casa » POLÍTICA (página 40)

POLÍTICA

PDT do Maranhão realizará ato em defesa da democracia

COMPARTILHE

Após a decisão da Câmara dos Deputados em dar prosseguimento ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o PDT do Maranhão fará, nesta quarta-feira, 20, na sede do partido, um ato pela democracia e contra o golpe.

O encontro contará com a presença do presidente do Diretório Estadual do PDT, líder do partido na Câmara e deputado federal, Weverton Rocha, de lideranças da sigla, de movimentos da legenda, entre eles, Juventude Socialista, Ação da Mulher Trabalhista, Movimento Negro, e Movimento Popular de Ação e Cultura.

Na oportunidade, Weverton abordará questões ligadas a atual conjuntura política nacional. “O ato vem em uma hora necessária, porque há um golpe em curso e precisamos resistir. Ao mesmo tempo, pedirei à nossa militância que se desarme, e que lute em defesa da Constituição com responsabilidade”, ressaltou.

Em seguida, os pedetistas participarão de um grande ato em defesa da Democracia e da Constituição, organizado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), em homenagem aos deputados que votaram contra o golpe. O evento será realizado na Assembleia Legislativa, a partir das 18h.

Entenda como o impeachment caminhará no Senado

COMPARTILHE

Veja – Com a aprovação da admissibilidade do processo de impeachment na Câmara dos Deputados, o procedimento que pode resultar no afastamento da presidente Dilma Rousseff deve chegar ao Senado Federal nesta segunda-feira, dia 18. A partir daí, a cúpula da Casa dará seguimento ao caso, com a formação de uma comissão especial de senadores para a elaboração de um parecer prévio sobre o impedimento. É na fase de tramitação no Senado que a presidente Dilma pode ser afastada de suas funções por até 180 dias e condenada no mérito por crime de responsabilidade.

Pelos cálculos da Secretaria Geral da Mesa do Senado, a partir do dia 19 de abril, depois da ordem do dia no Plenário, é eleita a comissão especial formada por 21 titulares e 21 suplentes. O colegiado tem 48 horas para se reunir e começar os trabalhos, mas como no dia 21 de abril é feriado de Tiradentes, o grupo deve se reunir ainda na quarta-feira, dia 20. A comissão tem prazo de até dez dias úteis para elaborar e votar um parecer sobre o prosseguimento ou não do processo de impeachment contra a presidente Dilma. Embora o prazo estabelecido seja de dez dias, no caso do ex-presidente Fernando Collor, por exemplo, o parecer foi elaborado e votado em apenas duas horas.

Caso o prazo de dez dias seja utilizado em sua integralidade, no dia 5 de maio completa-se o período para a votação do parecer na comissão especial. No mesmo dia, está prevista a leitura do parecer da comissão em plenário e aberto o prazo de outras 48 horas para a votação dos senadores. Por ora, não há previsão, como ocorreu na Câmara dos Deputados, de convocação de reunião para o fim de semana e, por isso, as 48 horas seriam estendidas até a terça-feira, 10 de maio.

Entre os dias 10 e 11 de maio, o plenário deve votar o parecer a comissão especial do impeachment no Senado. Se o texto for aprovado em plenário – é necessária metade mais um dos presentes -, é reconhecida a admissibilidade do processo de impeachment e a presidente Dilma Rousseff é afastada por até 180 dias. Ao final dos 180 dias, se o caso não estiver concluído, a presidente Dilma reassume o cargo. Aliado do Palácio do Planalto e um dos principais caciques pemedebistas que ainda mantém apoio ao Palácio do Planalto, o presidente do Senado Renan Calheiros não vota nesta fase do processo.

Caso o afastamento da presidente seja confirmado pelo plenário, passa-se a uma nova etapa do processo de impeachment, com nova convocação da comissão especial para a fase de instrução de provas a fim de embasar o mérito do pedido de deposição de Dilma Rousseff. Este parecer, que precisa ser aprovado dentro do colegiado e no plenário da Casa, é conhecido como juízo de pronúncia e é a partir dele que se marca a data do julgamento do impeachment.

Agendada a data do julgamento do impeachment, para a consolidação do processo de deposição são necessários dois terços dos votos do plenário do Senado, ou seja, 54 apoios. Neste caso, o senador Renan Calheiros participa da votação. A sessão plenária é presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. Em 1992, quando o impeachment de Fernando Collor foi votado, o então presidente foi afastado em 2 de outubro e julgado em 29 de dezembro.

 

“Luta contra o golpe vai seguir”, afirma Flávio Dino

COMPARTILHE

Ainda antes do resultado de 342 votos ter sido alcançado, mas com o resultado praticamente sacramentado, o governador Flávio Dino (PCdoB) se manifestou através das redes sociais afirmando que continuará a luta contra o impeachment da presidente Dilma. Apesar da derrota na Câmara Federal, o governador afirmou confiar no Senado e no Supremo Tribunal Federal.

“A luta contra o golpe vai seguir. Hoje foi a primeira batalha. Há um longo processo no Senado e no STF. E nas ruas. Senado e STF devem agir com mais seriedade, responsabilidade e respeito à Constituição. Não há razões para impeachment”, afirmou.

O governador parabenizou aos deputados maranhenses que votaram contra o impeachment e convocou os maranhenses para ato em defesa da Constituição e da Democracia, na quinta-feira (21), dia de Tiradentes, em São Luís.

Blog Clodoaldo Correa

 

Executiva estadual do PTB confirma apoio a Edivaldo Holanda Jr.

COMPARTILHE

A executiva estadual do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) anunciou neste final de semana, durante um café da manhã, o apoio ao prefeito Edivaldo Holanda Jr (PDT). No evento, que contou com a presença da militância e dos pré-candidatos petebistas, foi ressaltado o reconhecimento da gestão desenvolvida por Edivaldo à frente da Prefeitura de São Luís.

O presidente regional do PTB, deputado federal Pedro Fernandes, afirmou que o momento histórico que o país atravessa reforça a exigência de que nas próximas eleições os candidatos sejam pessoas íntegras e idôneas. Citando o caos em que o prefeito Edivaldo encontrou a prefeitura em 2012, o deputado avaliou que mesmo com a atual crise econômica nacional e mundial, o prefeito vem realizando uma boa administração.

“Temos observado obras espalhadas por toda a cidade. Isso demonstra o compromisso de Edivaldo mesmo com todas as adversidades e a escassez no orçamento. Reiteramos hoje o nosso compromisso com o prefeito Edivaldo, que já apoiamos desde o segundo turno das Eleições de 2012. Um homem de caráter, o melhor para São Luís. O PTB irá às ruas pedir a reeleição de Edivaldo”, afirmou o deputado federal Pedro Fernandes.

Para o presidente da Juventude do PTB, o vereador Pedro Lucas, o carisma do prefeito Edivaldo e a sua habilidade de tratar com a politica também influenciaram na decisão da legenda de confirmar o apoio ao seu nome. “Nosso diretório municipal optou por apoiar a reeleição do prefeito Edivaldo, porque acreditamos que ele pode fazer muito mais por São Luís”, disse o vereador.

AVANÇOS

Em seu pronunciamento, Edivaldo falou da trajetória de sua administração e destacou os avanços em todas as áreas na capital. Dentre as obras citadas por Edivaldo estão o maior programa de urbanização na cidade, a construção e recuperação de praças, a construção de canais e galerias, as obras de ampliação do Hospital da Criança, os incentivos aos pequenos negócios no campo, a publicação do inédito edital de licitação do sistema de transportes urbanos e combate à insegurança alimentar, entre outras ações. O prefeito Edivaldo também agradeceu ao PTB pela confirmação do apoio à gestão.

“Fico honrado em ter meu nome lembrado por este partido histórico, formado por pessoas sérias, que acreditam na minha administração. Feliz em saber que posso contar com a militância do PTB, que estarão engajados em nosso projeto, a fim de que possamos avançar e ações e tornar São Luís uma cidade com mais qualidade de vida”, enfatizou Edivaldo, acompanhado da primeira-dama Camila Holanda.

Prestigiaram  o evento, a prefeita de São Vicente Ferrer, Maria Raimunda Araújo Sousa; o presidente municipal do Partido Republicano (PR) s secretário de articulação política da Prefeitura de Sâo Luís, Hélio Soares; a liderança comunitária do Coroadinho, Agnaldo Colins, e ainda vereadores e pré-candidatos a vereador em São Luís.

 Clodoaldo Correa

Empresário Anderson Wilker lidera pesquisa para prefeito em Alcântara

COMPARTILHE

O pré-candidato a prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PCdoB), é o primeiro colocado na disputa eleitoral no município, segundo pesquisa de intenções de votos realizada pelo Instituto Exata e registrada na Justiça Eleitoral. Anderson dispara com 50% da preferência em um cenário com todos os outros concorrentes.

Em um cenário apenas com o atual prefeito, o comunista aparece em primeiro lugar com 60% das intenções de votos contra somente 7% do gestor.

pesq1 pesq2

Já no quesito rejeição, o atual prefeito dispara com 69% do eleitorado. É o pré-candidato que tem a menor preferência, junto ao eleitorado, segundo a pesquisa Exata; enquanto Anderson tem apenas 8%.

A pesquisa avaliou também o grau de satisfação do eleitor com o governador Flávio Dino (PCdoB). Segundo a pesquisa, 61% dos entrevistados aprovam o atual governo do Maranhão.

pesq3 pesq4

Anderson Wilker hoje é assessor de Articulação Política do governo do Estado. O crescimento político dele na cidade ficou evidente nas eleições de 2014, quando liderou as campanhas do governador Flávio Dino e do deputado Othelino Neto (PCdoB), que terminaram como os mais votados em Alcântara.

A pesquisa foi registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), sob o protocolo MA-04702/2016, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o protocolo MA-04702/2016. Margem de erro: 3,5% para mais ou para menos.

DO BLOG SILVIA TEREZA

Tribunal do crime julga a presidente Dilma em Praça pública

COMPARTILHE

Assistindo a votação pela televisão, o que me parecia era um dos morros do Rio de Janeiro instalados no plenário da Câmara Federal. Mas por que comparar a Câmara Federal com favelas cariocas? fácil descobrir. Nas favelas cariocas os traficantes montam um tribunal por criminosos para julgar inocentes e o final disso tudo é sempre a punição fatal. Na Câmara Federal não foi diferente, presidida por um criminoso (Eduardo Cunha), a votação foi uma verdadeira vergonha, onde os corruptos julgavam uma inocente.

Coordenado por outro criminoso (Michel Temer), a votação teve a verdadeira amostra da falta de conhecimento da Constituição Federal, onde em hipótese alguma houve referências ao país, e muitas dedicatórias ao cachorro, ao papagaio, à mulher, aos filhos e até sogras foram lembradas em rede nacional. Uma falta de vergonha desmascarada para brasileiro ver.

Se cada deputado representa cada um eleitor, me vi representado por poucos, já que a grande maioria votou por interesse pessoal, poucos votaram por convicção e ideologia. No Maranhão, quem não tinha palavra provou ao contrário e quem era voto certo, traiu seu governador, como foi o caso do deputado federal Zé Reinaldo (PSB). Agora ouvir de João Castelo a palavra “Dignidade” onde o rapaz está condenado, por improbidade administrativa e desvio de verbas públicas.

cunha1 CUNHA

Em uma possível cassação da presidente Dilma, o Maranhão tomaria rumos ignorados haja vista que o PMDB seria o herdeiro da vaga. Uma hipocrisia para quem pensa assim. Existe uma coisa na política chamada alianças. E é através dessa aliança que tudo muda, o contra fica a favor e o adversário vira parceiro. Tudo por causa de um apoio. Em todo processo, seria Dilma a grande penalizada? claro que não. O povo mais uma vez seria o pagador de toda conta.

E por falar em conta, Brasília virou uma grande feira de negócios durante as últimas semanas. Foram negociados cargos, filhos, esposas, sogras, fazendas e até o futuro do povo brasileiro. Uma verdadeira canalhice à céu aberto e ao vivo para o Universo. O certo mesmo é que a guerra já começou.

A Bíblia diz que quando o justo governa o povo se alegra, mas quando é um ímpio o povo geme. Onde estão os justos? Com o resultado de 367 (Sim) e 146 (Contra), o Brasil está nas mão de meia dúzia de pensadores de interesses próprios. A pergunta que fica é: Quem financiou os 367 votos da maioria? O Brasil parou pra ver TV, parecia o carnaval carioca ao vivo.

São Luís passa a contar com batalhão exclusivo para combate de assaltos a ônibus

COMPARTILHE

O Batalhão Tiradentes, mais novo grupamento da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), iniciou este mês um trabalho especializado no combate aos assaltos a ônibus. Diariamente, 100 policiais atuam na região metropolitana, em áreas mais vulneráveis aos roubos, e direcionam a atenção ao público usuário do transporte coletivo. Em duas semanas de trabalho, o Batalhão Tiradentes já apreendeu 500 armas brancas, quatro armas de fogo, um simulacro e encaminhou 20 pessoas para a delegacia. Além disso, foram apreendidas 30 trouxas de substâncias semelhantes a crack e 47 papelotes de maconha. Mais de 15 mil pessoas foram abordadas.

Segundo o comandante do Policiamento Metropolitano I (Cpam I), coronel Pedro Ribeiro, a Operação Transporte Seguro, realizada por todas as unidades operacionais, está mantida. O Batalhão Tiradentes executa patrulhamento prioritariamente nas paradas de ônibus. A atuação dos policiais nos coletivos é diária, entre 14h e 3h da manhã.

“Com o advento do Batalhão Tiradentes, nós temos o direcionamento primeiro das suas atividades para abordagem de pessoas em coletivos e nas paradas. O diferencial deste trabalho é que os policiais saem nos ônibus e seguem embarcando e desembarcando, em abordagens pela cidade. Desde que começou, o trabalho reduziu em 60% o número de assaltos”, detalhou o comandante do Cpam I.

O coronel Marques Neto, comandante do Batalhão Tiradentes, explica que as guarnições foram distribuídas por regiões, conforme mapeamento prévio. Quinzenalmente há uma reavaliação e, caso necessário, um remanejamento das equipes. Nesta primeira etapa do trabalho, áreas como Monte Castelo, São Francisco, Ipase, Portinho e Turu estão abrangidas na dinâmica da atuação do Batalhão.

Ele comenta ainda que, dentre outras vantagens da ação in loco, estão o acompanhamento e a redução do tempo de viagem em qualquer situação de vulnerabilidade, a aproximação entre polícia e população, a logística facilitada e o fator surpresa. “O próprio assaltante não sabe onde estaremos. Nós descemos e, na próxima parada, há nova revista. Isso utilizando o próprio ônibus como condução”, explicou.

Na rotina de procedimentos, além das abordagens nas paradas, as guarnições realizam sondagens com motoristas e cobradores e os passageiros descem para revistas. “Temos tido um feedback positivo da população. Isso se torna combustível para nós”, completa o coronel Marques Neto.

Para o soldado Alisson Estrela Costa, que entrou na Polícia Militar este ano e integra o Batalhão Tiradentes, a experiência do corpo a corpo com a população tem sido eficaz. “Quando as pessoas veem que tem indivíduos suspeitos dentro do ônibus e nos veem fazer a abordagem, se sentem mais seguras. Já teve ocasião da população aplaudir, pedir para continuarmos trabalhando dessa maneira. Está sendo muito gratificante para nós, policiais, perceber que a população está necessitando e a gente está correspondendo”, disse o soldado Estrela.

O soldado Saint-Clair Aragão Neves Neto detalha que o trabalho móvel do Batalhão já apresenta soluções práticas e melhoria no cotidiano dos usuários de transporte público. “O Batalhão Tiradentes foi criado para dar uma resposta imediata para a sociedade. Nessas operações já apreendemos diversas armas brancas, encontramos pessoas com armas de fogo, e, por isso, essa abordagem está sendo muito eficiente”, citou o soldado Saint-Clair.

BATALHÃO VOLANTE

Ao todo, o Batalhão Tiradentes é composto por 150 homens e conta com estrutura diferenciada: são 42 motocicletas e 16 viaturas. O comandante do CPAM I acrescenta que a criação do Batalhão surgiu a partir da avaliação do Comando Geral da PMMA dos bons resultados das guarnições albatroz, que utilizam motocicletas para o deslocamento, e dos Grupos Táticos Móveis (GTM). Segundo ele, o patrulhamento volante e não atrelado às demandas dos chamados de emergência pelo 190 demonstraram grande efetividade e produção, o que gerou a proposta de potencializar tal mecanismo. “Esse grupamento é tático e de alta prevenção, porque se caracteriza por estar diretamente ligado a abordagens. Ele atua também como reforço no patrulhamento urbano”, disse o coronel Pedro Ribeiro.

FALA, POVO!

Luciane Pereira Silva da Costa

37 anos

Vigilante

Moradora do Bacanga

“Acho muito importante e produtivo. Já fui vítima de tentativa de assalto no ônibus; sou de acordo completamente e, por mim, é para ter todo dia, de manhã e à tarde, principalmente no horário de pico”.

José Ribamar Carvalho

64 anos

Pedreiro

Morador da Vila Embratel

“Acho que o trabalho deles está certo. Para mim, vai inibir um pouco, porque os marginais veem que a polícia está em cima, está trabalhando. Hoje já vemos muitos carros da polícia na rua também”.

Márcia Oliveira

25 anos

Administradora

Vila Esperança

“A iniciativa está sendo ótima, está inibindo, sim. Eu acho que a polícia deve fazer essa ação em outros pontos também, mais nas avenidas e nos terminais, como vi fazendo outro dia”.

Clodomir Ananias Freitas

55 anos

Servidor público

Morador do São Raimundo

“Esse trabalho é muito louvável, nós precisamos muito. Isso ajuda demais a reduzir a violência. Que me desculpe a comunidade, mas tem que passar por esse processo mesmo. Não me incomodo: nem que eu passe por cinco, por dez durante o dia, porque sei que quando eu chegar ao meu destino final, vou chegar seguro”.

PCdoB de Flávio Dino pode ser uma pedra no sapato dos a favor do golpe

COMPARTILHE

BRASÍLIA — Ás vésperas da votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff no plenário da Câmara, o governo informou que conseguiu reverter votos e agora teria o número necessário para barrar o afastamento da presidente. Após reunião com governadores na sexta-feira, o Planalto comemorou a reversão de deputados, entre eles, Waldir Maranhão (PP-MA), que esteve com a presidente pela manhã.

Por outro lado, a oposição continua a garantir que tem os votos necessários. Durante a tarde, confirmou o apoio do PP, que fechou questão a favor do impeachment e ameaçou expulsar os dissidentes, em resposta à ida de Maranhão ao Planalto. No fim do dia, o partido puniu Maranhão com a perda do comando do diretório estadual. O resultado da votaçao no domingo é incerto.

Em resposta ao movimento do governo, que voltou a se reunir com governadores nesta sexta, o presidente da Câmara, Eduardo Câmara (PMDB-RJ), telefonou para deputados para cobrar apoio, segundo informou o colunista Lauro Jardim. Já o PDT também fez pressão, mas para o voto contrário ao impeachment: repetiu o PP e ameaçou expulsar quem votar pela admissão do processo.

ARTICULAÇÃO DE FLÁVIO DINO

Antes, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e o vice-líder do governo na Câmara Sílvio Costa (PTdoB-PE) anunciaram que o governo conta com votos necessários para superar o impeachment na Câmara. Segundo Costa, que mostrou um papel dobrado dentro do bolso com uma tabela de votos, todos os placares já divulgados estão errados. Dino afirmou que, até domingo, o governo terá de 20 a 30 votos revertidos a seu favor.

— O clima melhorou muito nos últimos dias. Há um entendimento claro, muito nítido, de que a suposta avalanche que havia na direção de apoio ao impeachment não se verificou. Ao contrário, nós temos uma tendência de reversão de expectativa nesse momento — declarou Flávio Dino.

— Nós já ultrapassamos o número de votos de 172, estado por estado. E temos ainda uma coluna que a gente chama “a trabalhar”. Temos 36 votos a trabalhar. Estamos bem acima da margem de erro. Hoje detectamos um desespero grande na oposição — emendou Sílvio Costa depois dele, sem querer especificar o número exato que o governo acredita já contar:

Por meio de sua assessoria, o ministro chefe do Gabinete Pessoal de Dilma, Jaques Wagner, apostou:

— Hoje (sexta-feira) o governo voltou a contar com 200 votos contra o impeachment.

Desde quinta-feira, a presidente tem arregimentado os governadores para atuar junto às bancadas estaduais para conversar com cada deputado na tentativa de reverter votos já declarados a favor do impeachment e convencer os indecisos a apoiar Dilma. Segundo Dino, no Amapá e no Maranhão, foram revertidos de seis a sete votos. Segundo o Planalto, a bancada da Bahia veio com 19 representantes: todos declararam voto contra o impeachment. Entre os deputados baianos, auxiliares de Dilma contabilizam contar com 24, dos 39.

PUBLICIDADE

Dino afirmou que, se o impeachment for aprovado, a população só terá “solução para seus problemas” a partir de 2017, com a “paralisação completa” do Brasil.

— Há uma ilusão de que se eventualmente o impeachment fosse autorizado no domingo, na segunda-feira nós teríamos condições melhores de governabilidade. Ao contrário, nós acreditamos que haveria uma situação muito grave, de uma dualidade de poderes, porque nós teríamos o governo da presidenta Dilma de um lado, por pelo menos mais 30 dias, e de outro um hipotético futuro governo. Depois nós teríamos ainda um longo processo de tramitação no Senado, de quatro, cinco, seis meses em que o Senado passa a ser presidido pelo Supremo Tribunal Federal — declarou o comunista.

Encontraram com Dilma também os governadores do Amapá, Waldez Góes (PDT); da Paraíba, Ricardo Coutinho (PB); do Ceará, Camilo Santana (PT) e da Bahia, Rui Costa (PT). Todos eles trouxeram consigo para falar com Dilma deputados de seus estados. O governo acha que, com o reforço dos governadores, Dilma volta a respirar.

BLOG SILVIA TEREZA

 

 

Comissão Especial trabalha para regularização de aposentadorias na Câmara Municipal

COMPARTILHE

Sob a coordenação da advogada Itamary Correia Lima uma comissão especial está trabalhando intensamente para regularização da situação de servidores da Câmara Municipal de São Luís que há algum tempo estão a espera de suas aposentadorias, Itamary Lima, designada pelo presidente do Legislativo Astro de Ogum (PR), para esse trabalho diz que a comissão especial é composta por representantes do Legislativo Ludovicense, IPAM, Procuradoria Geral do Município, Secretaria Municipal de Administração e Perícia Municipal, foi instalada no último dia 04 de abril.

Com um prazo para realizar seu trabalho durante quarenta e cinco (45) dias, prorrogáveis pelo mesmo período, ou superior, caso haja necessidade, “porque existem casos muito antigos e de excepcionalidade que não se sabe se conseguirá resolver nesse período”, enfatiza Itamary Coreia Lima acrescentando: “a comissão está realizando o levantamento dos processos dos servidores com direito a aposentadoria que esperam por esse benefício”.

A coordenadora da comissão observa ainda que ficam incluídos também no trabalho que vêm sendo realizado os servidores aptos a aposentadoria independente de sua situação atual, ou seja, contribuintes, por tempo de serviço, compulsórios e inválidos. “Estamos realizando esse trabalho de forma célere para podermos apresentar os resultados a que nos propormos em caráter emergencial”, assinalou ela.

Segundo Itamary Correia Lima a comissão também tem como orientação a catalogação e análise da documentação obrigatória para a abertura, tramitação e concessão do direito aos servidores. Consta ainda entre as atribuições do grupo tratar da promoção do cadastramento dos servidores da Câmara Municipal junto ao sistema previdenciário do IPAM.

Sobre as ações que já foram tomadas e as que serão empreendidas, Itamary Correia Lima afirmou que “estamos todos empenhados em resolver esses problemas com a máxima brevidade, para que possamos cumprir com as metas as quais nos propomos, de colocar um ponto final dessa situação regularizando a situação de processos de aposentadorias na Câmara Municipal”.

 

Texto: Alteré Bernardino

 

Waldir Maranhão não está mais no comando do Partido Progressista (PP) no Maranhão

COMPARTILHE

O Globo — O vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que mudou de posição nesta sexta-feira com relação ao impeachment e votará a favor da presidente Dilma Rousseff, já perdeu o comando do diretório estadual do partido no seu estado por conta da decisão.

O anúncio foi feito nesta noite pelo próprio presidente do partido, o senador Ciro Nogueira. Essa é a primeira consequência prática da formalização da decisão do PP em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. No lugar de Maranhão, passará a comandar o diretório maranhense o deputado federal André Fufuca.

Maranhão esteve na manhã desta sexta-feira com a presidente Dilma, no esforço do governo federal em reverter os votos declarados de deputados em favor da sua deposição. Durante a tarde, o PP fechou questão a favor do impeachment e ameaçou expulsar os dissidentes, em resposta à ida de Maranhão ao Planalto.

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free