casa » TRÂNSITO (página 3)

TRÂNSITO

Construtora leva calote de Flávio Dino e obras da “Estrada do Peixe” são paralisadas

COMPARTILHE

Nenhuma obra iniciada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) foi concluída até agora. As fotos abaixo vão mostrar as condições da Estrada de Itans, também conhecida pela população como “Estrada do Peixe” no interior de Matinha Maranhão.

 “Essa estrada é um sonho de muitos que lutaram, mas não puderam ver a realização até agora. Hoje presenciamos o sonho de gerações. São mais de sete mil pessoas de 13 povoados sendo diretamente beneficiados com esta obra”. Na verdade estão sendo prejudicados com o abandono da construtora.

Dino2 Dino3

A declaração acima é de senhor Elizeu Silva, presidente da Associação de Piscicultores de Itans, povoado do município de Matinha, na Baixada Maranhense, feita durante o ato de assinatura da ordem de serviço para o início da construção da ‘Estrada do Peixe’, em agosto de 2015.

Dino4 Dino5

Passados oito meses após o histórico anúncio, os produtores e moradores de Itans estão desolados com a paralisação das obras por falta de pagamento da Construtora Makete, contratada para executar os serviços pelo governo do Estado.

Vale lembrar que todas as obras inauguradas pelo governador Flávio Dino, foram deixadas adiantadas 90% outras até 95% na gestão da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB). Mas o comunista não teve humildade para falar que são obras iniciadas pela ex-gestora, como os hospitais Regionais de Caxias, Pinheiro e várias MA’s espalhadas pelo Estado.

Por Robert Lobato (Com Edição)

Bombeiros fazem resgate rápido às vitimas de acidente aéreo em Barreirinhas/MA

COMPARTILHE

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) informa que atendeu a ocorrência de queda de um avião no município de Barreirinhas. O fato ocorreu por volta das 10:30h, logo depois da aeronave decolar do aeroporto.

Tão logo tomou conhecimento do acidente, o comando da Corporação mobilizou todas as guarnições da 4ª Companhia Independente de Bombeiros, sediada naquela cidade, se deslocaram para o aeroporto. Os militares usaram uma viatura de combate a incêndio e uma ambulância. Foram adotados todos os procedimentos de resgate e socorro às vítimas, bem como de resfriamento da aeronave, evitando risco de incêndio.
Estavam abordo do monomotor de prefixo PT-CTB o piloto, identificado por Pedro Renan de Oliveira Ribeiro, 24 anos, além dos turistas, Daíses Barbosa Silva, 30 anos; Dário Alexandre D’Santana, 31 anos e Cidilene Alexandre D’Santana, 53 anos.
Os ocupantes ficaram feridos com o impacto da queda e a destruição da aeronave. As vítimas foram levadas com vida ao Hospital Regional da cidade pelos bombeiros e por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As causas do acidente devem ser avaliadas pela Aeronáutica.

Linha Expressa ou Circular?

COMPARTILHE

Os ônibus da segunda Etapa da Linha Expressa Metropolitana, assim batizada pelo governador do Estado Flávio Dino (PCdoB) entregues pelo Governo do Estado juntamente com a Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB), nesta semana, precisam de uma explicação. A pergunta que não quer calar é: Linha Expressa ou Circular? No dia de entrega de ônibus não aparece nenhum empresário. O governador ou prefeito é o gerente das empresas?

Os coletivos que até agora não se sabe quem são os donos, se é o governador Flávio Dino, a MOB ou os empresários que se quer foram licitados. Os ônibus começaram a circular neste sábado (5) na modalidade catraca livre. Mas porque isso? Assim não dar prejuízo para os empresários, ou simplesmente os ônibus não são deles? A ampliação da Linha Expressa de Flávio Dino, vai circular a Ilha de São Luís por quase duas, até chegar ao ponto final, isso se não houver engarrafamento.

A linha Expressa do Maranhão é diferente de todas já implantadas no Brasil agora vai beneficiar os municípios de Paço do Lumiar e Raposa, e tem mais de 1999 paradas, imagina se não fosse expresso. Há sete meses a linha foi testada e atende ao município de São José de Ribamar, sendo que tem quase 100 paradas fixas, sem contar as fora do eixo.

Com a ampliação do serviço, toda a região metropolitana de São Luís passou a ser coberta pelo serviço que oferece ônibus semiurbanos climatizados, com assentos acolchoados e elevadores que garantem acessibilidade aos cadeirantes. Até ai tudo bem. Agora quem disse aos responsáveis pela linha, que ônibus expresso para centenas de vezes no percurso? E os paradores, param milhares de vezes?

 Mas para a MOB a agilidade é o diferencial deste serviço. Segundo eles, a rota trabalha com pontos de parada fixos e as viagens têm redução de tempo em mais meia hora até o centro da cidade. Quem disse isso? Em qual horário foi feita esta pesquisa?

O mais ridículo de tudo é ver e ouvir falar do monitoramento remoto por GPS, onde segundo a MOB os ônibus dessa linha oferecem tecnologia que permitirá ao usuário saber, por meio do aplicativo ‘Meu Ônibus MOB’, em qual horário o ônibus passará por determinado ponto de parada. Qual usuário tem coragem de pegar o celular e ficar cutucando, com ladrões batendo cabeças nos pontos de ônibus? Melhor contar outra.

De acordo com o Itinerário da segunda linha disponibilizado pela MOB, de Expressa não tem nada, está parecendo mais uma linha circular. Haja paciência pra dar tantas voltas na cidade até chegar ao ponto final. Vendo por onde o ônibus vai passar, não seria uma boa opção para quem precisa chegar logo ao seu destino. É bom para quem quer dormir. Demora bastante e com AR condicionado em poltrona acolchoada o sono fica prefeito.

ITINERÁRIO LINHA EXPRESSA II – PAÇO DO LUMIAR

PONTO DE PARTIDA/IDA: Viva Maiobão, Avenida 13, Avenida 03, Avenida 02, Avenida 08, Avenida Contorno Leste, Avenida 01, Vila Epitácio Cafeteira, Vila Marly Abdalla, Avenida do Sindicato, Avenida Doihara, Conjunto Cidade Verde, MA-204, Avenida General Arthur Carvalho, Rua Coronel Eurípedes Bezerra, Rua Celso Paiva, Rua do Aririzal, Avenida Daniel de La Touche, Via Expressa, Avenida Carlos Cunha, Ponte Bandeira Tribuzzi, Avenida Camboa, Avenida Wenceslau Braz, Rua Grande, Rua Silva Maia, Praça Deodoro, Rua Rio Branco, Avenida Beira-Mar, Terminal de Integração da Praia Grande.

VOLTA: Terminal de Integração da Praia Grande, Anel Viário, Rua das Cajazeiras, Rua Senador João Pedro, Avenida Wenceslau Braz, Avenida Camboa, Ponte Bandeira Tribuzzi, Avenida Carlos Cunha, Via Expressa, Avenida Daniel de La Touche, Rua do Aririzal, Rua Celso Paiva, Rua Coronel Eurípedes Bezerra, Avenida General Arthur Carvalho, MA -204, Conjunto Cidade Verde, Avenida Doihara, Avenida do Sindicato, Vila Marly Abdalla, Vila Epitácio Cafeteira, Avenida 01, Avenida Contorno Leste, Avenida 08, Avenida 02, Avenida 03.

ITINERÁRIO LINHA EXPRESSA III – RAPOSA

PONTO DE PARTIDA/IDA: Porto da Raposa, Avenida Principal da Raposa, MA-202, Avenida dos Holandeses, Avenida Colares Moreira, Avenida Castelo Branco, Ponte José Sarney, Avenida Beira-Mar.

VOLTA: Terminal da Praia Grande, Rua das Cajazeiras, Rua Senador João Pedro, Rua Grande, Rua Silva Maia, Praça Deodoro, Rua Rio Branco, Avenida Beira-Mar, Ponte José Sarney, Avenida Castelo Branco, Avenida Colares Moreira, Avenida dos Holandeses, MA-202, Avenida Principal da Raposa, Porto da Raposa.

Blitz Urbana pede direito de resposta ao Portal de Notícias

COMPARTILHE

O Portal de Notícias www.joaofilho.com, abre espaço para o direito de resposta à Blitz Urbana, baseado na publicação feita nesta terça feira (1º) sobre apreensão de mercadorias na Praça da Camboa, em São Luís. Aqui sempre será um espaço democrático, principalmente se houver falhas de checagem como talvez foi o caso da matéria citada, mesmo o editor deste Portal tenha sido testemunha ocular da ação e Opinião é Opinião e precisa ser respeitada . Vendo uma ação truculenta na opinião do redator, talvez o editor tenha exagerado pela emoção e usado palavras de baixo calão referindo-se aos fiscais, a quem é feito publicamente o pedido de desculpas pelo transtorno causado. Diante das explicações da Blitz Urbana baseadas no código de lei que requer direto de resposta, segue abaixo a nota na íntegra.

 

Sr João Filho;
Apesar de nunca ter ouvido falar no senhor, muito menos que havia um blog sobre seu comando. Mas considerando que chegou a meu conhecimento seu testemunho nos chamando de ladrões, o que por si só já configura crime, resolvi antes de qualquer ação formal, lhe permitir direito de retratação pelas informações que abaixo elenco:

  1. A Blitz Urbana como braço executor da política de disciplinamento em áreas públicas, só faz o que está descrito em Lei, ou seja, podemos sim apreender material, produtos, etc… basta consultar a Lei.
    2. São Luís, só na área do Centro, possui cerca de 2.500 comerciantes informais, os quais são cadastrados junto a esse órgão, estes sim, são pais de família como o senhor fala, mas que estão devidamente autorizados à explorarem o serviço em local determinado.
    3. Quanto ao fato em si, para sua informação, já que noticiou e opinou sem ouvir o outro lado. O cidadão “pai de família”, já é velho conhecido, vem de outro Estado todo ano neste período, possui veículo do ano, e já foi notificado cinco vezes, em outros logradouros de São Luis.
    4. Portanto, blogueiro, não se engane, ou se seu objetivo for idôneo, recomendo antes de nos chamar de “ladrões”, ao menos nos ouvir, como se ensina na academia que forma jornalistas.
    Aguardo sua retratação ou nos facultar espaço pra esclarecimentos.

Estradas vicinais chegam às comunidades Oral e Oralzinho, em Bequimão

COMPARTILHE

Poucas pessoas de Bequimão devem saber da existência dos povoados Oral e Oralzinho, na região do Buritirana. É que essas comunidades, até uns meses atrás, eram de difícil acesso; os moradores transitavam somente por “caminhos”, que são trilhas abertas no meio da mata. Mas essa realidade mudou. O prefeito Zé Martins construiu estradas vicinais, beneficiando dezenas de famílias.

A obra começou na MA 106, passando pelos povoados Goiabal, Rola, Marajatíua, Buritirana, Oral e Oralzinho. No total, foram 15km de estradas recuperadas, nos trechos já existentes, ou construídas, onde só havia os caminhos. “A estrada era ruim demais. Palmeira fechada, dava luta de carro vim aí. Era só uma estradinha pequena. Agora pode passar dois carros emparelhados que não se bate; é moto, é tudo. É mais ligeiro agora pro cara fazer uma viagem. Ficou muito bacana mesmo”, contou o morador do povoado Oralzinho, Antônio Luís Lopes Ferreira, de 28 anos.

Moradora do Buritirana desde que nasceu, há 59 anos, Joana Elísia Veloso Sousa lembrou que a velha estrada era de um barro escorregadio. As histórias de sofrimento para chegar até o asfalto da MA 106, entretanto, ficaram no passado. “Agora virou uma estrada maravilhosa. Eu sofri muito indo daqui até a estrada. Pela madrugada, caía, levantava, escorregava. Mas está tudo bem, graças a Deus. Depois que Zé Martins é prefeito, melhorou 100%”, destacou.

A região é muito bonita, cercada de campos alagados e ampla área de palmeiras. Pela estrada, também se pode ver a força da produção pecuária nesses povoados. “Estamos criando condições de acesso a comunidades que nunca tinham sido lembradas em outras administrações. Com isso, facilitamos o deslocamento das pessoas e também favorecemos a inclusão produtiva, porque fica mais fácil escoar os produtos dos agricultores e pecuaristas”, ressaltou o prefeito Zé Martins.

A Prefeitura Municipal de Bequimão, nos últimos dois anos, já recuperou mais de 300km de estradas vicinais. É a maior obra desse gênero já realizada por uma administração no município.

DO TRIBUNA DE BEQUIMÃO

Ferryboat fica à deriva no meio da baía de São Marcos

COMPARTILHE

À tarde desta terça feira (9) vai ficar marcada na memória dos passageiros que faziam a travessia Cujupe/Ponta da Espera na volta do carnaval da baixada maranhense. Após sair do Porto de Cujupe às 14:30h, o Ferryboat Baía de São José teve um problema no meio da baía e ficou à deriva por mais de meia hora. Lotada a cada centímetro quadrado, a embarcação passou a funcionar apenas um motor, o que atrasou a viagem em quase duas horas.

O Ferryboat Baía de São José que fazia uma viagem extra, só conseguiu atracar na rampa da Ponta da Espera após ajuda de rebocadores. Sem forças para enfrentar a maresia, a embarcação veio a passos de tartarugas. Só para que os senhores tenham uma ideia da demora, os passageiros conseguiram sentar os pés em terra firme quase às 18h, momento em que muitos se ajoelhavam e agradeciam à Deus pela oportunidade de chegarem vivos em São Luís.

O Ferryboat que saiu meia hora depois do Baía de São José, chegou primeiro e vários passageiros que iriam se encontrar do outro lado do mar, tiveram que aguardar por horas a chegada de quem deveria já está na Ponta da Espera. O pior de tudo, é que não é a primeira vez que acontece esse problema com os Ferryboats. Uma tragédia já está anunciada e pode ser muito tarde quando for tomada uma “Providência”.

Segundo passageiros que estavam na embarcação; a lotação estava sem controle e a venda de passagem estava sendo no atacado, já que o número de viajantes era muito grande no terminal do Cujupe. O acabou perdendo o controle no momento da entrada no Ferryboat. Graças a Deus mais uma vez os passageiros foram salvos de uma tragédia. Até agora a MOB (Agência de Mobilidade Urbana) continua em silêncio e nenhuma nota foi publicada sobre o assunto.

 

Com passagens esgotadas, não há previsão para viagens extras de Ferryboat

COMPARTILHE

Quem pretende viajar de Ferryboat para a Baixada Maranhense por algum tipo de veículo, não será possível no período de carnaval. As passagens encontram-se todas esgotadas nas duas empresas que prestam esse serviço. De acordo com o gerente técnico da Servi Porto, Landrin Sandin, nesta época as vendas aumentam 40% e todos os bilhetes foram vendidos de forma antecipada.

A orientação de Sandin é que as pessoas sigam viagem por terra, para evitar algum tipo de transtorno. “Não teremos viagens extras. O melhor é que as pessoas evitem ir até o terminal para ficar esperando.

“Colocamos até outros horários para atender esta demanda, e agora está tudo esgotado”, ressaltou. Na sede da empresa, algumas pessoas tentavam comprar passagens. Foi o caso do operário Rubenilson Sousa. “Vim aqui tentar, quero ir para Pinheiro na sexta-feira. Se eu não conseguir, o jeito é pegar o carro, e ir pela estrada, porém leva mais tempo pra chegar. Vou ter que seguir por terra mesmo”, afirmou.

A Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB) informou que, para garantir mais tranquilidade aos passageiros do serviço de Ferry Boat, a Portaria Nº 044/2015, em vigor desde julho do ano passado, estabelece horários fixos de viagens para dias convencionais e atípicos. A Portaria estabelece cotidianamente 12 viagens sentido Ponta da Espera – Cujupe/Cujupe – Ponta da Espera. Para os dias em que há maior demanda de passageiros nos Terminais, como nos feriados, a Portaria também prevê viagens extras, com horários previamente estabelecidos e que podem chegar até 20 viagens.

Desde 2015, MOB e Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) trabalham conjuntamente no sentido de orientar o passageiro sobre a compra antecipada de passagens, medida que segundo eles, tem diminuído gradativamente a formação de filas de espera no terminal. Vale ressaltar, que as campanhas da MOB são todas pela internet, o que dificulta a comunicação com os passageiros, haja vista que grande maioria não tem acesso as ferramentas usadas pelo órgão fiscalizador. Os bilhetes para viagens adicionais, com horários já determinados pela Portaria, encontram-se à venda nos boxes das empresas operadoras, localizados no Posto Bacanga, na Areinha.

APROXIMADAMENTE 90 MIL PASSAGEIROS
Durante o carnaval de 2014, os Ferryes chegaram a transportar quase 90 mil passageiros. No último ano, MOB e a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), conjuntamente, intensificaram o trabalho de campanhas de conscientização do usuário para a compra antecipada de bilhetes. Artur Cabral, presidente da MOB, orienta que a venda antecipada é uma determinação para garantir o bem estar do usuário: “Com a medida, a formação de filas de espera para embarque nos Ferry’s tem sido gradativamente reduzida, garantindo mais comodidade e tranquilidade aos passageiros na hora das viagens”. NOTA DA MOB.

MOB1MOB2

O IMPARCIAL ONLINE

 

 

 

Zé Martins e deputado Waldir Maranhão solicitam reinício de asfaltamento na Cidade Nova e Estiva

COMPARTILHE

*TRIBUNA DE BEQUIMÃO*

O prefeito de Bequimão Zé Martins, acompanhado do deputado federal e vice-presidente da Câmara Federal, Waldir Maranhão, visitou o secretário Estadual de Infraestrutura (SINFRA), Clayton Noleto Silva, para solicitar a conclusão da pavimentação asfáltica na Cidade Nova e na Estiva. A reunião aconteceu na segunda-feira (25), em São Luís.

Noleto autorizou o reinício da obra, que deve acontecer ainda no mês de fevereiro. Do convênio assinado no governo Roseana Sarney, está faltando cerca de 1km de vias para receber o asfalto e serviços de sargetamento e meio fio.

Na Cidade Nova, será pavimentada a Rua João Balbino Rodrigues, que começa na antiga Emater e passa por detrás do estádio Vivaldão. Nessa rua e na Rua Capinzal, serão feitas sarjetas de concreto e meio fio. A Estiva receberá asfalto na Rua 07, no trecho que liga a ponte da entrada do bairro até a outra ponte que fica depois do colégio Domingos Bouéres.

Por meio desse convênio, já foram asfaltadas as ruas do Capinzal, Pedro Paixão e Francisco Rodrigues, na Cidade Nova, bairro que nunca havia recebido pavimentação asfáltica. “Nessa reunião, conseguimos assegurar o reinício e conclusão da obra. Estamos trabalhando para que os benefícios dos convênios já assinados cheguem, integralmente, às pessoas de Bequimão”, garantiu o prefeito.

Essa MOB é um câncer que chegou para atrapalhar nosso trabalho, denuncia um funcionário do Ferryboat.

COMPARTILHE

Com essa frase acima, um funcionário que já trabalha no Ferryboat há 15 anos, classificou a Agência de Mobilização Urbana (MOB), que nada mais, nada menos, é um cabide de emprego do governo do Estado. Conversando com esse funcionário que conhece muito bem a travessia Cujupe/São Luís/Cujupe, ele foi categórico em afirmar que nunca viu tanta babaquice por parte da MOB, quanto ver nos dias atuais. “Eles inventam coisas e não conhecem a realidade da travessia. É um câncer que foi criado para desempregar muita gente e se não for tomado uma providência por parte do MP (Ministério Público), podemos retroceder, voltar a viajar de barco a vela. Tem dia que eles entram nos Ferryboats e se acham, ficam dando ordem aos nossos funcionários, até ameaçam. Está proibindo os idosos ficarem dentro dos ônibus e obrigam muitos a subirem escadas e ficarem no salão de passageiros. Estão acabando com nossa tranquilidade, estão se sentido autoridades” – disse o marinheiro.

“Na saída do Ferry, Idosos, Crianças, Mulheres gestantes e até cadeirantes, são obrigados a saírem do Ferryboat e pegarem uma Van da EMAP (Empresa Maranhense de Administração Portuária), que finge ajudar no trajeto até o terminal de embarcação. Tem dia que tem MOB, vigilância Sanitária, Receita Estadual e até Aged na fiscalização, simplesmente com o intuito de encher geladeiras e mais nada” – disse.

Questionado sobre as viagens, o passageiro não escondeu o jogo. “É bom para os passageiros, mas as empresas estão trabalhando apenas para pagarem despesas. Já teve mês de funcionários receberem salários na metade do mês. E pode piorar; a Fulana MOB já requereu que pretende tomar conta da venda de passagens, o que pode ocasionar inúmeras fraudes e piorar ainda mais o transporte aquaviário. Nunca trouxeram um projeto para melhorar, só querem pressionar os empresários e mais nada. Quando a bomba é quente, ninguém aparece. Mas quando o assunto é grana, vem em cardume” – desabafou.

Sobre as licitações para o transporte, o funcionário até sorriu. “Quem vai se habilitar entrar em uma barca furada dessa? Flávio Dino que um seguro de 150 milhões de reais, e mais nada. O governador está pensando que comprar Ferryboat é igual alugar Viaturas em Manaus-AM. São caros e a manutenção é mais cara ainda. Se não der os 150 milhões de reais como seguro; não concorre a licitação. Já vi de tudo no Maranhão, mas neste governo, me parece que o Palácio dos Leões virou um criatório de Jegues. A imprensa precisa se infiltrar durante essas viagens, vão flagrar muita coisa dessa MOB” – disparou.

“As vezes me dar ódio, mas fazer o que? Nunca levei sequer uma chamada de meu chefe, já trabalho há 15 anos na empresa e sei o quanto o patrão é responsável com suas obrigações. Mas as vezes ninguém aguenta tanta chatice. Eu acho que Flávio Dino pensa que os Ferryboats são de Sarney. Não vejo ninguém da MOB se preocupar com os passageiros dos ônibus coletivos. Será que é porque não tem como faturar? Já pedi várias vezes para ser demitido, não tenho mais saco para tolerar essas chatices. Já chegamos ao ponto de termos fiscal anônimo junto com a gente” – finalizou.

 

 

SMTT está com todas as linhas telefônicas cortadas há três meses por falta de pagamento

COMPARTILHE

Comunicação com a Secretaria Municipal de Trânsito & Transporte de São Luís (SMTT), só via rádio. Os números que serviriam para contato com a SMTT foi bloqueado pela empresa de telefonia por falta de pagamento. Segundo um agente de trânsito da SMTT, a linha telefônica da sede foi bloqueada há três meses e até hoje a conta não foi paga. Os números dos terminais de Integrações também foram cortados.

O número de contato na sede da SMTT seria 32141128, mas infelizmente foi bloqueado.  De acordo com o agente de trânsito, o problema é grave na sede da SMTT, e outros fornecedores de serviços estão sem receber há mais de seis meses. “Tem dia que faz fila de cobradores na porta da sede da SMTT atrás de grana, mas não vejo nenhum sair feliz; só xingando e irritado. A coisa não tá fácil, nem para o órgão e muito menos para os fornecedores. Ainda não cortaram a energia elétrica e água da sede, não sei nem porque” – destacou o agente.

O Secretário Municipal de Trânsito & Transportes de São Luís, é o engenheiro Canindé Barros, agora aposentado pelo Estado. Sem comunicação, o editor deste Portal não teve como entrar em contato com o secretário, mas abre espaço para qualquer explicação, se houver como explicar.

Números que a SMTT disponibilizou para atendimento, que por falta de pagamento, já está sento utilizado por outra empresa, como é o caso do número 32121145, que já pertence ao Hotel Brisa Mar. Abaixo a lista de números que seriam úteis e estão bloqueados na SMTT.

CAN1 CAN2

CAN3

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free