casa » Archivo de Etiquetas: Água

Archivo de Etiquetas: Água

Prefeito Zé Martins assina mais três convênios de mais de R$1,3 milhão de reais para Bequimão-MA

COMPARTILHE

O ano de 2019 começou bem para o município de Bequimão e principalmente para a população bequimãoense. No último dia 31 de dezembro de 2018, o prefeito Zé Martins assinou um convênio de quase R$ 2 milhões com a Caixa Econômica Federal para pavimentação asfáltica em ruas e avenidas de bairros da cidade. Dez dias depois, novos convênios foram assinados por Zé Martins que vão beneficiar a população. Nesta quinta-feira (10), o prefeito Zé Martins assinou três convênios com o Ministério da Integração, através da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), no valor de R$ 1.350.000,00 (um milhão e trezentos e cinquenta mil reais) para Sistemas de Abastecimento de Água na zona rural e compra de máquina Pá Escavadeira.

Um dos convênios assinado por Zé Martins nesta quinta-feira (10) no valor de R$ 383.100,00 (trezentos e oitenta e três mil e cem reais) será para compra (aquisição) de uma máquina (Pá Escavadeira), que servirá para construção de açudes nos campos inundados do município para criação de peixes e animais aos moradores da zona rural, além de recuperar e ampliar estradas vicinais e barragens no município de Bequimão. O convênio Nº 867542/2018 foi celebrado entre a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Prefeitura de Bequimão, por meio do Ministério da Integração.

O segundo convênio assinado pelo prefeito Zé Martins foi para implantação de Sistema de Abastecimento de Água na zona rural do município de Bequimão, no valor de R$ 400.000,00 (quatrocentos mil reais). O convênio Nº 867452/2018, também foi celebrado entre a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Prefeitura de Bequimão, por meio do Ministério da Integração.

Já o terceiro convênio assinado no mesmo dia pelo prefeito Zé Martins, também será para implantação de Sistema de Abastecimento de Água na zona rural do município de Bequimão, no valor de R$ 566.900,00 (quinhentos e sessenta e seis mil e novecentos reais). O convênio Nº 867548/2018 foi celebrado entre a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Prefeitura de Bequimão, por meio do Ministério da Integração.

Para o prefeito Zé Martins, os frutos de um trabalho árduo e sério estão chegando e serão importantes para melhorar a vida de milhares de bequimãoenses. “Para alguns pode ser uma admiração ou até mesmo surpresa eu está assinando esses convênios que envolvem projetos importantes para Bequimão, mas para mim, que trabalho e luto dia e noite por isso, simplesmente é uma felicidade está colhendo os frutos de uma luta diária, que servirá para os bequimãoenses. Com esses convênios vamos poder levar água potável para comunidades da zona rural, além de comprar uma Pá Escavadeira que vai ajudar muito na infraestrutura do município. Essa é a minha missão como prefeito, quero deixar um legado importante para nosso povo”, destacou Zé Martins.

Vereadora Fátima Araújo esclarece o “factóide”criado pela oposição sobre distribuição de água pela Caema

COMPARTILHE

As redes sociais se tornaram um tribunal a céu aberto para que se nutre do ódio 24 horas. No Facebook foi publicado um texto difamatório, que precisa ser visto pelas autoridades do Estado, onde o nome da vereadora é citado sem o mínimo de respeito. E para completar a situação, um blog que não tem sequer um contato, mostrando o grau de confiabilidade, fez outra publicação ainda mais criminosa.

1 – A distribuição da água foi feita pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) e não pela vereadora Fátima Araújo, como foi criminosamente publicado.

2 – No momento da distribuição da água pela Caema, a vereadora Fátima Araújo se encontrava no Plenário da Câmara, local onde trabalha todos os dias pelo bem estar de São Luís.

3 – Mesmo sem água em várias ruas do bairro, ainda existem pessoas que criticam a chegada da água. É notório que algumas pessoas com maior número de vasilhames,  possa pegar mais água. Mas isso cabe à Caema.

4 – Só não reconhece o trabalho realizado pela vereadora Fátima Araújo, aqueles que preferem o quanto pior melhor. Mas enquanto meia dúzia criticam, milhares aplaudem o mandato da vereadora, que tem sido elogiado na Câmara.

5 – A vereadora Fátima Araújo vai continuar trabalhando, independentemente de críticos ou não. A grande maioria da população está satisfeita com seu trabalho, que já está sendo copiado por outros parlamentares.

 

Empresa que abastece corrupção; maltrata moradores de São José de Ribamar

COMPARTILHE

Moradores do Residencial São José II, localizado em São José de Ribamar, estão insatisfeito com o serviço de água e esgoto prestado pela Odebrecht Ambiental, uma das empresas que mais se envolveu em escândalos nos últimos anos no país.

Como se não bastasse às contas variam de R$7 mil reais a quase R$17 mil, e os interrompimentos são frequentes no fornecimento de água, a estação de esgoto do condomínio está entupida e causa vários transtornos aos moradores, que não podem nem usar o banheiro porque os dejetos votam e inundam os apartamentos.

Segundo a síndica do residencial, Kátia Pires, o problema foi informado diversas vezes à Companhia e, simplesmente por omissão e falta de compromisso com os clientes, ainda não foi resolver. Ela processou a empresa pela má prestação de serviço e pelos preços abusivos cobrados nas contas.

A administração do Residencial São José era responsável pelo poço e pela estação de esgoto, mas a Odebrecht tomou conta quando assumiu a concessão de água e esgoto de São José de Ribamar e Paço do Lumiar. Desde então, o moradores só contabilizam prejuízos como falta d’água, bombas que são levadas para manutenção sem apresentarem e esgoto subindo pelo ralo dos apartamentos.

Agora me respondam a seguinte pergunta: É Odebrecht, ou Odebosta? Com a palavra, o responsável, se é que existe.

 

 

Armando Costa propõe ao Executivo Municipal o “Programa São Luís mais Amiga do Pedestre”

COMPARTILHE

O vereador Armando Costa (PSDC) inicia o período legislativo com uma proposta para o trânsito de São Luís, que se constituiu em importantes observações em pontos da cidade de nossa capital e conversas com pedestres.

O “Programa uma São Luís Mais Amiga do Pedestre” deverá ser implantado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e terá participação de instituições municipais e da iniciativa privada, uma vez que todos estão dentro do contexto é para termos um trânsito mais humanizado.

Armando em seu requerimento apresenta propostas bastante significativas, destacando-se faixa de travessia elevada, faixas diagonais, ilhas de pedestres e prolongamentos de calçadas, que serão importantes para dar segurança dos pedestres.

O vereador atenta com a iniciativa do programa, um serviço de prevenção, que vai precisar ser trabalhado pelos mais diversos segmentos da SMTT, estendendo-se a outros órgãos. Armando defende que debates sejam promovidos em escolas, principalmente da infância, do fundamental e do ensino médio.

“As crianças precisam ser ouvidas e a partir delas haverá uma multiplicação dentro de todos os ambientes em que ela estiver. Quanto aos alunos do fundamental e do ensino médio, eles perfeitamente podem se tornar educadores de trânsitos com incentivos das próprias escolas municipais e estaduais e naturalmente do legislativo municipal”, concluiu o vereador Armando Costa.

Texto: Tarcísio Brandão

 

Deputado realizará Audiência Pública no Maiobão

COMPARTILHE

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, utilizou as redes sociais, na manhã desta segunda-feira (14), para convidar a sociedade para Audiência Pública, solicitada por ele, que discutirá sobre o aumento abusivo nas tarifas de água/esgoto em Paço do Lumiar e Ribamar.

Na oportunidade, o parlamentar ressaltou as principais reivindicações da população dos municípios, dentre elas o aumento exorbitante nas tarifas de água/esgoto, além da constante falta d’água no local, enfatizando assim a importância da Audiência, já que foram convidados representantes da Odebrecht, do PROCON, da Defensoria Pública, dentre outros.

“O que nos motivou a solicitar a Audiência Pública foi o elevado número de denúncias que recebemos e, por conseguinte, as reivindicações da população dos municípios. Ora, o que temos aqui pode ser visto como uma maldade, uma perversidade com a população mais carente. Para alguém da classe média, talvez um mero aumento em uma conta de água não signifique muito, mas para o cidadão mais carente qualquer aumento faz uma diferença enorme. Pior que ser lesado financeiramente, é sequer ter acesso ao serviço de forma satisfatória. Almejando atenuar tal cenário, realizaremos audiência pública, contando com a presença da Empresa Odebrecht, do PROCON, da Defensoria Pública, dentre outros. O que nos motiva não é a simples realização de audiência, mas a possibilidade de acabar com essa maldade com a população, enfatizando assim o que é devido a todo cidadão: o respeito!”, afirmou o deputado Wellington.

 A Audiência Pública acontecerá na próxima terça-feira (15), às 14 horas, na escola Erasmo Dias, no bairro Maiobão em Paço do Lumiar.Deputado Wellington convida população para Audiência Pública em Paço do Lumiar e Ribamar para discutir prestação do serviço de águas/esgoto O deputado estadual Wellington do Curso (PPS), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, utilizou as redes sociais, na manhã desta segunda-feira (14), para convidar a sociedade para Audiência Pública, solicitada por ele, que discutirá sobre o aumento abusivo nas tarifas de água/esgoto em Paço do Lumiar e Ribamar.

Na oportunidade, o parlamentar ressaltou as principais reivindicações da população dos municípios, dentre elas o aumento exorbitante nas tarifas de água/esgoto, além da constante falta d’água no local, enfatizando assim a importância da Audiência, já que foram convidados representantes da Odebrecht, do PROCON, da Defensoria Pública, dentre outros.

“O que nos motivou a solicitar a Audiência Pública foi o elevado número de denúncias que recebemos e, por conseguinte, as reivindicações da população dos municípios. Ora, o que temos aqui pode ser visto como uma maldade, uma perversidade com a população mais carente. Para alguém da classe média, talvez um mero aumento em uma conta de água não signifique muito, mas para o cidadão mais carente qualquer aumento faz uma diferença enorme. Pior que ser lesado financeiramente, é sequer ter acesso ao serviço de forma satisfatória. Almejando atenuar tal cenário, realizaremos audiência pública, contando com a presença da Empresa Odebrecht, do PROCON, da Defensoria Pública, dentre outros. O que nos motiva não é a simples realização de audiência, mas a possibilidade de acabar com essa maldade com a população, enfatizando assim o que é devido a todo cidadão: o respeito!”, afirmou o deputado Wellington. A Audiência Pública acontecerá na próxima terça-feira (15), às 14 horas, na escola Erasmo Dias, no bairro Maiobão em Paço do Lumiar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esta matéria foi excluída por ordem Judicial

COMPARTILHE

PROCESSO400-07.2016.8.10.0064 (4032016)

Sebastião Albuquerque defende campanha educativa sobre desperdício de água

COMPARTILHE

SEB

A Câmara Municipal de São Luís aprovou projeto de lei, de autoria do vereador Sebastião Albuquerque (DEM), que dispõe sobre a obrigatoriedade da Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão (CAEMA), de realizar campanhas de esclarecimento à população a respeito da economia na utilização da água. As campanhas, que terão o objetivo de conscientizar a população para evitar o desperdício de água – terão caráter educativo e serão realizadas por meio da imprensa.

A matéria – que agora segue para sanção do Executivo Municipal, que propõe a realização de campanhas educativas para as crianças da rede municipal sobre a importância do desperdício da água. As palestras serão semanais. Além disso, as escolas reservarão um dia em seus calendários escolares para a realização da campanha educativa.

Ao justificar a sua proposição, Sebastião Albuquerque lembrou que a falta de água vem causando preocupação no mundo inteiro. Também destacou que o Brasil e, em especial, o estado do Maranhão, apresentam grandes reservatórios de águas naturais em condições de consumo humano, mas não é caso de São Luís, que precisa trazer água de outros municípios para poder atender as necessidades básicas da população.

“É por causa desta situação que os habitantes de São Luís têm que ter a responsabilidade de não desperdiçar este precioso líquido que a cada dia vai se tornando mais difícil” – afirmou o vereador.

 

Texto: Nice Moraes            

Sustentabilidade, a visão do Presente!

COMPARTILHE

JB

Em um domingo (22) chuvoso, silencioso e friorento em São Luís, escolhi para escrever alguma coisa relacionada ao assunto mais discutido nos últimos dias no Brasil. Talvez você pudesse logo imaginar que fosse sobre a Petrobrás ou o PT. Tudo bem que são assuntos pertinentes, mas nada a comparar com a falta do líquido mais precioso do planeta (Àgua). Hoje (22) dia mundial da água, várias campanhas estão sendo feitas no planeta inteiro. O grande erro é visar o futuro, se o nosso presente já está comprometido.

Qualquer campanha é sempre bem vinda, mas convenhamos que não se possa esperar 364 dias para ser defensor de um planeta que morre aos poucos. Alguns itens que vou citá-lo aqui podem ofender algumas pessoas e gerar um Zum-Zum-Zum na mídia, haja vista que os despreocupados para se defenderem, usam logo a força da comunicação manipuladora. A primeira atitude é pegar pesado no bolso dos que não respeitam as leis. Tem alguém com essa coragem pra fazer isso?

Em um país sem ordem, comando, e tudo pode, é fácil intimidar os mais fracos. Filho de um agricultor da zona rural do município de Bequimão, no litoral ocidental maranhense; cresci ouvindo os mais experientes falarem que era proibido roçar nas cabeceiras de rios, desmatar os brejos, derrubar plantas frutíferas, tirar palmito de babaçuzeiras, fazer barragens em rios, fazer queimadas, para não serem denunciados ao Ibama. E isso existe?

Tudo isso era respeitado pelos trabalhadores pobres e honestos, que mesmo sendo corajosos, tinham medo da lei. Mas o que eu olhava, era um povo respeitador e sendo desrespeitado por grandes fazendeiros da região, que faziam tudo ao contrário e ainda ameaçavam quem denunciasse. Hoje não é nada diferente. E mesmo assim, não podemos culpar só o poder público. A lei sendo aplicada, quem serão os punidos?

O poder público, como forma de cabide de emprego, criou um órgão que não serve para nada, a não ser empregar aliados políticos; a secretaria de meio ambiente. Um órgão que não tem olho, não tem poder e muito menos razão para existir. Aliada ao maior órgão de fiscalização, chamado Ibama, faz vista grossa aos maus tratos da natureza e finge ser defensor do planeta.

Na última sexta feira (20), ví uma sena que me pareceu um verdadeiro teatro a céu aberto, ao lado do Rio das Bicas, na área do Bacanga. Dezenas de pessoas, que mesmo tendo um pensamento diferente, faziam ali uma média e mostravam teatralmente seu gesto em favor da natureza e pediam ajuda para salvar o Rio.

Ao passar naquele momento onde vi faixas, e todos de mãos dadas abraçando as margens do rio, me veio na lembrança, como as autoridades são aproveitadoras.

São tantos rios dentro da capital e nenhum tem o que merece; cuidado e tratamento pelo poder público. A nossa riquíssima Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) é a primeira em jogar dejetos os principais canais de nascente da Ilha. Empresas que construíam grandes empreendimentos imobiliários na capital usaram os gapós ou brejos, como área de terraplanagem e jogam esgotos para os rios e nenhuma empresa até hoje foi multada. Muito pelo contrário, receberam licença das secretarias de meio ambiente estadual e municipal. No centro de nossa capital, existe uma área de mata virgem, conhecida como Quinta do Diamante e que hoje serve como lixão e esconderijo de marginais. Ta na hora das autoridades copiarem alguma coisa boa de outras cidades e fazerem uma lei que venha punir os jogadores de lixos nas ruas de São Luís. Que não seja como à Rua Paulino de Souza, no Monte Castelo, onde o lixo de uma escola está sendo colocado na calçada e urubus fazendo a festa. Queria muito, que a conscientização começasse pelas autoridades, que na maioria não respeitam a própria pasta que carregam. Que essa campanha seja nos 365 dias e não apenas em um.

São Luís, hoje, já não tem mais Rios, manguezais e muito menos quem defenda esse direito. Os tempos são outros e acabou a época do ôba-ôba, onde fingimos que cuidamos e o povo finge que acredita. A coisa é mais séria do que imaginamos. É inacreditável ver pessoas cavando poços onde eram rios no interior do Estado.

Os responsáveis por cuidar dessa riqueza, são todos nós, mas os responsáveis por cobrar e punir são as autoridades que pouco estão se lixando para o problema. É um verdadeiro faz de conta.

Na semana passada estive em um “Fórum da Baixada” e achei muito válido a iniciativa criada por alguns baixadeiros e abraçado por outros. O caminho é esse, mas há de se convir, que existem alguns políticos se aproveitando da ideia e querendo aparecer, como famosos papagaios de piratas. O primeiro erro já aconteceu no dia da oficialização do Fórum. Homenagear o deputado federal, Valdir Maranhão neste período, não seria uma grande saída. Esse moço já esteve como deputado e nunca se lembrou da baixada Maranhense. Assim como Maranhão, outros políticos vão fazer a mesma coisa. No inverno, todo capim engorda, quero ver esses mesmo papagaios aparecerem no verão da baixada.

Independente de região, seja baixada, chapada, sertão, sul, litoral ou não, o certo mesmo é que os grupos organizados devem pressionar as autoridades e não ficar agradando-a. Na segunda reunião do Fórum, vi um ato desagradável e muito mais deselegante. O prefeito de Viana, Chico Gomes, que chegou por último no encontro, quis que todos escutasse seu discurso furado e foi embora porque tinha compromissos. Mostrou despreparo ao agir daquela forma, assim como o deputado Cabo Campos, que apenas deu entrevista para um repórter desqualificado, que não sabia nem do que se tratava o encontro.

Diante de tudo isso, quero finalizar dizendo que existem muitas pessoas com boa vontade, mas as vezes infelizmente estão na hora errada e em companhias não agradáveis. O escritor Flávio Braga, a quem tenho um grande apreço e sei de sua intelectualidade, se empolgou muito e pode está dando um tiro no pé, se não repensar sua atitude.

Como baixadeiro por natureza, quero que esse projeto dê muito certo, mas que não seja mais um, onde sirva de gaiola para pássaros que precisam de um “Puleiro” na baixada maranhense. Que a baixada, a capital, os lagos, rios e brejos, sejam respeitados e lembrados como fonte de sobrevivência durante o ano inteiro e não só no dia Mundial da Água.

 

Campanhas serão feitas para evitar desperdício de água em SLZ

COMPARTILHE

SEB

Em tempos de escassez nos reservatórios e crise do abastecimento d’água nas grandes cidades do país, a Câmara Municipal de São Luís busca contribuir para a solução do problema na capital maranhense, através de um Projeto de Lei (PL) apresentado pelo vereador Sebastião Albuquerque (DEM), em pauta na sessão ordinária desta terça-feira (3).

O PL de nº 069/2014 determina a obrigatoriedade de esclarecimento da população ludovicense, acerca da economia de utilização da água, através de campanhas a serem realizadas pela Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão – CAEMA.

Além da população de modo geral, as campanhas abordando sobre o uso econômico da água, também deverão ser desenvolvidas nas escolas da rede pública municipal, através de palestras ministradas semestralmente. Caberá às unidades de ensino público do município, reservarem um dia em seus calendários escolares para a realização da campanha educativa.

“A falta de água vem causando preocupação no mundo inteiro. O Brasil e, em especial, o estado do Maranhão, apresentam grandes reservatórios de águas naturais em condições de consumo humano. Porém, São Luís que é uma ilha, precisa trazer água de outros municípios para poder atender às necessidades básicas de sua população. É por causa desta situação que os habitantes da capital têm que evitar o desperdício desse precioso líquido, pois, a cada dia, ele está se tornando mais escasso. Nesse sentido, a CAEMA precisa estabelecer campanhas para conter o desperdício de água”, declarou o vereador Sebastião Albuquerque (DEM).

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREEDownload theme free