casa » TRABALHO (página 17)

TRABALHO

Sindicado dos Servidores Municipais tem novo Presidente

COMPARTILHE
Sindicato dos Servidores de Bequimão

Sindicato dos Servidores de Bequimão

O Sindicato dos Servidores Municipais de Bequimão (Sismubeq) realizou hoje (10) eleição para a escolha da nova diretoria para o mandato de dois anos. Diferente das últimas eleições, que o presidente sempre foi aclamado, desta vez houve duas chapas. Uma chapa foi encabeçada pela atual presidente, Vande Lourdes. Já a segunda chapa foi formada pelo professor Ivaldo Oliveira, que tinha apoio do ex-prefeito Antônio Diniz (PCdoB). No total, 467 associados estavam aptos a votarem nesta eleição e escolherem o melhor para o Sindicato.

E como diz o provérbio futebolístico, que em time que está ganhando não se mexe, os servidores optaram pela permanência da atual presidente, Vande Lourdes, que foi eleita para comandar a casa dos associados por mais três anos. Na votação, Vande Lourdes recebeu 209 votos contra 133 de Ivaldo Oliveira; uma diferença de 76 votos. Com isso, Diniz sofre mais uma derrota em Bequimão.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bequimão foi fundado em 28 de Maio de 2005.  De acordo com o professor Marcelo Almeida que escreveu em sua página no facebook, durante esses nove anos de existência, o Sismubeq conseguiu conquistar uma série de direitos para os servidores que viviam a mercê, sem ter a quem recorrer.

 Não estou dizendo que esgotaram as necessidades de conquistas por parte dos servidores, seria pueril e até hipócrita da minha parte. Ao contrário, muito ainda tem que ser feito, muita coisa ainda precisa mudar em nosso município – disse o professor Marcelo.

Marcelo Almeida ainda ressaltou que, ainda é preciso muitas lutas, muitas idas e vindas e muitos sacrifícios. A verdade é que hoje quando o servidor tem algum problema, alguma dificuldade, ele não fica à deriva, ele recorre ao sindicato do servidor.

 Para finalizar, Marcelo deixou uma frase aos companheiros de luta. “SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ, SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA LUTA E NOSSA VOZ”.

A posse da nova diretoria vai acontecer dia 28 de maio, exatamente na data em que o Sindicato completará nove anos de lutas.

Vereador Ivaldo Rodrigues tem agenda superlotada

COMPARTILHE
Ivaldo Rodrigues na tribuna do plenário

Ivaldo Rodrigues na tribuna do plenário

Para muita gente, a semana começa na segunda feira. Mas para o vereador e pré candidato a deputado estadual, Ivaldo Rodrigues (PDT), os meses não tiveram mais semanas. Com agenda lotada de compromissos, o parlamentar só tem um horário para dormir, e olha que não é muito tempo assim. Nesta semana, por exemplo, tudo começou no sábado dia 26, quando bem cedo, Ivaldo saiu para encontros com lideranças na grande São Luís. Ao meio dia, o Vereador já estava em um almoço com os prefeitos que fazem parte do COMEFC, em comemoração ao primeiro ano de lutas.

Mas você acha que parou por aí? Nunca, aqui é trabalho meu filho; já dizia um filósofo futebolístico, chamado Muricy Ramalho. Ainda no sábado, no período da tarde, Ivaldo visitou várias comunidades na região metropolitana de São Luís. E a luta continuou. A noite o Vereador foi até o salão de eventos do Hotel Pestana, no bairro do Calhau, onde recebeu uma “Placa” em homenagem ao primeiro aniversário do Consórcio dos Municípios da Estrada de Ferro no Maranhão – COMEFC, o qual faz parte desde o nascedouro do projeto.

Após o recebimento da homenagem, Ivaldo se despediu dos amigos e correligionários e seu sua caminhada rumo a cidade de Morros, que faria aniversário no domingo dia 27. Chegando já nas primeiras horas de Domingo, na cidade de Morros, Ivaldo foi descansar, até porque ninguém é de ferro.

Antes de o sol aparecer, Ivaldo Rodrigues abriu a janela e mostrou sua cara na cidade aniversariante. Logo ali, o futuro deputado estadual, foi para um café da manhã com amigos e lideranças do município. Após o café, começaram as visitas ao povo da cidade. Tudo isso, durou o dia inteiro. De volta a capital maranhense, Ivaldo Descansou, mas a segunda feira já batia em sua porta.

E como quem madruga, Deus ajuda, a luta continuava. Às 8:00h da manhã, Ivaldo já estava se reunindo com lideranças do bairro São Bernardo, para buscar soluções para os problemas daquele povo. Após percorrer a comunidade, o Vereador seguiu com destino a Câmara Municipal, seu ambiente de trabalho.

Ivaldo Rodrigues participou da seção e ainda ocupou a tribuna para agradecer o prêmio que havia recebido do COMEFC. Estou feliz, me sinto orgulhoso de poder ser reconhecido e receber um prêmio tão importante como este. A luta não parou por aí, vamos buscar mais projetos para desenvolver este  estado – disse Ivaldo Rodrigues.

Após a seção da Câmara, Ivaldo ainda participou de reunião do Partido (PDT) e gravou programa publicitário para televisão. Toda essa maratona encerrou-se no final da noite desta segunda feira (28).

Oliveira Andrade é o novo narrador da TV Bandeirantes

COMPARTILHE
Locutor Oliveira Andrade

Locutor Oliveira Andrade

Com o lamentável falecimento do inesquecível locutor esportivo Luciano do Valle, a TV Bandeirantes precisou contratar mais um experiente nome para integrar sua equipe de narradores para a transmissão da Copa do Mundo, aqui no Brasil.

Na noite desta quinta-feira (24), houve uma nova reunião entre a direção da Band, para definir o novo contratado. O escolhido foi o competente Oliveira Andrade (foto), que já trabalha no grupo há quase dois anos, no BandSports, canal esportivo a cabo fundado em 2002. Oliveira Andrade já havia trabalhado na Band entre 1999 e 2001.

Agora em 2014, Oliveira seria o principal narrador do BandSports na Copa do Mundo, mas devido aos acontecimentos, acabou efetivado no canal aberto (Band). Ele começará imediatamente, ou seja, já narrando jogos do Campeonato Brasileiro.

Oliveira Andrade tem 64 anos e já passou pelas mais importantes emissoras de TV do Brasil, como Globo e Record, como também já narrou várias Copas do Mundo.

Além da TV, atua todas as manhãs na Rádio JovemPan AM.

A confirmação põe fim às especulações de quem ficaria com a vaga de Luciano do Valle, que faleceu no último sábado (19), decorrente de um infarto. Os nomes de José Silvério e de José Luiz Datena chegaram a ser cogitados para a vaga, mas a direção preferiu por uma decisão mais lógica.

Oliveira Andrade chega para reforçar a equipe de esportes da TV do Morumbi, mas não será o principal locutor. A direção entende que Téo José, até por uma questão natural, deve narrar os jogos da Seleção Brasileira no Mundial.

Além da Band, a Globo também fará a cobertura da Copa do Mundo na TV aberta. Em televisão fechada, SporTV, BandSports, ESPN Brasil e Fox Sports farão a transmissão. O evento acontece entre os dias 12 de junho a 13 de julho.

“Sou boa de briga & dura na queda”

COMPARTILHE
A Jornalista ao lado do Homem do baú

A Jornalista ao lado do Homem do baú

*Texto da Veja SP*

Nas duas semanas em que tirou folga para descansar em sua cidade natal, João Pessoa, na Paraíba, Rachel Sheherazade, 40 anos, não conseguiu se desligar do trabalho. Calcula que passou metade do tempo concedendo entrevistas para negar rumores a respeito de sua demissão. Segundo os boatos, o canal de Silvio Santos teria cedido à pressão para tirar do ar a estrela do SBT Brasil, que vem provocando enormes discussões, sobretudo na internet, com declarações a respeito de temas como aborto (ela é radicalmente contra a legalização) e segurança pública (certa vez, afirmou ser compreensível a atitude de vingadores que prenderam num poste um bandido no Rio de Janeiro). Quase no fim das férias, a apresentadora recebeu uma ligação da secretária do presidente da emissora, Guilherme Stoliar. Ela a convocava para uma reunião na última segunda-feira (14), a mesma data prevista para Sheherazade retornar à bancada do programa que vai ao ar de segunda a sexta às 19h45. O encontro, ocorrido a portas fechadas no 4º andar da sede da empresa, às margens da Rodovia Anhanguera, durou aproximadamente uma hora e meia e resultou na decretação de uma espécie de lei do silêncio para a jornalista.

Além de Sheherazade e de Stoliar, estavam presentes na sala o vice-presidente do canal, José Roberto Maciel, o diretor de jornalismo, Marcelo Parada, e o diretor de produção, Leon Abravanel, que é também irmão de Silvio. Esses executivos a proibiram de continuar emitindo no ar as opiniões polêmicas que provocam amor e ódio nas redes sociais, com o objetivo declarado de preservar a imagem da funcionária. Na mesma ocasião, a apresentadora ouviu do presidente do canal a promessa de que vai comandar um programa-solo no segundo semestre. A atração, semanal e com uma linha editorial opinativa, seria uma ideia de Silvio Santos. Nos últimos tempos, o homem do Baú vem elogiando o desempenho de Marcelo Rezende, cujo programa Cidade Alerta, na Record, fica sempre acima da média de 10 pontos de audiência no horário. Dentro do SBT, Sheherazade é vista com potencial para se tornar um “Datena de saias”.

Em entrevista a VEJA São Paulo poucas horas antes de apresentar o telejornal, com um clima de tensão entre a equipe, a apresentadora mediu cada palavra ao falar e procurou fazer um balanço positivo dos últimos dias. “Às vezes, é preciso dar um passo para trás antes de dar um salto para a frente”, afirmou. “Sofro com as pressões, mas sou boa de briga e dura na queda. Além disso, a decisão de suprimir os comentários não é definitiva. Meu estilo de jornalismo é de posicionamentos firmes. Jamais poderia ficar em cima do muro. Essa sou eu e é por isso que fui contratada.”

Jornalista inteligente & corajosa

Jornalista inteligente & corajosa

Um dos motivos do recuo do SBT envolve segurança, de Sheherazade e da empresa. Nos últimos tempos, a jornalista recebeu ameaças em posts da internet e torpedos de celular. Avisos do mesmo tipo começaram também a chegar a membros da equipe do telejornal. A apresentadora foi orientada a trocar de telefone, passou a ter um serviço de escolta do canal nos deslocamentos do trabalho para casa e mandou blindar seu carro e o do marido, o corretor de imóveis Rodrigo Porto. Em fevereiro, uma manifestação contra Sheherazade chegou a ser marcada para ocorrer na porta da emissora, que procurou autoridades como a Dersa para criar um plano de emergência. A mobilização popular, porém, acabou não acontecendo.

Outra questão que incomoda são as pressões políticas. Deputados do PSOL e do PCdoB entraram no mesmo mês com representações no Ministério Público contra a âncora e a emissora para que ambas respondam civil e criminalmente por apologia ao crime. Isso ocorreu depois de Sheherazade dizer no ar que era compreensível a atitude dos vingadores no Rio de Janeiro. A gota d’água para limitar a liberdade da jornalista no SBT ocorreu quando chegou aos executivos do canal o vídeo de um discurso que ela fez durante as férias na Paraíba, ao receber a condecoração simbólica de diploma de honra ao mérito na Câmara dos Vereadores de João Pessoa. “A emissora em que trabalho tem garantido esse direito (de falar) a duras penas, sendo chantageada por partidos políticos, podendo perder uma concessão pública”, disse, na ocasião.

Além de avaliarem que a funcionária estava falando demais, os diretores passaram a ter medo de perder patrocínios, principalmente do governo federal, e, em um ano eleitoral, de que partidos políticos usassem nas campanhas trechos do telejornal para criticar adversários. Em mais de uma ocasião, Silvio Santos teria repetido aos seus diretores que o SBT não está a serviço de nenhum partido. Funcionários da casa dizem que o patrão reconhece a ajuda do PT para encontrar uma saída para o Banco Panamericano. Em 2010, uma auditoria do Banco Central mostrou que a instituição do empresário tinha um rombo de 4,3 bilhões de reais. O banco acabou socorrido pelo Fundo Garantidor de Crédito e, depois, foi vendido ao BTG Pactual por 450 milhões de reais.

Para ser Jornalista, tem que ter coragem

Para ser Jornalista, tem que ter coragem

Desde que foi contratada pelo SBT e se mudou de João Pessoa para São Paulo, em 2011, Sheherazade gozava de plena autonomia. Nem sequer precisava aprovar com a chefia o texto que iria ler no ar. Essa liberdade fez com que seus comentários polêmicos chamassem mais atenção do que o próprio programa, que registra uma média de 5 pontos de audiência. “Antes dela, quem se lembrava do SBT Brasil?”, pergunta Flávio Ricco, crítico de TV do portal UOL. Entre outras coisas, a jornalista defendeu o direito do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) de permanecer na Comissão de Direitos Humanos da Câmara (“gostem ou não, ele foi eleito democraticamente”) e criticou o presidente do Uruguai, José Mujica, por ter descriminalizado a maconha (“o país vai passar de repressor do tráfico a sócio de traficantes”). Suas opiniões ganharam eco nas redes sociais. A cada posição tomada, mais vídeos eram colocados no YouTube. A âncora do SBT gostou dessa exposição. “Fui criando várias contas no Facebook devido ao grande número de pedidos de amizade”, relata. Cada perfil comporta apenas 5 000 amigos, e Sheherazade, assim, está em sua sexta página. Há seis meses, contratou uma pessoa para gerenciar suas contas e bloquear aqueles que colocam comentários grosseiros. Segundo ela, no entanto, a maioria das manifestações é de fãs de seu trabalho, que a param na rua para lhe dar apoio. “Muitos falam para eu não me dobrar e pedem para tirar foto comigo”, afirma.

O efeito colateral do sucesso que mais a preocupa é a exposição da família. “De tanto ouvir coisas sem nexo, meu filho mais novo acabou chorando na frente do professor na escola. Ele estava com medo de a mãe ser presa”, diz Rodrigo Porto, que largou a profissão de corretor em João Pessoa para acompanhar a mudança da mulher para São Paulo. Porto se desfez de seu perfil no Instagram por receber ameaças e palavras grosseiras. Além de escolta e do carro blindado, Sheherazade faz caminhos diferentes toda vez que sai de casa. Sua vida, na verdade, é bastante reclusa. Tem poucos amigos. Evangélica, mantém sagrado o costume de frequentar a Igreja Batista aos domingos. “A título de curiosidade, eu era católico quando conheci a Rachel”, afirma Porto. O encontro se deu há doze anos em João Pessoa. Amigas dela fizeram as vezes de cupido, pois acharam que Porto — que tem 1,83 metro de altura, peito estufado pelo supino de academia e cabelo batido à galã de novela — faria o gosto de Sheherazade. Em uma semana de namoro, ele a pediu em casamento. Ela desconfiou de que se tratava de papo-furado, mas em seis meses cedeu e marcou o enlace.

A apresentadora é uma das quatro filhas de um casal de funcionários públicos, dona Hosana e seu Dirson. Depois de se divorciarem, nos anos 80 (quando Sheherazade era adolescente), o pai se casou novamente e teve outros dois filhos. Hoje, mora em Maceió. Hosana permaneceu solteira. “Passei quatro anos da minha vida nos Estados Unidos”, conta. “Trabalhei como estoquista de supermercado e faxineira em mansões.” Nessa época, Sheherazade ficou no Brasil, morando com a avó materna. Hosana sente orgulho da situação atual da filha. “Ela está construindo uma casa aqui em João Pessoa e, quando vem aqui, o povo não lhe dá sossego.”

Durante o curso de jornalismo na Faculdade Federal da Paraíba, Sheherazade trabalhou como professora de inglês até ser aprovada no concurso como técnica judiciária do Tribunal de Justiça, ocupando o cargo de escrevente na Vara da Família, com salário de 3 600 reais, em valores atualizados. Nesse período, fez um teste no escritório da Record de João Pessoa e foi aprovada como repórter. Nove meses depois, migrou para a afiliada da Rede Globo, onde ficou por dois anos, até ser convidada para ocupar a bancada do telejornal local do SBT. Começou ali a burilar seu estilo de comentários. Um vídeo seu com críticas ao Carnaval acabou no YouTube e foi visto por Silvio Santos em 2011, que a chamou para trabalhar na sede da emissora. Durante todos os anos em que atuou como jornalista na Paraíba, Sheherazade tinha dupla jornada: mantinha o emprego de meio período como escrevente e, depois, como assessora de imprensa do Tribunal de Justiça. Deixou o funcionalismo público após a mudança para São Paulo.

O contrato dela com a emissora do homem do Baú foi renovado no ano passado, quando seu salário mensal mais que duplicou: passou de 40 000 para 90 000 reais, além de ela ter o aluguel de sua casa pago pela empresa. Graças à popularidade de seu nome, o Partido Ecológico Nacional (PEN) a convidou para sair como vice-presidente da República. Também teria recebido proposta do Partido da República (PR) para disputar vaga como deputada federal. “Estou empenhada no jornalismo, por isso recusei”, diz. “Mas não descarto a possibilidade no futuro.” Na imprensa, um de seus principais ídolos é o cineasta e comentarista Arnaldo Jabor. “Ele tem posições contundentes e faz um trabalho com o qual me identifico”, explica. Sheherazade também respeita o apresentador José Luiz Datena, da Band. “Só não gosto muito do formato de seu programa atual”, comenta. A “Datena de saias” sonha em comandar uma atração jornalística que misture reportagens policiais com assuntos como educação e saúde. Naturalmente, tudo isso embalado por seus comentários. “Não vou me calar”, promete.

Confira o Ping-Pong da Jornalista com a Veja SP:

raquel 1

raquel 2

raquel 3

Rodoviários decidem parar São Luís pela 4ª vez consecutiva

COMPARTILHE
Terminal vazio do jeito que os "Sem Juízo" querem

Terminal vazio do jeito que os “Sem Juízo” querem

Agora me responde uma coisa Percival: até quando vamos ter que suportar essa palhaçada de recolher os coletivos todos os dias às 18hs? O jornalista Abimael Costa, foi feliz quando classificou essa atitude, de “medida autoritária e intransigente” do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema), Gilson Coimbra. Será que ele já se acha o dono da cidade ou tem poder para enfrentar a própria lei? As faculdades estão há dois dias sem aulas e vão continuar? São milhares de alunos sendo prejudicados, o comércio fechando as portas mais cedo e arcando com incalculáveis prejuízos. Mais de 700 mil pessoas ficaram sem ter como se locomover. Cadê o direito de ir e vir? Cadê a Drª Lítia Cavalcante, que não reage aos ditadores do transporte coletivo de São Luís? Afinal de contas os passageiros são consumidores e estão sendo esculachados e ninguém se manifesta.

Hoje (31) à tarde houve uma assembleia e a categoria decidiu manter a paralisação, mesmo depois de todas as garantias feitas pelo Comando Geral da Polícia Militar, durante reunião entre representantes do (Sttrema) e o Comando Geral da PM. Agora eu te pergunto Percival: quem vai acreditar nessa hipótese? Se existe esse esquema de segurança em São Luís, por que já não havia sido executado? Ah, são 80 policiais, e como é que vão dar conta da segurança de centenas de ruas e avenidas de São Luís? É querer fazer milagre. Mas só Jesus pode fazer isso.

Segundo Gilson Coimbra, a categoria entende que não há segurança suficiente para que os profissionais exerçam suas atividades, já que o efetivo designado pela Polícia Militar é pequeno para garantir a segurança dos rodoviários. Mas será mesmo, que essa paralisação é só por falta de segurança, ou tem cartas brancas por traz de tudo isso? Essa história está me cheirando um questionamento de aumento salarial e uma verdadeira pressão aos gestores municipais para aumentar a passagem.

Uma nova reunião para avaliar o movimento está marcada para esta terça-feira (1º/4) no período da tarde. Essa ladainha já está ensaiada faz tempo e no final vai sobrar justamente para os trabalhadores. Isso é uma falta de respeito com os usuários. Porque não resolvem essa porcaria nos bastidores sem prejudicarem a população?

MEDIDAS:

1ª – Criação de um Serviço de Inteligência exclusivo para apurar e agir sobre os assaltos à ônibus.

2ª – O policiamento ostensivo da “Rotam” nos corredores de transporte será deslocado também para dentro dos bairros em pontos críticos.

3ª – Parceria com a Guarda Municipal dentro dos Terminais de Integração agindo de maneira ostensiva.

4ª –“Polícia Embarcada”, que significa um policial fardado dentro de ônibus em trechos específicos.

Será designado um delegado especial para lidar especificamente com assalto a ônibus e o Sindicato vai trocar informações com a polícia através de um telefone que vai funcionar como uma espécie linha direta.

 

Palhaço se destaca e vira a maior audiência do rádio FM no Maranhão

COMPARTILHE

 

Palhaço Azedinho em suas ações

Palhaço Azedinho em suas ações

O maranhense Flávio Adiel Pereira Amorim, mais conhecido como Palhaço Azedinho, de 28 anos, vem fazendo grande sucesso no rádio FM do Estado do Maranhão. Com uma história de vida sofrida, Azedinho começou sua caminhada ao sucesso, justamente  aos 14 anos de idade quando entrou em um projeto social chamado Circo Escola, onde aprendeu números importantes, que hoje fazem a diferença.

Mas, nada acontece por acaso. De acordo com os depoimentos de Azedinho, o circo não tinha palhaço e o professor optou por ele na hora da apresentação. Pensa que Azedinho se irritou com isso? Jamais! Ele adorou a ideia, já que era muito fã de palhaços. Na hora da apresentação, Azedinho surpreendeu a todos, inclusive ao professor. Daí em diante, Azedinho foi convidado pelo saudoso Palhaço, conhecido como Pingo, para fazer algumas apresentações, mesmo sem experiência.

Corajoso e audacioso, Azedinho encarou o desafio que lhe rendia R$ 10,00 por diária. Mesmo assim, Adiel era o garoto mais feliz do mundo, já que estava fazendo o que sempre sonhou e ainda ajudava sua mãe.

Tentando buscar seu espaço no mercado, o Palhaço Azedinho recebeu vários “Não”, mas, mesmo assim, ele nunca desistiu de seu grande sonho profissional. Com ajuda de várias pessoas, Flávio Adiel, é hoje o Palhaço mais querido e amado, tanto pelas crianças, quanto pelos adultos. E quando se trata de festas; o Palhaço Azedinho sempre é solicitado. Tanto faz infantis, batizados, casamentos, formaturas ou até em festas de separação. Basta chamar, que Azedinho vai está por lá, seja para animar ou consolar.

Orgulhoso de sua história, o palhaço diz que ainda teve a felicidade de fazer parte do circo do Marcos Frota, no ano de 2006. Conhecido e respeitado pelo grande público, Azedinho já se apresentou em grandes eventos e para várias autoridades do Estado do Maranhão. Além disso, Azedinho faz ações promocionais e foi assim que acabou sendo contratado por uma rádio FM, onde hoje tem a maior Audiência do horário matutino.

Brincalhão e amigo, Azedinho leva a sério tudo que faz e por isso é considerado um profissional respeitado no mercado maranhense. Questionado sobre sua vida sentimental, Azedinho se esquivou e disse que não gosta de entrar em detalhe.

Antes de trabalhar como palhaço, Azedinho que não era Azedinho; trabalhou em pet shop, supermercado, já vendeu suquinho e por ai vai. Apaixonado pelo que faz Azedinho se lembra do tempo em que saia de casa às 6h da manhã, e retornava às 22h pra ganhar apenas R$ 10,00. Perguntado quanto à outra profissão, Azedinho foi categórico e disse que se não fosse palhaço, seria um policial, mas acha muito perigoso.

Torcedor do São Paulo Futebol Clube, Azedinho lembra o tempo em que seu pai vendia bombons na Avenida Magalhães de Almeida, no centro da capital maranhense. Segundo o palhaço, ele não conhece a felicidade, mas já teve vários momentos felizes, inclusive com seu filho e sua profissão.

Com muita humildade, o palhaço Azedinho, hoje é o maior exemplo de dedicação, profissionalismo, respeito e trabalho.

Contatos:

Flavio Adiel (palhaço Azedinho)
contato: 88337545 / 32734575

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free