casa » SAÚDE » Equipe médica do Hospital Sírio-Libanês atinge a marca de mil transplantes de fígado pedriátrico

Equipe médica do Hospital Sírio-Libanês atinge a marca de mil transplantes de fígado pedriátrico

COMPARTILHE
Parceria com o Ministério da Saúde, por meio do PROADI-SUS, permitiu ampliar o número de procedimentos que, em 95% dos casos, beneficiam pacientes encaminhados pela regulação do Sistema Único de Saúde

O grupo de Transplante de Fígado Pediátrico do Hospital Sírio-Libanês atingiu a marca de 1.000 procedimentos, envolvendo doadores vivos ou com morte encefálica constatada. De todos os transplantes de fígado pediátricos feitos pela instituição, 95% foram realizados em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).  Atualmente, o Sírio-Libanês responde por 50% dos transplantes dessa modalidade realizados no Brasil, envolvendo pacientes com idade inferior a dois anos.

“Os resultados são fruto de programas em parceria com o Ministério da Saúde e também muito significativos para pacientes, médicos e sociedade. Eles mostram que temos, no Brasil, profissionais e centros capacitados para a realização de um procedimento complexo como este. Com isso, nosso desejo é conscientizar as pessoas sobre a importância da doação de órgãos, para que todas as crianças que precisam do transplante sejam adequadamente tratadas”, destaca Dr. Paulo Chapchap, CEO do Hospital Sírio-Libanês e coordenador da equipe de transplantes de fígado da instituição.

O Ministério da Saúde mantém com o Sírio-Libanês, dentro do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), o projeto “Escola de Transplantes”, que possui três frentes de atuação: transplantes de fígado pediátricos, projeto Coração Novo – que integra atividades para o tratamento da insuficiência cardíaca refratária e transplante de coração – e projeto Pólos, que desenvolve uma série de ações educativas e de capacitação, voltadas para o aumento dos doadores de órgãos e tecidos no Brasil.

Transplante Dominó

A equipe do Hospital Sírio-Libanês é referência em “transplante dominó” de fígado pediátrico, uma das técnicas mais avançadas da medicina, em que um órgão retirado de uma criança portadora de leucinose pode ajudar outra criança. A leucinose é uma doença que compromete as funções orgânicas pelo acúmulo de aminoácidos, atinge crianças menores de dois anos e pode ser corrigida pelo transplante de fígado. Porém, o fígado de uma criança com leucinose pode ser transplantado em uma outra criança que não tenha a patologia. Desta forma, a criança com leucinose recebe um fígado novo e doa o seu para outras crianças, com outros problemas hepáticos. O “transplante dominó” é realizado entre vivos e, normalmente, envolve 3 pessoas.

O milésimo transplante intervivos realizado no Hospital Sírio-Libanês usou a técnica dominó. A menor Laura Beatriz Gonçalves, de 3 anos, recebeu parte do fígado da adulta Marília Rafaelli, doadora viva, e doou seu órgão para outra criança, David Lucca Mendes, de 1 ano. Laura passou cerca de um ano na fila do transplante e, como os exames de compatibilidade com os familiares deram negativo, a menina precisava de um doador. Foi nesse momento que as vidas de Laura e Marília se cruzaram. “Marília é filha de um grande amigo. Depois que os testes de compatibilidade entre familiares deram negativo, Marília se predispôs a fazer os exames e descobriu que era compatível. Foi uma alegria quando vi que minha filha poderia ter a esperança de ter uma vida normal, mais saudável e ainda ajudaria outra criança”, diz Rosilene Gonçalves, mãe de Laura.

“Recebemos pacientes de todas as partes do país e atuamos também na formação de profissionais que voltam para as suas cidades e podem realizar o procedimento ou identificar os pacientes com necessidade do transplante”, ressalta Dr. João Seda Neto, cirurgião pediátrico e membro da equipe do Núcleo Avançado do Fígado do Hospital Sírio-Libanês.

 

Sobre João Filho

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

OMS alerta para o risco de doenças cardiovasculares que podem matar fumantes – ativos e passivos

Todo ano, a Organização Mundial da Saúde reserva data de 31 de maio para promover ...

Conheça as 5 doenças que mais causam dor no Estômago

Sabe aquela dor no estômago que já causou incômodo, mas passou? Quase todo mundo já ...

Mutirão do Glaucoma é realizado no bairro João de Deus

Mais uma parceria Prefeitura de São Luís e o governo do Maranhão, por meio da ...

Prefeitura de São Luís homenageia as mães com edição especial do Todos por São Luís no Hospital da Mulher

Em homenagem ao Dia das Mães, comemorado neste domingo (13), um grande mutirão de serviços ...

DOENÇAS GRAVES: clamídia e a gonorreia são responsáveis por cerca de 25% dos casos de infertilidade

Quando não tratadas, as duas Doenças Sexualmente Transmissíveis costumam levar ao desenvolvimento da doença inflamatória pélvica ...