casa » SAÚDE

SAÚDE

Vacinação contra a gripe vai até dia 22 de junho e município de Bequimão atinge meta do Ministério da Saúde

COMPARTILHE

Mesmo atingido a meta de Vacinação contra a gripe do Ministério da Saúde (MS) no Estado, o MS prorrogou a data de vacinação até a próxima sexta-feira, dia 22 de junho no município de Bequimão. Quem ainda não vacinou contra a gripe pode procurar um Posto de Saúde mais próximo de sua residência ou se dirigir até o Centro de Saúde de Bequimão, localizado no Antigo Hospital, no Centro da cidade.

Com a atualização do Sistema de Vacinação, o município de Bequimão ultrapassou a meta que era de 90%, e atingiu 95,06%, o que o colocou em terceiro lugar no Ranking geral do Estado do Maranhão. Isso mostra o compromisso da Secretaria Municipal de Saúde. A meta da gestão agora, é ultrapassar os concorrentes e brigar pela primeira colocação.

Para o Secretário de Saúde, Sidney Bouéres, o feito não é surpresa para a gestão, já que todo mundo está empenhado em bater a meta. “Nossa equipe se dedicou muito durante todo período e nossa meta foi atingida e estamos em terceiro lugar no ranking, ultrapassando nossa meta, que era de 90%. Hoje estamos com 95,06% da população vacinada e vamos melhorar nossa posição até o dia 22”, destacou o secretário.

QUEM PODE SER VACINADO?

 

 

Bequimão vai receber serviços da Caravana Maranhão Quilombola dia 26 de junho

COMPARTILHE

O município de Bequimão no Litoral Ocidental Maranhense, vai receber no dia 26 de junho, a Caravana Maranhão Quilombola, uma parceria do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Igualdade Racial com a Prefeitura de Bequimão, através da Secretaria Municipal de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, com o apoio das Secretarias de Educação, Saúde e Assistência Social.

A reunião de alinhamento estratégico para que Bequimão receba à “Caravana Maranhão Quilombola”, foi realizada entre os secretários responsáveis e representantes do Governo do Estado. A ação vai envolver todas as Comunidades Quilombolas do município, que receberão esse importante evento de implementação de ações e serviços, voltados e focados para politicas publicas de fortalecimento à população quilombola bequimãoense.

A Comunidade de Ramal de Quindiua, que será Polo dessa Ação, será beneficiada com diversos tipos de atendimentos de saúde. Todas as comunidades da região serão beneficiadas, assim como as demais Comunidades certificadas.

  • Consultas médicas,
  • Verificação de pressão arterial
  • Testes de glicemia, testes rápidos para HIV, hepatite B e C e Sífilis
  • Distribuição de preservativos masculinos e femininos
  • Exames preventivos
  • Atividades de saúde bucal (palestras, escovação, aplicação de flúor e entrega de kit bucal)
  • Emissão de documentos (Certidão de Nascimento)
  • Busca ativa do CAD e atualização do Bolsa Família
  • Apresentação da Campanha de Autoidentificação de povos e Comunidades Tradicionais
  • Atividades educativas e recreativas para crianças e Rodas de Conversa, além de oficinas.

A ação, que faz parte do Programa Maranhão Quilombola, é um instrumento de ações articuladas de políticas públicas, destinadas às comunidades quilombolas do estado, com diretrizes orientadas a partir do Programa Brasil Quilombola. O objetivo é implantar a Saúde Integral da População Negra através do Fortalecimento das Ações de Atenção Primária e Vigilância em Saúde.

Para o prefeito Zé Martins, o programa vai melhorar ainda mais os indicadores nas comunidades quilombolas de Bequimão. “Ficamos felizes em receber mais uma ação do Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Bequimão. Vamos dar todo apoio logístico, com profissionais de nossas secretarias e iremos avançar ainda mais na saúde de nosso povo quilombola, que tem sido valorizado em nossa gestão”, disse o prefeito.

ÓRGÃOS EXECUTORES DA CARAVANA

  • Secretaria de Estado Extraordinária da Igualdade Racial
  • Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular
  • Secretaria de Estado da Educação
  • Secretaria de Estado da Saúde
  • Secretaria de Estado da Mulher
  • Secretaria de Estado da Agricultura Familiar
  • Secretaria de Estado da Assistência Social

PÚBLICO A SER ATENDIDO

Famílias quilombolas, Lideranças de Matriz Africana e outras populações tradicionais.

 

OMS alerta para o risco de doenças cardiovasculares que podem matar fumantes – ativos e passivos

COMPARTILHE

Todo ano, a Organização Mundial da Saúde reserva data de 31 de maio para promover uma campanha internacional: é o Dia Mundial sem Tabaco, que, em 2018, traz como tema central “Tabaco e Doença Cardíaca”. É comum as pessoas associarem o uso do cigarro somente a doenças que afetam os pulmões, por isso, médicos do mundo todo se juntam em mais um movimento de combate aos males provocados pelo tabaco.

A cardiologista Aléssia Palhano, do Hapvida Saúde, destaca que, entre as doenças mais comuns causados pelo uso do cigarro, estão o infarto, a angina e os a Acidentes Vasculares Cerebrais, que, combinados, são as principais causas de mortes no mundo. “Essas doenças cardíacas e os AVC’s são causados, sobretudo, por um bloqueio que impede o sangue de seguir para o coração ou para o cérebro”, explica a médica.

Dessa forma, um fumante tem as chances de desenvolver doenças cardiovasculares mais acentuadas porque o tabagismo forma placas de gordura nos vasos sanguíneos, o que aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca. “Sem contar que a inalação de monóxido de carbono reduz a quantidade de oxigênio transportado pelo sangue para os nossos órgãos”, lembra Aléssia Palhano.

Fumantes passivos

Os impactos do uso tabaco incidem, também, sobre a população de fumantes passivos. “Todas as pessoas que convivem com fumantes ativos e acabam inalando a fumaça tóxica produzida pela queima do tabaco.”, alerta a especialista.

Dados da OMS demonstram que o tabaco mata mais de sete milhões de pessoas a cada ano, das quais cerca de 900 mil não eram fumantes, mas adquiriram problemas de saúde por inalar o fumo passivamente.

Dependência

Além de impactar diretamente sobre a saúde pulmonar e cardiovascular, o tabagismo causa dependência física, psicológica e comportamental, assim como torna dependente um usuário de outras drogas, como as ilícitas cocaína e crack. “Não faz diferença como esse tabaco é consumido – cigarros, charutos, cachimbos e narguilés, ele faz mal à saúde”, revela a médica.

A clínica geral, também do Hapvida, Martha Guimarães, conclui que o fumante, geralmente, tem características comuns, como sedentarismo e ansiedade, que são fatores de isco para vários problemas de saúde, incluindo as neoplasias malignas, ou seja, tipos de câncer. “Sempre procuro alertar aos meus pacientes sobre a importância de abandonar esse mau hábito que, além do câncer, também pode causar doenças cardiovasculares severas, levando à morte. O processo educativo e de orientação deve ser iniciado ainda na fase escolar, para que as crianças e os adolescentes de hoje não se tornem dependentes no futuro”, orienta Martha Guimarães.

Texto: Dalva Rêgo

Conheça as 5 doenças que mais causam dor no Estômago

COMPARTILHE

Sabe aquela dor no estômago que já causou incômodo, mas passou? Quase todo mundo já sentiu algo assim. Mas aí mora um perigo: a maioria das pessoas tende a acreditar que a dor é provocada por gases, estresse ou má digestão de algum alimento que não caiu tão bem. “Quando a causa é uma dessas, de fato, o desconforto costuma passar em poucos dias. Mas se o incômodo for frequente, a ponto de fazer a pessoa não largar remédios ao longo da semana, do mês, essa dor pode revelar um sintoma de alguma doença que precisa de tratamento”, explica a clínica geral Graziela Medeiros Braide, do Hapvida Saúde.

A especialista lembra que são vários os problemas que atacam o aparelho gastrintestinal, porém todos são diagnosticados somente com a realização de exames. Um deles é a endoscopia, que consiste em introduzir um pequeno tubo com uma câmera pela boca para visualização do esôfago e da primeira parte do intestino delgado. “A ideia é checar o que há de errado em todo o sistema gástrico e, assim, passar um diagnóstico mais preciso”, afirma a médica.

É importante ficar atento às dores, mas o médico garante que doenças mais graves, como, como gastrite e refluxo, também vêm acompanhadas de outros sintomas. Nesta terça-feira, 29 de maio, a Organização Mundial da Saúde celebra o Dia Mundial da Saúde Digestiva. Por isso, com a consultoria da médica Graziela Medeiros, fizemos um levantamento para que você conheça agora as cinco doenças que mais costumam provocar dores e incômodos nos pacientes.

GASTRITE

Inflamação nas mucosas das paredes do estômago, causada especialmente pela bactéria H Pylori, que desequilibra o PH gástrico. O consumo de alimentos gordurosos, cítricos, álcool em excesso, cigarro e até medicamentos, pode agravar o problema e favorecer a atividade da bactéria. O tratamento recomendado pelos médicos, além de medicamentos, é a adoção de uma alimentação mais leve, com mais fibras, menos alimentos industrializados e uma série de indicações que varia de acordo com o paciente. No entanto, há casos em que a gastrite é atrófica, ou seja, crônica, em que o paciente já possui predisposição para desenvolver a doença. Quando isso ocorre, o ideal é fazer acompanhamento e exames regulares e seguir o tratamento indicado pelo médico.

REFLUXO

A doença é causada pela abertura constante da válvula do esôfago, que deveria abrir só com a ingestão de alimento. Por permanecer aberta, o alimento ingerido volta, causando dores no estômago, azia e também queimação no esôfago. Essa abertura pode ser provocada pelos hormônios liberados pelo estresse e por alimentos como café, refrigerante e bebidas alcoólicas. Comer muito rápido, sem mastigar o suficiente, também pode causar refluxo. Anteriormente, o tratamento mais comum era a cirurgia que corrigia o fechamento da válvula. Hoje, porém, o mais indicado pelos médicos é a terapia medicamentosa, suficiente para corrigir o problema. A longo prazo, o refluxo pode ser um fator de risco para câncer de esôfago, se não tratado a tempo.

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

Provocada pela falta de enzimas responsáveis por digerir alguns elementos do que se é ingerido, como o glúten, proteína presente no trigo, e a lactose, o açúcar do leite. O problema pode ser adquirido ao longo da vida e, além da dor estomacal, outros sinais da doença são gases, enjoo, vômito e diarreia. Para diagnosticar a causa da intolerância, é necessário tirar alguns alimentos da dieta por alguns dias até que se consiga avaliar qual deles é o responsável pelos sintomas. Ao ser identificado, o paciente deve restringir o consumo de qualquer alimento que possa provocar a reação.

PANCREATITE

Uma dor forte na região do estômago é o principal sintoma dessa doença, provocada, especialmente, pelo excesso de bebidas alcoólicas. A pancreatite pode ser aguda ou crônica. A primeira é causada pela formação de pequenos cálculos biliares que obstruem os canais do pâncreas e inflamam o tecido do órgão. Já a pancreatite crônica, também provocada pelo excesso de álcool, atrofia os canais do pâncreas e enrijece o tecido. Na maioria dos casos, a doença só é identificada quando a dor estomacal se torna insuportável, o que indica que o problema já está em um estágio avançado. A pancreatite não tem cura, mas existe tratamento medicamentoso para amenizar os sintomas, quando o quadro não é emergencial, o que exige atendimento imediato.

CÂNCER DE INTESTINO

A incidência da doença tem aumentado no Brasil. Estudos mostram que o consumo excessivo de carne, de produtos industrializados e alimentos defumados pode acelerar o surgimento da doença. Por ter início assintomático, a mortalidade causada por este tipo de câncer ainda é alta. Quando surgem os principais sintomas – intestino preso, dor de estômago, fezes com sangue e vontade de evacuar constantemente – o câncer pode estar em fase avançada. A doença pode ser tratada com medicamentos e cirurgia. O melhor é ficar atento aos sinais que o corpo dá e não hesitar em procurar ajuda profissional se as dores de estômago ou qualquer um dos sintomas acima durarem mais de cinco dias. A partir dos 50 anos, recomenda-se a fazer exames de colonoscopia regularmente, que ajudam a diagnosticar qualquer sinal da doença.

Texto: Dalva Rêgo

Mutirão do Glaucoma é realizado no bairro João de Deus

COMPARTILHE

Mais uma parceria Prefeitura de São Luís e o governo do Maranhão, por meio da vereadora Fátima Araújo (PCdoB) resultou no mutirão de Glaucoma que foi realizado nesta sexta-feira (25) no Posto de Saúde, localizado no bairro João de Deus,em São Luís. O atendimento começou às 8h da manhã e encerrou após o atendimento.

Neste sábado, dia 26 de maio é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, instituído pelo Ministério da Saúde, principal causa de cegueira irreversível no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença está relacionada ao aumento de pressão do interior do olho, geralmente no nervo óptico, responsável pela visão. O problema é mais frequente em pessoas com mais de 40 anos. Quem tem algum familiar de primeiro grau que já teve glaucoma também tem maiores chances de ser acometido pela doença.

No Maranhão o governo do Estado realiza de 3 em 3 meses o mutirão de combate ao Glaucoma nos 217 municípios em parceria com as prefeituras, beneficiando milhares de pessoas com consultas, medicamentos e cirurgias caso seja necessário. Esse programa tem beneficiado milhares de maranhenses e nesta sexta-feira (25) foi a vez do bairro João de Deus e dezenas de moradores foram beneficiadas, em mais uma iniciativa da vereadora Fátima Araújo.

Para a diretora geral do Posto de Saúde do João de Deus, Jaciara Frazão, esta ação é para combater e prevenir uma doença que atinge grande número de brasileiros. “A importância é garantir assistência e tratamento aos portadores de Glaucoma. Essa campanha tem acontecido nas unidades básicas de saúde facilitando para a comunidade e dando  a oportunidade de reduzir os índices de doenças oftalmológicas”, destacou.

Em média 150 pessoas foram atendidas nesta sexta-feira, dia 25 de maio. O evento foi promovido pelo Governo do Estado  e Secretaria Municipal de Saúde de São Luís (SEMUS).   A Ação tem o objetivo de  diagnosticar e tratar cirurgicamente os casos da doença. A comunidade recebeu consultas e exames oftalmológicos durante a ação.

A prevenção do Glaucoma

Os procedimentos básicos são a campimetria, que analisa qual o estágio de lesão do campo visual, e a paquimetria, responsável por avaliar a espessura da córnea, que fica fina com a pressão do olho elevada. O mapeamento de retina também ajuda no diagnóstico.

O oftalmologista Diego Ruiz lembra de ter recebido paciente de 70 anos cego devido ao glaucoma. O idoso não sabia do que se tratava, uma vez que aquela era sua primeira consulta com um especialista.

Tratamento do Glaucoma

Diego comenta sobre as duas maneiras de se tratar o glaucoma: o emprego de medicamentos e a cirurgia. “Ambos os procedimentos são para impedir o avanço da doença, já que não há reversão do caso. Se os colírios forem insuficientes no tratamento, pode ser indicada uma cirurgia para melhorar a drenagem do líquido do olho. Tanto um caso quanto outro são para regularizar a pressão intraocular”.

Fotos: Maxsuel Bruno

 

Prefeitura de São Luís homenageia as mães com edição especial do Todos por São Luís no Hospital da Mulher

COMPARTILHE

Em homenagem ao Dia das Mães, comemorado neste domingo (13), um grande mutirão de serviços de saúde, embelezamento e atividades artísticas e culturais foi realizado neste sábado (12), na edição especial do Programa Todos por São Luís, executado pela Prefeitura de São Luís, no Hospital da Mulher, no Anjo da Guarda. No local, as mães foram recepcionadas com um café da manhã, apresentação cultural do grupo Lamparina e da banda da Guarda Municipal.

“Realizamos hoje um “Todos” muito especial, porque é amplamente dedicado às mães, esses seres tão iluminados e amados por nós. O prefeito Edivaldo e a primeira-dama, Camila Holanda, imbuídos de muita sensibilidade e carinho estão proporcionando um tratamento especial às mães, homenageando-as com a oferta de serviços importantes amplamente dedicados a elas que, quase sempre, estão envolvidas com os cuidados com seus filhos, com sua casa e seu trabalho. E hoje tiveram aqui a oportunidade de cuidar um pouquinho mais de si mesmas, de sua saúde e de se divertir com as várias ações culturais ofertadas”, afirmou o secretário de Saúde,Lula Fylho.

O secretário acrescentou, ainda, que esta é a principal proposta do programa, aproximar a comunidade das políticas públicas que tem direito, reunindo em um só dia serviços em diversas áreas e que no seu dia a dia teriam dificuldade de realizar.

Mãe de 10 filhos, avó de 23 netos e 11 bisnetos, a aposentada Marilda de Jesus Pinheiro, 75 anos, sabe perfeitamente o sentimento incondicional que é gerar e amar tantas criaturas. Ela enalteceu a realização da homenagem às mães com serviços realmente relevantes à vida de cada uma delas. “Eu sempre participo dos mutirões da Prefeitura e, hoje, principalmente, não poderia jamais deixar de participar dessa edição do programa, porque, além da homenagem especial que nós, mães, estamos recebendo, ainda temos a oportunidade de realizar diversos procedimentos médicos voltados à nossa saúde”, disse ela.

A dona de casa Clarice Soares, 58 anos, mãe de quatro filhos e avó de dois netos, também chegou cedo ao local do evento. “Achei oportuna a iniciativa de homenagear as mães com esse leque de serviços tão importantes à nossa saúde e ao nosso entretenimento. Tenho uma série de consultas para fazer e espero realizar todas até o final da manhã”, relatou.

Já a autônoma Laura Santos, 48 anos, também mãe de três filhos e quatro netos, disse que compareceu ao evento só para apreciar as atrações culturais, dar um trato no visual e participar do café da manhã ofertado pelo evento. “Adorei a ideia, moro aqui perto e aproveitei para visitar os estandes e me divertir um pouco”, afirmou.

 AÇÕES 

Todas as ações contempladas na programação do Todos por São Luís – especial Dia das Mães foram realizadas no Hospital da Mulher, unidade municipal de saúde que já tem a marca do cuidado com o público feminino e onde já são executados diversos procedimentos médicos destinados às mulheres.

As ações de saúde desenvolvidas pelo ‘Todos por São Luís’ no Hospital da Mulher vêm somar às do Mutirão de Cirurgias Eletivas Ginecológicas, outra iniciativa que já vem sendo executada na unidade pela Prefeitura de São Luís, também dedicada às mulheres. As cirurgias eletivas contempladas pelo mutirão são realizadas sempre aos sábados e domingos, para cumprir uma meta de fazer 25 intervenções cirúrgicas no final de semana.

“Por meio do mutirão já realizamos quase 300 cirurgias ginecológicas eletivas e até o final de junho próximo vamos completar a meta total prevista de realizar 600 procedimentos cirúrgicos ginecológicos, nessa grande ação para levar cada vez mais saúde à população”, enfatizou o secretário. O mutirão contempla a realização de cirurgias ginecológicas como miomectomia, colecisteconomia, herniografia, perineoplastia, colpoperíneoplastia, hemioplastia, laparotomia, histerectomia, laqueadura, entre outros procedimentos.

Na gestão do prefeito Edivaldo, o Hospital da Mulher passou por ampla reestruturação de seus serviços, foi totalmente reformado, equipado e passou a ofertar novos procedimentos de saúde nunca antes oferecidos à população, inclusive de alta complexidade como as cirurgias neurológicas, por exemplo; e a ofertar outros serviços como tomografia computadorizada, eletroneuromiografia e outros. O Hospital da Mulher conta, atualmente, com 53 leitos, sendo 10 de UTI.

A edição especial do ‘Todos por São Luís’ dedicado às mães ofertou, ainda, consultas médicas com clínico geral, pediatra e ortopedista, além de atendimentos nas áreas de odontologia, oftalmologia e fisioterapia. A área da saúde contou ainda com o Consultório Volante do programa ‘Saúde para Todos” para realização de exames ginecológicos preventivos e tratamento odontológico. Foram realizados também avaliação e orientação nutricional, imunização, aferição de pressão arterial e glicemia e testes para detecção de doenças como hepatites e HIV, entre outros serviços na área.

Na área da segurança alimentar, foram distribuídos pescados por meio do programa ‘Peixe para Todos”, projeto executado pela Prefeitura de São Luís com o objetivo de reduzir os índices de insegurança alimentar na capital.

A ação ofertou também oficinas de confecção de origami, decoração de garrafas e tiaras, confecção de porta-retratos, porta-celular, bonecas de pano, porta-treco e chaveiros e customização de panos de prato. A ação contou, ainda, com a feira de artesanato, atendimento na área da assistência social e serviços de embelezamento, além de atividades culturais.

O ‘Todos por São Luís’ já realizou mais de 500 mil atendimentos nas áreas de saúde, segurança alimentar, educação, cultura, arte, esporte e lazer, capacitação, entre outras, beneficiando moradores de mais de 440 bairros, ao longo de três anos de execução do programa.

 

DOENÇAS GRAVES: clamídia e a gonorreia são responsáveis por cerca de 25% dos casos de infertilidade

COMPARTILHE
Quando não tratadas, as duas Doenças Sexualmente Transmissíveis costumam levar ao desenvolvimento da doença inflamatória pélvica

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a clamídia e a gonorreia são responsáveis por cerca de 25% dos casos de infertilidade. As duas Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) podem levar ao desenvolvimento da doença inflamatória pélvica (DIP), complicação que causa alterações tubárias nas mulheres e infecções na uretra nos homens – fatores de risco para uma gestação natural.

Marina Barbosa, ginecologista creditada pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), alerta que essas doenças são mais comuns em adultos jovens, com múltiplos parceiros e que praticam sexo sem uso de preservativo. “Por isso, neste período de festas de Carnaval temos que reforçar o preservativo como mais uma arma de combate às DST. Assim, a pessoa pode se prevenir de passar pelos sintomas desagradáveis dessas doenças e preservar seu potencial de fertilidade”.

Doença Inflamatória Pélvica

No caso da mulher, quando a paciente apresenta bactérias no colo do útero, como clamídia e gonorreia, esses microorganismos podem subir para o corpo do útero, trompas e até mesmo ovários, caracterizando a doença inflamatória pélvica cujos sintomas podem incluir: corrimento, dor pélvica, febre, mal-estar e até septicemia.

“Essa ascensão pode ocorrer de forma espontânea, ou após manipulação no consultório médico. Durante a inserção de DIU, uma biópsia de endométrio ou curetagem, por exemplo. Isso leva à doença inflamatória pélvica, ou seja, infecção do endométrio, trompas uterinas, ovários e estruturas contíguas”, explica a médica.

A trompa uterina é o local onde ocorre o encontro do espermatozoide com o óvulo. Dessa forma, quando as trompas não estão funcionando adequadamente, a paciente pode evoluir para infertilidade.

“A inflamação dessas estruturas pode acarretar obstrução ou acúmulo de líquido dentro das tubas uterinas, chamado de hidrossalpinge. Ocasionalmente pode até ocorrer a fertilização na trompa, porém o embrião não é transportado adequadamente para dentro do útero. É o caso da gravidez ectópica, considerada de risco para a mulher”, ilustra a especialista.

Nos homens, a doença inflamatória pélvica ocorre quando a infecção por clamídia ou gonorreia leva à infecção do epidídimo, local onde o sêmen fica armazenado junto ao testículo. “Essa inflamação pode diminuir o número total de espermatozoides, além de alterar a capacidade de movimentação dos espermatozoides. Todos esses fatores afetam a fertilidade masculina”, conclui Marina Barbosa.

O que é Clamídia?

Nome popular para a bactéria Chlamydia trachomatis, a DST mais comum no mundo todo, atingindo cerca de 5% da população adulta.

Atenção

Como nem todas as pessoas com clamídia apresentam sintomas, esses pacientes podem ter a infecção despercebida por vários anos, tornando-se fontes de infecção permanentes.

O que é Gonorreia?

É a doença causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, também conhecida como gonococo.

Atenção

Os fatores de risco para infecção por clamídia ou gonococo são: pessoas sexualmente ativas com idade inferior a 25 anos, novas ou múltiplas parcerias sexuais, parceiros com doenças sexualmente transmissíveis (DST), história prévia ou presença de outra DST e uso irregular de preservativo.

 

Equipe médica do Hospital Sírio-Libanês atinge a marca de mil transplantes de fígado pedriátrico

COMPARTILHE
Parceria com o Ministério da Saúde, por meio do PROADI-SUS, permitiu ampliar o número de procedimentos que, em 95% dos casos, beneficiam pacientes encaminhados pela regulação do Sistema Único de Saúde

O grupo de Transplante de Fígado Pediátrico do Hospital Sírio-Libanês atingiu a marca de 1.000 procedimentos, envolvendo doadores vivos ou com morte encefálica constatada. De todos os transplantes de fígado pediátricos feitos pela instituição, 95% foram realizados em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).  Atualmente, o Sírio-Libanês responde por 50% dos transplantes dessa modalidade realizados no Brasil, envolvendo pacientes com idade inferior a dois anos.

“Os resultados são fruto de programas em parceria com o Ministério da Saúde e também muito significativos para pacientes, médicos e sociedade. Eles mostram que temos, no Brasil, profissionais e centros capacitados para a realização de um procedimento complexo como este. Com isso, nosso desejo é conscientizar as pessoas sobre a importância da doação de órgãos, para que todas as crianças que precisam do transplante sejam adequadamente tratadas”, destaca Dr. Paulo Chapchap, CEO do Hospital Sírio-Libanês e coordenador da equipe de transplantes de fígado da instituição.

O Ministério da Saúde mantém com o Sírio-Libanês, dentro do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), o projeto “Escola de Transplantes”, que possui três frentes de atuação: transplantes de fígado pediátricos, projeto Coração Novo – que integra atividades para o tratamento da insuficiência cardíaca refratária e transplante de coração – e projeto Pólos, que desenvolve uma série de ações educativas e de capacitação, voltadas para o aumento dos doadores de órgãos e tecidos no Brasil.

Transplante Dominó

A equipe do Hospital Sírio-Libanês é referência em “transplante dominó” de fígado pediátrico, uma das técnicas mais avançadas da medicina, em que um órgão retirado de uma criança portadora de leucinose pode ajudar outra criança. A leucinose é uma doença que compromete as funções orgânicas pelo acúmulo de aminoácidos, atinge crianças menores de dois anos e pode ser corrigida pelo transplante de fígado. Porém, o fígado de uma criança com leucinose pode ser transplantado em uma outra criança que não tenha a patologia. Desta forma, a criança com leucinose recebe um fígado novo e doa o seu para outras crianças, com outros problemas hepáticos. O “transplante dominó” é realizado entre vivos e, normalmente, envolve 3 pessoas.

O milésimo transplante intervivos realizado no Hospital Sírio-Libanês usou a técnica dominó. A menor Laura Beatriz Gonçalves, de 3 anos, recebeu parte do fígado da adulta Marília Rafaelli, doadora viva, e doou seu órgão para outra criança, David Lucca Mendes, de 1 ano. Laura passou cerca de um ano na fila do transplante e, como os exames de compatibilidade com os familiares deram negativo, a menina precisava de um doador. Foi nesse momento que as vidas de Laura e Marília se cruzaram. “Marília é filha de um grande amigo. Depois que os testes de compatibilidade entre familiares deram negativo, Marília se predispôs a fazer os exames e descobriu que era compatível. Foi uma alegria quando vi que minha filha poderia ter a esperança de ter uma vida normal, mais saudável e ainda ajudaria outra criança”, diz Rosilene Gonçalves, mãe de Laura.

“Recebemos pacientes de todas as partes do país e atuamos também na formação de profissionais que voltam para as suas cidades e podem realizar o procedimento ou identificar os pacientes com necessidade do transplante”, ressalta Dr. João Seda Neto, cirurgião pediátrico e membro da equipe do Núcleo Avançado do Fígado do Hospital Sírio-Libanês.

 

Samaritano Botafogo é o primeiro hospital do Rio de Janeiro a contar com o robô da Vinci Xi

COMPARTILHE

Rio de Janeiro, RJ  O Samaritano Botafogo é o primeiro hospital do Rio de Janeiro a contar com a mais moderna versão do robô da Vinci – a Xi -, que proporciona maior mobilidade e melhor definição de imagens para os médicos durante os procedimentos cirúrgicos. Em 2012, a instituição também foi a primeira do setor privado na cidade a adotar essa tecnologia e, desde então, já realizou 757 cirurgias robóticas. O novo equipamento será utilizado em procedimentos cardiológicos, urológicos, endocrinológicos, digestivos, ginecológicos, torácicos e de cabeça e pescoço.

Além de possibilitar que o médico realize as cirurgias com mais precisão – mesmo em áreas muito próximas, graças à rotação em 360 graus de garras mecânicas e câmera HD –, os principais diferenciais do da Vinci Xi são um grampeador cirúrgico, utilizado nos procedimentos bariátricos, e a movimentação do robô em diferentes ângulos, sem necessidade de mudar o paciente de posição nas cirurgias de tórax ou da região colorretal.  

A mais nova tecnologia usada nos centros cirúrgicos do Hospital Samaritano de Botafogo no Rio de Janeiro – RJ

Ricardo Periard, diretor do Hospital Samaritano Botafogo, ressalta que a cirurgia robótica vem sendo reconhecida como um dos mais importantes avanços da medicina nas últimas décadas. “O uso do robô permite cirurgias menos invasivas e mais assertivas e, no pós-operatório, uma recuperação mais rápida para os pacientes”, explica o executivo.

Sobre o Hospital Samaritano Botafogo:

Inaugurado em 1949, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o Hospital Samaritano Botafogo é um dos mais modernos centros de prevenção, diagnóstico e tratamento do país. A instituição conta com tecnologia de ponta em todos os setores e possui uma equipe médica de alto nível, em diversas especialidades. Em 2014, o Samaritano inaugurou a sua segunda unidade no complexo Americas Medical City, na Barra da Tijuca. O Hospital Samaritano Botafogo integra o Americas Serviços Médicos, grupo médico – hospitalar que reúne a experiência de instituições renomadas e de referência, localizadas em cinco estados e no Distrito Federal. Para mais informações, acesse www.hsamaritano.com.br.

 

Mais informações:

Relações com a Imprensa – Hospital Samaritano Botafogo

Andresa Feijó – afeijo@imprensahospitais.com.br

+ 55 (21) 3805-1202 | (21) 97271-6387

 

Programa Nascer Bem do Hapvida registra aumento de 20% em partos normais

COMPARTILHE
Belém é a primeira cidade da região Norte do país a receber o programa, que já atende em outras três capitais do Brasil

As relações afetivas construídas na maternidade iniciam muito antes do nascimento do bebê. No período gestacional, todos os cuidados com a saúde da mãe refletem no bem-estar do filho, que se prepara para nascer da forma mais natural possível. De acordo com a Agência Nacional de Saúde (ANS), o tipo de parto é significativo nesse processo. A agência reguladora atua há mais de uma década na promoção do parto normal e para a redução do índice de cesarianas desnecessárias, que atinge 84,6% dos partos na saúde suplementar. Ao seguir a orientação da ANS e as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Hapvida lança, em Belém, nesta quinta-feira (23), o programa Nascer Bem.

Atualmente, o programa já está presente em três capitais estaduais: Fortaleza (CE), Recife (PE) e Salvador (BA). O objetivo é acolher a gestante com maior qualidade e segurança durante toda a gestação e pós-parto, assegurando um nascimento seguro e saudável. Desenvolvido pelo Hapvida Saúde, para o acompanhamento da gestação de suas beneficiárias, o Programa Nascer Bem registrou excelentes índices após sua implementação ao longo do primeiro semestre de 2017. Foi registrado um aumento de 20% nos partos normais entre os meses de janeiro e junho deste ano.

O Hapvida acredita que um dos passos mais importantes para conseguir ter um parto normal sem problemas é fazer todas as consultas de pré-natal, pois, dessa forma, os médicos podem identificar e tratar algum fator que impeça o parto normal, como uma infecção ou alteração no desenvolvimento do bebê. “O Hapvida tem prioridade a saúde preventiva dos seus beneficiários. O Programa Nascer Bem é uma solução diferenciada e moderna em gerenciamento de saúde. É de conhecimento de todos que o parto normal traz menos riscos de infecção, favorece a produção do aleitamento materno, faz o útero voltar ao tamanho normal mais rapidamente. Por isso, queremos, cada vez mais, disseminar esses benefícios”, reforça Francisco Renée Campos de Araújo, diretor médico do Hospital RioMar.

Acolhimento

Entre os diferenciais do projeto está a descentralização do atendimento por meio dos núcleos do Nascer Bem, com agendamentos de acordo com o endereço das beneficiárias grávidas, ofertando serviços de acolhimento coletivo, pré-natal de risco habitual, alto risco e curso para gestantes. Além disso, o Hapvida disponibiliza uma central de atendimento telefônico com operadores e enfermeiros treinados para cadastro e agendamento de consultas, gerenciamento de saúde e controle de adesão ao pré-natal e para responder os questionamentos das gestantes.

Além do atendimento especializado, a operadora conta com equipamentos diferenciados para que os bebês nasçam de forma segura. A bola suíça, por exemplo, ajuda a diminuir a dor lombar da gestante e com exercícios de rotação, ajuda a aumentar a dilatação durante o trabalho de parto. O banho morno contribui para o relaxamento da musculatura do abdômen e da lombar, permitindo uma redução das dores.

Atenção 

Após o parto, o acompanhamento continua mediante o Programa de Atenção ao Recém-Nascido, com a equipe de puericultura. O objetivo é avaliar todos os bebês para identificar fatores de risco que comprometam o crescimento e desenvolvimento. Se algum fator que possa prejudicar a qualidade de vida do recém-nascido for identificado, ele passa a ser acompanhado pelo pediatra do programa até que o quadro seja estabilizado.

O Hapvida é engajado na melhoria de qualidade de vida de seus beneficiários e sempre atento a melhorar os índices de partos normais em todo o Brasil. A operadora de saúde também participa do Programa Parto Adequado, uma iniciativa conjunta da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Hospital Israelita Albert Einstein e do Institute for Healthcare Improvement (IHI), com apoio do Ministério da Saúde, que tem o objetivo de promover o parto normal e orientar as gestantes para o parto adequado, reduzindo os riscos desnecessários para bebês e mães.

Sobre o Hapvida – Com 3,8 milhões de beneficiários, o Hapvida hoje se posiciona como a maior operadora de saúde do Norte e Nordeste. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente, com mais de 17 mil colaboradores diretos envolvidos na operação de 24 hospitais, 73 clínicas médicas, 18 unidades de prontos atendimentos, 71 unidades de diagnóstico por imagem e 66 postos de coleta laboratorial distribuídos em 11 estados onde a operadora atua com rede própria.

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free