casa » Archivo de Etiquetas: Vereador (página 4)

Archivo de Etiquetas: Vereador

Irmão do prefeito Cláudio Cunha é morto a golpes de faca em Apicum-Açu

COMPARTILHE

A violência toma conta da baixada maranhense e desta vez a vítima foi um vereador da cidade de Apicum-Açu, no litoral ocidental maranhense, assassinado a golpes de faca. A vítima foi o irmão do prefeito da cidade, Cláudio Cunha, que era vereador. A identidade da vítima é Cláudio Jorge Lima Cunha, de 47 anos, conhecido na cidade por Jorge Cunha.

Segundo testemunhas, o parlamentar foi morto a golpes de faca no povoado Turilana, na zona rural de Apicum-Açu. Segundo populares, o vereador Jorge Cunha foi morto com duas facadas por um pescador conhecido na cidade como Pelebreu, de 25 anos de idade, que foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

O vereador foi atingido com uma facada na barriga e outra no coração. Jorge Cunha estava em uma festa e o fato aconteceu no momento em que o vereador se dirigia ao seu veiculo na madrugada desta terça-feira (2).  Segundo populares, o criminoso se aproximou de Jorge e lhe pediu 2 reais. Diante da recusa, os dois começaram a discutir, quando o assassino sacou de uma faca e matou o vereador.

A polícia vai investigar as verdadeiras causas do homicídio que chocou o município de Apicum-Açu. O assassino já está atrás das grades e pode ser transferido para a Regional de Pinheiro por segurança.

Vereador Jorge Filho é absolvido pelo Tribunal Regional Eleitoral no processo que pedia cassação

COMPARTILHE

A vontade do povo dever ser sempre soberana. A democracia deverá ser sempre respeitada. Foi isso que aconteceu no julgamento sobre o processo que tentava impedir o mandato do vereador de Bequimão, Jorge Filho (PP), eleito em 2016 com 607 votos, sendo o segundo mais votado na contagem geral. No julgamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o placar foi uma grande goleada em favor de Jorge Filho, 5X1.

O processo que pedia cassação do vereador de vários mandatos, esteve em julgamento e a justiça reconheceu a legitimidade do mandato de Jorge Filho, que seguirá firme com seu trabalho. Com o resultado, o parlamentar está isento, mas cabe recurso aos opositores, que agora teriam que tentar derrubar em Brasília, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A tentativa de buscar uma vaga no tapetão, não está funcionando em favor de quem foi rejeitado nas urnas em 2016. O que resta agora, é esperar 2020 para tentar novamente, já que sonhar não paga impostos. O povo precisa ser respeitado, e a maioria absoluta escolheu Jorge Filho para mais um mandato.

 

Vereador Marquinhos confirma saída do DEM para ser candidato ao Senado

COMPARTILHE

Exercendo o seu segundo mandato na Câmara Municipal de São Luís, o vereador Antônio Marcos Silva, mais conhecido no meio político como Marquinhos, confirmou ao editor do blog, nesta tarde, que deixará o DEM, partido que ele lidera no parlamento municipal, para filiar-se a uma outra legenda e, desta forma, disputar uma das duas vagas ao Senado que serão abertas em 2018.

A saída de Marquinhos do Democratas ocorrerá em virtude do presidente do partido no Maranhão, deputado federal Juscelino Filho, já ter fechado questão em torno do apoio a pré-candidatura do também deputado federal Weverton Rocha (PDT).

O vereador informou que já recebeu convites de outras quatro siglas – os nomes não foram revelados – que, segundo ele, lhe garantem sustentação para representa-las na corrida sucessória para Câmara Alta.

“Estou analisando [os convites] e até no começo de março definirei. Na segunda semana do mesmo mês, quero realizar um grande evento, provavelmente na região da Divinéia e Vila Luizão, para oficializarmos nossa pré-candidatura”.

De acordo com Marquinhos, sua pré-candidatura ao Senado nasceu do sentimento do povo, principalmente daqueles que residem nos bairros da periferia e necessitam do dos serviços públicos nas áreas da saúde, educação, segurança e transporte, por exemplo.

Para o vereador, as pré-candidaturas apresentadas até o momento – tanto do lado governista, quanto do campo oposicionista – são de figuras que já militam na política há muito tempo e não representam o anseio do eleitor, que clama por uma opção nova.

“As pré-candidaturas postas até o momento são de caciques que já estão há muito tempo na política. Minha pré-candidatura visa justamente quebrar esta hegemonia. Vamos lutar. Eu vou para rua, vou buscar o voto do eleitor, que conhecerá minhas propostas. Comecei na política agora e, graças a Deus, meu nome é limpo. Sou oriundo da periferia, sou conhecedor dos problemas do povo. E caberá a população escolher e decidir”.

“Serei um candidato ao Senado que estará na base, conversando diretamente com o cidadão, sem precisar estar colado no governador andando de helicóptero. Vou buscar o apoio de lideranças, de amigos, das comunidades. Nossa candidatura, nosso projeto, vem com o cheiro do povo. Construiremos uma candidatura juntamente com a população. Vou com tudo mesmo e que seja feita a vontade de Deus”.

Por Glaucio Ericeira

Vereador Marquinhos reforça desejo de representar periferia no Senado

COMPARTILHE

O vereador Antônio Marcos Silva, Marquinhos (DEM), descartou, na manhã dessa sexta-feira (17), a possibilidade de se tornar candidato a deputado estadual nas eleições do próximo ano, como vinha sendo noticiado em postagens e enquetes na imprensa maranhense. Marquinhos reafirmou, durante entrevista exclusiva ao portal (radionoticiamaranhao.com.br), que continua alimentando o sonho em ver a periferia sendo representada no Senado Federal.

O desejo de Marquinhos foi confirmado logo após a divulgação de uma enquete para as eleições de 2018, onde o parlamentar figurou entre os postulantes mais votados para a Assembleia Legislativa numa sondagem de intenção que foi desmobilizada pelo portal Rádio Notícia Maranhão, com mais de oitenta nomes de possíveis candidatos a deputado estadual para as eleições do ano que vem.

O vereador Marquinhos agradeceu a lembrança e votos que recebeu, mas surpreendeu a todos ao afirmar que não tem interesse na disputa de uma das 42 vagas, disponíveis na Assembleia Legislativa do estado do Maranhão em 2018. O motivo tem um significado: o sonho de ver a periferia no Senado.

“É muito gratificante ser lembrado numa enquete ou pesquisa com mais de oitenta nomes. Por isso sou grato pela lembrança e pelos votos que recebi, mas a Assembleia Legislativa não é minha meta. Em 2018, vou continuar meu sonho de levar um cidadão da periferia ao Senado Federal. A população precisa eleger um senador que sabe o que é a pobreza de fato, que andou de ônibus, que já precisou do SUS. Eu sei o que isso, eu sou oriundo das massas e sei o que eles sofrem no dia a dia”, afirmou.

Vale lembrar, que o vereador teve 1.000 dos mais de 9.075,00 votos que foram computados na enquete, e ficou em quarto lugar como um dos mais votados.

Em entrevista, Francisco Carvalho, diz: “O povo não exigiu reforma política, o povo quer é melhor qualidade de vida”

COMPARTILHE

No exercício do oitavo  mandato e depois de ter sido presidente da Câmara Municipal de São Luís por três vezes consecutivas, de 1994 a 2000, o vereador Francisco Carvalho, presidente estadual do PSL, é considerado uma das “raposas” da política maranhense. Seu colega de parlamento, Francisco Chaguinhas (PSB) costuma dizer que ele é um dos últimos alquimistas políticos do Estado.

Francisco Carvalho tem uma trajetória interessante no Legislativo Ludovicense. Filho de José Mário de Araújo Carvalho, que foi deputado estadual por quatro legislaturas e depois vereador, herdou-lhe o espólio político quando este faleceu em meados da década de 1970, por influência do ex-governador Luiz Rocha e o ex-deputado José Bento Nogueira Neves (ambos falecidos) e de outras lideranças do período.

Naquela época, dois parlamentares se destacavam com ações na zona rural, área de difícil acesso. José Mário Carvalho e Evandro Bessa de Lima, que foi presidente da Câmara Municipal. Após a morte do pai, Carvalho passou a dominar a cena tanto na Zona Rural I como na Zona Rural 2.

Sua serenidade o faz com que sempre seja chamado para buscar alternativas para crises e é um exemplo para jovens vereadores. Sob a presidência dele, em 1995, a Câmara de São Luis fez um grande movimento para que a refinaria de petróleo fosse instalada em São Luís. Em 2009, protagonizou um encontro de secretários estaduais e municipais, no Cruzeiro de Santa Bárbara, em busca de recursos para serem aplicados na infraestrutura daquela localidade. Convalescendo de uma cirurgia para colocação de quatro stents, conversou rapidamente em casa sobre os mais variados assuntos.

Se diz indignado quando ouve político falar que o povo estaria revoltado como lento andamento da reforma política. Para ele, o povo quer é melhoria da qualidade de vida e sequer se mobiliza sobre esse assunto. Veja a íntegra da entrevista:

Nessa entrevista ao JORNAL DA CÂMARA, ele fala sobre esse e outros assuntos: Eis a íntegra da entrevista:

JORNAL DA CÂMARA – Como é ser vereador em São Luis?

FRANCISCO CARVALHO- É como se fôssemos autênticos assistentes sociais. Além de irmos às bases, somos procurados na Câmara, em nossas residências pelo eleitorado. Isso porque o vereador é a base da pirâmide política. O deputado estadual se elege com votos do interior e vem para São Luis, o senador e o deputado federal vão para Brasília, enquanto nós estamos morando próximo ao eleitorado, que nos aciona por conta de várias de suas necessidades. Mesmo assim, somos alvos de pesadas críticas, mas só quem é vereador sabe o peso dessa responsabilidade. Não é fácil não.

JORNAL DA CÂMARA – E qual a razão de continuar como representante popular na Câmara Municipal?

FRANCISCO CARVALHO- Cada ser humano traça seu destino. No meu caso, por exemplo, sou aposentado como auditor fiscal do Município e advogado. O problema é que herdei isso do meu saudoso pai, José Mário de Araújo Carvalho, que representou o  povo tanto na Câmara como na Assembleia. Minha primeira eleição foi em 1988. São muitos anos de lutas em defesa dos menos favorecidos. É cansativo? É, mas há um componente interessante, a gente fica de alma lavada, sabendo que está ajudando o próximo.

JORNAL DA CÂMARA – Como é essa história da Câmara Municipal com a refinaria durante o período em que o senhor foi presidente?

FRANCISCO CARVALHO– É uma história interessante. Em 1987, a Petrobrás fez publicar um estudo, no qual apontava São Luis como a capital com maior potencial técnico para a instalar um projeto de tamanha magnitude, por conta de sua posição geográfica, do Porto do Itaqui e da linha ferroviária.

Em 1995, conclamamos todas as forças políticas, independentemente de linha ideológica ou partidária a somarmos forças em defesa do projeto e fomos atendidos. Para que se tenha uma idéia, o então senador José Eduardo Dutra do PT e que posteriormente foi presidente da Petrobrás, veio a São Luis participar de um dos inúmeros movimentos que a Câmara fez pela cidade.

JORNAL DA CÂMARA – Que movimentos foram esses?

FRANCISCO CARVALHO– Realizamos audiências públicas na área do Itaqui/Bacanga,  no Sacavém, e fizemos um grande ato na Praça Deodoro. Depois, fomos a Brasília. Posso contabilizar aqui os saudosos Raimundo Assub e Lia Varela e o então vereadores,  Pavão Filho, Tadeu Palácio, Helena Barros Helluy, José Cosmo Ferraz, Rubem Brito, José Joaquim  e outros vereadores daquela legislatura.

Mantivemos contatos com o presidente do Congresso na época, o senador José Sarney e o então dirigente da Petrobrás, Joel Rennó.

JORNAL DA CÂMARA – E aí, o que resultou desses encontros?

FRANCISCO CARVALHO- Houve uma frustração.  Ceará e Pernambuco, também disputava a instalação da refinaria. As bancadas federais deles estavam em peso, enquanto dos deputados federais, bem poucos se interessavam pela história. Ficamos com uma certa inveja dos cearenses e dos pernambucanos, ao observarmos, que lá, apesar da disputa entre situação e oposição, como em qualquer Estado, os adversários estavam juntos lutando pelo mesmo objetivo. Aí o Joel Rennó, nos disse, não sei se com ironia, que estávamos brigando por algo que não era tão rentável como as reservas de gás natural existentes principalmente na região dos Lençóis.

JORNAL DA CÂMARA – Que lição foi tirada desse episódio?

FRANCISCO CARVALHO– A lição que ficou é de que senadores e deputados federais devem ficar mais atentos às reivindicações do povo. Eles devem entender que política é a arte da convergência em busca de benefícios para a população. A disputa entre situação e oposição é salutar e democrática, mas existem momentos em que essas divergências devem ser colocadas de lado em busca de objetivos comuns. O ex-governador e atualmente deputado federal, José Reinaldo Tavares, por exemplo, comunga da mesma idéia. Ele sempre diz que deve existir unidade entre as correntes adversárias, quando se busca o mesmo objetivo.

JORNAL DA CÂMARA – Mas depois veio a história da refinaria com o Lula a Dilma e o governo  do Estado e deu no que deu...

FRANCISCO CARVALHO– Sim, e a Câmara esteve presente. Você deve está lembrado que a Câmara organizou uma audiência pública, que foi realizada no auditório da FAMA, com a participação do então ministro das Minas e Energia, o senador Edison Lobão, do então presidente da Petrobrás, o Sérgio Gabirelli, outros técnicos do governo federal e a classe empresarial. Agora, não se pode culpar o governo do Estado pelo fracasso da empreitada. Quem anunciou a refinaria Premium de Bacabeira foi o governo federal, dono da agenda de seus empreendimentos. Isso nos deixou mais frustrados ainda, já que imaginávamos que o projeto fosse sair do papel, gerar emprego, gerar renda, gerar desenvolvimento.

JORNAL DA CÂMARA – Vamos falar sobre a zona rural, onde o senhor faz política. Como andam as coisas por lá?

FRANCISCO CARVALHO-A zona rural continua carente. Para que se tenha uma exata dimensão do problema, não existe até hoje, uma escola de ensino médio por lá. Isso já foi alvo de várias reivindicações nossa junto ao governo do Estado. Penso que a Estiva e o Santo Bárbara merecem escola desse nível, uma vez que os estudantes quando encerram o ensino fundamental, enfrentam problemas para dar continuidade aos estudos, uma vez que quem mora na zona rural é carente e escola próxima de casa é de fundamental importânncia.

 Eu era garoto e já acompanhava meu pai em suas incursões à zona rural. Naquele período, as estradas eram carroçais e havia muita dificuldade para deslocamento. Houve melhorias e hoje muita gente faz política na área. Em 2009, propus e consegui um grande encontro entre secretários e técnicos dos governos estadual e municipal, no Cruzeiro de Santa Bárbara. Esse encontro resultou, posteriormente na alocação de recursos da ordem de R$ 43 milhões, que deveriam ser aplicados na infraestrutura daquela área, mas isso não foi feito. Estou mantendo contatos com o secretário executivo do Ministério das Cidades, o ex-secretário de Fazenda do Maranhão, o Trinchão, para que os trabalhos sejam realizados, através da liberação da verba. Mas a zona rural continua carente e precisa de uma injeção de forças para modificação desse panorama.

As dificuldades da zona rural são inúmeras. Ali se encontram moradores distanciados da educação, da saúde, com uma péssima infraestrutura e é ali que se encontra o maior contingente de pessoas desempregadas, que vivem o dia a dia na agricultura de subsistência. E isso nos sensibiliza muito.

JORNAL DA CÂMARA – O senhor é o presidente estadual e vice estadual do PSL.  Como avalia o andamento da reforma política no Congresso, que estabelece cláusula de barreira, fim de coligações proporcionais e outras medidas que vão na contramão das pequenas siglas?

FRANCISCO CARVALHO-Fico extremamente indignado quando ouço parlamentares de grandes siglas abordarem essa questão. Geralmente são parlamentares eleitos  montados em máquinas administrativas, desconhecidos do povo. Na realidade, o povo jamais foi às ruas bradar por reforma política. O povo quer, na realidade é melhor qualidade de vida, quer saúde, segurança, melhores salários e educação de qualidade.

Não há, sequer, um pequeno partido envolvido nessa torrente de corrupção que vem abalando o Brasil. Só as grandes siglas. Isso é uma manobra dos grandes partidos para que façam desaparecer as agremiações partidárias de menor porte, para que continuem dando as cartas no cenário político nacional, apesar da corrupção.

Vereador Sá Marques sobe à Tribuna da Câmara para defender direito de cachaceiros

COMPARTILHE

O vereador de São Luís, Sá Marques (PHS), ocupou nesta segunda-feira (11), a tribuna da Câmara Municipal para simplesmente defender direito dos cachaceiros de plantão na capital maranhense. Segundo o vereador, a cachaça está muito cara nos eventos. “Um absurdo se pagar numa garrafa de vodka mais de 200% do valor de mercado e ainda pagar R$ 1,20 em um copo descartável. Tudo se paga em um show de Wesley Safadão” – destacou o parlamentar que em sua fala infeliz, não acrescentou absolutamente nada para a sociedade.

De acordo com seu pronunciamento, deu a entender que o vereador quer beber em shows até “rachar a lata” ou quer ver a sociedade, principalmente à juventude alcoólatra. Para Sá Marques, ir ao show e beber cachaça, e depois dar trabalho para polícia e profissionais de saúde nos hospitais da vida é sinônimo de diversão.

Com tantos problemas em São Luís, que o vereador pode através de requerimentos, tentar ajudar solucionar, o nobre parlamentar está preocupado com o preço da “Pinga” em shows da capital. É bom lembrar, que existe um provérbio muito conhecido pelos promotores de eventos. “Só entra em festa, quem tem condições ou gosta do evento. Ninguém é obrigado a pagar o que não pode”. Para o vereador, o presidente do PROCON precisa agir sobre essa denúncia, como se Duarte Júnior não tivesse tanta coisa importante para fazer.

O vereador, poderia se inspirar no PROCON e começar a olhar para o lado coletivo, a parte em que a sociedade será beneficiada ou então, criar um Sindicato dos Cachaceiros do Maranhão para defender os direitos dos pinguços de plantão.

A opção mais certa é ficar calado, quando não se tem o que falar, às vezes o silêncio fala por si só.  Da próxima vez é bom o nobre vereador ouvir os apelos da sociedade ou calar-se para sempre.

Vereador Amarildo Paixão presta homenagem ao ex-prefeito Juca Martins, falecido no dia 18 de agosto

COMPARTILHE

O presidente da Câmara Municipal de Bequimão, vereador Amarildo Paixão (PSD), usou a tribuna, na sessão desta sexta-feira (01), para prestar homenagem ao ex-prefeito Juca Martins, falecido no último dia 18 de agosto. Em seu discurso emocionado, Amarildo falou do respeito que tinha pelo amigo e ressaltou que Juca foi o grande motivo que o fez entrar e continuar na política.

Após a homenagem, vários vereadores manifestaram suas condolências aos familiares de Juca Martins, como foi o caso da vereadora Raquel Paixão (PSDB). “Quero deixar registrado aqui o falecimento de Juca Martins e, ao mesmo tempo, externo meus sentimentos aos familiares. Divergências políticas existem, mas não podemos misturar as coisas, principalmente eu que já perdi meu pai e sei a dor como é”, destacou a vereadora.

Quem também se manifestou sobre a morte de Juca Martins foi o vereador Danilo Gusmão (PDT), que reconheceu a liderança do ex-prefeito no município de Bequimão. Seu companheiro de grupo, Fredson Pereira (PCdoB), também falou de sua admiração e respeito por Juca Martins.

O vereador professor Zeca (PRB) também falou do reconhecimento e importância de Juca Martins para a política de Bequimão. “Primeiro, quero agradecer a Deus por estar aqui, mas não posso deixar de lembrar que Juca Martins contribuiu significativamente para que eu estivesse aqui. Não tinha nenhuma pretensão política. Ele que me incentivou bastante”, disse.

Todos os vereadores participaram da sessão que homenageou o maior Líder Político da história de Bequimão.

HOMENAGEM DE AMARILDO A JUCA MARTINS
Ao longo de quase 20 anos, tive o prazer e a honra de conviver e aprender ao lado desse grande homem.
No início, não tinha pretensões políticas. Mas, pela amizade e respeito que Juca Martins sempre dedicou ao meu pai, fui aconselhado pelo meu genitor a entrar na política como candidato a vereador. Não com o intuito de apenas me eleger, mas como forma de fortalecê-lo politicamente. Uma forma de meu pai retribuir os anos de amizades, que fizeram com os dois se tornassem compadres de alma, como se diz no popular.

E continuamos firmes nessa luta até o fim de sua vida. Sendo fiel, companheiro e, acima de tudo, amigo dedicado, tamanho o respeito e admiração que eu sempre nutri pelo cidadão e político Juca Martins.

Ele é, e sempre foi, minha inspiração. Estou na política hoje por ele e para ele. Juca Martins tinha o dom e a sapiência de estimular, incentivar e, principalmente, valorizar seus amigos e companheiros de caminhada, como ninguém.

Nesses quase 20 anos de carreira como político em nosso município, não vi, e creio que não verei, tamanha destreza para conduzir um grupo, como fazia Juca Martins, habilidade essa que o transformou não apenas no maior líder, mas sim, no maior político desta cidade e um dos maiores da região.

Muito obrigado a todos!

Seminário reúne vereadores do estado para discutir atividades de controle e fiscalização

COMPARTILHE

O I Seminário de Gestores das Câmaras Municipais, promovido pela Procuradoria Geral da Câmara Municipal de São Luís, em parceria do Poder Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado, reuniu em São Luís centenas de vereadores, para uma discussão sobre lites do Poder Legislativo e esclarecimentos sobre atividades de controle e fiscalização externa.

O encontro que teve início na manhã dessa quarta-feira, 23, no auditório do Rio Poty Hotel, teve objetivo de contribuir na qualificação dos mandatos nas Câmaras Municipais, sobretudo, dos julgamentos das prestações de contas de ex-prefeitos.

Durante a abertura do evento, o presidente da Câmara Municipal de São Luís (CMSL), vereador Astro de Ogum (PR), ressaltou que o encontro tem grande importância porque valoriza o trabalho dos chefes dos legislativos municipais no interior do estado. Em seu discurso, Ogum destacou ainda a criação da fundação da Federação das Câmaras Municipais do Maranhão – FECAM/MA, entidade que, segundo ele, servirá para auxiliar os presidentes dos Poderes Legislativos Municipais.

“O Seminário tem importância para valorização das Câmaras. E hoje estaremos fundando a Federação das Câmaras Municipais do Maranhão para auxiliar e representar as reivindicações dos presidentes das Câmaras, que têm problemas muito específicos em relação às gestões municipais, e fortalece-las na discussão com as autoridades competentes”, declarou Astro de Ogum, idealizador da proposta de criação da entidade.

O juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, Douglas de Melo Martins, que proferiu palestra sobre “O Poder Judiciário e o Julgamento das Ações de Improbidade Administrativa no Âmbito Municipal”, disse que o seminário tem um grande significado, pois discutiu deveres no trabalho dos vereadores. “É um tema muito importante, que deve ser debatido nas cidades, inclusive com propostas efetivas”, pontuou Martins.

O período da manhã foi reservado para palestras sobre vários assuntos de interesses dos gestores. Como a palestra proferida pelo procurador legislativo da Câmara de São Luís, Samuel de Miranda Melo, com o tema “O sistema orçamentário e a LRF”. Outro importante assunto debatido no encontro foi abordado pelo presidente do TCE, José de Ribamar Caldas Furtado, com o tema “Controle Preventivo do TCE”. Por fim, o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho fez uma exposição do “julgamento de Contas pelas Câmaras Municipais”.

O secretário de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, que representou o governador Flávio Dino (PCdoB), ressaltou que os vereadores são importantes para a evolução da cidade e afirmou que eventos como esses ajudam a combater o Ele também o ‘achincalhamento’ da classe política.

“Existe hoje uma criminalização da política, o que é vão é a verdade, mas iniciativas como essas servem para mostrar que a classe política está em ‘sintonia direta’ com a população”, afirmou.

Representando o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), o vice-prefeito Júlio Pinheiro (PCdoB), disse que os vereadores são a voz mais nítida da população e destacou que o seminário serve para qualificar mais ainda o trabalho dos parlamentares.

Durante a tarde, os representantes dos Legislativos Municipais formalizaram a criação da fundação da Federação das Câmaras Municipais do Maranhão – FECAM/MA, nova entidade representativa do legislativo, que pretende a auxiliá-los em assuntos específicos relacionados às suas gestões no comando das Casas de leis.

Vereador Amarildo Paixão participa do I Seminário de Gestores das Câmaras Municipais

COMPARTILHE

O presidente da Câmara Municipal de Bequimão, vereador Amarildo Paixão (PSD) participou nesta quarta-feira (23) do I Seminário de Gestores das Câmaras Municipais, promovido pela Procuradoria Geral da Câmara Municipal de São Luís, em parceria do Poder Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado, em que os representantes do Poder Legislativo discutiram sobre atividades de controle e fiscalização externa.

O encontro aconteceu no auditório do Rio Poty Hotel, e teve objetivo de contribuir na qualificação dos mandatos nas Câmaras Municipais, sobretudo, dos julgamentos das prestações de contas de ex-prefeitos.

Durante a abertura do evento, o presidente da Câmara Municipal de São Luís (CMSL), vereador Astro de Ogum (PR), ressaltou que o encontro tem grande importância porque valoriza o trabalho dos chefes dos legislativos municipais no interior do estado. Em seu discurso, Ogum destacou ainda a criação da fundação da Federação das Câmaras Municipais do Maranhão – FECAM/MA, entidade que, segundo ele, servirá para auxiliar os presidentes dos Poderes Legislativos Municipais.

O presidente da Câmara de São Luís, Astro de Ogum (PR) ao lado do vereador de Bequimão, presidente Amarildo Paixão (PSD)

“O Seminário tem importância para valorização das Câmaras. E hoje estaremos fundando a Federação das Câmaras Municipais do Maranhão para auxiliar e representar as reivindicações dos presidentes das Câmaras, que têm problemas muito específicos em relação às gestões municipais, e fortalecê-las na discussão com as autoridades competentes”, declarou Astro de Ogum, idealizador da proposta de criação da entidade.

O juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, Douglas de Melo Martins, que proferiu palestra sobre “O Poder Judiciário e o Julgamento das Ações de Improbidade Administrativa no Âmbito Municipal”, disse que o seminário tem um grande significado, pois discutiu deveres no trabalho dos vereadores. “É um tema muito importante, que deve ser debatido nas cidades, inclusive com propostas efetivas”, pontuou Martins.

O período da manhã foi reservado para palestras sobre vários assuntos de interesses dos gestores. Como a palestra proferida pelo procurador legislativo da Câmara de São Luís, Samuel de Miranda Melo, com o tema “O sistema orçamentário e a LRF”. Outro importante assunto debatido no encontro foi abordado pelo presidente do TCE, José de Ribamar Caldas Furtado, com o tema “Controle Preventivo do TCE”. Por fim, o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho fez uma exposição do “julgamento de Contas pelas Câmaras Municipais”.

O presidente do TCE, José de Ribamar Caldas Furtado ao lado do vereador de Bequimão, presidente Amarildo Paixão (PSD)

Para o presidente da Câmara de Vereadores de Bequimão, Seminários como este acrescentam muito para o desenvolvimento do trabalho legislativo. “É importante participar de um encontro desta natureza, são palestras que contribuem muito para a gestão do poder legislativo e principalmente para o desenvolvimento de nosso trabalho como presidente de câmara. Estou satisfeito pelo que vi e ouvi, e como recompensa, estou levando muito conhecimento para dividir com meus pares” – destacou Amarildo Paixão.

Durante a tarde, os representantes dos Legislativos Municipais formalizaram a criação da fundação da Federação das Câmaras Municipais do Maranhão – FECAM/MA, nova entidade representativa do legislativo, que pretende a auxiliá-los em assuntos específicos relacionados às suas gestões no comando das Casas de leis.

Câmara Municipal reabre trabalhos com balanço das ações da Presidência da Casa

COMPARTILHE

A Câmara Municipal de Bequimão reiniciou seus trabalhos legislativos, nesta sexta-feira (04). Ao abrir os trabalhos, seguindo protocolo da Casa, foi executado o Hino Municipal e, em seguida, foi realizada uma oração pelo vereador Professor Zeca (PRB), acompanhada pelos demais parlamentares.

O presidente da Mesa Diretora, vereador Amarildo Paixão (PSD), fez uma breve explanação, prestando conta de suas ações para melhoria da estrutura física e funcional da Câmara Municipal, com aquisição de mobílias novas, melhoramentos no prédio, implantação de internet de qualidade, sistema de sonorização (possibilitando a gravação em áudio das sessões), aquisição de uma impressora multifuncional, bem como aquisição de materiais de expediente.

 

Após suas explanações, o presidente Amarildo foi parabenizado pelos vereadores Jorge Filho (PP), Vetinho Belo (PMDB), Vadico do Areal (PV), Fredson Pereira (PCdoB) e Professor Zeca (PRB).

No final da sessão, Amarildo agradeceu o reconhecimento de seu trabalho, que tem apenas 7 meses. “Agradeço pelo reconhecimento dos meus amigos parlamentares, e firmo o compromisso de uma gestão que possibilite mais eficácia nos nossos trabalhos legislativos, condicionando aos vereadores e funcionários uma melhor qualidade estrutural, para que possam desempenhar suas funções com competência”, destacou Amarildo.

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free