casa » Archivo de Etiquetas: Encerramento

Archivo de Etiquetas: Encerramento

Prefeitura de Alcântara realiza o maior festejo do Divino de todos os tempos

COMPARTILHE
Nos últimos três anos (2017, 2018 e 2019), o Festejo do Divino Espírito Santo tem levado milhares de visitantes até a cidade de Alcântara-MA. Este ano, a Prefeitura de Alcântara realizou o maior festejo do Divino de todos os tempos na Cidade História. Milhares de visitantes abrilhantaram o tradicional festejo, que já caminha para completar três séculos de tradição.
A Festa do Divino reúne fé, força e tradição. Durante os 12 dias de festejo, a comunidade alcantarense atua como Maître (acomoda os visitantes durante a festa e organiza a cidade, garantindo eficiência no atendimento e satisfação aos turistas).  Cada morador se dedica e ajuda no que pode, um ato normal na cidade de Alcântara durante o festejo.
Pousadas e restaurantes ficaram lotados dia e noite durante o festejo. Acampamento foram feitos em Praças da Cidade, Casas de Famílias e quintais. A cidade estava lotada, gente de vários lugares do Brasil. Durante o dia o turismo cresceu, a noite todo esse povo se concentrava na Praça da Matriz, palco principal do Festejo do Divino
Desde 2017 o Festejo do Divino tem tido o apoio da Prefeitura de Alcântara e Governo do Estado, por meio da lei de incentivo à cultura. Este ano foram R$300 mil reais para cobrir todas as despesas, incluíndo os artistas que fizeram shows nos dias 08 e 09 no encerramento do festejo. Além desse apoio da prefeitura, o prefeito Anderson Wilker doou as camisas para o Imperador e Mordomos. Este ano a festa bateu recordes de público.
Para a turista cearense, Camila Amaral Siqueira, de 28 anos, o Festejo do Divino de Alcântara é diferente e melhor do que qualquer outro lugar do Brasil. “Gosto muito do festejo do Divino, já participei de inúmeros pelo Brasil a fora, mas aqui em Alcântara fiquei encantada. Aqui é bem diferente, bem melhor, um povo hospitaleiro, sem contar que a cidade é organizada. A tradição aqui é fora do sério, jamais vista em outro lugar.  Os táxis e mototáxis estão todos padronizados, isso se chama segurança aos turistas. Quero parabenizar a gestao municipal e aos organizadores do festejo. Gostei de tudo, mas o povo me deixou encantada. Como estudante, acho que voltarei aqui para fazer um estudo mais aprofundado”, destacou a turista.

Para o prefeito Anderson Wilker, o crescimento do festejo nos últimos três anos, mostra que quando se faz um trabalho sério, o retorno é certeza. “A festa do Divino a cada ano que passa tem tido grande investimento, tanto do Governo do Estado, quanto da Prefeitura de Alcântara. Temos feito o melhor que a gente pode. A festa tem crescido e a demanda de visitantes tem aumentado aqui em Alcântara durante o festejo. A cidade tem suportado a demanda, a rede hoteleira, está gerando emprego e desenvolve a economia de nossa cidade e a gente fica muito feliz em poder está contribuindo com tudo isso. O governador Flávio Dino tem nos ajudado muito, nos últimos anos a gente tem feito com que a festa do Divino tenha um potencial ainda maior do que já tem. A comunidade de Alcântara que ajuda, patrocina e investe, a prefeitura de Alcântara e o Governo do Estado apenas incrementa isso”, destacou o prefeito Anderson.

 A festa do Divino Espírito Santo é um ritual do Catolicismo Popular marcado pela presença significativa de mulheres – as caixeiras – que tocam instrumentos musicais denominados caixas do Divino. Além de procissões e missas, o evento tem música, dança, queima de fogos e distribuição de licores e doces de espécie, típico da região. O ponto alto aconteceu no último final de semana do Domingo de Pentecostes, quando a Praça da Matriz recebeu grandes atrações nacionais, como: Silvano Sales e Mara Pavanelly, além de bandas e cantores maranhenses e alcantarenses, como a banda Barba Branca – abriu o último dia de evento.
Pelo terceiro ano consecutivo, o Governo do Maranhão em parceria com a prefeitura de Alcântara apoiou o festejo através da lei de incentivo à cultura, com R$ 300 mil reais, que serão usados para cobrir todas as despesas, inclusive as atrações no encerramento do festejo. Aproximadamente 50 mil visitantes passaram por Alcântara durante os 12 dias de festa.
“Sem o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Alcântara, a realização da Festa seria impossível. É uma celebração tradicional com muitas dimensões e que envolve toda a população alcantarense, com custos altos para a preparação nos diversos pontos em que as celebrações acontecem. Agradecemos muito a sensibilidade do Estado para conseguirmos realizar esse evento”, disse a secretária municipal de  Cultura de Alcântara, Marcelina Serrão.
Para garantir que os milhares de turistas tivessem acesso à cidade histórica, a prefeitura de Alcântara garantiu junto às empresas que prestam serviço de transporte para a cidade, o fornecimento de embarcações extras durante o período da festa. Cinco embarcações (barcos Luzitana, Bira Mar, Bahia Star e barraqueiro), além das catamarãs, fizeram a travessia de São Luís (cais da Praia Grande) para Alcântara (Porto do Jacaré). Mas a procura foi muito grande e centenas de passageiros optaram via ferry boat, uma alternativa para quem não comprou passagem antecipada via barco e catamarã.

Embora a festa do Divino envolva gente de todos os status sociais, quase todos os participantes são pessoas humildes, de baixo poder aquisitivo, que se esforçam para produzir uma festa rica e luxuosa, onde não podem faltar as refeições, decoração requintada e caras vestimentas para o império. Por se tratar de uma festa longa, custosa e cheia de detalhes, sua preparação e realização levam vários meses e envolvem muita gente, construindo assim uma grande rede de relações entre todos os participantes.

INÍCIO DA TRADIÇÃO E DEVOÇÃO

O culto ao Divino Espírito Santo no Maranhão provavelmente teve início com os colonos açorianos e seus descendentes, que desde o início do século XVIII começaram a habitar a região. Em meados do século XIX, a tradição da festa do Divino estava firmemente enraizada entre a população da cidade de Alcântara, de onde teria se espalhado para o resto do Maranhão, tornando-se muito popular entre as diversas camadas da sociedade, especialmente as mais pobres.

  Essa popularidade entre os setores mais humildes da população maranhense, inclusive os escravos, talvez possa ser explicada pela ênfase não só na fartura, mas também na fraternidade e na igualdade, que o culto ao Divino costuma apresentar. A festa do Divino Espírito Santo com quase 300 anos de tradição, tem crescido cada vez mais nos últimos três anos.

VI Semana do Bebê Quilombola é encerrada com manifestações culturais e presença do prefeito Zé Martins

COMPARTILHE

Após 5 dias de Ações Pedagógicas nas 11 comunidades quilombolas certificadas dos 18 quilombos existentes no município de Bequimão, a VI Semana do Bebê Quilombolas chegou ao final nesta sexta-feira (30) e teve seu encerramento com premiações e manifestações culturais na Praça da Matriz no Centro da cidade. A festa aconteceu no período da tarde e contou com a presença do prefeito Zé Martins e demais autoridades municipais.

Durante as atividades as crianças aprendem costumes, regras e disciplinas, além de trabalhar a habilidade psicomotora. Mas os pais também precisaram participar de todas as atividades para conhecerem o melhor caminho a seguir por seus filhos. As atividades foram aplicadas para crianças, jovens, adultos e idosos residentes no quilombos. Todos os moradores receberam atendimento sobre saúde, educação, assistência social e segurança. São ações pedagógicas benéficas para todas as famílias do quilombo de acordo com a lei Nº 09/2013 de autoria do prefeito Zé Martins.

Para a secretária de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro, mais uma edição da Semana do Bebê Quilombola foi concluída com muito sucesso. “Graças a Deus tudo deu certo, mesmo com tantas dificuldades, mas tivemos como sempre o apoio do prefeito Zé Martins, autor da lei que institui essa Ação Pedagógica, e claro o apoio de parceiros como governo do Estado, Fundação Josué Montelo, Unicef e secretarias municipais que fortalecem este evento todos os anos desde a primeira edição. Sentir a satisfação dessas pessoas dentro dos quilombos é gratificante. Isso não tem preço, quando um trabalho é reconhecido por quem está sendo beneficiado. No próximo ano teremos muito mais, se Deus quiser”, destacou a secretária.

O prefeito Zé Martins, autor do projeto de lei que criou a Semana do Bebê Quilombola em 2013, se fez presente no encerramento do evento e destacou a importância desse tipo de Ação Pedagógica para a população quilombola em Bequimão. “Primeiro quero destacar o respeito que a nossa gestão tem com os movimentos e comunidades quilombolas. Logicamente que a gente fica muito feliz em saber da satisfação dos quilombolas pela ação realizada, já que nos 6 anos de nossa gestão tem tido um olhar diferenciado para estas comunidades. Intensificamos os trabalhos nessas comunidades em todos os seguimentos da gestão como saúde, educação, assistência social, esporte e infraestrutura. Eu fico feliz em poder contribuir dessa forma para melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, que historicamente são comunidades sofridas, mas a gente tem trabalhado para mudar esse estigma em Bequimão. Enquanto gestor, prefeito de Bequimão tenho mostrado o carinho e a responsabilidade com essas comunidades desde o primeiro ano de gestão”, salientou o prefeito.

O gestor municipal ainda destacou o resultado positivo das ações durante a Semana do Bebê Quilombola em Bequimão. “Em todos os índices que tínhamos negativos desde que recebi a prefeitura, agora mostram os avanços, tanto é que já estamos concorrendo ao Unicef a um prêmio que vem para coroar o trabalho que realizamos nessas comunidades. O saldo é positivo e mostra os avanços das políticas públicas e a gente enfrenta os problemas e estamos vencendo, mesmo com dificuldades, já que nada se resolve num piscar de olhos. Isso se faz com trabalho e nós estamos fazendo com responsabilidade”, disse o prefeito.

O prefeito Zé Martins entregou a chave da cidade para o bebê Prefeito do Quilombo (criança que nasce no período da Semana do Bebê Quilombola). Este ano o prefeito foi José Henrique Rodrigues da Silva, morador da comunidade Marajá. Sua vice foi Vitória Gabriele moradora do povoado Ariquipá. Teve o desfile da Mãe estilo e da criança top.

 

Ainda foram homenageados as crianças que foram bebês prefeitos do quilombo nas edições anteriores (2013, 2014, 2015, 2016 e 2017). Os vencedores das competições e atividades durante a Semana do Bebê Quilombola também receberam premiações. A festa foi animada pela banda Jujubanda da Escola de Música de Bequimão e ao som do tambor de crioula que botaram todo mundo para dançar na Praça da Matriz.

E para encerrar com chave de ouro o professor Nilson Almeida botou todo mundo para aquecer os esqueletos através de zumba através do projeto Agita Bequimão. Participaram os secretários Sidney Bouéres (saúde), Dinha Pinheiro (cultura), Kel Pereira (esporte), o vice-prefeito Magal, secretários adjuntos, professores, diretores de escolas, autoridades municipais, lideranças quilombolas e comunidade em geral.

O evento é realizado há 6 anos pela Prefeitura de Bequimão, através da Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, com apoio da Fundação Josué Montello, Governo do Estado (Secretaria de Estado da Igualdade Racial – SEIR), Conselho Municipal do Direito da Criança e do Adolescente (CMDCA), Secretária Municipal de Saúde, Secretária Municipal de Esporte e Juventude, Secretaria Municipal de Segurança Pública, Secretaria Municipal de Agricultura, Secretária Municipal de Assistência Social, Secretaria Municipal de Educação, Rádio Bequimão FM 106,3 MHZ e Unicef.

Fátima Araújo vai fazer encerramento do Arraial com duas atrações de peso neste domingo (2)

COMPARTILHE

Se não bastasse o grande número de atrações que desfilaram no Arraial do Movimento Solidariedade & Ação nos bairros Vila Conceição, Residencial João Alberto, Vila Lobão e Vila Izabel Cafeteira, o encerramento do São João na Vila vai ser em grande estilo com duas atrações de peso, como a Banda Switch14 e o cantor Andson Mendoça, no Espaço Cultural na Vila Conceição, neste domingo, dia 2 de julho.

Desde o dia 16 de junho, o Espaço Cultural recebeu dezenas de atrações (Tambor de Crioula, Cacuriá, Quadrilha Junina, Dança Portuguesa, Dança Country, Cowboy, Bumba-Meu Boi de todos os sotaques, bandas, cantores Sertanejos, Forozeiros, Românticos e de Pé de Serra), reunindo um público jamais visto em Arraial da Região. O Espaço Cultural ainda contou com segurança, e barracas com comidas típicas, bebidas, e o melhor, todos os barraqueiros trabalharam sem pagar nada.

A forma como a vereadora Fátima Araújo trabalha mostra empenho, compromisso e acima de tudo responsabilidade com a cultura popular e as comunidades. Durante os 16 dias de Festejo Junino, muitas brincadeiras locais foram atrações no bairro, o que mostra o respeito da vereadora por todos, independentemente de lado político.

Até este sábado, dia 30 de junho, às 23h59 o Arraial do Movimento Solidariedade e Ação terá apoio do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo e Prefeitura de São Luís. Neste domingo, dia 02 de julho, no encerramento do Arraial, todo apoio será por conta da vereadora Fátima Araújo.

Fotos: Edilson Gomes

Festejos juninos movimentam município de Bequimão

COMPARTILHE

Foram 11 dias de manifestações culturais no Arraial de Bequimão. Desde o dia 19 de junho, quando se comemorou o aniversário do município, dando início também aos festejos juninos, a população bequimãoense acompanhou apresentações de bumba-meu-boi, tambor de crioula, terecô, quadrilha, dança portuguesa, dança do boiadeiro e bandas com o melhor do forró.

O arraial foi montado em frente à nova Praça Santo Antônio. Sob o colorido das bandeirinhas, passaram brincadeiras organizadas no próprio município e outras que vieram de fora para dar ainda maior brilho à festa. A programação foi organizada pela Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial.

“Damos uma atenção especial às brincadeiras locais, porque essa é uma forma de valorizar a criatividade e o empenho dos nossos conterrâneos que se esforçam para manter vivas suas tradições”, afirmou a secretária Dinha Pinheiro.

Também ganharam destaque na programação as bandas Criolina (Alê Muniz e Luciana Simões) e Fabrícia, que fizeram a abertura do arraial. O encerramento ficou por conta da banda pinheirense Miragem, contemplando principalmente o gosto dos mais jovens.

O Boi Estrela de Bequimão brilhou durante a programação, mostrando a força da tradição no sotaque de orquestra. Com mais de 30 anos de história, o grupo de bumba-meu-boi bequimãoense é reconhecido pelo estilo autêntico.

A Casa da Cultura, que abriga principalmente grupos de terecô, pajelança e tambor de crioula, já se consagrou como espaço para as manifestações de raiz no município. A festança sempre se estendia até o sol raiar. No barracão de reggae, a festa também invadia a madrugada.

“É nesses momentos que também reafirmamos nossa identidade e a nossa força para seguir em frente. Por isso damos muita atenção aos grupos locais, que precisam sim ser incentivados e valorizados. E a cada ano esperamos fazer ainda melhor”, avaliou o prefeito Zé Martins.

 

 

São João de Todos em Alcântara supera expectativas e resgata o tradicional festejo junino

COMPARTILHE

O Festejo Junino de 2017 em Alcântara foi o terceiro evento cultural realizado em seis meses de gestão do prefeito Anderson Wilker. O projeto de resgatar a cultura local e movimentar o turismo, gerando renda, está sendo concretizado, haja vista que a cidade histórica recebeu milhares de turistas de várias regiões do Brasil, entre janeiro e junho deste ano.

Com o retorno dos turistas à Alcântara, a economia voltou a crescer, criando estabilidade ao empresário local, incluindo donos de Táxis, Mototáxis, Restaurantes, Pousadas, Bares e Lanchonetes, além do comércio varejista e de artesanato.

Para o empresário alcantarense, Murilo Cesar, o município está resgatando sua autoestima econômica. De acordo com Murilo, a valorização da cultura, o crescimento do turismo e o pagamento do servidor em dia, mostra o compromisso do prefeito Anderson com a população e com o desenvolvimento de Alcântara. Segundo o empresário, a cidade histórica voltou a ter cara de polo turístico, está limpa e iluminada. Para finalizar, Murilo foi categórico ao falar dos eventos culturais. “O carnaval deste ano foi um sucesso. O Festejo do Divino foi sensacional e o São João, um verdadeiro resgate, com bandas do cenário nacional na Praça da Matriz” – destacou Murilo.

Com dezenas de brincadeiras e grupos folclóricos, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, valorizou os grupos da terra ao montar a programação do São João, buscando fora, apenas brincadeiras que não tinham no município. Durante os seis dias de Festejo Junino, a Praça da Matriz recebeu dezenas grupos folclóricos, na grande maioria, do município, o que valoriza ainda mais a cultura local.

ABERTURA DO ARRAIAL

A abertura do arraial, dia 24 de junho na Praça da Matriz, contou com brincadeiras locais e o cantor Romim Mata. Nos demais dias, a programação ficou bastante recheada, o que agradou ao público que compareceu todas as noites. De 24 à 29 de junho, a arena recebeu inúmeros grupos. Foram Quadrilhas, Danças Portuguesas, Danças do Coco, Danças do Cacuriá, Danças do Carimbó, Danças do Boiadeiro, Danças Country, Balé Junino e Bumba-meu boi.

ENCERRAMENTO DO ARRAIAL

No dia 29 de junho, encerramento do Arraial de Todos; a Praça da Matriz, palco do evento, recebeu 12 atrações, incluindo a banda Farra da Gordinha, que se apresentou pela primeira vez em Alcântara e levou o público ao delírio com suas músicas. O dia de São Pedro foi mais um dia que ficou marcado para o empresariado local, principalmente os donos de pousadas e restaurantes, que superaram suas expectativas.

Para o turista Potiguar, Caio Alencar Alvarez, de 23 anos, a cidade é um paraíso à beira-mar. “Em meu Estado tem muitos pontos turísticos lindos, mas Alcântara está entre as 7 maravilhas do Brasil. Aqui é muito lindo, mas sua principal riqueza é seu povo. Fui trazido aqui por um amigo, que já mora em São Luís para estudar e me convidou. Adorei os passeios, tirei muitas fotos e comi muitos doces de espécies, que dão água na boca em falar (risos). Espero voltar outras vezes. A cidade está limpa e iluminada. Gostei de seu povo e seus costumes” – descreveu o estudante de Matemática.

Este ano, a prefeitura através da parceria entre as secretarias de Cultura, Educação e Assistência Social, inovou e incluiu as escolas municipais no festejo junino, realizando recreações e colocando os alunos para se divertir. A diretora da Escola John Kennedy, Helenrose Diniz, falou da inclusão de sua escola no arraial 2017. Segundo ela, os alunos tiveram oportunidade de mostrar seus dotes pela cultura local, valorizando dançarinos, cantores e compositores, através do festejo. Rose ainda destacou a aliança entre as secretarias acima citadas e o resultado que vem dando certo desde a gestão do prefeito Anderson Wilker.

A secretária de cultura e turismo destacou o sucesso do arraial e sua programação. “Demos oportunidades aos nossos grupos folclóricos e brincadeiras. Poucas danças vieram de fora. Fizemos uma programação boa e com coisa nossa. Trouxemos duas bandas de nome nacional e o povo aprovou. A cidade ficou muito movimentada, cheia de turistas, e pousadas lotadas. O prefeito Anderson deu todo apoio e a gente trabalhou de acordo com o nosso planejamento. O resultado é gratificante, povo alegre e feliz e a economia da cidade movimentada, onde todo mundo ganha” – descreveu Marcelina Serrão.

Quem participou do Festejo Junino na Praça da Matriz foi o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), que abrilhantou o evento com várias brincadeiras, como Dança do Balé Junino, Bumba Meu Boi Felicidade e Cacuriá. A Secretária Adjunta da pasta, Menca Pinho, falou dos serviços e ações que a secretaria vem realizando no município desde janeiro. Segundo Menca, o CRAS faz um trabalho social jamais visto em Alcântara em parceria com a saúde e educação; elencando para a cultura, esporte e juventude.

Uma das pastas importantes na organização do arraial foi a Infraestrutura, comandada pelo secretário Edson Barbosa, que trabalhou desde a montagem até o encerramento do festejo. Para Edson, a secretaria fez sua parte, como iluminando e limpando a cidade, arrumando ruas, dando acessibilidade aos moradores e turistas que chegavam à cidade histórica. Segundo o secretário, o prefeito tem dado todas as condições de trabalho e os serviços estão avançando, principalmente em parceria com outras secretarias.

O prefeito destacou o Festejo Junino, e lembrou sua luta, em resgatar a dignidade do povo alcantarense. “Só este ano já realizamos três eventos culturais na cidade. Primeiro fizemos o carnaval e foi um grande sucesso. Em maio realizamos o Festejo do Divino, maior evento cultural e religioso do município. E agora realizamos o São João de Todos, com apoio do governo do Estado e deputado Othelino Neto. Este ano com um diferencial, pela primeira vez o arraial teve bandas na Praça da Matriz. Além de investir na cultura, que movimenta o turismo e gera economia na cidade, estamos investindo na Saúde, Educação, Infraestrutura, Assistência Social, Agricultura e Esporte” – salientou Anderson Wilker.

Pelo calendário cultural de Alcântara, o ano terá pelo menos 12 eventos, o que significa um por mês. A prefeitura irá realizar todos os eventos culturais, contemplando os alcantarenses e turistas que visitam a cidade. A cidade histórica volta a recontar sua história a seu povo e turistas, fazendo jus ao título de Patrimônio Histórico e Cultural.

Festa do Divino em Alcântara atrai grande número de turistas e ultrapassa fronteiras

COMPARTILHE
Criada no início do século XIV em Portugal, a Festa do Divino Espírito Santo foi trazida pelos colonizadores para o Brasil no século XVI, em especial para a cidade de Alcântara, no Maranhão. Realizada no Dia de Pentecostes, 50 dias após a Páscoa, a Festa do Divino é uma homenagem religiosa a terceira pessoa da Saníssima Trindade; o Espírito Santo.
Durante a Festa do Divino, a cidade histórica é tomada por visitantes de todos os lados do Brasil. De qualquer região do país havia turistas em Alcântara durante o festejo religioso. O clima de festividade inclui missas, hasteamento de mastros, ladainhas, alvoradas das caixeiras, e cortejos que percorrem ruas, ladeiras, becos e as casas de moradores da cidade. Um dos pontos alto da festa acontece no salão nobre do Palácio Imperial de Alcântara, local onde fica localizado um altar para apresentações dos membros da corte.

Munidos de fé e devoção, os moradores da cidade ganham ainda mais força ao se juntarem com turistas, que transformam o festejo em romaria religiosa. Não importa se faz sol ou chuva, ali estão os alcantarenses unidos na realização do festejo.
As regras são cumpridas passo a passo, tudo de acordo como manda a tradição. O festejo começou no dia 24 de maio e encerrou-se dia 5 de junho, deixando um legado positivo como o melhor festejo de todos os tempos. Durante os 12 dias de festa, tanto os alcantarenses, quanto os turistas tiveram opções de diversão e lazer.
Rica em belezas naturais e arquitetônicas, a cidade de Alcântara conta com vários pontos turísticos, além de praias paradisíacas. A turista gaucha, Ana Paula Menezes, estudante de antropologia, aproveitou o festejo para fazer turismo e uma pesquisa. “Como futura Antropóloga, aproveitei o festejo e matei dois coelhos com uma cajadada só, [risos]. Alcântara é uma cidade para ser estudada em vários pontos. O próprio festejo precisava ser estudado e transformado em livros. Estou saindo daqui muito rica de material histórico, mas me diverti bastante também” – destacou a universitária.

Durante os finais de semana, a Praça da Matriz ficou pequena para tanta gente que lotou o espaço público durante shows. Durante o período festivo as pousadas e hotéis da cidade superlotaram, até as ruas e praças serviram como acampamento para quem chegou de última hora. Os empresários, mototaxistas, taxistas e donos de vans, barcos e catamarãs, faturaram alto durante os 12 dias de festa, sem contar os barraqueiros e donos de clubes de reggae.
Para a imperatrizense Maria Felícia Carvalho, que veio à Alcântara pela primeira vez, o festejo superou suas expectativas. “Nunca tinha vindo aqui, na verdade fui induzida por amigas que já vieram outras vezes, mas até elas ficaram surpresas com tanta gente este ano no festejo, confesso que pretendo voltar outras vezes e já tem data marcada, ano que vem” – destacou.
Em Alcântara os moradores tinham o privilégio de encontrar autoridades pelas ruas da cidade, como deputados, secretários estaduais, além de profissionais da imprensa maranhense e nacional. O festejo foi tão grandioso que acabou ultrapassando fronteiras, e logo após o encerramento, o Museu de Artes Modernas do rio de Janeiro recebeu uma exposição de fotos do festejo, realizada pelo experiente fotógrafo Márcio RM, que pretende transformar toda história em livro.

Para o prefeito Anderson, todo apoio do governo do estado em parceria com a prefeitura de Alcântara serviu para revitalizar o festejo. “Estamos trabalhando para resgatar e revitalizar as tradições culturais e religiosas de Alcântara. Temos o apoio do governo do estado e essa parceria tem trazido bons resultados em todos os setores de nossa gestão” – descreveu o prefeito.
A Secretária de Cultura e Turismo destacou a importância do apoio da prefeitura na realização do festejo. “A organização do festejo é da comunidade, mas a prefeitura em parceria com o governo do estado fez sua parte e tai o resultado, cidade lotada de turistas” – disse Marcelina Serrão.
Jovens, crianças e adultos se entregam de corpo e alma durante o festejo. A cidade parou para receber turistas e romeiros, um povo hospitaleiro e uma cidade pacata fazem de Alcântara um local desejado e amado por aqueles que a visitam. O mundo precisa conhecer as belezas e o povo alcantarense.

Quer assistir os melhores momentos da 4ª Semana do Bebê Quilombola em Bequimão? Então acesse: www.joaofilho.com, e veja.

COMPARTILHE

A abertura da 4ª Semana do Bebê Quilombola em Bequimão foi um verdadeiro sucesso. VEJA COMO ACONTECEU ATRAVÉS DAS IMAGENS do Repórter Paulinho Castro Neto da TV SBT Pinheiro. CLIQUE AQUI E VEJA.

No encerramento a festa foi ainda melhor, houve brincadeiras, passeatas, e a coroação da nova prefeita da cidade que nasceu na comunidade Ariquipá. CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA COM Paulinho Castro Neto da TV SBT Pinheiro. CLIQUE AQUI E VEJA.

Para encerrar no estilo Quilombola, assista ao um vídeo da festa de Tambor de Crioula ao vivo na Praça 2 de Novembro no centro da cidade de Bequimão, com presença de alunos, professores, autoridades e Comunidades Quilombolas do município.

Bequimão encerra a 4ª Semana do Bebê Quilombola com festa de Tambor de Crioula

COMPARTILHE

O município de Bequimão, no Litoral Ocidental Maranhense, encerrou nesta quarta feira (30) a 4ª Semana do Bebê Quilombola, promovida pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria da Cultura e Promoção da Igualdade Racial. O evento, que começou no último dia 25, contou com palestras, recreação e oficinas educativas, tendo como tema central “O direito à sobrevivência e o desenvolvimento da criança quilombola”.

wp_20161130_09_41_48_pro wp_20161130_09_57_18_pro

A professora Claudete Ribeiro (Fundação Josué Montelo) comentou sobre a importância do evento. “A Semana do Bebê Quilombola é muito mais que um evento, é uma estratégia comandada pelo prefeito Zé Martins, no sentido de mostrar para os pais das comunidades Quilombolas que a esperança são as crianças. Temos que abraçá-las, amá-las e estimular para que elas cresçam e se tornem cidadãs de bem”, destacou.

wp_20161130_10_08_12_prowp_20161130_10_09_38_pro

Para a moradora da comunidade Quilombola de Juraraitá, Euzébia Braga, o evento teve impacto inclusive na economia das comunidades. “Antes, não tínhamos onde vender nossos produtos, vendíamos de porta em porta ou de comércio em comercio, e muita das vezes a gente trocava com outras mercadorias. Hoje não; temos onde vender e o que sobra a secretaria de agricultura do município compra para nos ajudar”, contou.

wp_20161130_09_47_06_pro bb1

Na Semana do Bebê Quilombola, há também espaço para a valorização das tradições quilombolas, como as brincadeiras de cavalo de pau, a tecelagem de redes, a boneca de pano, os carrinhos feitos de lata de sardinha e garrafas de água sanitária, o peão feito do coco babaçu, o tripé feito do casco de coco manso, assim como o berço feito do cofo artesanal, onde as crianças eram colocadas após nascer.

bb2 bb3

Para a secretária de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Dinha Pinheiro, a 4ª Semana do Bebê Quilombola mostra os avanços alcançados desde 2013 em Bequimão. “Trabalhamos com a Educação, Assistência, Saúde, Esporte e a Agricultura. A tendência é melhorar ainda mais a Semana do Bebê Quilombola, que já é uma referência no Brasil. A partir de agora, as gestantes vão fazer parte da Semana do Bebê como prioridade na gestão do prefeito Zé Martins”, ressaltou.

wp_20161130_10_09_57_pro wp_20161130_10_10_17_pro

Os resultados da iniciativa atraíram a atenção do professor Arlindo Cavalcante, da Universidade Federal da Paraíba. “Eu tomei conhecimento dessa experiência e a partir de um convite da professora Claudete Ribeiro pude vir e ver de perto a grandeza desse trabalho”, reconheceu.

bbp bbp1

Para o prefeito Zé Martins, o trabalho está apenas começando. “O UNICEF tem 13 indicadores e, desses 13, nós já atingimos 11. Mas eu posso destacar nessas comunidades quilombolas as melhorias na saúde, educação e infraestrutura, que foram nosso foco principal nesta gestão. Mas nossa luta é para alcançarmos os 13 indicadores, para que possamos ganhar o selo do UNICEF, até porque é um parceiro nosso juntamente com a Fundação Josué Montelo e o Governo do Estado, além do Sebrae. Se já vencemos 11 deles, isso mostra que estamos no caminho certo”, destacou o prefeito de Bequimão.

wp_20161130_10_14_27_pro wp_20161130_10_16_01_pro

A 4ª Semana do Bebê Quilombola foi encerrada ao som de Tambor de Crioula, Forró de Caixa e uma passeata pelas principais ruas da cidade. Estiveram presentes secretários municipais; lideranças quilombolas, além de alunos e professores, representantes da Secretaria de Igualdade Racial do Estado, da Fundação Josué Montelo e de outras entidades.

O prefeito Bebê Quilombola de 2015, Renê Cantanhede, da comunidade Santa Rita, passou a chave da cidade e a faixa para a nova prefeita Quilombola, Alice Sofia Rodrigues, do povoado Ariquipá. Durante a Cerimônia, o Prefeito Zé Martins (PMDB), conduziu a posse.

VEJAM AS FOTOS AQUI

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free