casa » Archivo de Etiquetas: Educação

Archivo de Etiquetas: Educação

Prefeito Anderson Wilker inaugura escola no povoado Japeú

COMPARTILHE

O sistema educacional de Alcântara tem melhorado nos últimos 3 anos. Desde que assumiu a gestão do município, o prefeito Anderson Wilker tem trabalhado para melhorar o patamar educacional do município. Uma das primeiras medidas foi a entrega de 12 ônibus escolares, acabando com um problema antigo no município, que atrapalhava alunos da zona rural. Além disso na gestão atual, os alunos recebem uniforme escolar, como rege uma lei municipal.

Após a entrega dos veículos escolares, o prefeito Anderson Wilker baseado no planejamento feito no início de sua gestão preparou o Plano de Cargos e Remuneração do Magistério que já foi aprovado pela Câmara Municipal de Vereadores e sancionado pelo Executivo Municipal.

Mas as mudanças na educação de Alcântara não pararam por ai. O prefeito Anderson Wilker após cortes de gastos autorizou o secretário municipal de Infraestrutura, Obras e Serviços Públicos, Edson Barbosa (Olhinho) a iniciar as reformas das escolas na sede e zona rural do município. O trabalho tem sido feito e melhorado a vida de quem estuda e trabalha na rede municipal de ensino de Alcântara.

Neste sábado (07), o prefeito Anderson Wilker entregou a Escola Municipal Vereador Bononi Ferreira para os moradores da comunidade Japeú e região. Com a reforma e ampliação, o Centro Educacional ganhou a padronização que foi implantada na atual gestão. Diante de uma multidão, o prefeito Anderson Wilker falou das dificuldades, mas destacou o trabalho que tem sido realizado para mudar a situação precária deixada por gestores anteriores.

“Todos lembram do momento de dificuldades que Alcântara viveu há 04 anos. No passado nada tinha, quando assumi a gestão encontrei uma única ambulância velha, hoje temos 3 novas e vou entregar mais 01 ainda este mês para a zona rural, no povoado Raimundo Sú, algo inédito em Alcântara. Graças ao povo de Alcântara hoje estou prefeito. Mas fui eleito no pior momento da política econômica do Brasil, onde a crise tem tirado o sono de milhares de prefeitos. Ninguém faz nada sozinho. É com muita luta, parcerias com o governo do Estado e o deputado Othelino Neto que estamos fazendo o melhor para Alcântara”, destacou o prefeito Anderson Wilker.

Estiveram presentes os vereadores Haroldo Júnior, João Ricardo, Nilson Pereira, Nhô Ré, Ivan Ferreira, Pontaense, Ribinha, Vandeco e Mário, secretários municipais, sociedade em geral, lideranças políticas e comunitárias, servidores e alunos e a participação da Banda de Música de Alcântara.

Fotos: Guará Potência

Bequimão cumpre metas na educação e avança nos desafios para o Selo Unicef

COMPARTILHE

Distante a pouco mais de 80 quilômetros da capital, São Luís, o município de Bequimão, na Baixada Maranhense, com uma população estimada em 21,2 mil habitantes, saiu do zero para uma condição em que as crianças e os adolescentes locais tenham educação de qualidade.  A meta proposta foi trazer de volta 33 alunos desistentes para o ambiente escolar – eles conseguiram rematricular 44.

“Foi um imenso desafio”, lembra o secretário de Cultura e Promoção da Igualdade Racial de Bequimão, Rodrigo Martins. Ele conta que assumiu a gestão há apenas seis meses, quando os bequimãoenses estavam com pontuação zero no Selo UNICEF.

Bequimão e outros 1.923 municípios do Semiárido e da Amazônia Legal aceitaram o desafio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para transformar a realidade de crianças e adolescentes que estão em situação vulnerável. Lançado há 20 anos, o Selo UNICEF convida as prefeituras a assumirem como prioridade o compromisso com a implantação de políticas públicas para esse público.  As ações são divididas em ciclos, que coincidem com as eleições municipais.

O desafio atual (2017-2020) tem como objetivo alcançar crianças e adolescentes excluídos das políticas públicas, melhorar a qualidade das já existentes para esse público, prevenir e enfrentar as formas extremas de violência contra eles e promover a participação da comunidade, especialmente de adolescentes.

O Selo propõe que a comunidade local trabalhe junta para garantir os direitos dos mais jovens com ações em áreas como educação, saúde e assistência social. Se conseguir, o município é certificado com um selo, que reconhece os esforços e avanços nessas áreas e atesta que aquele lugar coloca a infância e a juventude como prioridade.  “Nesses últimos meses, nós não só atingimos a meta como conseguimos ultrapassá-la”, orgulha-se Rodrigo, “A gente nem aparecia no mapa. Hoje, estamos entre os melhores do estado”, completa.

Exclusão escolar – Uma das metas propostas para conseguir o Selo UNICEF é identificar as causas de evasão e exclusão escolar. Hoje, quase dois milhões de crianças e adolescentes com idade escolar obrigatória (4 a 17 anos) estão fora das salas de aula no Brasil. Para que eles voltem a frequentá-las, é preciso fazer muito mais do que oferecer vagas nas escolas. A comunidade envolvida no trabalho precisa buscar esses jovens onde eles estiverem – e onde mais precisam.

“Onde algum direito não estiver chegando para esses meninos e meninas, nós trabalharemos para defender e assegurar que esses direitos sejam garantidos”, afirma a oficial de Educação do UNICEF no Brasil, Julia Ribeiro.

Uma das ferramentas utilizadas em Bequimão para trazer de volta os 44 alunos foi o Busca Ativa Escolar, uma plataforma que ajuda os gestores a identificar e enfrentar as situações de exclusão. Entre as causas mais comuns, estão o trabalho infantil, crianças e adolescentes com deficiências sem infraestrutura para chegar às escolas e a pobreza.

“Mais de 53% deles vivem em famílias com até meio salário mínimo. Certamente, outros direitos não estão sendo respeitados, não só o da educação”, lamenta Julia.

De acordo com o oficial de Educação do UNICEF para a Amazônia Legal, Angelo Damas, a região Norte, hoje, apresenta percentualmente o maior número de crianças fora da escola em relação à população. “Dentro do nosso programa de apoio aos municípios, o UNICEF já identificou mais de 15 causas que levam a essa exclusão”, diz.

Segundo dados do Censo Escolar, do Ministério da Educação, quase 1 milhão de pessoas em idade escolar abandonaram a escola em 2018. As regiões Norte e Nordeste ficam nas primeiras colocações nesse pódio. Nas séries iniciais, quase 35 mil crianças no Norte pararam de ir à escola, enquanto 59,9 mil no Nordeste deixaram de frequentar o local.

“Um dos maiores problemas da Amazônia Legal é o acesso das crianças à escola, devido às longas distâncias. Elas precisam de escolas próximas às suas residências, mas isso é só uma das causas da exclusão escolar”, afirma o oficial.

Adaptação – Para Angelo Damas, é preciso atrair esse público para o ambiente escolar, adaptando o ensino às necessidades deles e repensando as metodologias. “A gente trabalha com uma premissa de que toda criança aprende. E se a criança não está aprendendo, é preciso mudar as formas como a gente ensina.”

A especialista em Educação do UNICEF para o Semiárido, Verônica Bezerra, endossa o discurso. “Queremos compreender e ajudar os sistemas públicos a construírem uma escola que seja para todos e que a proposta escolar faça sentido para cada menino e menina que está na escola.” Para ela, uma escola “ideal” começa por amparar especialmente as crianças na primeira infância. “Educação é uma forma de proteção. Cuidar e educar são coisas que não podem estar apartadas. Na primeira infância, é onde tudo começa”, afirma.

Segundo relatos da especialista, ofertar vagas para crianças de até cinco anos de idade tem sido um imenso desafio. “Mas não são só vagas, é o que essa escola vai oferecer a essa criança. Nessa idade, ela precisa ser estimulada.”

Para Verônica, creches e pré-escolas são ambientes que vão muito além de dar banho, alimentar, trocar fralda. “É isso e muito mais. É preciso um ambiente que se responsabilize pelo estímulo e pelo direito da criança de brincar, de ter experiências diferentes, de propostas cognitivas que auxiliem esse percurso de descobertas tão natural nessa etapa – e essencial para tudo o que vem depois”.

Verônica lembra, ainda, que, por meio do Busca Ativa Escolar, os alunos podem ser matriculados nas escolas em qualquer período do ano, de janeiro a dezembro.  “Essa diretriz amplia a concepção de que as crianças e adolescentes não vão à escola apenas para passar de ano ou para cumprir um currículo. O ambiente escolar é mais que isso, deve ser um meio para que eles desenvolvam seus potenciais. Isso é válido em qualquer um dos 365 dias do ano”, ressalta a especialista.

Educação – O município que aderiu à proposta do Selo UNICEF também consegue cumprir uma agenda importante em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), como parte do compromisso brasileiro para que suas metas sejam cumpridas até 2030.

Dentre esses objetivos, existem cinco que são obrigatórios para que alcance o Selo: viabilizar a volta às aulas; os direitos sexuais e reprodutivos; a valorização da primeira infância; a proteção contra a violência, em especial a redução dos homicídios, e a participação e mobilização de adolescentes.

Em relação à educação, a meta dos municípios é enfrentar a evasão, a exclusão escolar e a distorção idade-série. De acordo com informações do Censo Escolar, o Brasil “perdeu” quase 1,5 milhão de crianças na educação básica, em um período de quatro anos até 2018. Em outra pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados mostram que se o País tivesse 100 pessoas com até 25 anos de idade, 40 não estariam em nenhuma instrução ou teriam apenas o fundamental incompleto.

A ideia para alcançar essa primeira meta é unir esforços em diferentes áreas para entender as causas que levam esse público a abandonar os estudos e viabilizar a matrícula e a permanência deles na escola.

Umas das ferramentas é o Busca Ativa Escolar, uma plataforma gratuita criada que ajuda a combater as causas que tiram crianças e adolescentes das escolas. A plataforma vem apoiar os governos na identificação, no registro, no controle e no acompanhamento de quem está fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

Tudo é feito pela internet e o gestor pode acessar a plataforma pelo celular (SMS ou smartphones), tablet ou computador. Para quem não tem acesso a dispositivos móveis, há formulários impressos disponibilizados por agentes comunitários e técnicos verificadores.

A ferramenta é uma parceria entre o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas).

Estratégias – Para tentar transformar o ambiente das escolas, O UNICEF e parceiros apoiam estratégias para que os jovens em idade escolar permaneçam estudando. Entre elas, está o “Fora da escola não pode”. Essa ação quer garantir que eles estejam na escola e aprendendo, a partir da conscientização de diversos atores responsáveis por essa inclusão. A plataforma Busca Ativa Escolar é uma das ferramentas para que isso ocorra.

Já o “Trajetórias de Sucesso Escolar” trabalha para o enfrentamento da cultura de fracasso escolar no Brasil, como problemas com distorção idade-série, reprovação e abandono. Para combater esse problema, as ações são integradas e desenvolvidas em três níveis de gestão: redes, escola e sala de aula. A ideia é fazer com que crianças e adolescentes não só voltem para a escola, mas permaneçam estudando.

O Selo – Implantado pela primeira vez em 1999, no Ceará, o Selo UNICEF já contabiliza 20 anos de história e de mudança na vida de milhões de crianças e de adolescentes em situação de vulnerabilidade no Semiárido e na Amazônia Legal. Atualmente, 18 estados são alcançados pela ação – Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e norte de Minas Gerais, no Semiárido, e Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, na Amazônia Legal.

Saiba mais: Selo UNICEF encerra ciclo de ações e convoca municípios do Semiárido e Amazônia Legal a apresentarem resultados

Com o sucesso das experiências, o Selo cresceu e, hoje, procura aplicar o aprendizado das edições anteriores aos participantes da atual. A metodologia foi unificada para o Semiárido e Amazônia Legal e introduziu o conceito de Resultados Sistêmicos no lugar de ações, visando dar sustentabilidade às iniciativas dos municípios e garantir que as crianças e adolescentes continuem sendo beneficiadas pelas políticas públicas implementadas mesmo após o fim do ciclo.

O Selo é dividido em ciclos, que coincidem com as eleições municipais. No atual ciclo (2017-2020), mais de 2,3 mil prefeituras, em 18 estados, estavam aptas a participar da edição. Dessas, 83% aderiram à ação – ou seja, 1.924, sendo 1.509 do Semiárido e 805 da Amazônia Legal. Cumprindo as metas propostas pela ação, o município recebe, após três anos, um selo que comprova e reconhece o esforço da comunidade envolvida.

No ciclo de 2017-2020, os municípios devem apresentar os resultados das ações desenvolvidas até 31 de março, por meio da plataforma Crescendo Juntos, no site do Selo UNICEF. A comprovação das atividades é feita por meio de documentos comprobatórios e anexados no portal. O envio pode ser feito pelo computador, celular ou tablet ou com auxílio de agentes comunitários, caso o município não tenha acesso à internet.

(Com informações da Agência Rádio Mais)

Prefeitura de Alcântara-MA realiza jornada pedagógica

COMPARTILHE

A Prefeitura de Alcântara, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) realizou no período de 17 a 21 de fevereiro, a Jornada Pedagógica/2020 da rede municipal de ensino, que teve como tema “Planejamento Pedagógico: ação transformadora da realidade escolar”.

O objetivo do trabalho é proporcionar melhorias na qualidade do processo de ensino e aprendizagem com a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Documento Curricular do Território Maranhense (DCTMA).

Os diretores e coordenadores de polos capacitados em 2019/2020, através do Programa Estadual Escola Digna/Pacto Pela Aprendizagem foram os responsáveis pela condução da jornada pedagógica nas escolas e nos polos. Ainda, no período de 17 a 21 de fevereiro fora realizado um dia em cada polo, um encontro pedagógico com a participação da equipe da SEMED coordenada pela Gestora de Ensino Profª. Dediolene Diniz Cantanhede e pela Gestora de Educação Infantil Marcia Regina Ribeiro Souza, acompanhadas pelas Psicólogas Dayanne Fernandes Cruz e Nathália Cecília Sebá Nascimento, dando suporte aos diretores e coordenadores de polo.

No primeiro dia de trabalho, dia 17, o encontro foi realizado com os polos Sede e Peru, reunidos no Centro Educa Mais Prof. Aquiles Batista Vieira. A palestra motivacional foi realizada pela Psicóloga Dayanne Fernandes Cruz que proporcionou aos participantes uma manhã de autoconhecimento. No período da tarde os professores, diretores e coordenadores aprofundaram os conhecimentos em relação à BNCC e o DCTMA, e também foram tiradas dúvidas sobre os modelos novos dos diários de classe e apresentado o Calendário Escolar-base/2020. Foi debatido também sobre a necessidade de melhorar e avançar nos índices do IDEB e SEAMA.  A mesma metodologia foi utilizada em todos os encontros realizados na zona rural, onde os professores tiveram participação ativa, interagindo com a equipe da SEMED e com os colegas de trabalho de outras escolas dos demais polos.

O Secretário de Educação, José Rogério Paixão Lopes, falou do tamanho da responsabilidade que cada professor tem em suas mãos que não é somente formar pessoas com conhecimento, mas sempre tratando o lado humano. “O professor é um construtor de identidades humanas, um formador de mundos, e esse papel deve ser exercido com total dedicação na construção de um ensino público de qualidade”, destacou o secretário.

A jornada foi encerrada com o encontro entre os Polos Oitiua e Arenhengaua na comunidade de Oitiua, onde estiveram presentes cerca de 60 (sessenta) professores lotados nas escolas dos dois polos. Em todos os polos os professores avaliaram de forma positiva, agradeceram e parabenizaram a ação da SEMED, requerendo a realização de novos encontros, ao longo do ano letivo/2020.

ROTEIRO DA JORNADA PEDAGÓGICA

A jornada pedagógica foi iniciada dia 17/02 – Polos Sede e Peru (Centro Educa Mais Prof. Aquiles Batista Vieira); dia 18/02 – Polos Raimundo Sú e Japeú (Escola Municipal Governador Newton de Barros Bello); dia 19/02 – Polo Santa Maria (Escola Municipal Dr. Facure); dia 20/02 – Polo Peroba (Escola Municipal Joaquim Ribeiro); e dia 21/02 – Polos Oitiua e Arenhengaua (Igreja Assembleia de Deus – Oitiua).

A SEMED ofereceu aos participantes um almoço e em alguns polos uma apresentação cultural de Voz e Violão com o professor Pinheirinho da Escola de Música Josias Ribeiro.

Participaram da jornada pedagógica cerca de 250 professores. A metodologia aplicada possibilitou a participação de 99% (noventa e nove por cento) do corpo docente da rede municipal, o que garante uma grande evolução no ensino alcantarense no ano letivo de 2020.

Participaram também dos encontros na sede e zona rural, o secretário municipal de Juventude Esporte e Lazer, Erenaldo França Pereira, o diretor de Juventude, Hermison Santos Martins e o Gestor de Educação Esportiva, Alim Ferreira Pereira, que na oportunidade apresentaram o projeto dos Jogos Escolares Alcantarenses (JEAS), com os resultados alcançados em 2018 e 2019 e a proposta para 2020.

Estudantes de Direito do IESF participam do projeto “Conhecendo o TCE”

COMPARTILHE

Acadêmicos do 2° período de Direito do Instituto Superior Franciscano do Maranhão (IESF) estiveram hoje em visita ao Tribunal de Contas do Estado. O evento, mais uma atividade do programa “Conhecendo o TCE”, reuniu 29 estudantes no auditório Saturnino Bello, sob a coordenação do professor Antônio de Pádua Cortez Moreira Júnior, coordenador do curso de Bacharelado em Direito do IESF.

O programa constou de palestra no auditório, ministrada pelo auditor do TCE Renan Coelho de Oliveira, seguida de visita ao plenário, onde a turma passou pela experiência de acompanhar uma sessão do Pleno.

Durante a palestra, onde o auditor procurou dar uma visão geral da atuação do TCE à luz da sua missão constitucional, os estudantes puderam fazer perguntas e questionamentos, tornando a atividade bastante dinâmica. “Muito positivo esse contato com a atividade de controle externo já nos primeiros períodos por se tratar de um tema ainda pouco explorado no ambiente acadêmico”, avalia o palestrante.

Do ponto de vista dos participantes, a segunda visita acadêmica do IESF parece ter cumprido seu objetivo. “A impressão que fica é de uma instituição aberta, empenhada em dialogar com a sociedade, mostrando suas atividades de forma bastante didática. As informações repassadas hoje foram bastante valiosas para nossos estudantes”, observa o coordenador.

“Se como cidadão já é importante conhecer as atividades do Tribunal de Contas, como acadêmico de Direito, essa importância se torna maior ainda”, opina o estudante Adelson Ferreira.

Bequimão cumpre primeira ação do Pacto pelo Fortalecimento da Aprendizagem

COMPARTILHE

No início desta semana, técnicos da Secretaria Municipal de Educação participaram do I Seminário Estadual do Pacto pelo Fortalecimento da Aprendizagem no Maranhão. O pacto é uma estratégia colaborativa entre governo estadual e municípios, para a melhoria das condições educacionais e redução da evasão escolar. O acordo de cooperação técnica foi assinado pelo prefeito Zé Martins, no último dia 30, e vai beneficiar os 3.483 alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino.

Foto: Divulgação

Na formação, os articuladores refletiram sobre a qualidade da educação no Estado, discutiram suas atribuições, as contrapartidas do município e os desafios do programa. O vereador Professor Zeca, um dos gestores pedagógicos enviados pela Prefeitura de Bequimão, descreveu a experiência como enriquecedora. “O Pacto é uma grande iniciativa que vai permitir o fortalecimento da educação do nosso município. Com a capacitação, estaremos aptos a identificar os desafios e a formular estratégias que, de fato, sejam capazes de provocar uma grande reviravolta no cenário da educação”, avaliou. Além do professor Zeca, a formação também contou com a participação da gestora Rosenilce de Lima.

Foto: Divulgação

Para Zé Martins, a cooperação fortalecerá ainda mais as ações da Prefeitura de Bequimão em prol da elevação dos índices educacionais do município. “Esse programa vem reforçar os avanços que já conseguimos alcançar na educação do nosso município, como a melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)”, afirmou o prefeito.

Gráfico: Reprodução / QEdu

Em 2017, quando foi divulgada a última avaliação do Ideb, Bequimão alcançou o melhor índice dos últimos 13 anos, com 4,8 pontos, superando São Luís, que pontuou 4,7. A média faz parte de uma sequência histórica de crescimento, segundo a plataforma QEdu. Desde o primeiro mandato do prefeito Zé Martins, o Ideb do município cresceu 0,7 pontos, levando em consideração as avaliações de 2013 e 2015, com 4,1 e 4,5 pontos, respectivamente. O cálculo da nota do Ideb considera o nível de aprendizado do aluno em Português e Matemática (Prova Brasil) e o fluxo escolar (taxa de aprovação).

 

Prefeitura de Alcântara realiza capacitação de merendeiras

COMPARTILHE

A prefeitura de Alcântara, através da Secretaria Municipal de Educação, realizou nesta sexta-feira (24), curso de capacitação com as merendeiras da rede municipal de ensino. Durante a capacitação as profissionais receberam avaliação nutricional, fizeram testes rápidos com a equipe da saúde que se encontrava presente na capacitação.

Além da capacitação, as merendeiras  assistiram uma palestra com a psicóloga da educação, Dayane Fernandes Cruz. O presidente do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) acompanhado dos membros do CAE esteve presente e destacou a importância da capacitação.

A secretária de Educação, Rowsyklea Araújo Chaves esteve presente durante todo o evento, dando suporte na qualificação das merendeiras. A capacitação foi realizada pelas nutricionistas do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Loyane Coutinho de Santana e Mércia Teresa Pereira Matos.

As merendeiras receberam informações de boas práticas de manipulação dos alimentos, noções de higiene e armazenamento. Durante a capacitação as profissionais tiveram aula sobre a importância da alimentação escolar e da merendeira, a responsabilidade da merendeira, noções sobre alimentação e nutrição, conhecimentos sobre o PNA, avaliação de aprendizado, noções de higiene e preservação da saúde, reaproveitamento dos alimentos e sobre contaminação.

Na segunda parte da capacitação, a merendeira aprenderam sobre os perigos biológicos, perigos químicos e perigos físicos, doenças veiculadas por alimentos, controle de qualidade, armazenamento dos gêneros alimentícios, medidas para prevenção de acidentes de trabalho e sobre relações interpessoais.

As merendeiras do município de Alcântara receberam um kit contendo avental, touca e ao final da capacitação todas receberam um certificado e brinde, houve sorteio de prêmios para as merendeiras participantes da qualificação.

Para as nutricionistas, trabalhar com profilaxia e saber como manipular o alimento que vai para o prato dos estudantes, ajuda na prevenção de doenças. “A merendeira escolar tem um papel fundamental na qualidade da alimentação escolar que será oferecida aos alunos. Além de ser responsável por oferecer refeições bem preparadas e sem riscos para a saúde”, enfatizaram.

Por  G7

Prefeitura realiza a abertura da II Edição dos Jogos Escolares Alcantarenses (JEAS-2019)

COMPARTILHE
O sucesso da I Edição dos Jogos Escolares Alcantarenses (JEAS-2018), despertou o espírito esportivo dos estudantes no município de Alcântara e a participação ficou ainda mais atraente com o aumento no número de atletas, modalidades e escolas para a II Edição do JEAS-2019.
Neste sábado (27), na Quadra Poliesportiva da Escola Estadual Professor Aquiles Batista Vieira (CETI), aconteceu a cerimônia de abertura da 2ª Edição dos Jogos Escolares Alcantarenses (JEAS-2019), realizado pela Prefeitura de Alcântara, através da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.
O evento esportivo conta com várias modalidades e reúne centenas de jovens de até 17 anos de escolas municipais, estadual e federal, oriundos da sede e zona rural do município.
Para o professor e diretor da Escola Municipal Duque de Caxias do povoado Oitiua, Campeã de 2018, competir já é uma grande  felicidade. “É um orgulho participar dos Jogos Escolares Alcantarenses, isso nos dar a oportunidade de poder conquistar a vaga para representar o município de Alcântara nos Jogos Escolares Maranhenses (JEM’S), além de mostrar grandes talentos que temos em nossas comunidades”, destacou Heliody Pereira.
Comparando o numero de Escolas participantes na edição em 2018, a quantidade subiu de 9 para 12 em 2019. De acordo com Hermison Martins, um dos organizadores do JEAS, o aumento no número de escolas e consequentemente no número de estudantes participantes é reflexo dos resultados conseguidos pelos alunos no JEAS e no JEM’S 2018.
Para a secretária municipal de Educação, Rowsyklea Araújo Chaves, a participação de escolas municipais, estadual e federal, aumenta o nível da competição e o desejo de jovens pela participação nas competições  de nível municipal e estadual, aumentando ainda mais a procura a cada edição.
Os resultados conseguidos nos  Jogos Escolares Alcantarenses em 2018 e os bons frutos apresentados mostra a grande valorização do prefeito Anderson Wilker ao esporte, que precisa andar de mãos dadas com a Educação. “O JEAS 2018 fez com que jovens de escolas da sede e zona rural do município tivesses pela primeira vez a oportunidade de participar de competições municipal e estadual. Isso reflete na valorização de nossos estudantes e descobertas de novos talentos para o esporte”, destacou o prefeito Anderson Wilker.
Organizado pelas secretarias de Esporte e Educação e com a participação efetiva das demais secretarias municipais, o JEAS já é um evento que faz parte do calendário esportivo do município, esperado por jovens, professores, diretores e pelas comunidades que buscam através do esporte representar as cores da bandeira de Alcântara nos Jogos Escolares Maranhenses.
Por Paulinho Castro

Prefeito de Alcântara participa do lançamento do Pacto Estadual pela Aprendizagem

COMPARTILHE

Como forma de melhorar as condições de aprendizagem, da permanência dos estudantes no ambiente escolar e potencializar o regime de colaboração previsto no Programa Escola Digna, o Governo do Maranhão lançou nesta quarta-feira (20), o Pacto Estadual pela Aprendizagem.

A solenidade de adesão do programa Pacto Estadual pela Aprendizagem contou com a participação do prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PCdoB), que esteve acompanhado da secretária de educação do município, Rowsyklea Araújo e da secretária adjunta de Educação.

OBJETIVOS DO PACTO

Entre os objetivos do Pacto, se destacam a garantia de que todos os estudantes do território maranhense estejam alfabetizados, em Língua Portuguesa e em Matemática, na idade certa; a redução da distorção idade-série na Educação Básica; a elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), além da contribuição no aperfeiçoamento da formação dos profissionais de educação das redes municipais. E Alcântara jamais poderia ficar de fora desse programa.

Na prática, o governador Flávio Dino apoiará as redes municipais, fortalecendo a aprendizagem do estudante desde a educação infantil para que ele chegue ao Ensino Médio com as habilidades necessárias à sua formação.

Rede Estadual

Atualmente, o Maranhão tem 1.075.618 estudantes matriculados no Ensino Fundamental, sendo 1.035.071 nas redes municipais, que poderão ser beneficiados com o Pacto pela Aprendizagem. A rede estadual ainda tem 40.547 matrículas do Ensino Fundamental, que aos poucos estão em processo de municipalização, conforme determina legislação vigente.

Prefeito Zé Martins assina termo de adesão ao programa JEPP

COMPARTILHE

No final da tarde desta terça-feira (15), o prefeito do município de Bequimão, Zé Martins, assinou o termo de adesão ao programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), que leva educação empreendedora aos estudantes do 1° ao 9° ano do Ensino Fundamental.

O projeto faz parte do Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae e pode ser desenvolvido em escolas públicas e privadas. O JEPP foi implantado no Sebrae do Maranhão desde 2015. No período, mais de 42 mil estudantes já participaram da iniciativa e mais de 1 mil professores de 107 instituições de ensino maranhenses foram capacitados nas metodologias do programa JEPP.

O município assume mais uma vez o compromisso de capacitar os profissionais da educação, e consequentemente, levar aulas de empreendedorismo aos jovens da rede municipal de ensino. “Precisamos despertar nos jovens o espírito empreendedor, dar a oportunidade que eles possam abrir seus pensamentos e ver o mundo de oportunidades que temos”, ressaltou o prefeito Zé Martins.

A cerimônia aconteceu nesta terça-feira (15) em São Luís, no auditório Armando Gaspar, na Sede do Sebrae Maranhão. Na ocasião, mais 15 prefeituras maranhenses manifestaram publicamente o interesse em aderir ou renovar a adesão ao programa JEPP, que capacita professores de ensino fundamental a incluírem o empreendedorismo no currículo escolar.

Fotos: Rodrigo Martins

Ajuste anual do Fundeb desfalca a Educação do Município de Alcântara em mais de R$130 mil reais

COMPARTILHE

O prefeito Anderson Wilker tenta reconstruir o município de Alcântara, desde que assumiu a gestão em janeiro de 2017. O trabalho tem sido árduo e constante, mas as dificuldades tem dado dor de cabeça ao prefeito. Se não bastasse a crise pela qual passam os municípios brasileiros, e o malabarismo que os prefeitos são obrigados a fazerem todo mês, os municípios estão sofrendo com a diminuição dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que estão sendo diminuídos a cada mês.

No mês de março deste ano, o município de Alcântara perdeu R$ 133.514,24 (cento e trinta e três mil, quinhentos e quatorze reais e vinte e quatro centavos) que foram retirados do repasse obrigatório da educação do município. Com isso, a gestão municipal está encontrando dificuldades para manter um serviço de qualidade, mas está fazendo de tudo para cumpri-los.

Para o prefeito Anderson Wilker, isso quase inviabiliza e compromete muito o funcionamento e qualidade da educação do município de Alcântara. !Isso nos obriga a retirada de recursos de investimentos que seriam feitos no município para cobrir e pagar a folha dos professores. É um dos problemas que estamos encontrando, mas estamos fazendo o possível para honrar nossos compromissos”, destacou.

“Para se ter uma ideia das dificuldades na política do Ministério da Educação, quanto ao repasse dos recursos do Fundeb, no ano passado, o município de Alcântara teve que devolver mais de meio milhão de reais, o que inviabiliza qualquer administração municipal”, finalizou o prefeito Anderson Wilker, que está trabalhando com os pés no chão.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informou aos gestores que já está disponível o demonstrativo de ajuste anual da distribuição dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) do exercício de 2017. Os valores foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) na última sexta-feira, 27 de abril, por meio da Portaria 385/2018.

Como explica CNM, o ajuste consiste no cálculo da diferença entre o montante da receita transferida ao Fundo e o montante da receita arrecadada em 2017, ou seja, é o acerto entre a receita estimada e a realizada. Em 2017, por exemplo, a receita realizada foi de R$ 146,3 bilhões de reais, valor 3,5% maior do que havia sido estimado.

 

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free