casa » BEQUIMÃO » Obra da ponte Bequimão/Central trouxe impactos negativos para quilombolas bequimãoenses

Obra da ponte Bequimão/Central trouxe impactos negativos para quilombolas bequimãoenses

COMPARTILHE

Moradores das comunidades quilombolas que vivem às margens da MA211, também conhecida como estrada do Quindiua fizeram manifestação por causa dos transtornos na região após o início da construção da Ponte Bequimão/Central.

Segundo os moradores da comunidade Ramal de Quindiua, a pós a constante fluxo de caçambas e máquinas na região, os impactos negativos começaram aparecer. A quantidade de poeira invadindo as residências está causando doenças nos moradores, principalmente crianças e idosos.

De acordo com representantes do MOQBEQ, houve uma reunião no dia 18 de setembro, onde se fizeram presentes, o Movimento Quilombola de Bequimão (MOQBEQ), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR), Secretaria Municipal de Meio ambiente e Turismo (SEMATUR), Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDHPOP), Secretaria de Estado da Igualdade Racial (SEIR), ficou acordado que até a última terça-feira (26) a empresa responsável pela obra resolveria o problema da poeira e que as duas secretarias presentes na reunião agendariam uma audiência com o governador do estado, Flávio Dino, pra discutir junto com a comunidade os problemas de políticas publicas, como água potável, habitação e danos ambientais.

O Movimento Quilombola deixa claro que buscou dialogar, mas não sendo respeitados os direitos das comunidades, se viu obrigado a bloquear a estrada até que tenha uma resposta positiva por parte do governo ou representantes legais.

 

Sobre João Filho

2 comentarios

  1. joseli de jesus ferreira lemos

    Quanto as manifestações por parte da poeira, todas as obras que venham trazer progresso para uma cidade tem transtornos, ex: poeira, barulhos das caçambas,fluxo de veículos etc… é impossível se fazer uma obra sem causar transtornos, até mesmo em sua residência existe transtornos, o que não pode deixar de acontecer é a construção de uma obra de grande importância que vai trazer o progresso para varias cidades por causa de meia dúzia de pessoas que também vão ser beneficiadas, porque essa estrada que está causando poeira vai ser asfaltada, isso é uma questão de tempo, tem que se saber se essas meia duzia de pessoas que estão fazendo baderna com a interrupção da via, não estão sendo manipulada por algum grupo político, o progresso está chegando na porta deles e ainda são mal agradecidos, é muita falta de cultura, só mesmo aqui no Maranhão para acontecer um absurdo desses. o que se percebe é eles preferem ficar escondidos,isolados é lamentável.

    • Você está comentando algo que não conhece. Seria melhor não ter perdido teu tempo escrevendo bobagem. Não se trata de meia dúzia de pessoas, e sim de várias comunidades que moram às margens da estrada. Transtorno é uma coisa, causar doença às pessoas, principalmente crianças, é outra coisa.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

Em Brasilia, prefeito Zé Martins e João Martins discutem desenvolvimento de Bequimão e da Baixada Maranhense

Na última semana, o prefeito de Bequimão, Zé Martins, e o presidente do Fórum em ...

Pontal e Monte Alegre avançam no processo de reconhecimento como comunidades quilombolas

No último sábado (09), a Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial e ...

Prefeitura de Bequimão e Secretaria de Saúde vão realizara dia D de vacinação nesta sexta-feira (8)

A prefeitura de Bequimão, através da Secretaria Municipal de Saúde vai realizar nesta sexta-feira (8), ...

Representantes de Bequimão participam de Capacitação do Selo UNICEF em Pinheiro

Representantes da Prefeitura de Bequimão participaram de mais uma capacitação do selo Unicef, na cidade ...

João Martins e membros do Fórum da Baixada visitam Presidente do TJMA, acompanhados do deputado Pará Figueiredo

O bequimãoense João Martins, presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), acompanhado do ...