casa » Archivo de Etiquetas: Quilombo

Archivo de Etiquetas: Quilombo

Oito comunidades de Alcântara serão beneficiadas com kits de irrigação

COMPARTILHE

O prefeito de Alcântara, Anderson Wilker, acompanhado do secretário municipal de Agricultura, Erinaldo Pereira (Tivico) e do vereador Ribinha, recebeu das mãos do secretário de estado de Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, 08 kits de irrigação que serão entregues para os agricultores familiares das comunidades quilombolas de Itamatatiua, Oitiua, Pavão, Novo Belém, Baixa Grande, Mamuna, Marudá e Santa Maria. Cada kit de irrigação tem mil metros de extensão e vai beneficiar dezenas de familias.

Para o secretário de estado de Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, os kits chegam para melhorar a vida de agricultores familiares de comunidades quilombolas do Maranhão. “A grande maioria dos agricultores familiares quilombolas do Maranhão ainda trabalham em roça de toco, o que dificulta uma produção agrícola maior. Nossa preocupação é essa, ajudar nossos agricultores a produzirem mais e com qualidade, através de equipamentos que podem mudar a vida de nossos quilombolas. Além da irrigação, o governo do Estado está levando orientações técnicas para produção e acompanhamento tecnológico através da Agerp. Vamos trabalhar a inclusão dos produtos no mercado local e externo através do Selo Quilombos do Maranhão, que dará mais credibilidade e mostrará a procedência da produção”, destacou Gerson Pinheiro.

O prefeito Anderson Wilker destacou a importância da parceria governo do Maranhão e Prefeitura de Alcântara em todos os seguimentos de sua gestão. “Mais uma vez a parceria governo do Estado e prefeitura de Alcântara tem dado resultado satisfatório para os moradores que mais precisam. A gente já tem vários projetos na área da agricultura familiar e com mais esses equipamentos vamos fortalecer ainda mais um trabalho muito bom iniciado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Agricultura. Temos uma Patrulha Mecanizada fazendo o trabalho de arado nos campos agrícolas nas comunidades e agora com esses kits de implementos vamos melhorar ainda mais a produção e fortalecer a agricultura familiar, melhorando ainda mais a vida de nossos quilombolas”, finalizou o prefeito Anderson.

Para o secretário municipal de Agricultura de alcântara, Erinaldo Pereira, os kits vão ampliar ainda mais a produção agrícola no município. “Esses kits vão chegar numa boa hora, já que a Prefeitura de Alcântara já vem implantando um projeto agrícola na comunidade Perú e agora vamos ampliar para outras comunidades quilombolas do município. Estamos vivendo um momento em que a agricultura familiar está cada vez mais forte em Alcântara, principalmente na gestão do prefeito Anderson Wilker, que tem investido forte na agricultura familiar e eu acredito que em 2020 a produção seja infinitamente maior”, disse Tivico.

O vereador Ribinha, morador do povoado Itamatatiua, uma das comunidades beneficiadas, destacou a importância da aquisição dos kits para os quilombos. “Esse kit de irrigação que será destinado para a comunidade quilombola de Itamatatiua vai melhorar ainda mais a vida de nossos agricultores familiares, contemplando aproximadamente 20 famílias de forma direta, através da agricultura mecanizada. Só quem tem a ganhar com essa aquisição é a Associação de Mulheres da comunidade”, disse o parlamentar.

 

“Meu Quilombo” leva assistência social e saúde para o Marajá

COMPARTILHE

Na sexta (4), moradores da comunidade quilombola Marajá, em Bequimão, receberam atendimento médico, nutricional e psicossocial. A ação é parte do projeto “Meu Quilombo”, realizado pela Prefeitura de Bequimão, por meio Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), com o apoio das secretarias de Assistência Social e de Cultura e Promoção da Igualdade Racial. Pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – Campus Pinheiro também fizeram atividades na comunidade, coletando amostras para exames que vão indicar as condições de saúde de idosos quilombolas.

Segundo o psicólogo do CREAS, Wanderson Farias, com a ampliação das politicas públicas de saúde e assistência social em Bequimão, o projeto “Meu Quilombo” quer garantir a valorização da ancestralidade e fortalecer os vínculos familiares dentro das onze comunidades remanescentes de quilombos do município.

Ao todo, 180 pessoas já foram alcançadas pela mobilização do CREAS, nos últimos meses. Esse trabalho tem como foco a melhoria da qualidade de vida, a valorização da identidade e no fortalecimento dos vínculos familiares. A equipe promove rodas de conversas para discutir o uso de drogas e casos de violência. “O projeto faz parte de uma estratégia do CREAS, subsidiada pelas demandas das próprias comunidades. Representantes perceberam que as famílias estavam se desestruturando e começaram a buscar profissionais para trabalhar a questão do fortalecimento familiar”, explicou Wanderson Farias.

Nas rodas de conversa, também foram abordadas as mudanças na família, a primeira infância, a construção da subjetividade, a formação da personalidade das crianças, além das responsabilidades paternas, a partir da abordagem do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e dos Códigos Penal e Civil.

“Nossas ações estão sendo ampliadas e fortalecidas nas comunidades remanescentes de quilombos de Bequimão. Só no quilombo Marajá, já é a terceira vez. Também já estivemos no Rio Grande, Ariquipá, Santa Rita, Ramal do Quindiua e Juraraitá. Então, todos os anos fazemos esse acompanhamento de perto, junto às famílias, para tratar da criação, sustento, proteção, saúde e educação de crianças e adolescentes. Direitos que estão garantidos lá no ECA”, assegurou o psicólogo.

Com essa atividade, o município de Bequimão também cumpre um dos desafios do Selo Unicef, que é a promoção da campanha “Infância sem Racismo”, numa parceria com o Núcleo de Cidadania de Adolescentes (JUVA). A Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial levantou demandas para a 7ª Semana do Bebê Quilombola, que acontecerá em novembro.

Coleta de amostras

A equipe de pesquisadores da UFMA – Campus Pinheiro deu continuidade à coleta de amostras, que vão servir para o levantamento das condições de saúde dos idosos das comunidades quilombolas de Bequimão. Desta vez, foram realizados 42 atendimentos, com pacientes dos povoados Sibéria (01), Marajá (16), Pericumã (11) e Ariquipá (24). Somando os idosos atendidos pelos médicos da UFMA e os atendimentos realizados pelo médico do Programa Estratégia Saúde da Família, foram 52 pessoas atendidas.

Segundo o secretário de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Rodrigo Martins, ainda falta coletar amostras de idosos das comunidades quilombolas de Conceição, Mafra, Ramal do Quindíua, Rio Grande, Sassuí e Juraraitá. “Após as coletas dos idosos dessas comunidades, serão agendadas as devolutivas dos exames realizados pela equipe médica do projeto”, disse o secretário.

As atividades em Marajá foram encerradas com uma aula de zumba, com integrantes do projeto Agita Bequimão, idealizado pela Secretaria Municipal de Saúde.

Prefeito Zé Martins está buscando a certificação de mais seis comunidades quilombolas de Bequimão

COMPARTILHE

Em reunião na Superintendência da Fundação Palmares no Maranhão, nesta quarta-feira (18), o prefeito Zé Martins verificou a situação de mais seis comunidades de Bequimão que buscam a certificação como remanescentes de quilombos. O reconhecimento como quilombola é importante aos moradores dessas comunidades, porque passam a ser assegurados o direito à propriedade definitiva dos territórios e a destinação de políticas públicas específicas.

Estão em processo de certificação os povoados de Boa Vista, Pontal, Carnaubal, Águas Belas, Frechal e Iriritíua. O superintendente da Fundação Palmares, Alan Ramalho, garantiu dar andamento às solicitações do prefeito e das comunidades, acompanhando a tramitação que ocorre em Brasília, sede da instituição.

“Consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos os grupos étnicos raciais, segundo critérios de autodefinição de cada comunidade, desde que tenham trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com formas de resistência à opressão histórica sofrida”, informa a Fundação Palmares, em sua página na internet.

Também foi reforçado o convite para que a fundação participe da sétima edição da Semana do Bebê Quilombola, no mês de novembro. A ação, fruto da parceria entre Prefeitura de Bequimão, Unicef e Fundação Josué Montello, é realizada desde 2013, com impactos significativos nos indicadores sociais das comunidades quilombolas do município. O prefeito Zé Martins é pioneiro nesse trabalho, em todo o Brasil.

Participaram da reunião o secretário municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Rodrigo Martins, e João Martins, que participou da equipe de elaboração do projeto da Semana do Bebê Quilombola, em colaboração técnica com a professora Claudete Ribeiro, da Fundação Josué Montello.

A certificação

As comunidade quilombolas, quando recebem a certificação, passam a ter direitos e amparos legais assegurados pelos artigos 215 e 216 da Constituição Federal, que se referem à defesa e à valorização do patrimônio cultural brasileiro e afro-brasileiro e à obrigação do poder público em promover e proteger estes patrimônios culturais.

O artigo 68, do Ato das disposições constitucionais transitórias, também garante a propriedade definitiva do território aos remanescentes das comunidades dos quilombos que estejam ocupando suas terras.

A Fundação Cultural Palmares é responsável por promover políticas públicas voltadas para a população negra, visando à preservação de seus valores culturais, sociais e econômicos e, ainda, pela promoção e apoio de pesquisas e estudos relativos à história e à cultura dos povos negros e pela inclusão dos afro-brasileiros no processo de desenvolvimento.

Com informações da Fundação Palmares

Prefeito Zé Martins participa da Oficina de Saúde aos quilombolas bequimãoenses

COMPARTILHE

Investir na saúde dos moradores das Comunidades Quilombolas em Bequimão, tem sido uma meta na gestão do prefeito Zé Martins desde que assumiu o comando da administração do município em 2013. Foram inúmeras ações que beneficial diretamente os quilombolas, incluindo crianças, jovens, adultos e idosos. A primeira medida foi criar através de um projeto de lei, a Semana do Bebê Quilombola, que leva ações em saúde, educação e políticas públicas para todas as comunidades remanescentes.

Um projeto de pesquisa denominado “Vulnerabilidade às DST/AIDS e hepatites virais em comunidades de remanescente de quilombo na Macrorregião de saúde de Pinheiro – MA”, com iniciativa conjunta do NuRuni/UFMA e a FAPEMA, busca compreender os diferentes fatores de vulnerabilidade às DST/AIDS e hepatites virais a que estão expostos aos jovens das comunidades remanescentes de quilombo da regional de saúde de Pinheiro –MA.

A oficina realizada em parceria com o MOQUIBOM/MOQBEQ nos dias 02 e 03 de junho no município de Bequimão– MA, combinou momentos lúdicos para o encontro, reconhecimento, confraternização e socialização com gestores e operadores dos serviços de saúde, e militantes de movimentos quilombolas sobre Políticas de Saúde no Brasil, além de debater temas como Racismo e seus impactos na Saúde da População negra, Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, vulnerabilidades e riscos às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e hepatites  virais em comunidades quilombolas, e também o cuidado à saúde nas comunidades (As artes de cuidar e de curar de matrizes africana e indígena, O trabalho das parteiras leigas e das benzedeiras).

A Secretaria Municipal de Saúde, deu sua contribuição com sua equipe de profissionais que realizou testes de glicemia, sífilis e vacinação anti-gripe. O prefeito Zé Martins compareceu ao evento e abraçou a ideia do projeto, se colocando a inteira disposição dos organizadores.

COLABORADORES NO PROJETO

  • Claudean Serra Reis – Enfermeiro do HUUFMA e discente do Programa de Pós Graduação em Saúde e Ambiente da Universidade Federal do Maranhão.
  • István van Deursen Varga – médico e antropólogo. Doutor (pós-doutorado) em Saúde Pública (Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo). Coordenador geral do NuRuNi/PPGSA/UFMA.
  • Raimundo Luís Silva Cardoso – Mestre em Saúde e Ambiente (Universidade Federal do Maranhão/Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente). Coordenador do campo de saúde do NuRuNi/PPGSA/UFMA
  • Antônio Henrique França Costa – pedagogo. Mestre em Cartografia Social e Política da Amazônia, pela Universidade Estadual do Maranhão. Coordenador do campo de educação do NuRuni/UFMA.
  • Ana Luísa e Sônia – técnicas do departamento IST/AIDS e hepatites virais da SES-MA.
  • Paulo Cesar – coordenador da RENAFRO – MA. Pesquisador do NuRuNi/PPGSA/UFMA.

Foto/Reprodução

Prefeitura de Bequimão realiza ações Psicossociais em comunidades quilombolas

COMPARTILHE

O trabalho visando beneficiar as comunidades quilombolas em Bequimão é uma das metas do prefeito Zé Martins desde sua primeira gestão em 2013. Desta vez foram contempladas com as ações executadas pelas Secretarias Municipais de Assistência Social e Cultura e Promoção da Igualdade Racial durante os meses de Janeiro e Fevereiro, 04 comunidades remanescentes.

Com as temáticas “Desenvolvimento Psicossocial” – Limites na Primeira Infância e “O Uso de Drogas e a Violência Doméstica e Familiar em Comunidades Tradicionais”, as comunidades se uniram e fizeram-se presentes nas Associações de Moradores para prestigiar as ações e participar das discussões e confraternizações ao final dos eventos.

No dia 24 de Janeiro a ação foi realizada no Quilombo Ramal do Quindíua, onde o psicólogo do CREAS, Wanderson Farias, que é negro e militante das relações raciais, orientou as famílias sobre a importância da educação de princípios, valores e normas na primeira infância. Período que vai de 00 aos 06 anos de vida da criança.

No dia 31 de Janeiro foi a vez do Quilombo Santa Rita, receber a ação. Os moradores lotaram o Centro de Convivência da comunidade para discutirem as peculiaridades da primeira infância.

Já no dia 21 de Fevereiro, a ação aconteceu no Quilombo Pericumã. Desta vez com a temática das drogas e suas influências na violência domestica. As famílias presentes foram orientadas e aconselhadas sobre modelos de prevenção e enfrentamento.

O encerramento do ciclo de palestras da ação aconteceu no Quilombo Rio Grande, dia 28 de fevereiro. A comunidade compareceu e as discussões foram muito proveitosas acerca dos limites na primeira infância e sua influência na formação da personalidade das crianças.

Para o secretario de Assistência Social de Bequimão, Josmael Castro, desenvolver parcerias é uma das metas de sua gestão à frente da pasta. “Promover desenvolvimento psicossocial é o nosso objetivo. Em 2017 fizemos muito, e em 2018 não será diferente”, ressaltou.

A Secretária de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro, acompanhada de sua Adjunta, Deca Alves, estive presente em todas as ações, e promoveu a articulação entre as comunidades junto às lideranças, o que possibilitou o êxito das ações.

“As ações foram uma extensão da 5ª Semana do Bebê Quilombola. Uma vez que o CREAS só esteve em 05 comunidades durante a Semana que ocorreu no mês de Novembro. E nosso objetivo era atender todas as 11 comunidades. Esse também é o objetivo do prefeito Zé Martins, que não tem medido esforços na execução de ações que levem desenvolvimento para as comunidades quilombolas de Bequimão”, finalizou.

O prefeito Zé Martins destacou o trabalho realizado em sua gestão com as comunidades quilombolas. “Temos um trabalho realizado em todas as comunidades quilombolas. Estamos ampliando ainda mais, e se Deus quiser vamos mudar a vida desse povo, que luta todos os dias para desenvolver nosso município. Criamos a Semana do Bebê Quilombola, que é lei e mudou a história dessas comunidades. Já não existe uma comunidade quilombola em Bequimão sem uma ação do município. Todas estão ligadas por estradas, e nenhum prefeito na história de Bequimão deu tanta atenção aos quilombos. Muitas ações ainda serão realizadas nas comunidades em nossa gestão”, disse o prefeito.

As comunidades que desejarem ações como estas podem solicitar diretamente no CREAS, que fica localizado na Rua Vitorino Freire, Centro da cidade de Bequimão, em frente ao Cartório. Atendimento de Segunda à sexta-feira, das 8h às 18h, ou procurar a Secretaria de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, que funciona na Sede da Prefeitura de Bequimão.

 

Encontro reúne lideranças no Quilombo Juraraitá

COMPARTILHE

O que seria apenas uma reunião caseira acabou se tornando um encontro que reuniu 23 lideranças, entre comunitárias e Quilombolas. O encontro de amigos aconteceu no Quilombo Juraraitá e debateu diversos temas, inclusive política partidária, já que o município de Bequimão respira o AR das eleições de outubro deste ano.

JU2 JU3

Durante o encontro, estiveram presentes lideranças de outros Quilombos como os pré-candidatos a vereador, Carlos Alberto de Ariquipá, Vadico de Areal e Ivan de Juraraitá, além de lideranças da cultura quilombola, como o veterano rei do terecô, Zé de Custódia do Areal, entre outros amigos.

JU4 JU5

Quem também compareceu ao encontro foram os secretários Dinha Pinheiro (Cultura e Igualdade Racial) e Edmilson Pinheiro (Meio Ambiente).  As lideranças de Quilombolas Fabinho, Pinininho e Tito (MOQUIBOM) estiveram presentes também no encontro, que contou com lideranças da comunidade Juraraitá e participação do Jornalista & Radialista João Filho.

JU9 JU10

Após o encontro, a rapaziada se reuniu em um almoço especial na casa do Líder Ivan, que recebeu muito bem seus convidados. Pato, galinha e torta, foram os pratos preparados para que o público da reunião pudesse saborear no almoço.

JU11 JU12

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free