casa » POLÍTICA (página 70)

POLÍTICA

Fórum da Baixada visita arranjos produtivos

COMPARTILHE

Neste sábado (25), o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense esteve em Anajatuba para fazer uma visita técnica aos arranjos produtivos desenvolvidos no município por intermédio da atuação do Dr. Eduardo Castelo Branco, zootecnista e membro da entidade baixadeira.  São experiências de sucesso comprovado na emancipação econômica das comunidades beneficiadas, com forte impacto na superação da extrema pobreza rural.

A caravana de militantes do Fórum da Baixada conheceu os projetos do Igarapé  do Troitá, da produção de mel no povoado Teso Bom Prazer e da piscicultura nativa consorciada com fruticultura no povoado Pacas. Esses projetos foram implementados durante os governos de Zé Reinaldo e Jackson Lago, com o incentivo e apoio decisivo do falecido deputado estadual João Evangelista, baixadeiro natural de São João Batista.

O Igarapé de Troitá vai da sede do município de Anajatuba até o estuário do rio Mearim. Mede 8km de comprimento, 10m de largura e 2m de profundidade, e foi dragado para garantir a retenção da água doce durante todo o ano, proporcionado a  permanência e reprodução dos peixes nativos durante o verão e outras pequenas criações (bois, porcos, patos etc). A obra teve um custo de 400 mil reais, valor considerado irrisório diante do grande alcance social do projeto. É uma prova de que com vontade política e poucos recursos se pode melhorar bastante a vida da população da Baixada.

ANA1ANAJ

O senhor José Antonio de Jesus, conhecido como Curica, proferiu uma  verdadeira aula sobre produção de mel de abelha no povoado Teso Bom Prazer, que garante o sustento das famílias da localidade, mediante a exportação dos vários produtos apícolas (mel, própolis, cera etc) para fora do Maranhão. Essa experiência demonstra o imenso potencial da Baixada para a exploração da apicultura como atividade econômica.

No povoado Pacas, os membros do Fórum foram conhecer um projeto consorciado de piscicultura nativa e fruticultura (banana, açaí e maracujá). Esse arranjo foi desenvolvido durante o governo de Jacson Lago a um custo de 200 mil reais e garante o sustento e renda de uma comunidade formada por 42 famílias. Em uma área de apenas 3 hectares, foram escavados 5 canais de 400m de comprimento, 12m de largura e 2m de profundidade, onde os peixes nativos se reproduzem e permanecem por conta da profundidade maior que a dos campos naturais. Nesse arranjo produtivo são produzidas 4500 bananas por mês e 15 toneladas de peixes por ano, sem qualquer ônus para os beneficiários do projeto.

Ao final da visita técnica, o presidente do Fórum da Baixada, advogado Flavio Braga, agradeceu a acolhida do Dr. Eduardo Castelo Branco e das comunidades, destacando que a principal necessidade da Baixada é a retenção de água doce nos campos, a fim de que projetos como os de Anajatuba possam ser replicados, com impacto imediato na qualidade de vida da população baixadeira.

“O Fórum em Defesa da Baixada se encheu de esperança com os projetos que conheceu e pudemos perceber que as soluções para a pobreza do povo da Baixada são simples, baratas e de fácil resolução, basta vontade política dos nossos gestores públicos”, ressaltou Flávio Braga.

 

 

Juca Martins reeleito presidente do PMDB em Bequimão

COMPARTILHE

Aconteceu, neste domingo (26), a convenção do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), no município de Bequimão. O ex-prefeito, João Batista Cantanhede Martins (Juca Martins), foi reeleito presidente da sigla partidária no município. Ele vai presidir o partido ao lado do empresário e secretário municipal de Indústria e Comércio, Ademar Costa, reeleito primeiro vice-presidente da legenda.

A convenção do PMDB ocorreu em clima de tranquilidade. Foram eleitos três membros do diretório municipal, que, em seguida, escolheram os nove representantes da sigla na executiva de Bequimão.

JU7 JU8

O ex-prefeito Juca Martins foi quem costurou acordo para a consolidação do novo diretório. Ele participou do ato e comentou como o partido será conduzido nas eleições de 2016 em Bequimão. “O diretório municipal do partido terá total autonomia para definir os rumos para a eleição. O partido sempre deu liberdade aos diretórios municipais e desta vez não será diferente”, disse Juca Martins.

Juca1 Juca2

O prefeito de Bequimão, Zé Martins (PMDB), explicou que uma das missões do partido é organizar a chapa proporcional com os candidatos a vereador em 2016. Mas ele ressaltou que a prioridade é trabalhar por um município cada vez melhor. “É uma honra fazer parte do diretório executivo municipal e, principalmente, estar gestor por um partido histórico como o PMDB, que tem grandes nomes como membros no município”, disse o prefeito.

JU1 JU2

Também estiveram na convenção os secretários Zé Orlando Martins (Administração), Dinha Pinheiro (Cultura); Sidney Bouéres (Articulação Institucional e Projetos Especiais); João de Castro Ribeiro (Finanças); Tonho Martins (Obras); o coordenador de Transportes, Ricardo Lemos; o artista plástico bequimõense Fransoufer, o vereador Vetinho (PMDB), o ex-vice prefeito Valter Penha, e dezenas de lideranças do município. A votação começou às 8h e se estendeu até 17h.

JU5 JU6

MEMBROS DO DIRETÓRIO MUNICIPAL

João Batista Cantanhede Martins

José Rogério Paixão Lopes

Antônio José Martins

Aristides Amorim França

Vânia Lourdes Martins Ferreira

Valdir Carvalho Costa

Erivelton dos Santos Pereira Belo

Joaquim Abreu Ferreira

Elcias Castro Melo

José Orlando Martins Ferreira

Ademar dos Santos Costas

João de Castro Ribeiro

Valter Pestana Pinheiro

Denílson Lemos Martins

SUPLENTES DO DIRETÓRIO

Tonilson Ferreira Pereira

Herbete Gomes Junior

Isidorio Cesar Costa Ribeiro

Aurino Tibúrcio Costa Souza

Raimundo Nonato Pereira Lopes

COMISSÃO DE ÉTICA E DISCIPLINA

Liana Cristina Batista Martins

Maria Raimunda Pires Pinheiro Neta

Cassiano Abreu Ferreira

Luiza Coelho Pereira

Valdenice França Ferreira

SUPLENTES DE COMISSÃO DE ÉTICA E DISCIPLINA

Celiane Furtado Oliveira

Terezinha Furtado Alves

Rita de Cássia Gomes

Edicleia Rodrigues Ribeiro

Giovanna Maria Souza Paixão

DELEGADO

João Batista Cantanhede Martins

 SUPLENTE DE DELEGADO

Antônio José Martins

 TEXTO: Tribuna

 

Leonardo Sá ficando mais forte

COMPARTILHE

Com o apoio do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), o vereador de Pinheiro e pré-candidato a prefeito, Leonardo Sá (PDT), está fazendo grandes alianças visando 2016. A mais nova sigla a fechar alianças com o pedetista foi o PTB (Partido Trabalhista do Brasil), comandado pelo deputado federal, Pedro Fernandes. O acordo foi fechado para uma forte aliança com o PDT nas eleições de 2016, que lançará o médico e vereador Leonardo Sá como candidato a prefeito de Pinheiro.

Além do PTB, Leonardo já garantiu, também, o apoio do PR (Partido Republicano), em encontro com o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho, presidente estadual da legenda.

Com os dois partidos na sua base, o candidato do PDT deve contar com importante tempo no horário eleitoral gratuito na eleição do ano que vem, além de fortalecer o arco de alianças que podem levá-lo a construir uma das maiores coligação na eleição de Pinheiro.

Além do PTB e do PR, fazem parte da coalizão pedetista; PSB, PCdoB, PHS e PTC. Outras siglas ainda podem se juntar ao médico, que em 2014 disputou uma cadeira na Câmara Federal e ficou na suplência, o que lhe rendeu o projeto para prefeito de Pinheiro.

TEXTO: VANDOVAL

Prefeitos do Maranhão vão encarar os Leões

COMPARTILHE

Se a união é quem faz a força, em setembro todos os prefeitos do Maranhão se reunir na porta do Palácio dos Leões. A pauta de reivindicações que será apresentada e discutida com o governador contém assuntos de total interesse dos municípios e que, de acordo com os gestores, necessitam de solução imediata.

Figuram como principais assuntos, solução para o imbróglio relacionado aos convênios firmados no ano passado, entre Estado e Prefeituras; custeio do transporte escolar; manutenção dos hospitais estaduais; e custeio do setor da segurança pública nas cidades.

“Hoje, estes são os assuntos que mais preocupam os prefeitos e que necessitam de uma resolução urgente por parte do Governo. Essa será a nossa pauta principal com o governador”, afirmou Gil Cutrim.

Prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes avaliou como crítica a situação financeira dos municípios maranhenses e defendeu um posicionamento duro e enérgico por parte dos gestores.

“Os municípios estão sem dinheiro, praticamente falidos, principalmente devido a queda do FPM e ao subfinanciamento dos programas federais. E a sociedade, o cidadão, precisa conhecer essa dura realidade. Nós, prefeitos e prefeitas, temos que nos unir, cobrar os Governos [Estadual e Federal]”, disse.

MARCHA – A I Marcha dos Prefeitos (a) do Maranhão, conforme ficou definido no encontro, será realizada em setembro e reunirá todos os 217 gestores municipais do Estado.

A ideia é que o evento municipalista ocorra durante dois dias. No primeiro, será promovida programação com palestras e oficinas abordando temas de interesse das cidades. O segundo será destinado para a realização de um grande encontro envolvendo todos os segmentos da classe política maranhense.

“Precisamos reivindicar melhorias para as cidades aqui, em nosso estado, junto a nossa classe política. A Marcha será um grande encontro no qual iremos abordar a crítica situação financeira dos municípios, unir forças e buscar soluções para modificar esse cenário”, explicou o presidente da FAMEM.

 

Assalto à mão armada em hotéis do Maranhão

COMPARTILHE

Os donos de hotéis no Maranhão estão achando que os turistas estão defecando grana três vezes por dia. As diárias no estado estão mais caras que na zona sul do Rio de Janeiro. Por esses e outros motivos, o turismo do Maranhão é uma lástima. O Procon concluiu pesquisa de preço nos hotéis das principais cidades turísticas do Maranhão. Foram listados os valores cobrados por diárias de quartos duplos e triplos em São Luís, Alcântara, Barreirinhas e Carolina. O objetivo da pesquisa é informar aos consumidores sobre a variação de preço e garantir que a escolha da estadia seja feita de forma consciente, bem como incentivar o turismo local.

Em Barreirinhas, cidade que dá acesso aos Lençóis Maranhenses, a variação de preço chega a ultrapassar os 300%. O índice de variação é o maior do estado. Por lá, o valor médio da diária custa R$ 210,25 para duas pessoas e R$ 296,29 para três. O valor é superior ao preço médio de São Luís, que é de R$ 210,75 e R$ 257, respectivamente, com variação de 71%.

A menor variação apresentada na pesquisa é na cidade de Carolina, no sul do Maranhão. O preço médio, para casal, é R$ 165, com variação de 20%. Para três, a média é R$ 220, apresentando 31,57% de variação.

Com o menor média de preço, Alcântara é a cidade mais barata para se hospedar entre os destinos pesquisados. Para um casal, a média do valor cobrado por uma noite é R$ 127,50, enquanto para três pessoas, a média é R$ 200.

De acordo com o diretor geral do Procon, Duarte Júnior, o valor das diárias não é tabelado, sendo, por isso, comum a variação de preços. “É comum, especialmente no período das férias, quando a procura é maior, que haja a variação e até aumento dos preços nos hotéis e demais serviços de turismo. Por isso mesmo, é importante apresentar os valores para os consumidores, para que eles possam planejar sua viagem de forma consciente, além de nos permitir uma análise criteriosa dos valores para fins de configuração ou não de abusividade nas cobranças”, disse

Os valores constados na pesquisa dizem respeito à alta temporada, a exemplo das férias e de feriados prolongados. A tabela está disponível nas redes sociais do Procon e no portal do consumidor. Acesse o site do Procon.

 

 

Investimento reduz impactos de crises

COMPARTILHE

Reduzir falhas para aumentar a produtividade é uma postura que as empresas, principalmente do setor industrial, precisam adotar para conseguir resistir a turbulências econômicas como a atual crise por que passa o Brasil. Segundo Paulo Victor Fleming, Ph.D em Tecnologia Industrial pela Universidade de Bradford (Inglaterra) e mestre em Engenharia Nuclear, trata-se de algo fundamental em qualquer época, independentemente de crises, uma vez que implica em redução de custos.

Algumas empresas não sentem todas as consequências da crise de forma intensa porque tiveram visão de futuro, pensaram na frente e souberam alocar seus recursos financeiros e de pessoal, ao passo que optaram pela análise de falhas e investiram em manutenção. Hoje, essas organizações vivem um momento muito mais estável do que outras e não estão contribuindo para um estado crítico maior de desemprego na sociedade.

“Menos falhas implicam em menos custos e o lucro pode ser empregado em outras áreas, melhorando, dessa maneira, a produtividade. As empresas que agem dessa maneira estão mais propensas a se soerguerem mais rapidamente em momentos de instabilidade econômica, e isto independentemente de ser uma grande organização ou uma microempresa. Essa postura, nós podemos adotar inclusive dentro da nossa própria casa”, afirma Fleming, professor titular da Universidade Salvador (BA) e que, recentemente, esteve em São Luís para ministrar módulo de MBA com a disciplina “Confiabilidade Aplicada à Manutenção” na Escola de Negócios Excellence (ENE).

FALHAS – Fleming conduziu turma formada por técnicos, engenheiros, administradores e profissionais de importantes empresas, como Alumar, Vale e Coca-Cola. Ele disse que, na verdade, a maioria das empresas brasileiras diz-se preocupada com a crise, mas não sabe como fazer para vencê-la. “Isto porque não se planejam e não calculam quanto custa as suas falhas. Geralmente, essas empresas se preocupam mais com situações catastróficas, quando isto deveria ser uma atitude de praxe”, considerou.

Paulo Victor tem vasta experiência em treinamentos e assessoramentos para implantação de projetos em Análise da Confiabilidade, Disponibilidade, Manutenção Centrada em Confiabilidade e em emprego de técnicas de Árvore de Falhas em inúmeras empresas das áreas Química, Petroquímica, Distribuição de Energia, Distribuição de Água, Fertilizantes, Mineração, Siderurgia e Plásticos.

 

Pra crise financeira tem solução!

COMPARTILHE

Em momentos de crise, como o atual, tem se tornado uma prática nas instituições com mais arcabouço o enxugamento de linhas de financiamento, redução de prazos e elevação das taxas de juros. Este ano, por exemplo, enquanto o crédito no mercado tradicional deve crescer ao redor de 11%, segundo previsão do Banco Central, as cooperativas almejam expandir em 20% suas operações.

“A verdade é que,desde 2008, quando explodiu a crise do subprime nos Estados Unidos, as cooperativas vêm mostrando performances melhores que os bancos”, analisa o médico Cícero Evandro Soares, da Unicred/São Luís, cooperativa voltada para profissionais da área da saúde.

As cooperativas estão se aproveitando da crise econômica para emprestar mais e a um custo bem abaixo do dos bancos.No ano passado, segundo dados do Portal Cooperativismo Financeiroo conjunto de 1.139 cooperativas financeiras brasileiras com suas respectivas centrais, confederações e bancos, registrou crescimento de 22% no volume de ativos, atingindo R$ 202 bilhões.Elas ocuparam o sexto lugar em um levantamento em que aparecem Banco do Brasil, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Santander, HSBC, Safra, Citibank e Banrisul.

O Sistema Financeiro Nacional (SFN), com R$ 7,470 trilhões em ativos, cresceu 14% na mesma base de comparação. De dezembro de 2008 a junho de 2014, enquanto o total de ativos dos bancos foi ampliado em 11%, o do Sistema Nacional das Cooperativas de Crédito (SNCC) cresceu 23%. As operações de crédito dos bancos expandiram-se à razão de 11%, enquanto as das cooperativas elevaram suas operações em 22%.

O destaque fica por conta dos depósitos. Nos bancos, eles cresceram 3% de dezembro de 2008 a junho do ano passado e nas cooperativas, 26%. O lucro líquido ou sobras cresceram 13% e 21% nos bancos e nas cooperativas, respectivamente. “Nós temos liquidez e este é o diferencial deste momento”, frisa Cícero Evandro, acrescentando que o volume de ativos da Unicred nacional é de R$ 7,5 bilhões, sendo que deste montante, R$ 4,5 bilhões estão emprestados para seus associados.

Isto ocorre porque, ao contrário dos bancos, a doutrina das cooperativas não visa ao lucro. Não está baseada no capital. Enquanto a média de juros cobrada sobre o crédito pessoal nas cooperativas é de 2,07%, nos bancos é de 6,10%, segundo levantamento do Procon de São Paulo. Sobre o cheque especial, a média de juro dos bancos é de 11% ao mês e nas cooperativas, de 4% a 7%. Para cartão de crédito, enquanto o mercado cobra algo em torno de 14%, as taxas das cooperativas são de 7,5%.

As cooperativas, na verdade, são uma opção de crédito barato aos bancos. A expansão do crédito nas cooperativas acima dos bancos é uma tendência. Há muito espaço para o crescimento porque no Brasil as cooperativas respondem por apenas 2,90% do total de R$ 3,087 trilhões emprestados, enquanto em alguns países da Europa, por exemplo, chega a 50% do sistema financeiro nacional.

 

 

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

“Juntos para reconstruir a identidade de Alcântara”

COMPARTILHE

Faltando pouco mais de 14 meses para definir o novo prefeito de Alcântara, a oposição começa trabalhar pesado e traça planos para buscar uma vitória em outubro de 2016. No último domingo (19), o grupo oposicionista, liderado pelo pré-candidato a prefeito de Alcântara, Anderson (PCdoB), reuniu lideranças para juntar aliados e fortalecer a aliança.

R1 R2

Além das fortes lideranças do município, estiveram presentes no encontro, o jovem Ricardo Castro (PMN), os vereadores da oposição, Biné Barbosa (PDT), Ribinha (PTB), Pedro Sacuri (DEM) e os convidados José Amorim (PCdoB), Tivico (PRB) e o Sargento Leitão.

Durante o encontro, Anderson Wilker falou da importância de ter outros partidos para fortalecer o grupo, principalmente na composição da chapa. Convicto de que o povo será o grande aliado, o pré-candidato Comunista, sabe da responsabilidade que brigar pelo povo de Alcântara.

R4 R5

No decorrer da reunião, ouve um debate, em busca de metas e planos, para que a oposição fique mais forte ainda para 2016. O pré-candidato Anderson (PCdoB), será o único apoiado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) e pelo deputado estadual Othelino Neto (PCdoB).

R1 R6

Após a reunião, o jovem Ricardo Castro (Presidente municipal do PMN) falou da importância do encontro. “Precisamos juntar as forças e unir a maior quantidade de lideranças, para que possamos juntos tirarmos o município de Alcântara desse caos que se encontra”, disse Ricardo, que é pré-candidato a vereador em 2016 pelo PMN.

 

 

Recesso nem pensar!

COMPARTILHE

Pra quem imaginou que todos os vereadores iriam ficar de recesso da Câmara Municipal de São Luís, se enganou. A comissão de recesso da Câmara é presidida pelo vereador Ivaldo Rodrigues (PDT), além dos membros Astro de Ogum (PR), Francisco Carvalho (PSL), Professor Lisboa (PCdoB) e como suplente o vereador Armando Costa (PSDC). Como presidente da comissão, o vereador Ivaldo Rodrigues começou a semana com agenda cheia. Logo cedo o pedetista despachou na Câmara Municipal, onde atendeu uma demanda muito grande.

WP_20150720_09_20_33_Pro WP_20150720_09_27_43_Pro

Após o meio dia, Ivaldo se dirigiu até o bairro Renascença, onde concedeu entrevista ao programa “Agora Maranhão”, da TV Meio Norte, Canal 28.1, apresentado pelo jornalista Heider Lucena. A entrevista teve duração de dez minutos e foi baseada na aprovação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e também sobre o recesso da casa legislativa ludovicense.

WP_20150720_09_16_57_Pro WP_20150720_09_42_37_Pro

O recesso acabará dia 2/08 e até lá todos os membros da comissão vão dar plantão na Câmara Municipal em sistema de rodízio. Como são três dias na semana, é provável que o vereador Ivaldo Rodrigues esteja de plantão todas as segundas feiras. As sessões voltarão ao normal a partir do dia 3/08 e logo de cara, está prevista a votação do regimento interno da Câmara.

WP_20150720_10_19_27_Pro WP_20150720_11_30_55_Pro

Mesmo de recesso, Ivaldo Rodrigues tem aproveitado o tempo para visitar comunidades e ao mesmo tempo acompanha as obras que estão sendo feitas na capital maranhense. O certo mesmo, é que para quem gosta de trabalhar, um ano é muito curto e deveria ter no mínimo 500 dias.

WP_20150720_13_28_50_Pro WP_20150720_13_29_05_Pro

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free