casa » 2014 » maio (página 5)

Arquivos Mensais: maio 2014

Sindicado dos Servidores Municipais tem novo Presidente

COMPARTILHE
Sindicato dos Servidores de Bequimão

Sindicato dos Servidores de Bequimão

O Sindicato dos Servidores Municipais de Bequimão (Sismubeq) realizou hoje (10) eleição para a escolha da nova diretoria para o mandato de dois anos. Diferente das últimas eleições, que o presidente sempre foi aclamado, desta vez houve duas chapas. Uma chapa foi encabeçada pela atual presidente, Vande Lourdes. Já a segunda chapa foi formada pelo professor Ivaldo Oliveira, que tinha apoio do ex-prefeito Antônio Diniz (PCdoB). No total, 467 associados estavam aptos a votarem nesta eleição e escolherem o melhor para o Sindicato.

E como diz o provérbio futebolístico, que em time que está ganhando não se mexe, os servidores optaram pela permanência da atual presidente, Vande Lourdes, que foi eleita para comandar a casa dos associados por mais três anos. Na votação, Vande Lourdes recebeu 209 votos contra 133 de Ivaldo Oliveira; uma diferença de 76 votos. Com isso, Diniz sofre mais uma derrota em Bequimão.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bequimão foi fundado em 28 de Maio de 2005.  De acordo com o professor Marcelo Almeida que escreveu em sua página no facebook, durante esses nove anos de existência, o Sismubeq conseguiu conquistar uma série de direitos para os servidores que viviam a mercê, sem ter a quem recorrer.

 Não estou dizendo que esgotaram as necessidades de conquistas por parte dos servidores, seria pueril e até hipócrita da minha parte. Ao contrário, muito ainda tem que ser feito, muita coisa ainda precisa mudar em nosso município – disse o professor Marcelo.

Marcelo Almeida ainda ressaltou que, ainda é preciso muitas lutas, muitas idas e vindas e muitos sacrifícios. A verdade é que hoje quando o servidor tem algum problema, alguma dificuldade, ele não fica à deriva, ele recorre ao sindicato do servidor.

 Para finalizar, Marcelo deixou uma frase aos companheiros de luta. “SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ, SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ”.

A posse da nova diretoria vai acontecer dia 28 de maio, exatamente na data em que o Sindicato completará nove anos de lutas.

Após quase 72hs FMF divulga borderô de Sampaio X Palmeiras

COMPARTILHE
Felino Maldito do Futebol

Felino Maldito do Futebol/Imagem da Internet

Parece até engraçado, mas na verdade não passa de um vício crônico por parte da Federação Maranhense de Futebol (FMF)  só divulgar o borderô das partidas quase uma semana após o jogo. O jornalista e radialista, Zeca Soares, foi muito feliz quando em seu Blog, classificou esse “Modelo” como desrespeito ao torcedor maranhense.

O jogo entre Sampaio X Palmeiras, válido pela primeira partida da segunda fase da Copa do Brasil, aconteceu na última quarta feira (07) e só ontem (09) a Federação Maranhense de Futebol divulgou o borderô da partida. Segundo o borderô da FMF, apenas 22.759 torcedores estiveram no castelão, sendo que 4.202 não pagaram ingressos e entraram através do 0800. Somente 18.557 pagaram entrada. A renda foi de R$ 624.550,00 e as despesas chegaram a R$ 203.882,24.

A pergunta que fica é: Se o estádio estava com quase 80% de sua capacidade lotada, onde colocariam quase 18 mil torcedores, se a capacidade do Castelão é só de 40 mil lugares? De acordo com os comentários de cronistas esportivos que estiveram no Castelão, 35 mil torcedores estiveram no gigante do outeiro da cruz na última quarta-feira.

A grande verdade mesmo, é que os que deveriam pagar ingressos para ajudar o clube, acabam entrando de carona e prejudicam o time do coração. Mas uma coisa é certa, o Sampaio está amarrando cachorro com lingüiça. Contratar a FMF para administrar a renda do jogo, é simplesmente querer matar um pato afogado no meio da lagoa.

É justamente a FMF que fabrica os ingressos e isso é tudo que os dirigentes da FMF querem. O que me chama atenção mesmo, é que a parcial sai e a Federação demora três dias para conferir pouco menos de mil ingressos. Será que essa demora é pra conferir os ingressos ou para fabricar e substituí-los pelos vendidos e ficarem com a grana já apurada? Só aqui no Maranhão fabricam ingressos dentro do estádio. E ainda falam de falsificação. É muita cara de pau.

Nos jogos do campeonato maranhense deste ano, foi a mesma coisa. Estádio lotado e na hora apareceu apenas metade do público. Isso se chama assalto a mão armada. Ninguém vai explicar nada sobre essa tal evasão de renda? O Sampaio vai ficar calado mais uma vez ou vai aceitar porque dói menos? Tá na hora de Sérgio Frota ligar o alerta ou vai chorar o caldo derramado.

Com a FMF não dar pra ser sócio, afinal a bactéria de Alberto Ferreira ainda continua alojada na casa do futebol maranhense!

Jornalista “Modinha” mostra que conhece tudo, menos de futebol

COMPARTILHE
O Moto merece respeito

O Moto merece respeito

Se estivesse ficado calado, o jornalista Márcio Henrique, do Jornal O Estado do Maranhão, poderia concorrer ao prêmio de poeta da crônica esportiva do Brasil. Mas, optou por escrever uma matéria de um assunto que pouco domina. Deveria no mínimo, ter pesquisado um pouco sobre o assunto ou mesmo ter pedido ajuda aos veteranos da bola.

O pior de tudo, é que o profissional trabalha em uma verdadeira escola de conhecimento esportivo, principalmente do futebol. Só para começar, Sr. Márcio Henrique vou citar alguns nomes que poderiam ter evitado esse vexame que você passou ao falar de futebol e principalmente do Moto Club de São Luís, sem conhecimento de causa. Na Rádio Mirante temos: Gilson Rodrigues, Zeca Soares, Laércio Costa, Fontineli, Tércio Dominice, Roberto Fernandes, Neres Pinto e o colunista do Jornal o Estado, Edvan Fonseca. Isso pra você não ter que entrar em contato com Juraci Filho, Edy Garcia e Fernando Souza, que trabalham em outras emissoras, mas que poderiam e podem te enriquecer de informações sobre futebol.

O jornalista foi bem claro e mostrou com suas palavras, que não entende de futebol e pouco conhece a linda história do Moto Club. A torcida do Papão do Norte merece respeito e principalmente a diretoria. Agora me responda com toda sinceridade. Qual clube do Maranhão tem um CT totalmente estruturado? Pesquise mais um pouco sobre o futebol e principalmente o maranhense, para não ficar enchendo lingüiça com matérias sem fundamentos, como essa que foi escrita em seu Blog. Leia abaixo o texto.

Tex 1

Text2

Agora leia alguns comentários de torcedores do Moto.

COMET1COMT2

O pior, é que está virando moda, jornalista falar do Moto, sem conhecer no mínimo a história do Club. É bom conhecer um pouco mais. O Papão foi rebaixado sim, mas não surgiu agora. Tem história no futebol nacional e é um time grande do Brasil.

Agora vai um papo de amigo de profissão. Fica calado Márcio Henrique, que você será um grande Jornalista!

Pedetista Carioca desce o braço na TV globo

COMPARTILHE
Atuante & Corajosa

Atuante & Corajosa/Imagem retirada da internet

A radialista, colunista do jornal O Dia e deputada estadual, Cidinha Campos (PDT/RJ), publicou, no jornal e em suas páginas de redes sociais, um artigo com duras críticas à apresentadora Regina Casé (Esquenta) e à abordagem feita pela TV Globo, do caso da morte do dançarino “DG”. Leia abaixo e manifeste sua opinião a respeito:

ARTIGO ESCRITO DIA 04/05, DOMINGO:

Rio – Uma hora e meia de irresponsabilidade: foi o que se viu no programa da Regina Casé na tarde do último domingo. A polícia ainda não disse o que aconteceu no Pavão-Pavãozinho, mas a vítima, o dançarino DG, já foi canonizada como um misto de Rudolf Nureyev e São Francisco de Assis.
Eu lamento a morte desse rapaz, assim como lamento a morte de Edilson dos Santos, o jovem com deficiência metal, morto na mesma operação, e todos os PMs assassinados por bandidos nas UPPs e fora delas. Para esses, não se dedicou um programa na TV nem se produziu uma torrente de lágrimas em cadeia nacional.
DG era lindo, alegre, pontual, como disse Regina Casé. Mas o que fazia Ele pulando de um prédio para o outro em plena madrugada? A polícia afirma que ele estava com o bandido maior da área, o tal de Pitbull, foragido da cadeia, que naquela noite promovia um churrasco na comunidade, quando o tiroteio começou.
É fato que o dançarino gostava de companhias pouco recomendáveis. No seu Facebook, postou que era “amigo eterno do Cachorrão” (traficante morto na mesma comunidade em janeiro) e chegou a dizer que os moradores iriam descer o morro “cheios de ódio na veia e bico na mão” para vingar a morte do facínora.
No mesmo domingo do programa, um grupo fez uma manifestação na Avenida Atlântica, mãe da vítima à frente tocando um bumbo, gritando “Fora, UPP!”. Certamente, preferem que os traficantes continuem donos das favelas. Uma repórter do jornal O DIA foi agredida na manifestação. Agora virou moda. Não faz muito tempo, jornalistas e qualquer serviço do estado só subiam a favela com autorização do tráfico. Quem tem saudades desta época?
Nunca houve no Brasil um programa de combate ao domínio do tráfico tão determinado e corajoso quanto a UPP. É mentira que a ocupação social não esteja acontecendo. Pode não ser na velocidade que desejamos, mas acontece na velocidade possível. Só quem não mora no Alemão pode ignorar o teleférico, o cinema, as creches, escolas, biblioteca, centro de computação. O mesmo vale para a Rocinha, para o Santa Marta, Chapéu Mangueira e tantas outras comunidades.
A esquerda caviar, que ganha dinheiro mostrando a cultura da favela, mas gosta de passar férias em Angra e Paris, não vai reconhecer nunca o trabalho do governo, a menos que ganhe cachê para isso. As UPPs são a nossa chance de retomar o Rio para os fluminenses. Alimentar o discurso contra elas equivale a voltar para um passado que uma emissora com a responsabilidade da TV Globo não tem o direito de esquecer.

Vereador entra com requerimento para criação de Escola Folclórica em São Luís

COMPARTILHE
Ivaldo Rodrigues entregando o requerimento ao presidente da FUNC

Ivaldo Rodrigues entregando o requerimento ao presidente da FUNC

O vereador e pré-candidato a deputado estadual, Ivaldo Rodrigues (PDT), esteve hoje (7) à tarde na Fundação Municipal de Cultura (FUNC), onde se reuniu com o presidente da entidade, Francisco Gonçalves, para entregar o requerimento Nº 02/2014 que pede a criação de uma Escola Municipal do Folclore, com o objetivo de fortalecer e manter a tradição das maiores expressões culturais do Estado, destacando o Bumba Meu Boi e o Tambor de Crioula.

A referida escola terá como finalidade a formação de jovens em oficinas de percussão, costura, bordado, dança e outras atividades profissionais, promovendo a inclusão social, fazendo com que as características originais das brincadeiras folclóricas não sejam perdidas ou modificadas ao longo do tempo.

Além disso, a Escola Municipal do folclore poderá funcionar em um dos casarões de propriedade do município, no Centro Histórico de São Luís, para contribuir com a revitalização urbanística da área. Para o vereador Ivaldo Rodrigues, a escola também poderá ter um auditório onde possa ter apresentações de artistas da cultura maranhense para os turistas.

De acordo com o presidente da FUNC, Francisco Gonçalves, a cultura no Maranhão tem duas vias: A política de contrato e de fomento. Na política de contrato, a FUNC seleciona a agremiação mais qualificada para ser contratada. Já na política de fomento, a FUNC investe na agremiação, para fortalecer e depois andar com suas próprias pernas, deixando o vicio chamado de ajudinha.

Com tantos projetos que beneficiam a população, Ivaldo Rodrigues, tem mostrado sua visão de modo geral. Considerado um verdadeiro polivalente, Ivaldo joga nas quatro posições da política e vem conquistando cada vez mais a confiança da população maranhense. Confira o requerimento abaixo:

SAM_4299SAM_4300

Contagem regressiva para tirar o título de eleitor

COMPARTILHE
Título de Eleitor Cancelado

Título de Eleitor Cancelado

O prazo que parecia longo, agora começa ser cronometrado pelo tempo dado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Quem perder o prazo para fazer o alistamento eleitoral, pode além de não votar nas eleições de 2014, deixar de receber benefícios do governo ou até perder a chance de ser contratado para uma vaga de trabalho em órgãos públicos.

Mas para que serve o título de eleitor? Na visão do TRE, pra muitas coisas. Até algum tempo atrás, o título eleitoral não servia pra muita coisa. E por isso, as pessoas estavam pouco se lixando para tirar o documento ou sair de casa para votar no dia da eleição. Com isso, o TRE apertou o cinto e começou cobrar mais empenho do eleitor, que agora se sente pressionado a estar em dia com suas obrigações eleitorais.

Já pensou se as mães que recebem o Bolsa-Família deixassem de votar? A economia do Brasil cairia assustadoramente, já que grande parte das famílias do país, sobrevivem desse programa. Assim como os aposentados e pensionistas, que mesmo analfabetos, tem que estar em dia com suas obrigações eleitorais. Até para financiar um curso, seja superior ou técnico, é preciso ter o título de eleitor.

De início o TRE exigiu inúmeras coisas, como por exemplo, o comprovante de residência com no mínimo três meses de moradia. As multas teriam que ser pagas para poder registrar o título ou fazer transferências. Com a aproximação da data final, algumas exigências foram banidas e tudo começou a ser liberado.

Desde o dia (5) as multas começaram a ser liberadas, assim como o comprovante de residência que seria de três meses, agora serve de apenas 30 adias. E o pior de tudo, basta levar um comprovante, independentemente de quem seja o titular, que mesmo assim, tira o título de eleitor.

Se tudo mudou com a aproximação do dia final é possível que o TRE, tire título até de quem mora no Japão e mande via correio. A promoção começou desde ontem (5) e vai até amanhã (7) às 22hs. Porque estender o atendimento até quase meia noite, se o horário normal é até as 18h? Só porque é ano de eleição? Ou porque é ordem do TSE? O certo mesmo, é que nada é feito para beneficiar o eleitor, e no final, é ele mesmo quem leva a taca. As filas ficam quilométricas e o atendimento é feito em 24 guichês. Quem não aproveitar o dia de amanhã (7), pode ser derrotado primeiro que os candidatos aos cargos eletivos. Quem não votou nas últimas eleições e não regularizar sua situação, pode ter o título cancelado.

Zé Inácio diz não estar envolvido em operação da PF no Maranhão

COMPARTILHE

*Direito de resposta de Zé Inácio*

Imagem/Nota da assessoria de Zé Inácio

Imagem/Nota da assessoria de Zé Inácio

O ex-superintendente do Incra, José Inácio Rodrigues, garante não ter nenhum envolvimento com operação da Polícia Federal (PF) no Maranhão.

Em nota encaminhada à Redação do Jornal Pequeno, ontem (4) à noite, o ex-superintendente do Incra no Maranhão, José Inácio Sodré Rodrigues, garante que nunca foi indiciado em nenhum processo e nunca fez parte de nenhuma investigação da Polícia Federal. Ele prestou esta declaração referindo-se à matéria publicada na edição de domingo (4) do JP, sob o título “Agente vazou operação da PF para lideranças petistas do Maranhão”, que também foi replicada neste Blog.

A matéria afirma que um agente da Polícia Federal, identificado como Edvar Rodrigues dos Santos, de 45 anos, foi apontado, em um inquérito policial levado a cabo pela própria instituição, como responsável pelo vazamento de informações sigilosas sobre as investigações – inclusive conteúdos de “grampos” telefônicos – da operação “Capitanias Hereditárias/Donatários”, da Polícia Federal.

A operação – cujas investigações começaram no início de 2010 e foi desencadeada no fim de 2011 – revelou desvios de verbas federais no montante de R$ 150 milhões no Instituto de Reforma Agrária do Maranhão (Incra-MA).

Em referência a esta matéria, José Inácio afirma na nota de esclarecimento, que nunca foi indiciado em nenhum processo e nunca fez parte de nenhuma investigação da Polícia Federal.

“Assumi a Superintendência do Incra no Maranhão, em agosto de 2011, portanto depois da investigação da PF denominada “Capitanias Hereditárias. Quando estive frente ao Incra-MA, no período de agosto de 2011 a 03 de abril de 2014, sempre zelei pela transparência e boa aplicação dos recursos públicos”, afirma José Inácio.

Ele acrescenta na nota que, “em função disso, nunca temi e não temo, atualmente,quebra do meu sigilo bancário ou telefônico.Portanto, as informações postadas pelo  Jornal JP, apresentam equívocos, envolvendo meu nome com insinuações, as quais poderiam ter sido evitadas, caso eu tivesse sido ouvido pela reportagem para esclarecimentos antes de sua divulgação”, afirma José Inácio, na nota enviada à Redação do JP.

*Nota de esclarecimento*

Polícia encontra bandidos que roubaram BB de Mirinzal

COMPARTILHE
Os três bandidos do BB na horizontal

Os três bandidos do BB na horizontal

Os bandidos que assaltaram ontem (5), por volta das 14h30 o Banco do Brasil da cidade de Mirinzal, foram encontrados pela polícia militar do Maranhão. A princípio a polícia recebeu a informação que seriam três ladrões, mas o certo mesmo, é que foram quatro bandidos que assaltaram a agência do Banco do Brasil em Mirinzal.

Após 24 horas de perseguição, a polícia do Maranhão, através do GOE & GTA, conseguiram encontrá-los no Povoado “Aranha” na zona rural da região no início da tarde de hoje (6).

Os bandidos reagiram à voz de prisão da polícia e iniciaram um grande tiroteio com os policiais. Na ação três bandidos foram mortos na troca de tiros. Os corpos foram encaminhados apara o necrotério do Hospital da cidade de Mirinzal. Um dos envolvidos já havia sido preso na manhã de hoje (6) tentando fugir em uma van para São Luís.

O líder do bando foi preso com dois maços de cédulas de R$ 50 e uma pistola 380. Jordano Silva Moura, também conhecido como Cigano, não foi apresentado na delegacia de Mirinzal porque estava sendo usado nas buscas ao resto do grupo com policiais da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC).

Pelo menos,  três dos quatro ladrões que assaltaram o BB de Mirinzal, não cometerão mais nenhum crime.

*Informações do Blog Vimarense*

Agente X9 vazou operação da PF para lideranças do PT

COMPARTILHE
Uma Estrela que brilha pra poucos

Uma Estrela que brilha pra poucos.

VIOLAÇÃO DO SIGILO FUNCIONAL:          *Texto extraído do Blog de Ed Wilson*

O presidente do PT no Maranhão, Raimundo Monteiro e o ex-superintendente do Incra-MA, José Inácio Rodrigues, foram informados por um agente da polícia federal sobre tudo o que era investigado na operação “Capitanias Hereditárias/Donatários”, da Polícia Federal, que no fim de fevereiro de 2011 revelou desvios de verbas Federais de R$ 150 milhões no órgão agrário.

OSWALDO VIVIANI / JORNAL PEQUENO

Um agente da Polícia Federal do Maranhão, identificado como Edvar Rodrigues dos Santos, de 45 anos, foi apontado, num inquérito policial levado a cabo pela própria instituição, como responsável pelo vazamento de informações sigilosas sobre as investigações – inclusive conteúdos de “grampos” telefônicos da operação “Capitanias Hereditárias/Donatários”, da Polícia Federal (PF).

A operação – cujas investigações começaram no início de 2010 e foi desencadeada no fim de 2011 – revelou desvios de verbas federais no montante de R$ 150 milhões no Instituto de Reforma Agrária do Maranhão (Incra-MA).

Segundo a PF, na operação “Capitanias Hereditárias/Donatários” descobriu-se que o “rombo” foi produzido a partir dos mais de R$ 500 milhões em crédito liberado pelo Incra-MA, entre 2005 e 2010, para a construção de casas em projetos de assentamentos de vários municípios, em favor de beneficiários do Programa Nacional de Reforma Agrária.

Para concretizar a fraude, as habitações eram levantadas – geralmente por associações de agricultores corruptas – com material de baixíssimo custo, como taipa, ou simplesmente não eram construídas.

De acordo com a PF, lideranças do PT maranhense – entre elas, Raimundo Monteiro, presidente do partido no estado e ex-superintendente do Incra-MA; José Inácio Sodré Rodrigues, também ex-superintendente do órgão agrário; e João Batista da Cruz Rios, o “Joãozinho do PT”, ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caxias, investigadas como envolvidas na fraude dos assentamentos, eram os beneficiários dos vazamentos do agente Rodrigues.

Raimundo Monteiro: em 2001, com medo de ser preso pela PF, ele teria se escondido na casa de outro petista

Ainda segundo a PF, o agente estabelecera relacionamentos de amizade com os petistas ligados ao Incra-MA, órgão do qual já fora funcionário. Rodrigues inclusive tinha interesses pessoais no Projeto de Assentamento Flechal, em Santa Luzia do Tide, um dos objetos de investigação da PF na “Capitanias Hereditárias/Donatários”.

No inquérito instaurado para apurar o vazamento e a quebra do sigilo funcional (nº 0053/2011-4-SR/DPF/MA), que começou em fevereiro de 2011 e terminou em setembro de 2013, o delegado federal Janderlyer Gomes de Lima conclui que a investigação “logrou êxito em identificar a motivação do policial federal Edvar Rodrigues para que assumisse o risco de conscientemente comprometer o sigilo da operação ‘Capitanias Hereditárias/Donatários’ e, ainda, buscar ludibriar o seu superior hierárquico, o delegado federal Gustavo”.

Os delegados Gustavo Paulo Leite de Souza e Pedro Roberto Meireles Lopes foram os coordenadores da “Capitanias Hereditárias/Donatários”.

Segue trecho do relatório conclusivo do delegado Janderlyer:

“(…) Sua [do agente Rodrigues] conduta proporcionou que terceiros tomassem conhecimento de dados coletados (…) e tratassem disso com o policial federal que, inclusive, teria ofertado ‘proteção’ para aliados políticos seus, a exemplo de José Inácio (a quem garantiu que não seria alvo de interceptação) e Raimundo Monteiro (garantia de que não seria incluído na relação de eventuais prisões).”

“Aliás, a mola propulsora para uma série de eventos observados nos áudios [‘grampos’ nos telefones do agente Rodrigues] foi a inconsequente promessa formulada ao presidente do PT/MA. Tal ‘promessa’, em realidade, era alicerçada no interesse do policial federal em ver o nome de Joãozinho [João Batista da Cruz Rios] indicado pelo PT/MA ao cargo de superintendente do Incra, e, para tanto, precisava de Raimundo Monteiro”.

Numa escuta, feita pela PF na noite de 27/2/2011, e juntada ao inquérito sobre os vazamentos da operação “Capitanias Hereditárias/Donatários”, o agente federal Edvar Rodrigues dos Santos, conversa com o presidente do PT/MA, Raimundo Monteiro (que, segundo a PF, se escondeu na casa de “Joãozinho do PT”, com medo de ser preso, em 2011), e garante que ele não vai ser preso. Confira a conversa abaixo:

AGENTE RODRIGUES – Quanto a isso aí [prisão de Monteiro], é uma garantia que eu já lhe dei. Esse perigo não existe.

RAIMUNDO MONTEIRO – Eu também acho que não porque já cumpriram a tarefa, né?

RODRIGUES – Não tem perigo. O sentido da prisão temporária já se acabou.

MONTEIRO – Acabou. Não tem mais jeito não, né?

RODRIGUES – E preventiva não tem elementos pra enquadrar você. Agora, mesmo assim, amanhã à tarde a gente conversa melhor. Deixa eu dar uma olhada lá. Eu acho que não tem perigo.

(…)

MONTEIRO – Na busca e apreensão, pegaram uma agendas minhas que não servem pra p… nenhuma.

RODRIGUES – Mas isso aí é porque no mandado tinha lá pra apreender documentos, agendas, computadores. Por isso eles apreendem. Mas isso aí é só fazer solicitação de volta que é fácil pegar. Isso não demora não. E computador a gente faz a análise rápida, pede pro perito analisar e devolve.

MONTEIRO – Não teve computador não.

RODRIGUES – Isso é fácil. Você alega que são agendas pessoais de sua família que aí devolvem. Isso é fácil.

AFASTAMENTO – O inquérito da PF sobre a quebra de sigilo funcional do agente Edvar Rodrigues dos Santos foi encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF) em setembro de 2013. Em 14 de novembro, o procurador federal Juraci Guimarães Júnior ofereceu denúncia contra o agente à Justiça Federal, bem como pediu o afastamento do denunciado do cargo, o que foi concedido pelo juiz Roberto Carvalho Veloso, da 1ª Vara Federal Criminal.

Os petistas Raimundo Monteiro, José Inácio Sodré Rodrigues e João Batista da Cruz Rios, o “Joãozinho do PT”, nunca foram presos pela PF – só foram alvos de busca e apreensão na operação “Capitanias Hereditárias/Donatários”. A verba federal do Incra-MA para os assentamentos maranhenses, desviada por meio de fraudes, igualmente nunca foi ressarcida ao erário público.

 

Seção da Câmara Municipal de São Luís é encerrada por falta de Quórum

COMPARTILHE
Ivaldo Rodrigues em pronunciamento no plenário

Ivaldo Rodrigues em pronunciamento no plenário

Com a galeria do plenário lotada de representantes da cultura maranhense, a seção foi encerrada pelo presidente Isaías Pereirinha (PSL) por falta “Quórum”. Os representantes da cultura maranhense foram recebidos na casa legislativa, pelo vereador Ivaldo Rodrigues (PDT).

Ivaldo ocupou a tribuna do plenário para falar sobre a criação da secretaria municipal de cultura, e foi aplaudido de pé por todos que estavam na galeria, após comprar a briga sobre o edital para contratação das brincadeiras para o período junino deste ano. “Nós temos que resgatar, valorizar e fortalecer a nossa cultura. A cultura não é só bumba-meu-boi. Temos a dança do cacuriá, o tambor de crioula, tambor de mina, o Lelê, danças portuguesas e tantas outras manifestações culturais do Maranhão – disse Ivaldo Rodrigues.

Para Ivaldo Rodrigues, não basta fortalecer uma parte, o executivo tem que ajudar 100% dos grupos. Ontem (4) o Vereador recebeu em sua residência, vários lideres da cultura maranhense. Após seu discurso na tribuna do plenário, Ivaldo foi elogiado pelo companheiro de Câmara, vereador Fábio Câmara (PMDB), por sua brilhante atitude.

A câmara contava hoje (5) com 24 vereadores em plenário, mas acabou sendo reduzido para 15 e por isso foi adiada a votação de um veto, que ficou para amanhã 9hs. Os Vereadores que permaneceram no plenário foram: Isaías Pereirinha, Ivaldo Rodrigues, Rose Sales, Fábio Câmara, Professor Lisboa, Honorato Fernandes, Marquinhos, Estevão Aragão, Bárbara Soeiro, Gutemberg Araújo, Luciana Mendes, Josué Pinheiro, José Joaquim, Bispo Paulo e Nato Gomes.

Já os vereadores que deixaram o plenário para não votar o veto, que poderia derrotar o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PTC), foram: Pavão Filho, Osmar Filho, Armando Costa, Ricardo Diniz, Pedro Lucas Fernandes, Edmilson Jansen, Chaguinhas, Beto Castro e Manoel Rego.

Na última quarta feira (30) o vereador Ivaldo Rodrigues, perdeu a paciência, quando mais uma vez não houve seção por falta de “Quórum”. Na ocasião, Ivaldo falou em voz alta, que quem não quisesse trabalhar, era só entregar o cargo.