casa » DIA-DIA DO MA » Chef Dantas faz aula-show de comidas típicas no Ateliê Don’Anna

Chef Dantas faz aula-show de comidas típicas no Ateliê Don’Anna

COMPARTILHE

Quando chega o mês de junho São Luís se transforma em um imenso arraial, com uma profusão de cores, brilho, manifestações culturais e, claro, as comidas típicas da época. O milho é a grande estrela dessa parte da festa, já que é a obra-prima das receitas que compõem as mesas no São João. Além dele, outros ingredientes como a mandioca e o amendoim fazem parte das refeições feitas durante esse período festivo. Para garantir a alegria de santos e foliões, o Ateliê Don’Anna promove, no dia dedicado a Santo Antônio, uma aula-show de comidas típicas com o chef Dantas, conhecido pela sua culinária nordestina de muita qualidade.

Todas as características da culinária típica dos festejos juninos foram introduzidas no Brasil por meio da miscigenação dos povos que habitaram o território no período colonial, como os índios, africanos e europeus. “Aqui no Nordeste os pratos à base de milho já fazem parte do dia-a-dia, mas é no período junino que as pessoas buscam com mais intensidade essa identificação com suas raízes através da culinária”, justifica o chef Luciano Rosa, idealizador do Ateliê.

A culinária é um dos traços mais fortes do povo maranhense e, além de delícias como bolos, mingaus, canjicas e pamonhas, tem ainda o arroz de cuxá, as tortas de camarão e caranguejo, sururu, vatapá e arroz de Maria-Isabel. “A cozinha maranhense vive um novo momento e temos uma rica culinária e essa oportunidade de troca, de aprendizado, vai com certeza melhorar nossa gastronomia”, destaca Dantas.

A origem

Assim como alguns ingredientes usados na culinária, a celebração aos três santos católicos também foi introduzida na cultura brasileira pelos portugueses, que tinham como religião o catolicismo. Em Portugal, os meses de junho, julho e agosto eram dedicados às festividades relacionadas à religião e à colheita do trigo, feita uma vez ao ano durante o verão. Ao chegarem no Brasil, os portugueses precisaram adaptar os festejos ao clima dos trópicos, onde tem o inverno como estação nesse período do ano.

Desta maneira, a plantação que crescia em épocas de chuva era a de milho. Unindo os conhecimentos culinários dos indígenas, africanos e portugueses surgem as comidas típicas desse período junino, feitas especialmente de milho, como os bolos, canjica, pamonhas, mungunzá e até mesmo o próprio milho, servido assado na brasa ou cozido.

Serviço:

O que: Aula-Show de comidas típicas juninas

Onde: Ateliê Don’Anna

Hora: 15h às 18h

Quando: Quarta-feira, 13 de junho

Investimento: R$ 100,00

Texto: Andréa Brito

 

Sobre João Filho

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

x

Além disso, verifique

Câmara lança enquete sobre projeto que pode revogar proibição do Uber em São Luís

O Regimento Interno da Casa impôs ao presidente Astro de Ogum a promulgação da lei ...

Rádio Timbira mexe na programação e reforça equipe com grades profissionais

A direção da rádio Timbira AM, agora chamada de Nova 1.290, fez algumas aquisições no ...

Empresários de Guimarães viabilizam ações após II Festival Gastronômico

No coração da Floresta dos Guarás, o lançamento do evento promovido pelo Sebrae, movimentou a ...

Cabo Campos reúne com famílias de policiais desaparecidos

Como membro da Comissão  de Segurança da Assembleia Legislativa o deputado Cabo Campos (DEM) recebeu ...

Concluída a venda da Odebrecht Ambiental à Brookfield

A companhia passará a se chamar BRK Ambiental A Brookfield Business Partners LP, uma empresa ...