casa » ESPORTE (página 17)

ESPORTE

Ronaldo defende Copa no Brasil e ataca políticos.

COMPARTILHE
Ronaldo Fenômeno, "Poeta"

Ronaldo Fenômeno, “Poeta”

Mais uma vez o ex-jogador Ronaldo Nazário, que um dia foi chamado de “Fenômeno” mostrou que calado é um verdadeiro “Poeta”. Se fechasse a boca, alcançaria dois objetivos: “Não falaria besteiras e ainda perderia uns quilinhos”.

Ao defender a realização da Copa do Mundo no Brasil durante fórum de gestão esportiva realizado nesta sexta-feira (25), Ronaldo Fenômeno aproveitou para bater forte nos políticos. “O povo está traumatizado com os corruptos. Está todo mundo revoltado e eu também estou”, disse.

Membro do Comitê Organizador Local (COL), o ex-jogador explicou a sua função no órgão e pediu que a população manifestasse a sua indignação nas urnas, e não durante o Mundial. “Sou completamente contra superfaturamento, mas não sou eu que faço auditoria e assino contrato. O que espero é que a população cobre cada vez mais. Estão chegando às eleições de outubro. Está todo mundo descontente, mas tem de escolher bem o seu candidato e votar com consciência. As manifestações foram um aviso de que a população está de “Saco cheio”, disse.

Segundo Ronaldo, ainda há confusão entre as pessoas sobre o legado que o Mundial deixará ao Brasil, e a expectativa criada pela população foi muito maior do que a realidade. “As pessoas começaram a imaginar a Copa do Mundo como a salvação de todos os problemas do nosso país. Achavam que a Copa ia fazer com que tivéssemos uma saúde de qualidade e educação digna. A Copa não vai resolver esses problemas, mas vai trazer centenas de milhares de oportunidades e empregos e novos estádios.” O que fenômeno esqueceu, é que em estádios, são poucos funcionários e na maioria, serão os verdadeiros elefantes brancos.

O ex-jogador também voltou a explicar a sua declaração, dada em 2011, de que “Copa não se faz com hospitais”. O Fenômeno, que foi muito criticado pelo comentário e virou alvo de manifestantes, disse que não há relação entre a realização do Mundial e melhorias na saúde e que as duas coisas são distintas. “Não foi desviado dinheiro da saúde para a Copa do Mundo. O projeto do Mundial é de 2007 e a verba já estava separada. O Brasil é um país muito rico e tem dinheiro para fazer tudo”, explicou. Mais uma vez, “o Babaca” esqueceu que em um país rico, não existe miséria e no Brasil a coisa está cada vez mais complicada.

Como exemplo do legado da Copa do Mundo, Ronaldo citou Cuiabá. O Fenômeno esteve na capital de Mato Grosso na quarta-feira (23) junto com o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, para vistoriar a Arena Pantanal e ficou impressionado com as obras na cidade. “Lá não era feita qualquer intervenção de mobilidade urbana havia 40 anos. A Copa do Mundo veio e a cidade tem hoje mais de 70 intervenções urbanas. Se não fosse a Copa, Cuiabá iria continuar do mesmo jeito sei lá por mais quanto tempo. Quem ia fazer alguma coisa naquele lugar?”. Agora fica a pergunta Sr. Ronaldo. Quem vai usar esse estádio após a copa do mundo, se o futebol do estado do Mato Grosso é fragilizado e não tem torcida?

Ronaldo também saiu em defesa da Fifa. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro. O que não pode é ter superfaturamento e desvio de dinheiro.” Ronaldo, eu não sabia que a Fifa é uma empresa. Agora que teve superfaturamento e desvio de verbas, isso teve. O senhor deve morar em outro país ou está tendo lucro também. “Fica calado, será melhor para os organizadores”.

Já pensou se a moda pega? Cai primeiro técnico da Série B

COMPARTILHE
Campeão Brasileiro da Série C

Campeão Brasileiro da Série C

Caiu o primeiro treinador da Série B do Campeonato Brasileiro 2014. Na noite deste sábado (19), após o empate contra o ABC -RN, por 1 a 1, no Estádio do Arruda, em Recife; o técnico Vica entregou o cargo no Santa Cruz-PE. A relação com a torcida e as eliminações dolorosas para o maior rival Sport, foram determinantes para a queda do treinador.

Ele fez uma reunião com os dirigentes do Santa Cruz, ainda nos vestiários do Arruda, onde acabou entregando o cargo. Após o empate, o time deixou o gramado debaixo de muitas vaias. Vica foi bastante xingado pelos torcedores da Coral logo depois do gol de Denis Marques, desafeto do treinador nos tempos de Santa Cruz e atual camisa 9 do ABC.

“Depois do jogo falei com os jogadores e com Ataíde (gerente de futebol do Santa) e pedi uma reunião com a diretoria. Comuniquei que o meu ciclo estava encerrado no time do Arruda. Não foi pelo mau resultado de hoje. Mesmo com uma vitória era uma posição que eu já tinha tomado”, afirmou o treinador em sua despedida.

Com passagens de destaque por diversos clubes do Nordeste, Vica assumiu o Santa Cruz no ano passado, com a missão de recolocar o time pernambucano na Série B do campeonato Brasileiro. Mesmo tendo assumido com a Série C em andamento, o treinador cumpriu o objetivo e ainda levou o Santinha ao título inédito da terceira divisão do Brasil.

Em quase um ano a frente dos pernambucanos foram 40 jogos, com 21 vitórias, oito empates e onze derrotas. Nesta temporada, acabou eliminado nas semifinais da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano para o Sport, seu maior rival.

No início da próxima semana, a diretoria do Santa Cruz deve anunciar o novo comandante da Cobra Coral. O favorito é Sidney Moraes, que está a frente do Vila Nova-GO. 

Sampaio Correa estreia hoje na Série B do brasileiro após quase 12 anos longe

COMPARTILHE
Flávio Araújo conversando com os jogadores do Sampaio

Flávio Araújo conversando com os jogadores do Sampaio

Foram exatamente 11 anos, cinco meses e seis dias de espera, para a Bolívia voltar a Série B do campeonato brasileiro. Desde o dia 12 de novembro de 2002, quando o Sampaio havia sido rebaixado no Campeonato Brasileiro Série B após a derrota por 2 a 0 para o Americano (RJ), no estádio Godofredo Cruz, na cidade de Campos; o torcedor boliviano passou a sonhar 24 horas com o retorno da equipe às principais divisões do futebol brasileiro. Mas não foi nada fácil. Depois de muitos esforços, e persistência do presidente Sérgio Frota, que por várias vezes foi taxado de louco, veio uma conquista invicta na Série D e um vice-campeonato da Série C, onde o desejo dos tricolores se tornou realidade. Hoje (18), o Sampaio dá o primeiro dos seus 38 passos na disputa do Campeonato Brasileiro Série B contra o Paraná Clube. A partida terá início às 19h30, no estádio Castelão, e será um jogo inédito na história dos dois clubes.

Embalado pelo ótimo desempenho nas duas últimas edições de Campeonato Brasileiro que disputou, onde não só conquistou o acesso, mas também brigou pelo título, o Sampaio agora terá uma competição bem diferente a disputar. Além disso, o Sampaio irá disputar o seu primeiro brasileiro de pontos corridos. Considerada por muitos uma verdadeira corrida de resistência, a Série B será realizada até o final de novembro e não conta com os tradicionais ‘mata-matas’, onde a Bolívia se destacou com bons resultados como mandante e triunfos preciosos como visitante. Na Segundona, a regularidade cobrará um preço maior dos tricolores, que garantem estar prontos. A base vencedora das últimas temporadas foi mantida e o desempenho em 2014 está dentro das expectativas, com direito a um título maranhense conquistado de forma antecipada sobre o maior rival, Moto Club e a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil.

No primeiro duelo pela Série B, o técnico Flávio Araújo terá a maior parte do time considerado titular, mas sofre com desfalques justamente no setor mais forte da equipe; a defesa. Sem contar com o lateral Tote e os zagueiros Mimica e Paulo Sérgio, o Sampaio testará uma dupla de zaga que atuou junta apenas em treinamentos, formada pelo jovem Alex e pelo recém-contratado Edimar. Do meio para frente, porém, nenhum desfalque e esperanças depositadas no atacante Edgar, que fez quatro gols nos últimos três jogos e voltou a apresentar o futebol que o tornou um dos ‘xodós’ da torcida boliviana.

Em sua sétima participação consecutiva na Série B, após o rebaixamento em 2007, quando foi o 19º na Série A, o Paraná Clube entra na disputa deste ano disposto a melhorar a oitava colocação obtida em 2013, e ainda beliscar uma das vagas na primeira divisão e até mesmo conquistar o seu terceiro troféu da Segundona, torneio que já venceu em 1992 e 2000. A temporada começou bem para o Tricolor da Vila Capanema, que terminou a primeira fase do Paranaense na liderança, mas foi eliminado pelo Atlético-PR no primeiro mata-mata. A eliminação custou a demissão do técnico Milton Mendes. Ricardo Drubscky chegou e assumiu o time na vitória sobre o São Bernardo, pela Copa do Brasil, mas o novo comandante acabou aceitando uma proposta do Goiás e deixou o clube.

Após ser campeão invicto em 1997 na Série C do brasileiro, o Sampaio disputou cinco Segundona seguidas e venceu em três estreias, perdeu uma e empatou outra.

 

FICHA TÉCNICA:

Local: Castelão (São Luís-MA)

Horário: 19h30 (horário de Brasília)

Árbitro: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)

Assistentes: Inácio Barreto da Câmara (AP) e Nílton Pereira da Silva (RR)

SAMPAIO CORRÊA: Rodrigo Ramos; Paulo Ricardo, Edimar, Alex e William Simões; Jonas, Arlindo Maracanã, Eloir e Cleitinho; Edgar e David Batista. TC: Flávio Araújo

PARANÁ: Marcos; Rodrigo Mann, Brinner, Anderson Rosa e Breno; Cambará, Edson Sitta, Henrique e Lúcio Flávio; Paulinho e Giancarlo. TC: Luciano Gusso (interino)

Moto passa a régua e presta as contas com o Sampaio em 2014

COMPARTILHE
Imagem retirada do blog Zeca Soares

Imagem retirada do blog Zeca Soares

A partir de agora o assunto é o clássico entre Moto e Sampaio que decidiu os dois turnos e o título do Campeonato Maranhense 2014. Foram cinco jogos realizados nesta temporada e a expectativa de grande público, sempre foi gigantesca. A tão esperada final entre os dois times de maior torcida no futebol maranhense, sempre mexe e remexe com a cidade. E foi isso que aconteceu nos cinco confrontos realizados nesta temporada.

Para o Moto Club, o Superclássico valia mais que um título. Era a oportunidade para o papão fazer as pazes com sua torcida apaixonada e mostrar que a peteca caiu, mas não quebrou. E foi isso que aconteceu. O Moto ampliou suas vitórias diante do maior rival, fez as pazes com sua grande torcida e de quebra levou as vagas do Campeonato Brasileiro Série D, Copas do Brasil e Nordeste de 2015. Um feito que não acontecia desde 2009, após o ultimo título do Papão em 2008.

Imagem retirada da Internet

Imagem retirada da Internet

De lá pra cá foram dois rebaixamentos no Campeonato Estadual. Um em 2009 e o segundo em 2012. Em 2010 o Papão disputou a Série B do maranhense e conquistou o titulo. Mas, mesmo assim, a torcida estava cada vez mais longe do time e das arquibancadas. Ninguém acreditava mais em ninguém. Como fazer para o Moto disputar a Segundinha em 2013? Já vários dirigentes que passaram pelo comando do time, só afundaram ainda mais o Papão do Norte.

Eram tantas gozações dos rivais, que até o mais apaixonado torcedor do Moto, não conseguia mais falar do seu time do coração. Teria que no mínimo, aparecer um torcedor fanático e Sério para assumir o time, que na verdade só tinha o nome, mais nada. Foi ai que surgiu o nome do Radialista & Jornalista Roberto Fernandes, que mesmo sem grana, tinha uma “Riqueza” chamada credibilidade e seriedade.

Foram vários meses de lutas e trabalho. Foi como construir uma casa em um espaço sujo e sem um tijolo. Até mutirão aconteceu para limpar o campo de treinamento. A torcida voltava aos poucos e ajudava no que podia. Veio a estréia da segundinha e o Moto perdeu para o Sabiá por 2×1 em pleno castelão. O que será que passou pela cabeça do Presidente Roberto Fernandes? O time que era comandado pelo técnico Celinho Valentim, se uniu e fiz um pacto de vitórias até o final da competição. Na quarta rodada contra o Itapecuruense, na cidade de Itapecuru-Mirim, a torcida mostou que acreditava no trabalho de Roberto Fernandes e marcou presença maciça no estádio Rodolfão, onde foi chamada de “Invasão” Rubro-Negra. De lá pra frente, a torcida abraçou o time, mostrou que é apaixonada e dar a vida pelo famoso Papão do Norte.

E como marinheiro de primeira viagem sempre tropeça, veio a falida Copa cidade e o Moto eufórico acabou participando e foi e eliminado. Ai veio as incertezas do futuro motense para 2014. Fica ou não fica? Roberto Fernandes entregou o cargo de presidente e a torcida desabou em pranto. O clube tinha endereço e nome, e mais nada. Estava sem grana, sem presidente e sem time formado. O Moto precisava de um salvador da pátria. Foi aí que surgiram vários empresários motenses que com muitas dificuldades montaram um grande time em cima da hora. Com poucas palavras e muita cautela, apareceu um “Pensador” chamado Waldemir Rosa (Dadá), que aos poucos foi montando uma equipe forte e competitiva. Mas para isso, precisava estrear no estadual. Com dez dias de preparação, o time comandado pelo vitorioso técnico Edson Porto, começou sua nova batalha e tentava buscar a credibilidade de todos.

Após duas vitórias consecutivas, veio o desastre. O Moto seria goleado pelo Araioses por 4×0. A torcida pensou mais uma vez. Será que o time vai viver os mesmos pesadelos anteriores? Veio o Cordino e o Moto Venceu por 1×0. Classificado em primeiro lugar do grupo A, o Papão teria pela frente o Santa Quitéria nas Semifinais. Na Primeira Partida, no estádio Rodrigão, o Moto sofre uma derrota pelo Placar mínimo. No jogo de Volta, o papão reagiu e venceu por 3×2. Classificado à final do primeiro turno, o adversário seria o maior rival. Foram dois jogos e dois empates. A partir daí, o time cresceu e superou todos os obstáculos. Nos segundo turno veio outro confronto e o pior, o Moto precisaria da vitória pra sonhar com as vagas oferecidas pela CBF. E sabe o que aconteceu? O Moto venceu por 1×0 e calou a boca daqueles que achavam que o Sampaio seria imbatível. Foram mais dois jogos entre Sampaio x Moto. E sabe os resultados? O Sampaio venceu um jogo por 2×0 e perdeu o outro por 1×0.  Agora vamos fazer os cálculos nos confrontos entre Moto x Sampaio em 2014. Foram cincos jogos. Dois empates. Uma vitória do Sampaio e duas vitórias do Moto. Agora respondam nos comentários. Quem levou a melhor, Moto ou Sampaio?

Preso desde 2010, ex-goleiro Bruno faz apelo: ‘Me deixem jogar’

COMPARTILHE
Goleiro Bruno, ex-Flamengo

Goleiro Bruno, ex-Flamengo

O ex-goleiro Bruno voltou aos holofotes. Preso desde 7 de julho de 2010, pela morte da sua ex-namorada Elisa Samúdio, o arqueiro assinou um contrato com o time do Montes Claros, da segunda divisão do Campeonato Mineiro, e tenta a liberdade para voltar aos gramados. Na capa da revista “Placar”, o ex-jogador pede: “Me deixem jogar”. O ex-goleiro também falou sobre as dificuldades da vida na cadeia.

“Muita gente acha que, por ter sido jogador de futebol, eu tenho regalias aqui. E não é. Pago um preço alto pela fama. Já costurei bola aqui dentro. Tem muito jogador que gosta de colocar a culpa na bola. Mas agora eu conheço cada ponto da bola. Sei quando o cara está dando migué. A bola aqui do presídio não é ruim, não”, disse, em entrevista à revista “Placar”.

O ex-jogador de futebol também falou sobre a tentativa de tirar a própria vida. Na ocasião, Bruno chegou a enrolar uma corda no pescoço e se jogou de uma certa altura.

“Tentei o suicídio. Amarrei o lençol na ventana, que é alta, coloquei no pescoço e saltei. Mas a corda arrebentou e eu caí no chão. Olhei para o lado e vi que tinha caído com a cabeça em cima de uma bíblia, que um policial tinha me dado ainda no Rio de Janeiro. Foi Deus que não permitiu que eu me matasse”, afirmou.

O ex-jogador do Flamengo já sente as consequências de estar preso há quatro anos. Ele afirmou que não será possível levar uma vida confortável quando sair da prisão.

“Não estou acabado. Mas sobrou muito pouco do meu dinheiro, longe de poder levar uma vida confortável quando sair daqui”, concluiu. 

Polícia prende torcedor Motense no banheiro e leva pra conhecer a Reffesa

COMPARTILHE

TO MOTOA Polícia Militar, através do Major Jessé, tenta organizar os jogos do campeonato maranhense, da melhor maneira possível, mas alguns torcedores não colaboram. Na maioria das vezes, quem paga o preço alto é o próprio clube, que sempre é penalizado com perda de mando de campo.

No ano passado, alguns torcedores do Moto, quebraram cadeiras no estádio castelão, no jogo em que o papão perdeu para o Sampaio por 3×1. Além de perder o jogo, o moto ainda teve que pagar multa de R$ 1.000,00 (mil reais).

Este ano, o Rubronegro já foi julgado duas vezes por mau comportamento de torcedores, e condenado a pagar multas. A torcida sabe das dificuldades que o Moto vem enfrentando pra pagar seus funcionários e ainda tem que pagar multas, por causa de alguns torcedores irresponsáveis.

Ontem (23) no Superclássico realizado no estádio castelão, onde o Moto venceu por 1×0, a polícia que exagera sempre, prendeu um torcedor do Moto, identificado como Francisco Alberto Vieira de Oliveira, de 34 anos, que é vigilante e foi acusado de jogar uma garrafa para dentro do estádio.

Segundo a polícia, o acusado reagiu à prisão e desferiu socos aos policias que trabalhavam no momento. O caso foi registrado no Plantão Central da Reffesa, na Avenida Beira Mar, no centro da capital maranhense. Veja o B.O

BO

O ministério da saúde adverte: Jogar de salto alto contra o Moto, pode ser fatal

COMPARTILHE
Técnico Edson Porto no trabalho

Técnico Edson Porto no trabalho

E foi justamente o que aconteceu hoje (23) no estádio castelão, onde o Moto venceu o Sampaio Corrêa por 1×0. Muitos comentários durante a semana apimentaram o Superclássico de número 590. Atletas que mesmo jogando a quarta rodada do segundo turno, contra o Araioses, já faziam planos para eliminar o Papão do Norte. Agora fica a pergunta: quem estava com medo da partida. O Moto ou Sampaio? O Moto tinha suas necessidades e precisava de uma vitória para continuar vivo no estadual e na temporada. Mas o Sampaio que ainda não venceu um clássico nesta temporada, precisava provar porque está na série B do campeonato Brasileiro.

O certo mesmo, é que o Moto não tem medo de cara feia e precisava presentear seu treinador, Edson Porto, que justamente hoje (23) completaria mil jogos como técnico de futebol profissional. E foi justamente contra o Sampaio, que Edson Porto no seu melhor estilo, comemorou sua marca histórica e aumentou para 792 vitórias em sua brilhante carreira.

No meio de semana, o técnico do Sampaio, Flávio Araújo, que já protagonizou duas matérias neste blog, como o treinador mais arrogante do campeonato maranhense, deu um drible na imprensa ao marcar o treino da Bolívia para o CT José Carlos Macieira e o time acabou treinando no estádio municipal Nhozinho Santos. Porque Flávio fez isso? Estava com medo do papão do norte?

Já o técnico do Moto, Edson Porto, treinou a semana inteira na Toca do Papão e não escondeu a escalação de seu time para o jogo contra o Sampaio. Não sei se Flávio Araújo lembrou-se do desafio feito por Edson, logo após a partida entre Sampaio x Moto, quando ficou empatada por 2×2 no final do primeiro turno.

“O Sampaio conquistou o título do primeiro turno e as vagas na copa do Brasil e copa do nordeste. Eles tinham a vantagem do empate, mas o campeonato não acabou e no final é que vamos ver quem tem mais garrafas pra encher” – disse o técnico Edson Porto.

Hoje o moto escreveu a vitória de número 194, contra 175 do Sampaio Corrêa. No total, 221 empates e 1399 gols na história do Superclássico. O Moto já marcou 717 gols em cima da Bolívia e sofreu 681 gols.

Pra quem declarou que o Moto estava entalado na garganta, vai ter que procurar um Otorrinolaringologista para fazer um exame com urgência. “Vitor” e “Henrique” foram os nomes da “Malária” boliviana e  perseguem o tricolor em todos os jogos. Já são dois gols de Vitor contra o Sampaio e desta vez, foi o gol que deu a vitória motorizada.

Estudioso, educado e organizado, o Catarinense, Edson Porto vem mostrando que só com muito trabalho, os resultados aparecem. Pra quem desembarcou em São Luís no mês de janeiro, para trabalhar em um clube que tinha apenas o nome, hoje já pode ver a diferença, tanto no time, quanto na torcida. É claro que por várias vezes o técnico foi criticado pela torcida, mas foi firme e objetivo, sempre cumprindo suas metas. E agora professor Edson Porto? Nas contas da torcida Motense, o papão só precisa eliminar a raposa, pra conquistar três vagas importantes e voltar ao cenário nacional. ” A diretoria do Moto merece todo esse sangue dos jogadores”.

Mais um técnico de futebol no Estado do Maranhão, mostra sua “Educação”

COMPARTILHE
Arnaldo Lira no desespero

Arnaldo Lira no desespero

Quem imaginou que o técnico Flávio Araújo, hoje no comando do Sampaio Corrêa, fosse o treinador de futebol mais arrogante no Estado do Maranhão, se enganou.  No último dia 06, ele foi ríspido e prepotente, com um repórter esportivo, após o jogo no estádio castelão.

Seria seu jeito, ou sua cultura? Nada a julgar. É claro que vivemos em um país democrático, mas nada justifica um cara que se diz profissional, ser tão mal educado com outro profissional, principalmente quando o repórter é super educado. Dizem que os maus exemplos influenciam muito no comportamento de muita gente. Agora fica uma dúvida. De quem Flávio Araújo é fã? Em qual treinador de futebol ele se inspira? Não dar pra fazer uma avaliação e nem comparar.

São tantos técnicos arrogantes, que precisaria de uma semana para descrever cada um deles. Mas, vamos apontar alguns considerados medalhões do esporte. O primeiro a entrar na lista, chama-se Luís Felipe Scolari, hoje na seleção brasileira. E na lista ainda entram Wanderley Luxemburgo, Muricy Ramalho, Renato Gaúcho, Dunga, PC Gusmão, Abel Braga, Adilson Batista, Jair Picerni, Mano Meneses, Zagalo, e Antônio Lopes. Uffa… esses são apenas alguns dos prepotentes, considerados pela imprensa e pelo torcedor brasileiro.

Aqui no Maranhão, só este ano (2014), o estadual teve o prazer de receber, além é claro de Flávio Araújo que já estava desde 2012, mais dois técnicos arrogantes; Gilberto Gaúcho e Arnaldo Lira, que chegaram pra comandar o Maranhão Atlético Clube. O primeiro, que nunca havia treinado um time grande em sua carreira, acabou dando ataque de estrelismo e deixou o MAC na pior posição de sua história. Gilberto era ríspido com a imprensa esportiva e só falava quando queria. Já Arnaldo Lira, que é mais experiente e carrega um rebaixamento em sua bagagem, também tem a fama de arrogante e mal educado. Ontem (21) em entrevista ao repórter Edmilson Costa, da rádio Difusora AM 680, Arnaldo deu ataque de estrelismo e não quis falar sobre o possível rebaixamento do MAC e seu segundo só em 2014.

Com status de salvador da pátria, Arnaldo lira não teve êxito nesta temporada. No campeonato cearense, o treinador foi rebaixado com o Ferroviário. Deixou o time cearense e veio tentar salvar o MAC, e até agora não soube o sabor da vitória no campeonato maranhense. O certo mesmo, é que a guilhotina está armada e Arnaldo pode vir mansinho de Barra do Corda, no final de semana.

“O Blog do João Filho, se solidariza com o repórter Edmilson Costa e repudia o comportamento de técnicos dessa natureza”

Técnico do Sampaio Corrêa trata imprensa com rispidez e arrogância

COMPARTILHE
O arrogante técnico Flávio Araújo

O arrogante técnico Flávio Araújo

O técnico do Sampaio, Flávio Araújo, mostrou mais uma vez que é arrogante e prepotente. Ontem à noite (6) ao ser entrevistado após a vitória de seu clube, Sampaio Corrêa, em cima do Cordino por 3×0, no estádio castelão, o técnico do Sampaio Flavio Araújo foi questionado por um repórter sobre o jogo de estréia na Copa do Brasil contra o Interporto do estado do Tocantins, e deu uma resposta de um ser arrogante e prepotente.

Ao ouvir aquela grosseria de uma profissional que trabalha com pessoas, o repórter que fez a pergunta muito inteligente, e que é um profissional muito educado e estudioso, ficou sem jeito diante de seu público que o ouvia naquele momento. Taxado pela crônica esportiva por onde trabalhou, como um técnico arrogante, Flávio se acha o dono do pedaço e acaba agredindo os profissionais da imprensa, que fazem a mídia do esporte e colocam os jogadores e treinadores na vitrine nacional.

Ao presenciar aquela atitude pífia de Flávio Araújo, o radialista Juracy Filho, da rádio Timbira AM 1290, foi muito feliz quando questionou no Ar, se o técnico do Sampaio estava se achando um Vanderley Luxemburgo, um Muricy Ramalho, um Abel Braga, um Felipe Scolary,  ou tantos outros vitoriosos treinadores do futebol brasileiro.

O que o técnico Sampaio Corrêa, Flávio Araújo, precisa saber, é que ele não é nada a mais que um técnico de futebol e que mostrou não ter educação e muito menos respeito por outro profissional. Nenhum repórter sai de sua casa pra passear no estádio, ou se esconder de sua família, depois de ter trabalhado o dia todo.

Agora ficam as perguntas para o Sr. Flávio Araújo.

1ª  Algum repórter interferiu no resultado do jogo, ou você não gosta de imprensa esportiva?

2ª  Flávio Araújo, você se acha o cara, o melhor treinador do Brasil e por que não foi campeão no estado do Pará, quando deixou o Sampaio e foi comandar o Clube do Remo?

Ah, meu querido Flávio Araújo, você só precisa de uma coisa: ser mais humilde e respeitar os outros profissionais, independentemente da função que exercem. Uma coisa é certa, se você não estudou ou não gosta de quem estuda, respeite aqueles que valorizam a educação.

Faço das palavras do narrador, Juracy Filho; as minhas, mas complemento o comentário. O Flávio Araújo foi campeão com o Sampaio, todo mundo sabe. Mas é o único time grande no currículo dele. O herói do Sampaio é o presidente Sérgio Frota e não um treinador que se acha dono do conhecimento futebolístico. A grande verdade é que o Sampaio sem Sérgio Frota, não seria o mesmo;  mas sem Flávio Araújo, seria grande do mesmo jeito. “Ninguém é insubstituível”.

Radialista escreve declaração de amor ao Moto Club de São Luís

COMPARTILHE

Por uma paixão!

De Roberto Fernandes

Kayk & Lucas

Kayk & Lucas

Porque nasce uma paixão? Não sei. E duvido que alguém tenha uma resposta pronta. Mal sabemos quando tudo começou: foi um olhar, um sorriso ou duas simples cores. O certo é que santificamos aquele instante.  É o momento em que passamos a compreender aquela chama que dilacera o nosso peito ou tira os nossos sentidos. 

Por vezes, esse despertar é nada poético. Ele vem com a dor, como uma lança cravando o coração. Foi assim, em 97, quando o Moto deixava a segunda divisão do brasileiro.  Só encontrei resposta para esse estranho amor, em um pensamento de Chiara Lubich: “É na dor que encontramos o verdadeiro amor.”

O danado é que essa dor parecia incessante. Ausente das melhores disputas nos exige mais. Parece querer colocar a prova os nossos sentimentos. Por duas oportunidades sangra nossa fé, com o vergonhoso rebaixamento. Quanta provação! De tanta angústia meu coração andava meio acabrunhado e divorciado da alegria. Uma agonia que se arrastou pelo tempo, me dando a nítida impressão de ser ela, infinita.  Mas, um amor assim não se renuncia. Compreendi La Rochefoucauld: ”A ausência apaga as pequenas paixões e fortalece as grandes.”

E no último domingo, final de turno. O adversário melhor não podia existir para convencer meu coração, que já não estávamos tão frágeis.  Não vencemos é verdade. O título escapou de nossas mãos. Mas não liguei pra isso. O mais importante é que a alegria voltou. A confiança foi restabelecida e a paixão fez meu coração pulsar no peito, como uma criança que acaba de ganhar a vida.

Sabe de uma coisa. Essa tristeza não era só nossa. Eu vi. Até quem nos olha pelo canto dos olhos, andava perambulando pelas ruas da cidade, como uma alma errante a procura de sua metade.

O passado de desilusões é apenas um rabisco em papel amassado, jogado num cesto qualquer no canto da sala.

 

O PAPÃO VOLTOU!

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free