casa » Archivo de Etiquetas: Câncer

Archivo de Etiquetas: Câncer

Conheça as 5 doenças que mais causam dor no Estômago

COMPARTILHE

Sabe aquela dor no estômago que já causou incômodo, mas passou? Quase todo mundo já sentiu algo assim. Mas aí mora um perigo: a maioria das pessoas tende a acreditar que a dor é provocada por gases, estresse ou má digestão de algum alimento que não caiu tão bem. “Quando a causa é uma dessas, de fato, o desconforto costuma passar em poucos dias. Mas se o incômodo for frequente, a ponto de fazer a pessoa não largar remédios ao longo da semana, do mês, essa dor pode revelar um sintoma de alguma doença que precisa de tratamento”, explica a clínica geral Graziela Medeiros Braide, do Hapvida Saúde.

A especialista lembra que são vários os problemas que atacam o aparelho gastrintestinal, porém todos são diagnosticados somente com a realização de exames. Um deles é a endoscopia, que consiste em introduzir um pequeno tubo com uma câmera pela boca para visualização do esôfago e da primeira parte do intestino delgado. “A ideia é checar o que há de errado em todo o sistema gástrico e, assim, passar um diagnóstico mais preciso”, afirma a médica.

É importante ficar atento às dores, mas o médico garante que doenças mais graves, como, como gastrite e refluxo, também vêm acompanhadas de outros sintomas. Nesta terça-feira, 29 de maio, a Organização Mundial da Saúde celebra o Dia Mundial da Saúde Digestiva. Por isso, com a consultoria da médica Graziela Medeiros, fizemos um levantamento para que você conheça agora as cinco doenças que mais costumam provocar dores e incômodos nos pacientes.

GASTRITE

Inflamação nas mucosas das paredes do estômago, causada especialmente pela bactéria H Pylori, que desequilibra o PH gástrico. O consumo de alimentos gordurosos, cítricos, álcool em excesso, cigarro e até medicamentos, pode agravar o problema e favorecer a atividade da bactéria. O tratamento recomendado pelos médicos, além de medicamentos, é a adoção de uma alimentação mais leve, com mais fibras, menos alimentos industrializados e uma série de indicações que varia de acordo com o paciente. No entanto, há casos em que a gastrite é atrófica, ou seja, crônica, em que o paciente já possui predisposição para desenvolver a doença. Quando isso ocorre, o ideal é fazer acompanhamento e exames regulares e seguir o tratamento indicado pelo médico.

REFLUXO

A doença é causada pela abertura constante da válvula do esôfago, que deveria abrir só com a ingestão de alimento. Por permanecer aberta, o alimento ingerido volta, causando dores no estômago, azia e também queimação no esôfago. Essa abertura pode ser provocada pelos hormônios liberados pelo estresse e por alimentos como café, refrigerante e bebidas alcoólicas. Comer muito rápido, sem mastigar o suficiente, também pode causar refluxo. Anteriormente, o tratamento mais comum era a cirurgia que corrigia o fechamento da válvula. Hoje, porém, o mais indicado pelos médicos é a terapia medicamentosa, suficiente para corrigir o problema. A longo prazo, o refluxo pode ser um fator de risco para câncer de esôfago, se não tratado a tempo.

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

Provocada pela falta de enzimas responsáveis por digerir alguns elementos do que se é ingerido, como o glúten, proteína presente no trigo, e a lactose, o açúcar do leite. O problema pode ser adquirido ao longo da vida e, além da dor estomacal, outros sinais da doença são gases, enjoo, vômito e diarreia. Para diagnosticar a causa da intolerância, é necessário tirar alguns alimentos da dieta por alguns dias até que se consiga avaliar qual deles é o responsável pelos sintomas. Ao ser identificado, o paciente deve restringir o consumo de qualquer alimento que possa provocar a reação.

PANCREATITE

Uma dor forte na região do estômago é o principal sintoma dessa doença, provocada, especialmente, pelo excesso de bebidas alcoólicas. A pancreatite pode ser aguda ou crônica. A primeira é causada pela formação de pequenos cálculos biliares que obstruem os canais do pâncreas e inflamam o tecido do órgão. Já a pancreatite crônica, também provocada pelo excesso de álcool, atrofia os canais do pâncreas e enrijece o tecido. Na maioria dos casos, a doença só é identificada quando a dor estomacal se torna insuportável, o que indica que o problema já está em um estágio avançado. A pancreatite não tem cura, mas existe tratamento medicamentoso para amenizar os sintomas, quando o quadro não é emergencial, o que exige atendimento imediato.

CÂNCER DE INTESTINO

A incidência da doença tem aumentado no Brasil. Estudos mostram que o consumo excessivo de carne, de produtos industrializados e alimentos defumados pode acelerar o surgimento da doença. Por ter início assintomático, a mortalidade causada por este tipo de câncer ainda é alta. Quando surgem os principais sintomas – intestino preso, dor de estômago, fezes com sangue e vontade de evacuar constantemente – o câncer pode estar em fase avançada. A doença pode ser tratada com medicamentos e cirurgia. O melhor é ficar atento aos sinais que o corpo dá e não hesitar em procurar ajuda profissional se as dores de estômago ou qualquer um dos sintomas acima durarem mais de cinco dias. A partir dos 50 anos, recomenda-se a fazer exames de colonoscopia regularmente, que ajudam a diagnosticar qualquer sinal da doença.

Texto: Dalva Rêgo

08 de Abril é o Dia Mundial de Combate ao Câncer. “Sírio-Libanês alerta para os riscos do Câncer Colorretal”

COMPARTILHE
Criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data especial reúne organizações ao redor do planeta em prol da prevenção dos vários tipos de câncer.

O câncer colorretal é uma das principais neoplasias que atingem a população. Também conhecido como câncer do intestino grosso, acomete pessoas em todo o mundo, independentemente do sexo, classe social ou se habitam os grandes centros ou municípios interioranos. A doença é silenciosa e o diagnóstico pode ser feito a partir da colonoscopia. O quanto antes for descoberto, mais fácil será a cura.

“É o segundo câncer mais frequente entre as mulheres e o terceiro mais incidente entre os homens”, alerta Dra. Marcela Crosara, oncologista do Hospital Sírio-Libanês. Diante da possibilidade de ausência de manifestações clínicas, a especialista chama a atenção para a importância de exames preventivos. “Temos uma ferramenta de extrema importância para o diagnóstico do câncer colorretal que é a colonoscopia. Por isso, a recomendação formal é de que a população em geral, homens e mulheres, façam a colonoscopia a partir dos 50 anos de idade. É a partir dessa fase da vida que a doença costuma se manifestar”. Pacientes com antecedente familiar forte de câncer devem iniciar os cuidados preventivos ainda mais cedo,  aconselha a oncologista.

E por que a colonoscopia é importante para o diagnóstico da doença? Esse exame pode flagrar pólipos (que são como verrugas) e inflamações na parede do intestino, que podem ser pré-cancerosas, além de tumores propriamente ditos. Grande parte dos tumores colorretais evolui de lesões pré-malignas que são tratáveis. “A detecção precoce de um pólipo no intestino pela colonoscopia permitirá que ele seja devidamente tratado e não se transforme em um câncer no futuro”, explica Dra. Marcela.

De acordo com a especialista, nem sempre o paciente vai ter sintomas muito aflorados. “É importante estar atento às alterações de hábitos intestinais, seja para a diarreia ou constipação, alteração do volume e consistência das fezes, bem como da coloração, cólicas ou sensação de inchaço abdominal, dores abdominais, presença de sangue nas fezes, perda de peso sem motivo específico”, aconselha Dra. Marcela.

A especialista explica que o câncer colorretal é vastamente estudado no mundo hoje, devido a sua forte incidência na população, e possui grandes chances de cura, se detectado com antecedência. No entanto, Dra. Marcela reforça que a prevenção é sempre melhor. A prática de exercícios físicos regulares, alimentação saudável, privilegiando comidas frescas e naturais, principalmente ricas em fibras, como frutas, verduras e a inclusão de castanhas, evitando-se o consumo exagerado de carnes vermelhas, defumados e embutidos, além de retirar alimentos com conservantes da dieta são atitudes extremamente importantes na prevenção da doença.

SOBRE O SÍRIO-LIBANÊS

A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, instituição filantrópica fundada em 1921, trabalha diariamente para oferecer uma assistência médico-hospitalar de excelência, sempre com um olhar humanizado e individualizado, em mais de 60 especialidades. Em uma busca constante, o hospital desenvolve atividades de ensino, integradas ao trabalho de compromisso social.  O Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa promove estudos, compartilha conhecimento e desenvolve projetos integrados com o Ministério da Saúde e contribui para a disseminação de conhecimento e boas práticas para mais de 8 mil gestores de saúde em todo o país, como parte do Programa de Apoio e Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS). A instituição também é responsável pela gestão de cinco unidades públicas estaduais e municipais de saúde como parte do trabalho do Sírio-Libanês Responsabilidade Social.

Visite nosso site: www.hsl.org.br

A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês é uma Instituição Filantrópica Brasileira que desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e de pesquisa.

 

Dia Mundial de Combate ao Câncer: diagnóstico precoce pode levar à cura

COMPARTILHE
Novos tratamentos e equipamentos para detecção da doença aumentam sobrevida dos pacientes e estão disponíveis no Hospital Sírio-Libanês

O Dia Mundial de Combate ao Câncer, celebrado em 4 de fevereiro, tem por objetivo conscientizar a população sobre os vários tipos de câncer, seus fatores de risco e a importância do diagnóstico precoce, considerado um dos caminhos para a cura. No Brasil, a cada ano, são registrados, em média, 590 mil novos casos da doença, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A boa notícia é que, nos últimos anos, os tratamentos estão sendo mais eficientes. Além da prevenção e do diagnóstico precoce, há avanços também no tratamento. Como resultado, as chances de cura vêm crescendo nos últimos anos. De acordo com o oncologista Dr. Rodrigo Munhoz, do Hospital Sírio-Libanês, “estudos feitos no Reino Unido mostram que as chances de cura do câncer aumentaram de forma importante nos últimos 40 anos”. Ele completa: “Nos EUA, a mortalidade por câncer caiu mais de 10% somente na última década”.

As chances de cura, porém, não são uniformes – elas dependem do tipo de câncer, do momento do diagnóstico e do tratamento aplicado, alerta o médico. Elas são maiores em fases iniciais da doença e quando o tratamento é realizado de forma adequada e oportuna. Daí a importância dos avanços na prevenção. Iniciativas que buscam a conscientização e mudança de comportamento, como políticas antitabagismo e campanhas de cuidado com a exposição à luz solar, são muito bem-vindas. Da mesma forma, a incorporação de vacinação contra o HPV é uma medida fundamental na luta contra um câncer de colo uterino e que pode ter também um impacto na redução de outros tipos de tumor.

Entretanto, ainda que o diagnóstico seja feito em fases mais avançadas, novos tratamentos vêm mudando o dia a dia de médicos e pacientes. Um exemplo disso é a incorporação da imunoterapia: uma forma de tratamento que sofreu grandes melhorias nos últimos anos e agora representa uma nova arma contra diversos tipos de tumores, incluindo melanoma, pulmão e renal.

No caso específico do melanoma, esses avanços se traduziram não somente em melhores resultados e controle, como também em mais qualidade de vida. “Tanto com o uso da imunoterapia quanto com a terapia-alvo, as chances de os pacientes estarem vivos após mais de 5 anos vem aumentando progressivamente e, muitas vezes, com efeitos colaterais mais brandos do que aqueles que antes víamos com a quimioterapia”, explica o médico.

PET/CT Digital: avanço diagnóstico

A forma de avaliar e detectar o câncer também vem sofrendo modificações. O PET/CT Digital, por exemplo, disponível no Hospital Sírio-Libanês, pioneiro em oferecer este equipamento na América Latina, é um forte aliado para a descoberta de tumores malignos, além de auxiliar na detecção de doenças neurológicas, como Alzheimer. “Esse equipamento é uma grande evolução no uso do PET/CT como ferramenta de diagnóstico”, diz Carlos Buchpiguel, coordenador médico da Medicina Nuclear do Hospital Sírio-Libanês. Este aparelho faz uso da tecnologia de diagnóstico por imagem molecular. Essa modalidade, relativamente nova na área de saúde, envolve uma série de reações entre os elementos de imagem e moléculas-alvo, como enzimas, que quando presentes permitem o diagnóstico mais preciso e, muitas vezes, precoce. Essa conquista faz parte da busca pela inovação constante do Sírio-Libanês, contribuindo para aprimorar o sistema médico-hospitalar e a oferta de assistência à saúde.

Sobre o Sírio-Libanês
A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, instituição filantrópica fundada em 1921, trabalha diariamente para oferecer uma assistência médico-hospitalar de excelência, sempre com um olhar humanizado e individualizado, em mais de 60 especialidades. Em uma busca constante, o hospital desenvolve atividades de ensino, integradas ao trabalho de compromisso social. Com o olhar sempre voltado para a tecnologia e inovação na atenção à saúde, o Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa promove estudos e compartilha conhecimento. Por meio de uma parceria com o Ministério da Saúde, desenvolve programas de apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS) e contribui para a disseminação de conhecimento e boas práticas para mais de 8 mil gestores de saúde em todo o país, como parte do Programa de Apoio e Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS). A instituição também é responsável pela gestão de cinco unidades públicas estaduais e municipais de saúde como parte do trabalho do Sírio-Libanês Responsabilidade Social, além de manter um ambulatório filantrópico para atendimento a pacientes com câncer de mama em São Paulo.

Em vídeo, Radialista Osvaldo Souza faz apelo para conseguir tratamento contra o câncer

COMPARTILHE

O comunicador Osvaldo Souza e Silva, conhecido no meio da imprensa como Osvaldo ‘Mandou Legal’, passa por um momento difícil após o aparecimento de um câncer na garganta.

A situação é delicada, e ele precisa passar por sessões de quimioterapia e radioterapia em outra cidade. Seu tratamento deve começar na cidade de Imperatriz, mas tem uma fila muito grande de espera, já que o Maranhão dispõe de apenas dois aparelhos. VÍDEO ABAIXO. (Autor Flávio Chocolate).

Osvaldo ‘Mandou legal’ está impossibilitado de trabalhar e começa passar por dificuldades financeiras, que comprometem até a realização do tratamento. O comunicador precisa de ajuda.

Osvaldo é um grande defensor da Cultura Popular Maranhense e por ela dedicou parte de sua vida. Agora precisa da retribuição de quem o representa no seguimento.

Amigos e familiares começaram uma campanha para ajudá-lo financeiramente. Você também pode ajudar fazendo sua doação na conta do Comunicador.

Qualquer quantia pode ser depositada no Banco do Brasil, Agência 1613-6, conta corrente 27.454-2, em nome do próprio Osvaldo Souza e Silva. Vamos ajudar esse homem, que sempre ajudou o próximo.

Do Blog de Gilberto Lima.

 

Essa MOB é um câncer que chegou para atrapalhar nosso trabalho, denuncia um funcionário do Ferryboat.

COMPARTILHE

Com essa frase acima, um funcionário que já trabalha no Ferryboat há 15 anos, classificou a Agência de Mobilização Urbana (MOB), que nada mais, nada menos, é um cabide de emprego do governo do Estado. Conversando com esse funcionário que conhece muito bem a travessia Cujupe/São Luís/Cujupe, ele foi categórico em afirmar que nunca viu tanta babaquice por parte da MOB, quanto ver nos dias atuais. “Eles inventam coisas e não conhecem a realidade da travessia. É um câncer que foi criado para desempregar muita gente e se não for tomado uma providência por parte do MP (Ministério Público), podemos retroceder, voltar a viajar de barco a vela. Tem dia que eles entram nos Ferryboats e se acham, ficam dando ordem aos nossos funcionários, até ameaçam. Está proibindo os idosos ficarem dentro dos ônibus e obrigam muitos a subirem escadas e ficarem no salão de passageiros. Estão acabando com nossa tranquilidade, estão se sentido autoridades” – disse o marinheiro.

“Na saída do Ferry, Idosos, Crianças, Mulheres gestantes e até cadeirantes, são obrigados a saírem do Ferryboat e pegarem uma Van da EMAP (Empresa Maranhense de Administração Portuária), que finge ajudar no trajeto até o terminal de embarcação. Tem dia que tem MOB, vigilância Sanitária, Receita Estadual e até Aged na fiscalização, simplesmente com o intuito de encher geladeiras e mais nada” – disse.

Questionado sobre as viagens, o passageiro não escondeu o jogo. “É bom para os passageiros, mas as empresas estão trabalhando apenas para pagarem despesas. Já teve mês de funcionários receberem salários na metade do mês. E pode piorar; a Fulana MOB já requereu que pretende tomar conta da venda de passagens, o que pode ocasionar inúmeras fraudes e piorar ainda mais o transporte aquaviário. Nunca trouxeram um projeto para melhorar, só querem pressionar os empresários e mais nada. Quando a bomba é quente, ninguém aparece. Mas quando o assunto é grana, vem em cardume” – desabafou.

Sobre as licitações para o transporte, o funcionário até sorriu. “Quem vai se habilitar entrar em uma barca furada dessa? Flávio Dino que um seguro de 150 milhões de reais, e mais nada. O governador está pensando que comprar Ferryboat é igual alugar Viaturas em Manaus-AM. São caros e a manutenção é mais cara ainda. Se não der os 150 milhões de reais como seguro; não concorre a licitação. Já vi de tudo no Maranhão, mas neste governo, me parece que o Palácio dos Leões virou um criatório de Jegues. A imprensa precisa se infiltrar durante essas viagens, vão flagrar muita coisa dessa MOB” – disparou.

“As vezes me dar ódio, mas fazer o que? Nunca levei sequer uma chamada de meu chefe, já trabalho há 15 anos na empresa e sei o quanto o patrão é responsável com suas obrigações. Mas as vezes ninguém aguenta tanta chatice. Eu acho que Flávio Dino pensa que os Ferryboats são de Sarney. Não vejo ninguém da MOB se preocupar com os passageiros dos ônibus coletivos. Será que é porque não tem como faturar? Já pedi várias vezes para ser demitido, não tenho mais saco para tolerar essas chatices. Já chegamos ao ponto de termos fiscal anônimo junto com a gente” – finalizou.

 

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free