casa » 2017 » setembro (página 4)

Arquivos Mensais: setembro 2017

Bequimão aparece no mapa do Pólo Turístico Floresta dos Guarás

COMPARTILHE

A grata surpresa ficou por conta da inclusão do município de Bequimão como ponto turístico que compõe o mapa do Pólo Floresta dos Guarás. Desde o mês de maio deste ano, a secretária Keila Soares, o adjunto Edmilson Pinheiro, pela Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (Sematur), acompanhados do agente de desenvolvimento Rodrigo Martins estiveram articulando junto à Secretaria de Turismo do Estado (Sectur) a adesão do município de Bequimão ao Pólo Turístico da Floresta dos Guarás e à inclusão no Mapa do Turismo Brasileiro. O resultado foi positivo e o município agora entra oficialmente na lista dos 53 municípios maranhenses com vocação turística.

O Ministério do Turismo divulgou nesta quinta-feira (14) o novo mapa do turismo brasileiro, instrumento que destaca municípios que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento e norteia a definição de políticas públicas para o setor.

Em comparação ao ano passado; o número de regiões turísticas e municípios cadastrados; cresceu exponencialmente no Brasil. Em 2016, eram 2.175 cidades em 291 regiões. Este ano o mapa registra 3.285 municípios em 328 regiões turísticas.

O mapa do turismo do Maranhão também cresceu. Em comparação com 2016, o estado inseriu 16 municípios e excluiu nove no mapa, passando de 46 para 53 cidades com vocação turística, distribuídas em 10 regiões. Já o número de regiões turísticas não sofreu alteração. Esse crescimento do número de municípios e a permanência das regiões turísticas reforça o desejo dos gestores em trabalhar com o turismo.

Pousada e Restaurante em Bequimão com uma localização bastante privilegiada, a 3 KM do Centro

Apesar desse crescimento a nível nacional e estadual, o resultado não foi animador para o Polo Turístico Floresta dos Guarás. Até o ano de 2015 o Litoral Ocidental Maranhense possuía oito municípios incluídos no Mapa Turístico Brasileiro, porém ano passado o município de Bacuri foi excluído.

Em 2017 para surpresa geral a perda foi maior ainda, pois os municípios de Apicum Açu, Cedral, Serrano e Mirinzal foram excluídos do Mapa do Turismo Brasileiro. Ou seja, dos nove municípios maranhenses excluídos, quatro são do Conguarás, o equivalente a 44% do total, fato lamentável tendo em vista que a atividade turística é uma alternativa viável para desenvolver a economia regional, gerando emprego e renda e ativando outras cadeias produtivas locais e regionais.

Dos municípios originais, permaneceram três: Cururupu, Guimarães e Porto Rico. Isso é importante, pois propicia a chegada de políticas públicas e investimentos no setor turístico, conforme explica o ministro do turismo Marx Beltrão: “O mapa é um instrumento muito importante para gestão, estruturação e promoção dos destinos. Por isso, é importante que ele esteja sempre atualizado, garantindo com que os municípios que queiram trabalhar o turismo como uma atividade econômica, tenham prioridade dentro das políticas e ações do MTur”.

 

Por Floresta dos Guarás

Fotos: Rodrigo Martins

Vereador Marquinhos parte pra cima de Canindé Barros na Câmara Municipal

COMPARTILHE

O vereador de São Luís, Marquinhos (DEM), subiu nesta terça-feira (19) à tribuna da câmara para externar sua indignação com a falta de respeito, segundo ele, do secretário Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), Canindé Barros, que de acordo com o parlamentar, tem tratado a população de São Luís e os vereadores da capital como “palhaços”, quando o assunto é mobilidade urbana. O vereador estava se referindo a retirada da linha de ônibus da região da Luizão e a tal intervenção no Turu.

Segundo Mariquinhos, Canindé não respeita ninguém, não ouve os apelos dos vereadores e se acha o último biscoito do deserto. Para o parlamentar do DEM, o secretário tem feito aquilo que quer, e está prejudicando a população ludovicense, principalmente quem mora na região do Turu. Marquinhos ainda foi categórico ao dizer, que o cargo de Canindé não é eternamente. “Espero que Canindé reflita em tudo que tem feito de ruim, e faça o mesmo que fez quando foi até a minha casa para que eu pudesse defender aqui na Câmara sua nomeação para a SMTT”- disparou o vereador. (VEJA AQUI)

Em sua fala, Marquinhos chegou a questionar para que que servem os vereadores de São Luís. O vereador finalizou sua fala dizendo que estava indignado com a falta de resposta e respeito com o parlamento ludovicense, retruncando que irá brigar pela população de São Luís. “É o povo que paga o salário todo mês do secretário e dos vereadores. O povo é nosso patrão e precisa ser respeitado” – finalizou.

Prefeito Zezildo Almeida vistoria reformas em prédios públicos de Santa Helena

COMPARTILHE

O município de Santa Helena está com diversas obras em andamento e o prefeito Zezildo Almeida visitou algumas delas na última quinta-feira (14). Junto com o secretários e vereadores, Zezildo vistoriou a reforma do matadouro e dos postos de saúde da cidade.

De acordo com o secretário de Saúde, Fábio Nascimento, a prefeitura está reformando todos os postos de saúde do município. Ele conta que o descaso do ex-gestor com a saúde deixou os postos em situações precárias. . “Agora estamos reformando e muito em breve tudo e estará pronto para servir a população”, frizou o secretário.

O postos contam com médicos diariamente, consultório odontológico e atendimento de enfermagem, salas de curativo e outros.

Blog GleicyFerreira

Seleção de Bequimão vence Apicum-Açu pela Copa Conguarás

COMPARTILHE

A seleção bequimãoense de futebol entrou em campo na tarde deste domingo (17) diante de sua torcida no estádio Vivaldão para enfrentar o selecionado de Apicum-Açu pela primeira partida das semifinais da Copa Conguarás.

Diante de sua torcida a seleção bequimãoense não decepcionou e venceu o primeiro jogo do mata-mata por 2×0, com gols de Mayke e Diego. Com a vitória Bequimão pode até perder por um gol de diferença, que mesmo assim garante vaga a grande final da I Copa Conguarás de futebol.

Para o secretário de Esporte e Juventude, o resultado foi muito importante para a seleção bequimãoense que visa buscar o título da competição. “Foi um jogo bastante disputado, mas graças a Deus estávamos preparados para qualquer circunstância. Quero agradecer o apoio da Secretaria de Saúde, que nos enviou uma ambulância para o estádio durante o jogo, além da Secretaria Municipal de Segurança que mandou a Guarda Municipal para o estádio Vivaldão e o reforço importante da Polícia Militar do Maranhão” – destacou Kell Pereira.

O próximo jogo entre Bequimão X Apicum-Açu será no próximo domingo, dia 24 de setembro na cidade dos anfitriões. O jogo deve ser ainda mais quente, já que Apicum-Açu jogará em casa diante de sua torcida, mas a seleção de Bequimão irá em busca da classificação que dará vaga a grade final do torneio.

 

Alô Procon-MA: Sistema de bilhetagem eletrônica dos coletivos de São Luís apresenta desconfiança aos usuários

COMPARTILHE

Muitos usuários do sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana da capital estão desconfiados com o sistema de bilhetagem dos ônibus urbanos e semi-urbanos que rodam nos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar. De acordo com vários usuários, as empresas tiram do visor o valor descontado em cada passagem e o passageiro não sabe quanto está pagando para viajar, principalmente estudantes que pagam meia passagem.

Segundo denunciantes, onde deveria aparecer o valor descontado na tela, principalmente quando o cartão é estudantil, fica fixo no visor apenas #111 que não representa nada e está ali apenas para confundir a cabeça dos passageiros. Como forma de constatar a veracidade da denúncia, o editor deste Portal de Notícias percorreu grande parte da capital de ônibus coletivo e constatou que a denuncia tem veracidade. Nos ônibus da Requinte, Maranhense e Taguatur que fazem linha para região do Maiobão, estão sem mostrar o valor descontado e muitos virados para os cobradores, onde o passageiro não tem acesso ao visor do aparelho. Nos demais ônibus para outras regiões poucos estão aparecendo o valor descontado.

O Editor questionou alguns cobradores, mas as respostas foram unânimes: “Não sei de nada, aqui apenas cumpro ordem. Ha mais ou menos um mês que isto foi virado, mas não sei o motivo. Muitos passageiros já me questionaram, mas eu sinceramente não sei explicar” – destacou um cobrador de ônibus.

Nossa equipe tentou entrar em contato com o SET, mas devido o horário e por ser um sábado ninguém atendeu as ligações. O mesmo aconteceu com a SMTT. Mas o espaço fica aberto para quem queira se manifestar, a favor ou contrário sobre o assunto.

Para finalizar, gostaríamos que o presidente do Procon-Maranhão, Duarte Júnior, que em feito bom trabalho, precisa urgentemente fiscalizar e se for comprovado essa denúncia, chamar a polícia, já que além de lesar o consumidor, estariam cometendo um crime grave.

 

 

Deputado Wellington volta a defender a convocação dos “sub judice” aprovados no concurso da Polícia Militar

COMPARTILHE

Durante sessão plenária na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual Wellington do Curso (PP) voltou a se posicionar em defesa da situação dos sub judice do último concurso da Polícia Militar do Maranhão.

Ao se pronunciar, o deputado Wellington reconheceu que o Legislativo não possui atribuição para efetivar a convocação e defendeu a convocação dos “sub judice”.

“Já fizemos essa defesa em outras sessões na Assembleia e propomos a convocação dos ‘sub judice’, grupos de pessoas que ingressaram na justiça, ajuizaram ações e conseguiram finalizar o TAF e os exames médicos exigidos. Segundo os aprovados, são, mais de 500 ‘sub judice’ esperando a convocação para o início do Curso de Formação de Soldado. A ampliação do efetivo da polícia e bombeiro militar tem que ser realizada logo. O momento exige isso”, afirmou Wellington.

O pronunciamento do deputado Wellington vai ao encontro de solicitação já feita por ele desde 2015, ao cobrar que o Governador do Estado efetive a convocação dos candidatos “Sub Júdice” no concurso da Polícia Militar do Maranhão.

Em entrevista, Francisco Carvalho, diz: “O povo não exigiu reforma política, o povo quer é melhor qualidade de vida”

COMPARTILHE

No exercício do oitavo  mandato e depois de ter sido presidente da Câmara Municipal de São Luís por três vezes consecutivas, de 1994 a 2000, o vereador Francisco Carvalho, presidente estadual do PSL, é considerado uma das “raposas” da política maranhense. Seu colega de parlamento, Francisco Chaguinhas (PSB) costuma dizer que ele é um dos últimos alquimistas políticos do Estado.

Francisco Carvalho tem uma trajetória interessante no Legislativo Ludovicense. Filho de José Mário de Araújo Carvalho, que foi deputado estadual por quatro legislaturas e depois vereador, herdou-lhe o espólio político quando este faleceu em meados da década de 1970, por influência do ex-governador Luiz Rocha e o ex-deputado José Bento Nogueira Neves (ambos falecidos) e de outras lideranças do período.

Naquela época, dois parlamentares se destacavam com ações na zona rural, área de difícil acesso. José Mário Carvalho e Evandro Bessa de Lima, que foi presidente da Câmara Municipal. Após a morte do pai, Carvalho passou a dominar a cena tanto na Zona Rural I como na Zona Rural 2.

Sua serenidade o faz com que sempre seja chamado para buscar alternativas para crises e é um exemplo para jovens vereadores. Sob a presidência dele, em 1995, a Câmara de São Luis fez um grande movimento para que a refinaria de petróleo fosse instalada em São Luís. Em 2009, protagonizou um encontro de secretários estaduais e municipais, no Cruzeiro de Santa Bárbara, em busca de recursos para serem aplicados na infraestrutura daquela localidade. Convalescendo de uma cirurgia para colocação de quatro stents, conversou rapidamente em casa sobre os mais variados assuntos.

Se diz indignado quando ouve político falar que o povo estaria revoltado como lento andamento da reforma política. Para ele, o povo quer é melhoria da qualidade de vida e sequer se mobiliza sobre esse assunto. Veja a íntegra da entrevista:

Nessa entrevista ao JORNAL DA CÂMARA, ele fala sobre esse e outros assuntos: Eis a íntegra da entrevista:

JORNAL DA CÂMARA – Como é ser vereador em São Luis?

FRANCISCO CARVALHO- É como se fôssemos autênticos assistentes sociais. Além de irmos às bases, somos procurados na Câmara, em nossas residências pelo eleitorado. Isso porque o vereador é a base da pirâmide política. O deputado estadual se elege com votos do interior e vem para São Luis, o senador e o deputado federal vão para Brasília, enquanto nós estamos morando próximo ao eleitorado, que nos aciona por conta de várias de suas necessidades. Mesmo assim, somos alvos de pesadas críticas, mas só quem é vereador sabe o peso dessa responsabilidade. Não é fácil não.

JORNAL DA CÂMARA – E qual a razão de continuar como representante popular na Câmara Municipal?

FRANCISCO CARVALHO- Cada ser humano traça seu destino. No meu caso, por exemplo, sou aposentado como auditor fiscal do Município e advogado. O problema é que herdei isso do meu saudoso pai, José Mário de Araújo Carvalho, que representou o  povo tanto na Câmara como na Assembleia. Minha primeira eleição foi em 1988. São muitos anos de lutas em defesa dos menos favorecidos. É cansativo? É, mas há um componente interessante, a gente fica de alma lavada, sabendo que está ajudando o próximo.

JORNAL DA CÂMARA – Como é essa história da Câmara Municipal com a refinaria durante o período em que o senhor foi presidente?

FRANCISCO CARVALHO– É uma história interessante. Em 1987, a Petrobrás fez publicar um estudo, no qual apontava São Luis como a capital com maior potencial técnico para a instalar um projeto de tamanha magnitude, por conta de sua posição geográfica, do Porto do Itaqui e da linha ferroviária.

Em 1995, conclamamos todas as forças políticas, independentemente de linha ideológica ou partidária a somarmos forças em defesa do projeto e fomos atendidos. Para que se tenha uma idéia, o então senador José Eduardo Dutra do PT e que posteriormente foi presidente da Petrobrás, veio a São Luis participar de um dos inúmeros movimentos que a Câmara fez pela cidade.

JORNAL DA CÂMARA – Que movimentos foram esses?

FRANCISCO CARVALHO– Realizamos audiências públicas na área do Itaqui/Bacanga,  no Sacavém, e fizemos um grande ato na Praça Deodoro. Depois, fomos a Brasília. Posso contabilizar aqui os saudosos Raimundo Assub e Lia Varela e o então vereadores,  Pavão Filho, Tadeu Palácio, Helena Barros Helluy, José Cosmo Ferraz, Rubem Brito, José Joaquim  e outros vereadores daquela legislatura.

Mantivemos contatos com o presidente do Congresso na época, o senador José Sarney e o então dirigente da Petrobrás, Joel Rennó.

JORNAL DA CÂMARA – E aí, o que resultou desses encontros?

FRANCISCO CARVALHO- Houve uma frustração.  Ceará e Pernambuco, também disputava a instalação da refinaria. As bancadas federais deles estavam em peso, enquanto dos deputados federais, bem poucos se interessavam pela história. Ficamos com uma certa inveja dos cearenses e dos pernambucanos, ao observarmos, que lá, apesar da disputa entre situação e oposição, como em qualquer Estado, os adversários estavam juntos lutando pelo mesmo objetivo. Aí o Joel Rennó, nos disse, não sei se com ironia, que estávamos brigando por algo que não era tão rentável como as reservas de gás natural existentes principalmente na região dos Lençóis.

JORNAL DA CÂMARA – Que lição foi tirada desse episódio?

FRANCISCO CARVALHO– A lição que ficou é de que senadores e deputados federais devem ficar mais atentos às reivindicações do povo. Eles devem entender que política é a arte da convergência em busca de benefícios para a população. A disputa entre situação e oposição é salutar e democrática, mas existem momentos em que essas divergências devem ser colocadas de lado em busca de objetivos comuns. O ex-governador e atualmente deputado federal, José Reinaldo Tavares, por exemplo, comunga da mesma idéia. Ele sempre diz que deve existir unidade entre as correntes adversárias, quando se busca o mesmo objetivo.

JORNAL DA CÂMARA – Mas depois veio a história da refinaria com o Lula a Dilma e o governo  do Estado e deu no que deu...

FRANCISCO CARVALHO– Sim, e a Câmara esteve presente. Você deve está lembrado que a Câmara organizou uma audiência pública, que foi realizada no auditório da FAMA, com a participação do então ministro das Minas e Energia, o senador Edison Lobão, do então presidente da Petrobrás, o Sérgio Gabirelli, outros técnicos do governo federal e a classe empresarial. Agora, não se pode culpar o governo do Estado pelo fracasso da empreitada. Quem anunciou a refinaria Premium de Bacabeira foi o governo federal, dono da agenda de seus empreendimentos. Isso nos deixou mais frustrados ainda, já que imaginávamos que o projeto fosse sair do papel, gerar emprego, gerar renda, gerar desenvolvimento.

JORNAL DA CÂMARA – Vamos falar sobre a zona rural, onde o senhor faz política. Como andam as coisas por lá?

FRANCISCO CARVALHO-A zona rural continua carente. Para que se tenha uma exata dimensão do problema, não existe até hoje, uma escola de ensino médio por lá. Isso já foi alvo de várias reivindicações nossa junto ao governo do Estado. Penso que a Estiva e o Santo Bárbara merecem escola desse nível, uma vez que os estudantes quando encerram o ensino fundamental, enfrentam problemas para dar continuidade aos estudos, uma vez que quem mora na zona rural é carente e escola próxima de casa é de fundamental importânncia.

 Eu era garoto e já acompanhava meu pai em suas incursões à zona rural. Naquele período, as estradas eram carroçais e havia muita dificuldade para deslocamento. Houve melhorias e hoje muita gente faz política na área. Em 2009, propus e consegui um grande encontro entre secretários e técnicos dos governos estadual e municipal, no Cruzeiro de Santa Bárbara. Esse encontro resultou, posteriormente na alocação de recursos da ordem de R$ 43 milhões, que deveriam ser aplicados na infraestrutura daquela área, mas isso não foi feito. Estou mantendo contatos com o secretário executivo do Ministério das Cidades, o ex-secretário de Fazenda do Maranhão, o Trinchão, para que os trabalhos sejam realizados, através da liberação da verba. Mas a zona rural continua carente e precisa de uma injeção de forças para modificação desse panorama.

As dificuldades da zona rural são inúmeras. Ali se encontram moradores distanciados da educação, da saúde, com uma péssima infraestrutura e é ali que se encontra o maior contingente de pessoas desempregadas, que vivem o dia a dia na agricultura de subsistência. E isso nos sensibiliza muito.

JORNAL DA CÂMARA – O senhor é o presidente estadual e vice estadual do PSL.  Como avalia o andamento da reforma política no Congresso, que estabelece cláusula de barreira, fim de coligações proporcionais e outras medidas que vão na contramão das pequenas siglas?

FRANCISCO CARVALHO-Fico extremamente indignado quando ouço parlamentares de grandes siglas abordarem essa questão. Geralmente são parlamentares eleitos  montados em máquinas administrativas, desconhecidos do povo. Na realidade, o povo jamais foi às ruas bradar por reforma política. O povo quer, na realidade é melhor qualidade de vida, quer saúde, segurança, melhores salários e educação de qualidade.

Não há, sequer, um pequeno partido envolvido nessa torrente de corrupção que vem abalando o Brasil. Só as grandes siglas. Isso é uma manobra dos grandes partidos para que façam desaparecer as agremiações partidárias de menor porte, para que continuem dando as cartas no cenário político nacional, apesar da corrupção.

Ação Social de Fátima Araújo em parceria com o Procon beneficia dezenas de pessoas no Lago Azul

COMPARTILHE

Uma marca que consagrou a vereadora Fátima Araújo (PCdoB) como a Pequena Guerreira na capital maranhense, continua fazendo a diferença e a coloca como a parlamentar que mais realiza ações sociais em São Luís.

Esta semana a vereadora realizou uma Ação Social em parceria com o Procon que beneficiou dezenas de moradores do bairro Lago Azul, região do Conjunto São Raimundo em São Luís. O evento serviu para retirar RG e CPF para todas as idades. Foram três dias de Ação (12,13 e 14), e foi realizada, na Associação Rural de Lago Azul, localizada na Avenida Cleber Verde.

Só este ano, em 8 meses de parlamento, a vereadora Fátima Araújo tem realizado grandes ações em parcerias com os governos municipal e estadual. Foram centenas de pessoas beneficiadas, que vai de documentos a consultas e exames.

De acordo com a vereadora, sua maior vontade é melhorar a vida das pessoas. “Não entrei na política por outro objetivo, a não ser ajudar às pessoas. É por isso que fui eleita e isso me deixa feliz. Quando não posso ajudar, me sinto mal. Graças a Deus tenho conseguido vários benefícios para nosso povo” – disse Fátima Araújo.

Alcântara está entre às 53 cidades turísticas do Maranhão

COMPARTILHE

O mapa do turismo do Maranhão cresceu. Em comparação ao ano passado, o estado inseriu 16 municípios e excluiu nove do mapa, passando de 46 para 53 cidades com vocação turística, distribuídas em 10 regiões. Já o número de regiões turísticas não sofreu alteração. O levantamento completo do Mapa do Turismo Brasileiro foi divulgado nesta quinta-feira (14), pelo Ministério do Turismo.

Em todo o país, foram listados 3.285 municípios em 328 regiões turísticas, um crescimento exponencial em relação ao Mapa de 2016, quando foram registradas 2.175 cidades em 291 regiões. O crescimento dos números é resultado de um amplo trabalho de conscientização do Ministério do Turismo junto aos gestores municipais e estaduais a respeito da necessidade de identificação e classificação das cidades para que as políticas públicas e investimentos sejam mais adequados à realidade de cada região.

“O mapa é um instrumento muito importante para gestão, estruturação e promoção dos destinos. Por isso, é importante que ele esteja sempre atualizado, garantindo com que os municípios que queiram trabalhar o turismo como uma atividade econômica, tenham prioridade dentro das políticas e ações do MTur”, afirmou o ministro do turismo.

A atualização periódica do Mapa faz parte de uma estratégia do Plano Brasil + Turismo, lançada este ano pelo ministro Marx Beltrão para fortalecer o setor de viagens no país. De acordo com o Plano, a partir de 2017 o Mapa passa a ser atualizado a cada dois anos. Sua construção é feita em conjunto com os interlocutores estaduais que representam o MTUR e órgãos oficiais de Turismo dos estados brasileiros e instâncias de governança regional.

CATEGORIZAÇÃO
De acordo com o novo mapa, 11 municípios do Maranhão estão nas categorias A, B e C, que são aqueles que concentram o fluxo de turistas domésticos e internacionais. Alcântara está entre as 53 cidades do Maranhão que fazem parte do mapa turístico.

As demais 42 cidades figuram nas categorias D e E. Esses destinos não possuem fluxo turístico nacional e internacional expressivo, no entanto alguns possuem papel importante no fluxo turístico regional e precisam de apoio para a geração e formalização de empregos e estabelecimentos de hospedagem. 

Ministério do Turismo

 

‘A Vida é Uma Festa’ realiza Show Lâmina no Araçagy

COMPARTILHE

Um evento genuinamente maranhense será realizado neste sábado (16) no Centro de Cultura Casa d’Arte, localizado na Rua do Farol do Araçagy. O Show Lâmina, organizado pelo movimento ‘A Vida é Uma Festa’ em parceria com Luiz Lima, pretende levar a cultura e a boa música aos quatros cantos da Ilha de São Luís.

Há 15 anos o movimento ‘A Vida é Uma Festa’ é realizado todas as quintas-feiras no Beco dos Catraieiros, no Centro Histórico da Capital.

O Show Lâmina contará com a apresentação da Discotecagem Maré de Som, do Tambor de Crioula da Lua de Mestre Macaxeira, e ZéMaria Medeiros e a Banda Casca de Banana, além da participação espacial dos cantões Saci Teleleu, Anderluci e Osvaldo Abreu encerrarão a noite em grande estilo.

Para o cantor e compositor ZéMaria Medeiros, o evento pretende levar o ‘A Vida é Uma Festa’ para outros lugares da Ilha em dias diferente das quintas-feiras, ampliando o publico que gosta da musicalidade local. “Espero que as pessoas possam comparecer no show e completar o melhor nossa cultura”, declarou o artista.

As entradas serão comercializadas no local do show por R$20,00 a inteira e R$10,00 a meia.