São Luís. A ampla maioria é oriunda do interior do Estado, está longe do eleitorado, assim como o deputado federal e o senador, que estão em Brasília. Já o vereador, não, ele está ao lado do eleitor e é o seu contato imediato.

Isso também por conta da falta de políticas públicas sociais mais abrangentes. Veja o caso do Rio de Janeiro, onde os traficantes exercem o domínio. Isso é porque eles exercem a função do governo em várias demandas.

ATOS E FATOS – Como o senhor define a política?

ARMANDO COSTA- Recorro a uma frase inesquecível do saudoso José de Alencar, que foi vice-presidente no governo de Lula. Empresário de sucesso, ele sempre dizia que a política é um instrumento para se trabalhar para o povo e jamais para se beneficiar dela.

ATOS E FATOS- O senhor tem uma trajetória eleitoral interessante. Saltou de pouco mais de 1.200 para quase 8 mil votos, em três eleições. Isso não o estimula e tentar voos mais alto na política?

ARMANDO COSTA- Olha, de acordo com o poeta, sonhar não custa nada, mas, na política, nós temos de ser mais realistas. Pensei, não posso negar, disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa no ano passado. O problema é que não havia recursos para uma campanha como a de deputado e não consegui apoio suficiente. Em política, todo mundo quer subir mais um degrau, não resta a menor dúvida.

ATOS E FATOS – Já caminhando para o fim de seu segundo mandato, quais as principais proposituras que o senhor apresentou na Câmara em benefício da cidade?

ARMANDO COSTA- São inúmeras, entre projetos, requerimentos, indicações e outros tipos de propostas, mas cito aqui apenas algumas delas. Indiquei, ao governo do Estado, a implantação de câmaras de videomonitoramento na Rua Grande, principal área comercial da cidade, para combater a ação dos bandidos, solicitei também, através de indicação ao governo, a criação de concurso para beneficiar a população de baixa renda, quando da realização de concursos públicos e requeri, à administração municipal, uma ampla reforma e ampliação da feira do São Francisco. Também pedi, através de requerimento, a implantação de uma academia ao ar livre, na Praça Botafogo, em frente à Avenida Ferreira Goulart, no São Francisco.

ATOS E FATOS – E quanto aos projetos de lei?

ARMANDO COSTA – Apresentei, ao longo desse período, dezenas de projetos, todos aprovados e promulgados, a exemplo do que cria o Serviço do Disque Dengue na cidade, um que estabelece a concessão do kit de higiene bucal para todos os alunos de creches, unidades da educação infantil e ensino fundamental da rede pública municipal de ensino.

Outros que aponto são um que cria o Programa Brinquedoteca nas unidades de saúde, clínicas, hospitais e outros estabelecimentos similares de saúde que atuam com serviço pediátrico no âmbito municipal. É também, de minha autoria, o projeto que institui a inclusão do peixe na merenda escolar, um que dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação de baterias de emergência nos semáforos da cidade e outro que cria o serviço de agendamento de consultas médicas e exames de caráter eletivo pela Internet e por telefone nas unidades da Central de Marcação de Consultas da capital.

ATOS E FATOS – Como o senhor observa o cenário político atual em termos nacional?

ARMANDO COSTA- Vejo com extrema preocupação. A corrupção decorrente do Mensalão e da Lava Jato mergulhou o pais numa crise sem precedentes. Nos últimos dias, venho acompanhando a movimentação em Brasílias, com a popularidade da presidente Dilma em queda, a oposição se reunindo com partidos da base, já falando em impeachment da presidente e isso não é bom para o País. Confesso que estou temoroso dessa situação, são muitas as turbulências no momento.

ATOS E FATOS- Quais suas expectativas em tono do governo Flávio Dino?

ARMANDO COSTA- Deposito muitas esperanças no governo Flávio Dino. Ainda não dá para se fazer uma avaliação, pelo pouco tempo de governo, mas a movimentação do governador Flávio Dino aponta para muitos avanços, principalmente quando ele inicia parcerias com as prefeituras. Todo mundo sabe que Estado e União são abstratos, o que realmente existe é o município, onde o cidadão, nasce, estuda, trabalha e se projeta. A parceria com os municípios, já apresenta resultados positivos, principalmente em São Luís. O governador Flávio Dino está trilhando pelo caminho certo.

ATOS E FATOS- E sobre a administração do prefeito Edivaldo Holanda Júnior?

ARMANDO COSTA- O prefeito enfrentou muitas adversidades, mas está em franca recuperação. As ações mais firmes, a exemplo do programa Todos por São Luís, estabelecem um novo cenário, que se fortalece com o apoio do governador Flávio Dino, principalmente no que concerne à infraestrutura da cidade. O prefeito está avançando e muito.

ATOS E FATOS- Como o PSDC irá caminhar nas eleições municipais de 2016?

ARMANDO COSTA- Sou presidente da Executiva Municipal, mas não decido sozinho. As articulações estão apenas começando e temos que fazer algumas reuniões, para saber com quem o PSDC irá marchar, se com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior ou com outro postulante ao cargo de prefeito, mas vejo ampla possibilidade de sermos parceiros do prefeito.

TEXTO: Djalma Rodrigues

 

Organização criminosa tenta anular investigação do GAECO

COMPARTILHE

Enquanto à sociedade brasileira assiste e aplaude o desenrolar da Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014 pela Polícia Federal para investigar um esquema de desvio e lavagem de dinheiro, alçado em R$ 19 bilhões de reais, envolvendo a Petrobras, no Maranhão, infelizmente, com a chancela de figurões com tentáculos na política e justiça, as coisas parecem andar na contramão do atual momento vivido no País.

Na terra dos poetas Gonçalves Dias e Ferreira Goulart, em mais um capitulo envolvendo os inúmeros atos de corrupção do prefeito de Anajatuba – Helder Lopes Aragão(PMDB), novas articulações estariam sendo costuradas na tentativa de evitar o afastamento e a prisão do prefeito que, segundo investigações do Grupo de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual – em apenas dois anos de mandato, desviou dos cofres públicos algo em torno de R$ 14 milhões de reais.

O engraçado é que mesmo diante da farta documentação probante carreada em 14 meses de investigações, sabe-se lá porque, a Justiça do Maranhão insiste em não fazer o seu papel. Após o pedido de suspeição de dois membros da Corte Maranhense, no caso os desembargadores Raimundo Magalhães Melo e Bayma de Araújo, os quais se deram por suspeitos por razões pessoais, há pouco mais de 15 dias, o desembargador João Santana foi designado novo relator.

No entanto, uma intensa movimentação estaria sendo deflagrada com a chancelada do deputado estadual Edson Araújo(PSL), atendendo pleito da presidente da colônia de pescadores de Anajatuba – Lucilândia Mendes, ligada ao deputado, e casada com o vereador daquela cidade Luís Fernando Soares Mendes, o Fernando da Colônia, aliado político do prefeito Aragão.

Para que a esposa do vereador intermediasse a negociação junto ao deputado, que em muitas dessas coincidências do destino seria sogro de Lívia Santana, filha do desembargador João Santana, já que seria casada com o advogado Rommel Araújo, segundo pessoas ligadas ao próprio prefeito insistem em arrotar nos quatro cantos da cidade, o vereador teria recebido alguns mimos do prefeito, entre eles, uma caçamba, avaliada em mais de R$ 100 mil reais.

 

VERGONHA

De forma imoral, em um completo acinte, na tentativa de descredibilizar toda a investigação realizada pelo MPMA, usando como pretexto uma questão processual preclusa, a defesa da organização criminosa vem arguindo a nulidade do processo.

Os advogados alegam que, por conta do foro privilegiado do prefeito Helder Aragão, o TJMA teria que autorizar à investigação, contudo, esquecem que ao deferir as medidas cautelares, como mandados de busca e apreensão, quebra de sigilo fiscal e bancário entre outros, tacitamente, o desembargador Raimundo Melo, que atuou pelo interregno de 14 meses, chancelou/autorizou/balizou a investigação, portanto, enfrentar e deferi tal pedido é uma afronta à inteligência humana e aos preceitos vigentes no ordenamento pátrio, os quais aduzem que o consentimento pode ser expresso e/ou tácito, como foi no caso em tela.

Vale ressaltar que, segundo a denúncia formulada pelo procurador Francisco das Chagas Barros de Sousa, além do prefeito, outras 14 pessoas foram denunciadas e tiveram seus pedidos de prisões preventivas requeridos. Todos são suspeitos de integrar uma organização criminosa, que através das empresas Vieira e Bezerra, atual F C B Produções e Eventos, A4 Serviços e Entretenimento, Construtora Construir e M A Silva Ribeiro, desviou milhões e milhões do erário público.

Visando cumprir o que determina a lei de imprensa, na quinta e sexta-feira, vários contatos foram feitos com o gabinete do relator do processo – desembargador João Santana, através do chefe de gabinete Jonas, a fim de que o magistrado se pronunciasse a respeito da veracidade dos laços familiares que o ligam ao deputado Edson Araújo, entretanto o mesmo preferiu silenciar, porém, a palavra continua franqueada ao mesmo ou qualquer outro interessado que queira se pronunciar.

 

TEXTO: Itamargarethe Corrêa Lima

 

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

Deputado Wellington sai em defesa do povo de Alcântara

COMPARTILHE

Após negociações, a população atende pedido do deputado Wellington e desfaz as manifestações em Alcântara. Foi logo após a sessão na Assembleia Legislativa desta quinta-feira (6), que o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) e um grupo de assessores partiram de São Luís com destino à Alcântara para se solidarizar e dar apoio à população que estava realizando protestos desde o dia 31 de julho devido à falta de estrutura na saúde pública do município.

Ao chegar a Alcântara, o deputado encontrou um clima tenso, marcado pela revolta e insatisfação que permeavam os manifestantes que se encontravam na Praça da Matriz, após tumultos em frente à Prefeitura, Câmara Municipal e Fórum da cidade. As manifestações iniciaram desde a última sexta-feira (31), após a morte da jovem gestante Naires Rodrigues, de 19 anos, e seu bebê, que no último dia 30 não resistiram e vieram a óbito.

A população alega que houve negligência por parte do hospital e reclama do número insuficiente de médicos e de hospitais de qualidade na cidade. Ante isso e de forma responsável, Wellington dialogou com os manifestantes e atendeu algumas das demandas, dentre elas o pedido de liberação da professora Teresa França, conhecida como “Teca”, que havia sido detida por policiais militares durante o ponto alto das manifestações. Durante as negociações, a população acatou o pedido do parlamentar para que desfizessem as manifestações e se reunissem em uma audiência pública sob sua responsabilidade, na próxima terça-feira (11), a fim de discutir as problemáticas apontadas e encontrar soluções que atendam a população do município.

WC1 WC2

 “Tenho acompanhado as manifestações em Alcântara desde o início. Apresentei na Assembleia, assim que soube da morte da jovem Naires, um requerimento solicitando esclarecimentos à Secretaria Municipal sobre tal fato. No entanto, o povo clamava por uma voz e eu não poderia negar isso. Por isso, fui à Alcântara, intermediei as reivindicações e, graças a Deus, voltei com a sensação de missão cumprida. As manifestações chegaram ao fim e na próxima terça-feira estaremos novamente no município para realizarmos uma audiência pública com representantes do Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública, da Prefeitura, Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria de Estado de Saúde, dentre outros. Ressalto a importância da visita, ao ir falar com os manifestantes, pois só assim tomamos pleno conhecimento de todas as reivindicações. Empenho a minha palavra com cada cidadão e firmo meu compromisso em defesa do povo maranhense”, declarou o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia.

Após o diálogo com o deputado, as manifestações foram finalizadas por volta das 20h e ficou estabelecido que o próximo encontro será em uma Audiência Pública, solicitada por Wellington. A Audiência será na próxima terça-feira (11), com início às 14h, no auditório do IFMA- Campus Alcântara.

Novo partido político se instalará no município de Bequimão

COMPARTILHE

Ha exatamente quinze meses das eleições para prefeito, o município de Bequimão vai receber a mais nova sigla partidária. O Partido Social Democrático (PSD) será a mais nova sigla a ser instalada na cidade de Bequimão, visando às eleições de 2016. Presidido no Maranhão pelo ex-secretário de fazenda do estado, Claudio Trinchão, o PSD tem sido um dos partidos mais desejados pelos políticos maranhenses.

Em Bequimão, o advogado Sidney Bouéres, irá presidir provisoriamente o PSD, que também é conhecido nacionalmente pelo número 55. O objetivo de levar a nova sigla para o município é agregar várias lideranças e principalmente vereadores que pretendem trocar de partido ainda este ano. Com isso, o PSD será mais um partido aliado ao prefeito Zé Martins (PMDB).

Para o advogado Sidney Bouéres, a chegado de um novo partido em Bequimão, traz a motivação tanto para os jovens filiados, quanto para aqueles que pretendem deixar outras siglas. Segundo o presidente municipal do PSD, a visão do partido é trabalhar o desenvolvimento de Bequimão, aliado a boa gestão feita pelo prefeito Zé Martins.

“Mesmo fazendo parte de um grupo político na cidade e da atual gestão, entendemos que há uma necessidade de se ter uma renovação partidária no município, para que possamos agrupar a juventude, unir experiências, dando espaço para novas ideias e planejar um horizonte que possa ajudar na gestão do prefeito Zé Martins, que tem feito um grande trabalho em Bequimão. O nosso papel será criar um partido forte, com novas ideias, mas alinhado com a conjuntura da administração que hoje é o diferencial do município e ainda tem muita coisa boa para acontecer”, destacou o presidente do PSD Bequimão.

O presidente do PSD nacional é o ex-prefeito de São Paulo, o engenheiro Gilberto Kassab, hoje ministro das cidades no governo Dilma.  O partido conta com 30 deputados federais na bancada em Brasília e 4 Senadores.

Câmara inicia semestre com expectativa de muitos trabalhos

COMPARTILHE

Em seu pronunciamento na abertura do semestre legislativo, o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), lembrou os demais parlamentares que o ano é pré-eleitoral, mas isso não deverá atrapalhar as atividades no parlamento ludovicense.
Astro de Ogum falou ainda sobre matérias importantes que deverão compor a pauta da Casa neste segundo semestre de 2015.
“Nós sabemos muito bem, já vivendo um ano pré-eleitoral, além de já adiantar o nosso clima de expectativa para a votação de importantes matérias para a população e para o município”, disse.
Sobre itens de pauta a serem apreciados, o dirigente do Legislativo colocou em primeiro plano o projeto de resolução dispondo sobre o novo Regimento Interno. “Já que no final do semestre passado nós chegamos até a comemorar a votação do novo regimento, mas acredito que a sua votação deva acontecer dentro dos próximos dias”.

Astro de Ogum falou acerca da necessidade da Câmara acompanhar o processo de discussão para elaboração do Plano Diretor, uma vez que a prefeitura vem realizando audiências públicas para tratar destas questões. “Essa casa precisa ter uma comissão para acompanhar todo esse trabalho, e não ficar só na espera da chegada da matéria pronta pelo Executivo”, disse o presidente.
Na oportunidade, Astro ressaltou que o Legislativo não foi convidado a fazer acompanhamento dessas discussões, e solicitou ao secretário Municipal de Governo, Lula Filho, representando o prefeito na sessao de reabetura dos trabalhos da Câmara, passe a intenção e apreensão ao Executivo para que sejam tomadas as providências para a participação efetiva do legislativo.
AGRADECIMENTO AO PMN – Astro de Ogum dirigiu-se a vereadora Bárbara Soeiro, presidente do PMN, para agradecer ao seu pedido de desligamento da agremiação, “de onde saímos sem rancores ou ressentimentos, dizendo que deixamos muitas amizades, e nos colocar a disposição para ajudar a todos, principalmente no sentido de fazer grandes coligações”, encerrou ele.
Em seguida, falando para a Mesa Diretora dos trabalhos, da qual estava como parte integrante, representando o prefeito Edivaldo Holanda Junior, o secretário Lula Filho fez a leitura da mensagem do chefe do Executivo. Também estavam presentes na direção dos trabalhos, presidida por Astro de Ogum, os vereadores Pavão Filho (PDT) e Pedro Lucas (PTB). Compareceram também ao ato os secretários Municipais Fátima Ribeiro, Júlio França, Raimundo Nonato Fernandes e Severino Sales.

Texto: Alteré Bernardino

PT Bequimão pode ter candidatura própria em 2016

COMPARTILHE

Em reunião de portas fechadas onde o deputado estadual Zé Inácio (PT) convidou os principais militantes do Partido dos Trabalhadores de Bequimão, o assunto mais discutido foi “Candidatura Própria”. Em 2012, o investigador de polícia civil, Sidney Nogueira (Magal) foi o candidato a prefeito e teve como vice, o pai do deputado Zé Inácio, Antônio Inácio. Na ocasião, Magal obteve pouco mais de 300 votos e foi considerado pela oposição, como o verdadeiro culpado da derrota de Antônio Diniz (PDT), que até antes da eleição era aliado de Magal.

A reunião do grupo político do PT/Bequimão, que a cada dia se resume e acolhe os velhos conhecidos da política no município, contou ainda com a presença da prefeita de Itinga, Vete Botelho. Na oportunidade, discutiram pré-candidatura a prefeito de Bequimão, onde Magal pode ser a única opção do PT e, também, sobre os pré-candidatos a vereadores do município.

Enfraquecido, o PT tenta mostrar forças em Bequimão visando, no mínimo, uma carta para vice na chapa que deve ter Cesar Cantanhede (PSDB) como candidato. Mas sabendo da ganância do deputado Zé Inácio, é mais fácil ter candidatura própria, do que abrir mão para o grupo de oposição. O projeto do Partido dos Trabalhadores em Bequimão era aglomerar jovens pensadores. Só que com o passar dos anos, o PT virou um verdadeiro azilo da política bequimõense, onde agrega os excluídos de outros partidos.

De acordo com um informante do Site que estava dentro da reunião a palavra de ordem de Zé Inácio, era “Anunciar candidatura própria” para tentar descolar ou a vaga de vice na chapa de Cesar Cantanhede, ou fazer acordo para comandar duas secretarias no município e o apoio do grupo de oposição nas eleições de 2018 na reeleição do Petista. Caso contrário, o PT lançará candidatura própria novamente.

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free