casa » Arquivos do Altor: João Filho (página 310)

Arquivos do Altor: João Filho

Trizidela do Vale reúne pilotos para 2ª edição do Rally Vale da Lama

COMPARTILHE

RALLY

O município de Trizidela do Vale na região do Médio Mearim vai reunir centenas de pilotos neste domingo (29), para 2ª edição do Rally Vale da Lama. O evento que já faz parte do circuito estadual de esporte e aventura não tem caráter de competição apenas de lazer e diversão. Além de vários municípios do Maranhão, também participam do evento pilotos de Belém, Piaui, Tocantins e Brasília.

O secretário de esportes, Francisco Rodrigues explica que o evento não tem caráter competitivo, o único objetivo é difundir ainda mais a região como circuito de rally e enduro.  “As únicas exigências para participar do evento é seja maior de idade e que no ato da inscrição o participante doe alimentos para serem doados a famílias carentes do município”.

Para esta edição estão sendo esperados mais de 300 pilotos entre profissionais e iniciantes que participam do evento nas categorias, moto, carro e quadriciclo.

RALLY DA LAMA

O evento será iniciado a partir das 8h, na Avenida Coronel Manoel Inácio com passeio pelas ruas da cidade retornando para o mesmo ponto de onde será dada a largada para o circuito que terá cerca de 15 km de lama e adrenalina.

Ao longo de todo o percurso serão montadas sinalizações além de postos de atendimento médico, medidas que Rodrigues acredita serem fundamentais para a tranquilidade do evento. “Em 2014 não tivemos registros graves de acidente e por isso reforçamos o atendimento ao longo de toda a trilha para garantir segurança aos participantes”, disse.

Vereador participa de audiência pública sobre Segurança

COMPARTILHE

AG

O vereador de São Luís e vice-líder do governo na câmara, Ivaldo Rodrigues (PDT), esteve hoje (25) pela manhã no plenário da câmara municipal, participando de uma audiência pública sobre segurança na capital e no restante do Estado do Maranhão. Com um plenário lotado, Ivaldo fez parte da mesa, onde ocupou a função de primeiro secretário em exercício. Presidida pelo vereador Chico Carvalho (PSL), a sessão que tinha como autor do painel, Pavão Filho (PDT), teve o maior número de comandantes de batalhões das polícias militar e Civil em uma audiência publica no plenário Simão Estácio da Silveira.

Q1 Q2 Q3

Em seu discurso, o vice-líder do governo na câmara, fez vários relatos do cotidiano que envolve o social principalmente em São Luís. “Nós que somos vereadores e moramos em comunidade, e os vereadores Chaguinhas e Basileu sabem disso, eles que moram em suas comunidades assim como eu que moro na Vila Luizão há 15 anos e vivo o dia-dia de cada morador, isso é muito importante para a vida de um vereador. Nós que somos vereadores desta cidade, podemos até não se reeleger, mas sairemos desta casa mais humanos” – disse Ivaldo Rodrigues, que rasgou elogios ao vereador Pavão Filho pela iniciativa de levar para a câmara um tema de relevância para ser debatido com a população.

De acordo com Ivaldo Rodrigues, o vereador é um pouco de cada profissão exercida nas comunidades. “Nós somos um pouco de Padre, Delegado, Juiz, Pastor, Enfermeiro, Professor e eu que sou Educador achava que o professor seria o pai das funções, mas aqui nesta casa descobri que o parlamentar municipal é tudo isso e mais alguma coisa” – relatou o vice-líder do governo.

Q4 Q5 Q6

Segundo Ivaldo em seu relato, existe algo pior que a cultura criminalidade; em sua opinião a impunidade é pior que a criminalidade. “Como já fui assaltado dentro de minha casa, sei da experiência de está nas estatísticas da criminalidade. Eu devo imaginar a vida de um policial quando se depara diante de uma situação onde o criminoso está armado e não pode atirar” – disse Ivaldo que relatou a experiência de Pavão Filho, já que o autor do painel também já foi deputado por vários mandatos.

Eu sei que a pratica deste combate é muito grande, com falta de recursos, onde os criminosos andam com armas avançadas e o policial não tem esse instrumento. Por isso que digo que isso é muito importante discutir esse tema aqui na câmara porque reflete na comunidade. A polícia ganha pouco, mas faz seu trabalho com amor a profissão. A maioria das corporações tem gente dedicada à segurança deste estado, para proteger e defender seus irmãos. Para finalizar, Ivaldo Rodrigues frisou que a segurança é problema que não depende só do poder público e sim todo cidadão brasileiro, porque o Estado acontece dentro das comunidades, porque a Câmara jamais se ausentará desses debates.

Q7 Q8 Q9

Estiveram presentes, os vereadores Professor Lisboa (PCdoB), Marquinhos (PRB), Gutemberg Araújo (PSDB), Basileu (PSDC), Chaguinhas (PSB), Rose Sales (PCdoB), Eidimar Gomes (PSDB), Honorato Fernandes (PT), Ivaldo Rodrigues (PDT), Francisco Carvalho (PSL), Pavão Filho (PDT), Nato (PRP), além dos convidados; Dr. Murilo Andrade (Secretário da Sejap), Breno Galdino (secretário municipal de segurança e cidadania), Coronel Marco Antônio Alves da Silva, Delegado Augusto Barros, além de todos os representantes das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros do Maranhão.

Ana do Gás está vazando pelo “pito”

COMPARTILHE

GAS

A deputada estadual, Ana do Gás (PRB) demonstrou hoje (24) que está vazando pelo “Pito” e perdeu a chance de ficar calada ao utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão sugerindo que fosse eleito um deputado para cada município do Estado. A moça que se estivesse ficado calada, poderia ser uma grande poetisa, falou bobagens e serviu de chacotas no meio do jornalismo estadual.

Nas contas de Ana do Gás, não deveria ser só 42 deputados estaduais, haja vista que o Maranhão tem 217 municípios e por isso cada município deveria ter um representante na assembleia. Já imaginou se um louco com a mesma psicose de Ana do Gás aprovasse que cada cidade do Brasil deveria ter um representante na câmara federal? Vacilou Ana!

No mesmo discurso, a deputada rechaçou o fato de ter deputados de alto e baixo clero. Até parece que é uma novidade. Seria melhor de a toda poderosa AG estivesse ficado calada. “Boca fechada mosca não entra”.

De fato, há mesmo esse papo de “alto e baixo clero” para classificar os deputados. Mas existem também os chamados “baixíssimo clero” e o “pré-sal”. Da próxima vez a nobre deputada dos milhões, vai pensar o que falar ou ficar calada. Essa seria a melhor opção, principalmente para uma marinheira de primeira viagem.

Uma ideia sem noção, haja vista que São Luís, Imperatriz, São José de Ribamar, Caxias, Timon, Codó, Bacabal e Santa Inês, são as maiores cidades do estado e não aceitariam ter a mesma quantidade de deputado de Santo Antônio dos Lopes. Uma ideia Ana Gás, toma tutangir ou fecha boca Galvão”.

Vereador participa de aniversário de 93 anos do PCdoB

COMPARTILHE

VVVVV1

O vereador de São Luís e vice líder do governo na Câmara Municipal ludovicense, Ivaldo Rodrigues (PDT), participou de uma sessão solene realizada na manhã desta segunda feira (24) no plenário da assembleia legislativa, em homenagem ao aniversário de 93 anos do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Ao lado de amigos do PDT, como o deputado federal, Weverton Rocha, Júlio França e do secretário estadual de trabalho, Julião Amin. Durante a cerimônia de aniversário do PCdoB, partido que fez o governador do Maranhão, Flávio Dino, o vereador Ivaldo encontrou vários amigos de partidos e outros que fazem parte de outra nomenclatura partidária.

Somente neste mês de março, o vereador Ivaldo já conseguiu aprovar vários projetos na câmara, concedeu o título de cidadão Ludovicense ao Arcebispo de São Luís, Dom Belisário, além de outras habilidades e projetos que visam melhorias à população, Ivaldo Rodrigues vem se destacando na política local e mostrando sua força na região do Turu, onde predomina sua maior quantidade de votos.

Comissão de vereadores visita o Senado Federal

COMPARTILHE

PEDRO2

A comissão de vereadores de São Luís que está em Brasília vem cumprindo agenda em poderes na capital federal. Os parlamentares José Joaquim Guimarães (PSDB), Isaías Pereirinha (PSL), Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Fábio Câmara (PMDB) estiveram ontem em visita ao Senado Federal. Eles foram discutir pontos da reforma política que estão sendo discutidos pelos senadores.

Ao lado do presidente da Associação Brasileira de Câmaras Municipais (ABRACAN), Rogério Rodrigues, os vereadores de São Luís foram recebidos pelo senador Vicentino Alves (PR-TO). A comitiva, que ficará em Brasília até quinta feira (26), deverá percorrer os corredores da Câmara dos Deputados e Senado Federal, objetivando debater a Reforma Política(PEC 344 e 352). De acordo com o vereador Pedro Lucas Fernandes, a experiência está sendo muita proveitosa.

PEDRO2 PEDRO1

“Estamos nos sentindo à vontade para trilharmos os corredores do Congresso Nacional e, assim, debater com os parlamentares os principais pontos da reforma, tais como, fim das coligações, financiamento público de campanha, mandato tampão de apenas dois anos nas próximas eleições, ou de seis, caso haja unificação das eleições, bem como os cinco anos de mandato, a partir de 2022. Enfim, estamos acompanhando de perto os principais entraves desta proposta”, afirmou o vereador.

Para o vereador José Joaquim, o decano da Câmara, a ideia do presidente Astro de Ogum de enviar uma comissão a Brasília foi bastante acertada. “A reforma mudará a histórica política do País, portanto, em hipótese alguma, poderíamos nos furtar deste debate”, finalizou José Joaquim.

Texto: Itamargarethe Corrêa Lima

Foto: Divulgação

Seminário sobre Assessoria de Comunicação na Capital

COMPARTILHE

llllllllllllllllllllllll

São Luís poderá ter ainda este semestre um seminário sobre Comunicação Pública. O evento, cuja data e local ainda serão definidos, deve envolver parlamentares, representantes do Poder Executivo, especialistas e pesquisadores para debate sobre o assunto. A ideia de promover o seminário surgiu durante encontro entre assessores de imprensa dos vereadores, realizado na Câmara Municipal de São Luís.

 O evento, sugerido pelo radialista Flavio Chocolate, assessor do vereador Antônio Marcos, o Marquinhos (PRB), tem como objetivo discutir o aperfeiçoamento da legislação do setor, com debates sobre as atividades de assessoramento prestadas aos parlamentares. Outro objetivo do encontro é discutir as funções e os modelos do assessoramento institucional no Parlamento.

 “A realização do seminário é um ato de grande importância para o fortalecimento da atividade de assessoria de comunicação na Câmara, além disso, servirá como treinamento para que todos os assessores aprendam com novas ferramentas e possibilidades de comunicação a divulgar com mais eficiência as atividades dos vereadores”, declarou Chocolate.

 A Diretora de Comunicação da Câmara de São Luís, Itamargarethe Corrêa Lima, abraçou a proposta da realização do seminário e garantiu aos assessores que irá levar a solicitação à presidência da Casa. Ela também ressaltou que o encontro vai servir como diagnóstico para traçar estratégicas de atuação e intervenção para que haja avanços e melhorias nesta atividade profissional e no processo de comunicação da Casa.

“A ideia do seminário é ótima, pois servirá como forma de preparar os novos assessores que chegaram e reciclar o pessoal antigo da Casa. E mesmo diante das dificuldades financeiras, iremos pleitear junto ao presidente autorização para realização do evento, já que a demanda é de suma importância para transformar a imagem do Legislativo Municipal” – declarou Itamargarethe.

 Para a jornalista Dalvana Mendes, integrante da assessoria de comunicação da Câmara, além de valorizar os servidores da Casa, por meio de cursos de capacitação e reciclagem, o seminário serve também como medidas que visam à modernização da atividade legislativa e parlamentar do Poder Legislativo de São Luís.

“Acredito que além de promover o debate sobre a política de comunicação institucional do Legislativo, o seminário também seria uma forma de valorizar os servidores que atuam na cobertura jornalística da Casa, permitindo a capacitação e reciclagem dos profissionais” – disse Dalva.

SAIBA MAIS

A função dos assessores de imprensa é desenvolver o relacionamento do parlamentar junto aos veículos de comunicação (jornal, revista, site, rádio e emissoras de televisão), permitindo que suas atividades e ações [transformadas em matérias ou pautas] sejam vinculadas nos veículos de comunicação.

PÚBLICO-ALVO

O seminário será voltado para os servidores públicos com funções na área de comunicação, vereadores interessados em conhecer o trabalho de seus assessores, além de estudantes de Comunicação Social.

DATA E LOCAL

A programação completa do encontro e divulgação da data e do local pode ser acessada, em breve no endereço eletrônico da Câmara de São Luís em: www.saoluis.ma.leg.br.

 Foto: Flávio Chocolate

Texto: Isaías Rocha/Itamargarethe Corrêa

Vereadores debaterão reforma política durante visita a Brasília

COMPARTILHE

BR

Na madrugada desta segunda-feira (23), uma comitiva formada pelos vereadores José Joaquim (PSDB), Antônio Isaias Pereira, o Pereirinha (PSL), Fábio Câmara (PMDB) e Pedro Lucas Fernandes (PTB), embarcou para Brasília com o objetivo de debater, com a diretoria da Associação Brasileira de Câmaras Municipais – ABRACAN – a reforma política.

A formação da Comissão e ida à capital federal ficou acertada durante jantar realizado na semana passada, na residência do presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum (PMN).

Na pauta de reunião,  os parlamentares deverão debater a unificação do processo eleitoral, por exemplo, que permitirá aos vereadores que estejam no mandado ficar mais dois anos, já que às eleições em todas as esferas só aconteceria em 2018.

O financiamento de campanha e o fim das coligações também farão parte da pauta de reunião com a ABRACAN. “O Legislativo Ludovicense, em hipótese alguma,  poderá se furtar de um debate tão importante para o País. Por isso tivemos a preocupação de mandar representantes para fazer parte deste valoroso processo de mudança” – assegurou o presidente do Legislativo, vereador Astro de Ogum.

Texto: Itamargarethe Corrêa Lima

DIRETCOM/CMSL 

FOTOS: Divulgação

 

TV Globo: A verdadeira destruição da família!

COMPARTILHE

BABILÔNIA

RGT

Infelizmente mentes ímpias querem ressuscitar Babilônia! Agora made in Brasil! O nome desta famosa cidade bíblica se refere também à torre de Babel. Em Babilônia havia cinquenta e três templos pagãos onde perdurava o sincretismo. Sob o comando de Nabucodonosor (uma espécie de Hitler da época) Babilônia destruiu a Cidade Santa de Jerusalém em 597 a.C. Falando de grosso modo, pensando no Apocalipse, este título faz referência à prostituição, entendida com seus crimes e pecados cometidos contra Deus e seus filhos. O próprio livro explica o significado secreto de Babilônia: “A grande Babilônia, mãe de todas as prostitutas e de todas as pessoas imorais do mundo”(Ap 17, 5).
O que dizer de duas senhoras de oitenta e seis anos se beijando? Babilônia! Cenas casuais de sexo e assassinato? Babilônia! Golpe do baú e traição? Babilônia! Triângulo amoroso e prostituta de luxo? Babilônia!
Público pronto? Tratar com naturalidade? Espaço para o amor? Romance sério? Noite feliz? Beijo gay de terceira idade? Não! Isto não pode ser amor nem aqui nem no inferno! Felicidade? Jamais! Romance? Decadência! Naturalidade? Monstruosidade! Que público? Espaço? Nos nossos lares? Só quem for conivente e babilônico! Somente daqueles que já transformaram suas igrejas domésticas e santuários da vida em torres de babel! De fato, este é outro golpe baixo do baú do diabo que vem com toda sujeira, corrupção e decadência do mal deste mundo jogando na sala da tua casa, na tua cara e na cara dos teus filhos. Que decadência, católico! Que decadência, evangélico! Que decadência, homem e mulher de boa índole!
Em um momento tão crítico da história deste país, Babilônia e Big Brother não podem nos trazer luz, paz e esperança. Desperta povo! Deus destruiu Babilônia! Não permita que ela seja levantada com o material e mão de obra do Brasil! Não precisamos de Babilônia! Queremos Jerusalém! Queremos ordem e progresso! Queremos Deus e os valores autênticos e imortais! Queremos o amor e a paz! Queremos a segurança, o respeito e a prosperidade completa! Unidos pelo Avivamento da nova Jerusalém e pela destruição da nova Babilônia!
(Pe. Dudu)

Sustentabilidade, a visão do Presente!

COMPARTILHE

JB

Em um domingo (22) chuvoso, silencioso e friorento em São Luís, escolhi para escrever alguma coisa relacionada ao assunto mais discutido nos últimos dias no Brasil. Talvez você pudesse logo imaginar que fosse sobre a Petrobrás ou o PT. Tudo bem que são assuntos pertinentes, mas nada a comparar com a falta do líquido mais precioso do planeta (Àgua). Hoje (22) dia mundial da água, várias campanhas estão sendo feitas no planeta inteiro. O grande erro é visar o futuro, se o nosso presente já está comprometido.

Qualquer campanha é sempre bem vinda, mas convenhamos que não se possa esperar 364 dias para ser defensor de um planeta que morre aos poucos. Alguns itens que vou citá-lo aqui podem ofender algumas pessoas e gerar um Zum-Zum-Zum na mídia, haja vista que os despreocupados para se defenderem, usam logo a força da comunicação manipuladora. A primeira atitude é pegar pesado no bolso dos que não respeitam as leis. Tem alguém com essa coragem pra fazer isso?

Em um país sem ordem, comando, e tudo pode, é fácil intimidar os mais fracos. Filho de um agricultor da zona rural do município de Bequimão, no litoral ocidental maranhense; cresci ouvindo os mais experientes falarem que era proibido roçar nas cabeceiras de rios, desmatar os brejos, derrubar plantas frutíferas, tirar palmito de babaçuzeiras, fazer barragens em rios, fazer queimadas, para não serem denunciados ao Ibama. E isso existe?

Tudo isso era respeitado pelos trabalhadores pobres e honestos, que mesmo sendo corajosos, tinham medo da lei. Mas o que eu olhava, era um povo respeitador e sendo desrespeitado por grandes fazendeiros da região, que faziam tudo ao contrário e ainda ameaçavam quem denunciasse. Hoje não é nada diferente. E mesmo assim, não podemos culpar só o poder público. A lei sendo aplicada, quem serão os punidos?

O poder público, como forma de cabide de emprego, criou um órgão que não serve para nada, a não ser empregar aliados políticos; a secretaria de meio ambiente. Um órgão que não tem olho, não tem poder e muito menos razão para existir. Aliada ao maior órgão de fiscalização, chamado Ibama, faz vista grossa aos maus tratos da natureza e finge ser defensor do planeta.

Na última sexta feira (20), ví uma sena que me pareceu um verdadeiro teatro a céu aberto, ao lado do Rio das Bicas, na área do Bacanga. Dezenas de pessoas, que mesmo tendo um pensamento diferente, faziam ali uma média e mostravam teatralmente seu gesto em favor da natureza e pediam ajuda para salvar o Rio.

Ao passar naquele momento onde vi faixas, e todos de mãos dadas abraçando as margens do rio, me veio na lembrança, como as autoridades são aproveitadoras.

São tantos rios dentro da capital e nenhum tem o que merece; cuidado e tratamento pelo poder público. A nossa riquíssima Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) é a primeira em jogar dejetos os principais canais de nascente da Ilha. Empresas que construíam grandes empreendimentos imobiliários na capital usaram os gapós ou brejos, como área de terraplanagem e jogam esgotos para os rios e nenhuma empresa até hoje foi multada. Muito pelo contrário, receberam licença das secretarias de meio ambiente estadual e municipal. No centro de nossa capital, existe uma área de mata virgem, conhecida como Quinta do Diamante e que hoje serve como lixão e esconderijo de marginais. Ta na hora das autoridades copiarem alguma coisa boa de outras cidades e fazerem uma lei que venha punir os jogadores de lixos nas ruas de São Luís. Que não seja como à Rua Paulino de Souza, no Monte Castelo, onde o lixo de uma escola está sendo colocado na calçada e urubus fazendo a festa. Queria muito, que a conscientização começasse pelas autoridades, que na maioria não respeitam a própria pasta que carregam. Que essa campanha seja nos 365 dias e não apenas em um.

São Luís, hoje, já não tem mais Rios, manguezais e muito menos quem defenda esse direito. Os tempos são outros e acabou a época do ôba-ôba, onde fingimos que cuidamos e o povo finge que acredita. A coisa é mais séria do que imaginamos. É inacreditável ver pessoas cavando poços onde eram rios no interior do Estado.

Os responsáveis por cuidar dessa riqueza, são todos nós, mas os responsáveis por cobrar e punir são as autoridades que pouco estão se lixando para o problema. É um verdadeiro faz de conta.

Na semana passada estive em um “Fórum da Baixada” e achei muito válido a iniciativa criada por alguns baixadeiros e abraçado por outros. O caminho é esse, mas há de se convir, que existem alguns políticos se aproveitando da ideia e querendo aparecer, como famosos papagaios de piratas. O primeiro erro já aconteceu no dia da oficialização do Fórum. Homenagear o deputado federal, Valdir Maranhão neste período, não seria uma grande saída. Esse moço já esteve como deputado e nunca se lembrou da baixada Maranhense. Assim como Maranhão, outros políticos vão fazer a mesma coisa. No inverno, todo capim engorda, quero ver esses mesmo papagaios aparecerem no verão da baixada.

Independente de região, seja baixada, chapada, sertão, sul, litoral ou não, o certo mesmo é que os grupos organizados devem pressionar as autoridades e não ficar agradando-a. Na segunda reunião do Fórum, vi um ato desagradável e muito mais deselegante. O prefeito de Viana, Chico Gomes, que chegou por último no encontro, quis que todos escutasse seu discurso furado e foi embora porque tinha compromissos. Mostrou despreparo ao agir daquela forma, assim como o deputado Cabo Campos, que apenas deu entrevista para um repórter desqualificado, que não sabia nem do que se tratava o encontro.

Diante de tudo isso, quero finalizar dizendo que existem muitas pessoas com boa vontade, mas as vezes infelizmente estão na hora errada e em companhias não agradáveis. O escritor Flávio Braga, a quem tenho um grande apreço e sei de sua intelectualidade, se empolgou muito e pode está dando um tiro no pé, se não repensar sua atitude.

Como baixadeiro por natureza, quero que esse projeto dê muito certo, mas que não seja mais um, onde sirva de gaiola para pássaros que precisam de um “Puleiro” na baixada maranhense. Que a baixada, a capital, os lagos, rios e brejos, sejam respeitados e lembrados como fonte de sobrevivência durante o ano inteiro e não só no dia Mundial da Água.

 

Câmara propõe audiência para discutir instalação de hidrômetros em São Luís

COMPARTILHE

FC

O vereador de São Luís, Fábio Câmara (PMDB), propôs que a Câmara Municipal de São Luís faça uma audiência pública para debater com a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) a instalação de hidrômetros [aparelho que registra o consumo de água] na capital maranhense. A matéria deve entrar na pauta de votações da próxima semana.

O parlamentar afirmou que resolveu apresentar a proposta na Casa, depois que o programa “Fantástico” da Rede Globo, mostrou uma reportagem em que hidrômetros registravam ar no lugar de água, gerando gastos inexistentes aos consumidores de São Paulo.

“Lá em São Paulo a Sabesp [empresa que administra o sistema de água] admitiu o problema. Aqui em São Luís, precisamos detectar o quanto antes para que os consumidores não venham pagar por ar também, gerando com isso, gastos inexistentes” – declarou o Câmara.

Segundo o vereador Fábio Câmara, um debate amplo sobre o assunto é necessário porque uma das propostas da Caema para combater o desperdício de água é a instalação de 130 mil hidrômetros na cidade.

 “Não somos contra a Caema combater o desperdício de água. Pelo contrário, somos a favor, ainda mais no atual momento de crise hídrica com reservatórios registrando um volume de água abaixo da média. A nossa preocupação é outra. Diz respeito à instalação do hidrômetro. O equipamento vai passar segurança? Além disso, quem vai garantir que o aparelho não marcará um gasto que não venha existir? São esses os nossos questionamentos”, acrescentou o parlamentar.

O argumento do vereador utilizado na justificativa para propor a audiência pública é de que o serviço de água e esgoto em São Luís é uma concessão do Município ao Estado.

OPINIÃO DO EDITOR

A grande questão talvez, em São Luís, não seja registro de AR em hidrômetros. A falta do aparelho nas residências da capital maranhense tem trazido prejuízo para o consumidor e lucros para a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), que cobra o que não fornece. O novo método lucrativo da Caema trouxe insatisfação a grande maioria dos clientes da companhia. Em São Luís, o hidrômetro é um objeto desconhecido nas casas. A desculpa de que os hidrômetros estão em falta no mercado, já dura mais de 5 anos. Agora fica a pergunta: Esse modelo de cobrar por tamanho da casa e não pelo consumo, não fere a lei do consumidor? Em bairros que só tem água quando chove, a Caema faz a festa. Recebe a grana e não fornece o produto vendido. A iniciativa do vereador, é magnífica, mas precisa colocar esses fatos em discursão.