casa » NOTÍCIAS » Depois de Ricardo Santos, Linhares e Robert Lobato, JP censura o Jornalista Raimundo Garrone.

Depois de Ricardo Santos, Linhares e Robert Lobato, JP censura o Jornalista Raimundo Garrone.

COMPARTILHE

Como já é de costumes no Jornal Pequeno (JP), jornalistas serem censurados por causa de opiniões contrárias a políticos do Maranhão, agora a vítima foi o veterano Raimundo Garrone que depois de oito anos escrevendo no Online do JP teve que se despedir da página do Zé Pequeno. Uma afronta à liberdade de imprensa.

Antes do Jornalista Garrone, outros profissionais foram vítima da mesma façanha. Ricardo Santos, Linhares e Robert Lobato já foram vitimas do JP, por ter perfis diferentes de uma balela chamada linha editorial do Jornal que já nasceu pequeno até no nome.

Em seu último Post publicado em forma de despedida, Garrone quis amenizar a situação, mas foi rebatido pelo JP em sua edição impressa no dia seguinte. Uma falta de respeito com o profissional que tem história no jornalismo maranhense.

E como todo mundo sabe, a perseguição do JP ao Jornalista Raimundo Garrone aconteceu após um texto crítico sobre o deputado federal Zé Reinado Tavares (PSB), que pela opinião de Garrone e da população do Maranhão traiu a confiança do governador Flávio Dino (PCdoB) ao votar à favor do Impeachment da presidente Dilma (PT). De acordo com pessoas que trabalham na redação do JP, o texto foi publicado duas vezes por Garrone, mas foi excluído pela cúpula do JP que pouco respeitou a opinião do veterano Jornalista.

ABAIXO O TEXTO COMPLETO DE DESPEDIDA DE GARRONE DO JP:

Depois de 8 anos com o blog hospedado no portal do Jornal do Pequeno, resolvi criar uma página independente de qualquer empresa jornalística.

Iniciei no jornalismo em 1985, passei por vários jornais no Maranhão e fiz correspondências para O Globo e a agência Reuters, sempre respeitando as particularidades de cada veículo, ciente de que a atividade jornalística obedece aos interesses dos donos, que disfarçadamente chamamos de linha editorial.

Ressalto que no JP esse limite foi muito mais amplo do que em O Imparcial, O Estado do Maranhão, O Debate, e O Globo, jornais que trabalhei.

Com o advento das redes sociais não vejo mais sentido em continuar dependente das empresas de comunicação para exercer o meu trabalho.

Por mais liberdade que elas possam permitir, sempre haverá um limite determinado por seus interesses econômicos e políticos, o que não condeno; mas as vezes não coincidem com os nossos e provocam conflitos, comuns entre o jornalista e a empresa que trabalha.

A internet nos permite demarcar nosso trabalho e nossa liberdade de acordo com nossos próprios interesses e consciência e não pelos de terceiros.

O mais importante é nos conceder o livre-arbítrio, direito de tomarmos decisões, pensar e escrever por conta própria

Agradeço o apoio da família Bogéa, em especial a Lourival Bogéa.

Deixo o JP, não rompo com o JP.

A partir da outra semana estarei com um novo blog no ar no endereço: www.blogdogarrone.com.br

O Portal www.joaofilho.com, deseja sorte ao Garrone, porque competência ele tem de sobras e muita experiência no jornalismo nacional. Apesar de ter sido ético ao tentar amenizar a situação, mas foi desrespeitado pelo JP. A pergunta que fica é: Será que Zé Reinaldo Tavares pediu a “Demi$$ão” do jornalista?

 

 

Sobre João Filho

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

Arraial do Movimento Solidariedade & Ação reúne grande público na João Alberto e Vila Conceição sábado (16)

Se tem a mão da vereadora Fátima Araújo, o sucesso é garantido. Um dos maiores ...

Movimento Rosas Azuis realizará grande evento no próximo dia 17 de junho

Em quase todas as cidades, capitais e estados do Brasil durante todo o mês de ...

SOTAQUES: Exposição faz passeio pela diversidade rítmica do Bumba-Meu-Boi

Quem dá as boas-vindas aos visitantes, logo na entrada, é o casal que protagoniza a ...

Vereadores de São Luís entrarão em milhares de casas através do Rádio AM/FM

Dizem que quando a montanha não vai até Maomé, Maomé vai até a montanha. Foi ...

Câmara de São Luís decreta ponto facultativo na sexta-feira

O presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum (PR), decretou ponto facultativo para esta ...