casa » 2017 » janeiro (página 2)

Arquivos Mensais: janeiro 2017

Prefeito Anderson e secretário Sargento Leitão participam de Encontro de Políticas Educacionais realizada pela Seduc

COMPARTILHE

O prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PCdoB), acompanhado do secretário de educação, Sargento Leitão, juntamente com o gestor em educação Denilson Campelo, e a Técnica em Assuntos Estudantis, Lúcia Borges, participou nesta sexta feira (27) no Palácio Henrique de La Roque, em São Luís, do Encontro de Políticas Educacionais promovido pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

Com o objetivo de trabalhar de forma conjunta em prol do avanço da educação no estado, o Governo do Maranhão, por meio da Seduc, reuniu-se com centenas de prefeitos e secretários municipais de educação. A agenda institucional possibilitou fortalecer o regime de colaboração com as redes municipais de educação, focando na qualidade do ensino e da aprendizagem a partir do alinhamento das metas educacionais.

O auditório do Palácio Henrique de La Roque ficou repleto de gestores que compareceram ao “Encontro de Políticas Educacionais com Secretários Municipais de Educação”. Os participantes puderam conhecer mais sobre os programas e ações desenvolvidas pelo Governo do Maranhão no âmbito da educação maranhense e como participar dessas ações, beneficiando estudantes em todas as regiões do Maranhão. As ações estaduais foram apresentadas pelo secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

“Este é um momento ímpar que vivenciamos em nosso Estado, onde um governo demonstra-se preocupado em melhorar a educação do Maranhão. Além de apresentarmos nossas ações, deixamos para todos os gestores a mensagem de que precisamos trabalhar juntos, pois a educação é uma construção coletiva. O regime de colaboração, previsto inclusive na Constituição Federal, é fundamental para que possamos avançar na área da educação”, enfatizou o secretário Felipe Camarão.

O desenvolvimento de ações efetivas em regime colaboração com os municípios foi iniciado ainda em 2015 e tem gerado resultados positivos na educação do Maranhão. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado em setembro do ano passado pelo Ministério da Educação (MEC), mostra os efeitos do modelo de gestão realizado no governo Flávio Dino, que tem apoiado os municípios. O Ideb aponta um crescimento nas redes municipais de ensino do Maranhão de 4,2 em 2013, para 4,3, em 2015.

O secretário Sargento Leitão destacou a importância do evento para todos os gestores, principalmente para os secretários municipais que iniciaram agora seus trabalhos à frente da Educação de seus municípios.

“É uma forma de adquirirmos mais conhecimento sobre os programas do Estado e ter esse contato mais próximo com o secretário de Educação e outros secretários municipais, trocando experiências e informações. Tenho certeza que com esse trabalho conjunto conseguiremos melhorar os nossos índices. Em Alcântara vamos trabalhar na sistematização das políticas públicas no município. Nosso grande desafio como gestor da educação é efetivar a implantação dessas políticas. É a primeira vez que participo de um evento sobre educação de forma que eu saio satisfeito. Agora vamos reunir nossa equipe para montar nosso planejamento de trabalho já com uma visão melhor. Com a qualificação dos professores por parte do estado, podemos avançar ainda mais, sendo que o município vai ganhar muito e investir pouco, ainda mais trabalhando as matérias específicas que vão melhor o sistema educacional, os índices do Ideb e o desenvolvimento do aluno” – disse o secretário de Alcântara.

O evento contou a parceria da União de Dirigentes Municipais de Educação (Undime-MA) e proporcionou a discussão sobre temas como: transporte escolar, Plano Nacional de Educação (PNE) e Plano Estadual de Educação (PEE), calendário escolar, termo de cooperação com os municípios, regularização de fluxo escolar, Bolsa Família, alfabetização, estrutura das redes municipais de educação, convênios, assessoria técnico-pedagógica com formação dos professores, dentre outros. Durante a tarde, os gestores puderam esclarecer dúvidas com atendimento individual, que foi realizado na sede da Seduc.

Vereador Nato Junior discute regularização fundiária do Coroadinho com Semurh

COMPARTILHE

O vereador Nato Junior (PP) esteve reunido com o Secretário Municipal de Urbanismo e Habitação, Madison Leonardo, tratando sobre vários benefícios para o bairro do Coroadinho e também sobre os títulos de propriedade de casas da região periférica da cidade.

Segundo o vereador, com os títulos de posse em mãos, as famílias terão a garantia de seus direitos. “Solicitei ao secretário para que possa incluir o bairro do Coroadinho no programa de regularização fundiária ─ o “minha casa legal”, pois a comunidade anseia por este benefício”, disse.

A garantia da posse das casas é um direito que está sendo concedido pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh), que implementou no início da atual gestão o Programa de Regularização Fundiária “Minha Casa Legal”.

 

Prefeito Zé Martins assina termo de recebimento de 239 cartões do Bolsa Escola

COMPARTILHE

O prefeito de Bequimão, Zé Martins (PMDB), assinou nesta terça-feira (24) o termo de recebimento dos Cartões do Bolsa Escola (Mais Bolsa Família ) do programa do Governo do Estado que beneficia estudante dos municípios maranhenses. Para as famílias bequimãoenses, foram destinados 239 cartões.

 

Têm direito ao Bolsa Escola estudantes da rede pública provenientes de famílias de baixa renda, com idade entre 4 a 17 anos. Neste ano, em vez de mandar pelos Correios (já que em 2016 muitos contemplados deixaram de receber o benefício, visto que o cartão nunca chegou), o Governo fez parceria com as Prefeituras, responsáveis por fazer esse repasse.

Em Bequimão, a distribuição do cartão será conduzida pela Secretaria Municipal de Assistência Social. “Esse apoio soma-se aos esforços que temos empreendido no município para garantir mais qualidade à educação e incentivo para que as crianças permaneçam na escola, com transporte escolar melhor, distribuição de fardamento escolar e melhor formação dos professores”, destacou o prefeito Zé Martins.

Participaram da solenidade de entrega dos cartões as secretárias de Assistência Social, Maria Neide, e de Extrema Pobreza, Rose Pinheiro.

O PROGRAMA BOLSA ESCOLA

O programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família) busca garantir mais dignidade e igualdade às crianças e aos adolescentes maranhenses no direito de frequentar a escola, contribuindo para a redução do abandono e da redução escolar. Os beneficiários receberão um recurso anual para compra de material escolar.

QUEM SERÁ BENEFICIADO?

Crianças e adolescentes com idade entre 4 e 17 anos, com inscrição regular no Cadastro Único (CadÚnico) e beneficiários do bolsa famílias, desde que estejam matriculados regularmente em escolas públicas. Não há limites de beneficiários por família.

COMO FUNCIONA?

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES), concede um cartão do tipo débito que permitirá a compra dos materiais em estabelecimentos comerciais credenciados. Anualmente o recurso é transferido no mês de janeiro diretamente para o cartão dos beneficiários.

COMO PARTICIPAR?

O processo de adesão dos beneficiários do Bolsa Escola é automático, visto que serão atendidos crianças e adolescentes já inscritas no CadÚnico e atendidos pelo programa Bolsa Família. Não há necessidade de algum processo de inscrição.

Saiba mais acessando: www.bolsaescola.sedes.ma.gov.br

 

Funcionário da TV difusora desce o porrete no Senador Lobão

COMPARTILHE

O site de notícias MA10, antigo Idifusora, desceu o porrete no velho Lobo, replicando uma matéria do jornal Correio Brasiliense, publicada esta semana no portal. A proesa foi do jornalista Jeisael Marx, que não tem papas na lingua, mesmo sendo funcionário da emissora de Lobão, que atualmente está a serviço do deputado federal Weverton Rocha. A matéria mostra total independência do jornalista, que mesmo estando dentro da empresa do Senador, não teve medo de mostrar possíveis falcatruas do representante dos maranhenses em Brasília.

A pergunta que fica em relação essa postagem, é: por onde anda Lobão Filho, que está aceitando trabalhadores de sua empresa detonar seu pai dentro do próprio veículo de sua família? Seria por causa do grande contrato de arrendamento, que Lobinho estaria aceitando tudo? Ou seria por rabo preso com Weverton Rocha? O certo mesmo, é que o Jornalista Jeisael não quis nem saber quem pariu Anita e desceu o porrete no velho Lobo.

 

Prefeitura de Alcântara reúne ciclistas em mutirão para limpar o Rio da Comunidade Espera

COMPARTILHE

Em uma força tarefa, a prefeitura municipal de Alcântara através da secretaria de Esporte & Juventude, em parceria com as secretarias de Cultura & Turismo, Meio Ambiente, Infraestrutura e Serviços Públicos, e Saúde, realizou na manhã deste domingo (22), o primeiro passeio ciclístico, reunindo os amigos do pedal com objetivo de promover interação entre os participantes e assim oferecer uma manhã de lazer aos ciclistas.

Além do lazer, o grande foco estava literalmente relacionado à saúde. Os ciclistas pedalaram, mas também fizeram a limpeza das marginais do Rio da Comunidade Espera; local em que pode servir como ponto turístico e enquadrar no planejamento do prefeito Anderson Wilker, que vai investir alto no mercado do turismo, uma das maiores indústrias do mundo.

A concentração, e saída dos ciclistas aconteceu por volta das 7h da manhã da Praça da Matriz, no centro histórico da cidade com destino ao Rio da comunidade Espera para realizar a coleta do lixo que tomava conta das margens do Rio. O lixo foi ensacado para ser coletado pelo transporte de limpeza pública da cidade. Após a coleta do lixo, os ciclistas retornaram.

No final da ação, o secretário de Esporte & Juventude, Wemerson Martins, agradeceu a parceria e renovou o convite aos aventureiros do pedal para novas ações que serão realizadas em outros pontos da cidade.  O objetivo é praticar esporte com foco em saúde pública.

Já o prefeito Anderson Wilker (PCdoB), comentou os benefícios da ação dos aventureiros do pedal. “A limpeza é um dever do município, mas também é obrigação da população preservar o ambiente. Essa atitude dos ciclistas deve servir como exemplo para outros segmentos de nosso município. O bom mesmo é não jogar lixo nas ruas. Isso ocasiona sujeira nos leitos dos rios, que abastecem as torneiras de nossa cidade. A saúde começa pela limpeza” – destacou o gestor.

Othelino Neto reúne com Antônio Diniz já planejando 2018

COMPARTILHE

O deputado estadual e vice-presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), esteve reunido no último dia 11 de janeiro, com o ex-prefeito de Bequimão, Antônio Diniz (PDT), seu principal aliado na baixada maranhense, para traçar planos visando 2018.

Para quem pensa que as eleições de 2018 estão muito longe, pode está totalmente enganado. A corrida a uma vaga na Assembleia Legislativa a partir de 2019, já começou a ser planejada pelo deputado Othelino Neto, que vai buscar sua segunda vitória consecutiva, já que no primeiro mandato, ele havia ficado na suplência, mas acabou assumindo.

Em sua página na rede social Facebook, Othelino Neto registrou o encontro, que contou com a presença de outras lideranças do grupo político comandado por Antônio Diniz. “Conversei hoje (11) com o ex-prefeito Antônio Diniz, os ex-vereadores Robson Cheira e Sassá e com o gestor de Saúde do Hospital Macrorregional de Pinheiro, Janderson Gusmão. Na pauta, a nossa querida Bequimão e os desafios para 2018” – acrescentou o deputado.

O grupo político comandado por Antônio Diniz em Bequimão elegeu dois vereadores, Danilo Gusmão (PDT) e Thiago Almeida (PRTB), além de deixar outros na suplência; o que motiva Othelino em obter grande votação em 2018. Em 2014 Othelino recebeu das urnas de Bequimão, 1.624 votos, sendo o 3º mais votado no município.

Ambulantes do Terminal de Cujupe iniciam capacitação nas próximas semanas

COMPARTILHE

Dentre as obras e melhorias para 2017 nos terminais externos ligados ao Porto do Itaqui, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) anunciou o convênio de R$ 165 mil firmado com o Sebrae para a capacitação dos vendedores ambulantes que irão desenvolver seus negócios nos boxes do novo Terminal de Cujupe.  O convênio foi celebrado no final de dezembro do ano passado e, na tarde da última segunda-feira, 23, a Ordem de Serviço foi assinada pelo governador Flávio Dino, durante a apresentação dos resultados do Itaqui em 2016 e perspectivas para 2017.

“Esse convênio reforça dois pontos importantes em nossa gestão:  a disposição de parcerizar com instituições do peso e expertise do Sebrae e a preocupação com a parte humana dos investimentos, pois as obras objetivam servir as pessoas. Confiamos no trabalho do Sebrae e cremos que o desenvolvimento do empreendedorismo aos moldes do que está sendo conveniado para o Terminal do Cujupe trará uma nova perspectiva de trabalho e renda para aquela população, promovendo outros tipos de negócios na região”, sinalizou o governador Flávio Dino.

Na próxima semana, o presidente da Emap, Ted Lago, e o diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins, estarão se deslocando até ao Cujupe para conversarem com os ambulantes do terminal e explicar como serão executadas as capacitações.  As obras do novo terminal multimodal de Cujupe, que integrará o transporte aquaviário e o rodoviário, estão orçadas em R$ 12,6 milhões e também iniciam em poucos dias.

O prazo para o término das obras será de 12 meses e parte fundamental desse trabalho, segundo o presidente da Emap,  está na relação da obra com a população baixadeira e com os demais usuários do terminal. Em 2016, mais de 1,8 milhão de pessoas fizeram a travessia Cujupe-São Luís e vice-versa, o que significa uma média mensal de 150 mil passageiros.

“É para esse público que se voltam os nossos esforços de melhoria do atendimento e oferta de produtos com mais qualidade e em melhores condições de higiene e limpeza. Estaremos conversando com os ambulantes que serão beneficiados nessas primeiras capacitações e acredito que será um trabalho muito proveitoso e mais uma parceria de sucesso firmada com o Sebrae”, coloca Ted Lago.

No evento de apresentação de resultados da Emap em 2016 e anúncio de obras para 2017, realizado no Palácio dos Leões na tarde de segunda-feira, 23, estiveram presentes autoridades políticas, representantes empresariais, staff da Emap e imprensa. Do Sebrae, o presidente do Conselho Deliberativo, Edilson Baldez das Neves, o diretor superintendente João Martins e a diretora de Administração e Finanças Rachel Miranda Jordão, representaram a instituição.

FORMALIZAÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS

O superintendente do Sebrae no Maranhão explica que o convênio para capacitação dos ambulantes do Cujupe amplia a parceria iniciada há alguns meses com a Emap, quando a instituição realizou uma pesquisa para levantar o número de pequenos negócios e o perfil dos consumidores naquele terminal de passageiros. O estudo também analisou a viabilidade econômica e as necessidades de adaptação e melhoria dos micro e pequenos empreendimentos instalados no local.

Na nova fase da parceria, o Sebrae vai orientar os empreendedores da localidade para a regularização e formalização de seus negócios, além de capacitá-los em gestão empresarial, boas práticas de atendimento e manipulação de alimentos, de forma a oferecer melhores serviços aos cerca de 150 mil passageiros que circulam mensalmente no Cujupe, com destino à capital ou aos municípios da Baixada Maranhense e Litoral Ocidental.

“É uma parceria que vai orientar os ambulantes que trabalham no terminal para que agreguem mais valor aos seus produtos e melhorem o atendimento ao cliente. Se haverá um novo porto, com uma nova estrutura para os passageiros, é necessário que haja também uma nova maneira de atender aos usuários do sistema hidroviário com oferta de produtos certificados e seguros. Para tanto, iremos fazer uso do portfólio do Sebrae voltado à gestão dos pequenos negócios, com vistas a contribuir para o desenvolvimento e fortalecimento do empreendedorismo na região”, declarou o diretor superintendente do Sebrae, João Martins.

Na Baixada Maranhense e Litoral Ocidental, o Sebrae atua por meio da regional de Pinheiro e de diversos projetos e ações para o fomento e desenvolvimento dos pequenos negócios nos 24 municípios de abrangência. “Um dos projetos que capitaneia uma parte dessas ações, e que envolve o Cujupe, é o Desenvolvimento Econômico Territorial – DET Litoral Ocidental, que atua desde Alcântara até Apicum-Açu, envolvendo diretamente 11 municípios, com objetivo de melhorar o ambiente legal de negócios, através da implementação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa nos municípios,  fomentar e fortalecer as atividades produtivas, geradoras de renda para dinamizar a economia, visando a transformação da realidade local”, pontua Martins.

O trabalho de capacitação do Sebrae no Terminal de Cujupe envolverá 100 ambulantes da Associação dos Agricultores Familiares, Pescadores Artesanais e Vendedores do Porto do Cujupe (AVTEC) para que possam comercializar seus produtos nos novos boxes. O processo será realizado durante o período das obras de reforma e adequação do novo terminal hidroviário. “É importante que a gente enfatize que o Sebrae está preparado para efetivar outras parcerias em benefício da população baixadeira para favorecer os pequenos negócios e, consequentemente, dinamizar a economia local”, finaliza o superintendente do Sebrae no Maranhão.

 

 

 

Matrículas para Escola de Tempo Integral continuam até sexta-feira (27) em Alcântara

COMPARTILHE

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que as matrículas para os alunos interessados em uma vaga no primeiro ano do Ensino Médio, no Centro de Educação Integral Professor Aquiles Batista Vieira, em Alcântara, continuam abertas até sexta-feira (27). Estão sendo oferecidas 200 vagas para o 1º ano do Ensino Médio Integral.

Para ter acesso a uma vaga, o estudante deve ter concluído ou estar concluindo o 9º ano do ensino fundamental em escolas regulamentadas das redes federal, estadual, municipal ou privadas.

O ‘Educa Mais’, como serão chamados os Centros de Educação Integral, consistem em um novo modelo de escola pública, que visa o desenvolvimento dos estudantes em todas as suas dimensões – intelectual, social, cultural, física e emocional -, por meio de ações integradas e em tempo integral, envolvendo atores que influenciam diretamente a formação plena dos estudantes: família, educadores, gestores e comunidades locais.

Nos Centros de Educação Integral, o período letivo diário dos estudantes terá duração de 7 horas e 50 minutos, de segunda a sexta-feira, totalizando 37,5 horas/aulas semanais. Os alunos terão uma integração entre as disciplinas do ensino regular (como Português, Matemática, História, entre outras) com disciplinas eletivas (como Robótica, Protagonismo Juvenil, Iniciação Científica, Futsal, Handebol, Dança, dentre outras), que serão definidas a partir de uma seleção de temas escolhidos por estudantes e professores.

“A educação integral é um modelo novo em nosso estado, mas de muito sucesso em estados que apostaram nesta maneira diferenciada de fazer uma educação transformadora. Contudo, o sucesso desse projeto depende da coletividade. Por isso, conclamamos as famílias, estudantes, professores, gestores, técnicos, apoios pedagógicos e trabalhadores da educação em geral, em Alcântara, para que possamos protagonizar de forma coletiva a construção dessa educação, em prol de um único ideal – oportunizar que nossos estudantes sejam agentes transformadores de sua realidade em favor do desenvolvimento social e da cidadania”, destacou o Secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

A Matrícula

Os estudantes interessados em estudar na Escola de tempo integral devem procurar diretamente o Centro de Ensino localizado na Rodovia – Ma 106, km 01, S\N, Bairro Cocó da Ema, Alcântara-Ma.

Para se matricular, os estudantes menores de idade devem estar acompanhados do responsável, e munidos com original e cópia dos seguintes documentos: Histórico Escolar ou Declaração de escolaridade da última Unidade de Ensino em que estudou; duas fotos 3 x 4 recentes; Certidão de Nascimento/Casamento ou RG com CPF do estudante, se possuir; RG e CPF do responsável legal, no caso de estudante menor de 18 anos; Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso); fatura da concessionária de energia elétrica atualizada (máximo de três meses). Quando a fatura não estiver em nome do responsável pelo estudante, apresentar, conjuntamente, outro comprovante de endereço em nome da mãe/pai/responsável pelo estudante.

 

Temer prepara proposta para que EUA usem Centro de Lançamento de Alcântara

COMPARTILHE

BRASÍLIA – Após o fracasso na parceria com os ucranianos para o uso comercial do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, que causou prejuízo de pelo menos meio bilhão de reais ao Brasil, o Palácio do Planalto está pronto para negociar o uso da base com os Estados Unidos. A ideia é oferecer aos americanos acesso ao centro de lançamento (CLA), cobiçado por sua localização rente à Linha do Equador, que diminui o gasto de propelente em cada empreitada especial, para, em troca, utilizar equipamentos fabricados pelos potenciais parceiros.

O uso dos modernos sistemas espaciais dos Estados Unidos, jamais obtidos pela indústria nacional, porém, não significará transferência tecnológica ao setor privado brasileiro. Pelo contrário: para que a negociação avance, o Brasil terá que aprovar uma lei que indique de forma técnica e pormenorizada a proteção que será dada a todo componente tecnológico manipulado em solo brasileiro. O mesmo texto precisa ser avalizado pelo Congresso americano. Se parte das exigências dos EUA forem alteradas pelos parlamentares do Brasil, e as mesmas forem consideradas insatisfatórias pelos congressistas americanos, não tem negócio.

O tema sempre esbarra na proteção à soberania nacional, uma vez que setores do Centro de Lançamento de Alcântara poderiam ficar inacessíveis aos técnicos brasileiros justamente pela proteção à propriedade intelectual do país parceiro. Foi esta a argumentação, que provoca polêmica entre diferentes setores dentro e fora do governo, que impediu o avanço da primeira tentativa de acordo, costurada ainda no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

PROPOSTA ANTERIOR EMPERROU

À época, a proposta não avançou no Congresso Nacional. Os parlamentares consideravam o acordo desequilibrado e conflitante com as leis brasileiras. A maior crítica é que o governo dos EUA manteria controle sobre áreas segregadas em território brasileiro.

Agora, o país deve apresentar uma nova versão de Acordo de Salvaguardas Tecnológica ao Parlamento. O Ministério das Relações Exteriores avalia junto aos ministérios da Defesa. Ciência e Tecnologia e Agência Espacial Brasileira os termos que podem ser oferecidos aos americanos. A ideia é ser pragmático e propor um acordo que permita acelerar um acordo definitivo.

José Serra, ministro das Relações Exteriores, confirmou que oferecerá aos americanos um acordo. Segundo ele, esta é uma das primeiras providências nas relações com o novo presidente americano, Donald Trump.

— Vamos tomar a iniciativa de propor a reabertura de negociação em torno de vários acordos e tratados que não se concretizaram. Um deles se refere à base de Alcântara. O assunto foi muito debatido no passado e, agora, vamos tentar uma parceria — revelou José Serra.

O primeiro passo para que o diálogo avance foi dado com uma medida prática: o Planalto obteve vitória no Congresso para retirar da Casa o texto rejeitado há quase 15 anos. Como os Estados Unidos sempre foram resistentes à ideia de uma negociação que flexibilize o acesso de brasileiros aos locais sensíveis à proteção tecnológica, os diplomatas daqui devem entregar uma proposta sem tantas exigências. Assim, acreditam, o dispositivo de segurança nacional tem maior chance de não ser derrubado pelos parlamentares americanos.

Em dezembro, o plenário da Câmara de Deputados aprovou o fim da tramitação do texto antigo. Já neste mês, os ministérios das Relações Exteriores e da Defesa começaram a elaboração de um novo acordo.

Em 2004, logo depois do incêndio nunca totalmente esclarecido que matou 21 técnicos e engenheiros que trabalhavam no lançamento do Veículo Lançador de Satélites (VLS) brasileiro, e, em 2012, quando o acordo com os ucranianos já dava os primeiros sinais de fracasso, o Brasil tentou retomar o acordo com os americanos. O Itamaraty fez as tratativas em absoluto sigilo, mas, em julho de 2013, entretanto, esse início de negociação foi suspenso.

PUBLICIDADE

As conversas estariam estavam avançadas, mas naufragaram por causa da redução no ritmo do diálogo bilateral entre o governo Dilma Rousseff e os americanos, depois da revelação que o serviço de inteligência dos Estados Unidos espionou o governo brasileiro.

— Há disposição para buscar soluções alternativas. A assunção de novo governo nos EUA poderia representar oportunidade para uma reavaliação do cenário, buscando-se ambiente de flexibilidade de lado a lado, em que novos entendimentos possam prosperar — contou um técnico do governo a par do assunto.

Sem citar nomes, José Serra criticou o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que optou por um acordo com a Ucrânia, para o lançamento de satélites da base de Alcântara, que ainda enfrenta obstáculos domésticos. O principal deles é a resistência das comunidades locais à expansão do centro de lançamento, hoje dentro do perímetro da base militar. O acordo com a Ucrânia foi rompido e ainda deixou um problema para o Brasil: como houve denúncia unilateral do tratado, ou seja, o Brasil optou sozinho por não prosseguir na empreitada com o país europeu, a Ucrânia pode — e já ameaçou fazer — exigir ressarcimento pelos prejuízos causados pela parceria mal sucedida.


O GLOBO ONLINE

Carta à filha que eu quero ter (Por Joaquim Neto)…

COMPARTILHE

POR JOAQUIM NETO – Filha, talvez quando você ler estas palavras, eu já não esteja neste mundo. Ou quem sabe eu já esteja velho a ponto de não poder correr com você pelos campos, pelos bosques, nadar nos rios, pegar em seus braços e rodar, jogar bola ou mesmo ajudá-la a fazer o dever de casa.

Em primeiro lugar, queria explicar o porquê de escolher que você nascesse mulher. Sempre sonhei com uma filha, porque as meninas são muito mais interessantes, carinhosas, sensíveis, belas, inocentes e encantadoras, a verdadeira criação divina.

Venho escrevendo uma série de cartas para você. Preste atenção, você ainda não nasceu, mas quando você nascer, eu já terei reunidas várias cartinhas endereçadas a você, contando a aventura da humanidade, minha experiência de mundo, minha história, minhas angústias, meus sonhos, minhas utopias e minhas dores e revoltas diante das injustiças, de modo a prepará-la para enfrentar a vida fora da barriga de sua mãe, que eu ainda não a conheço, ou se conheço, ainda não a conquistei.

Hoje eu queria conversar sobre um amigo que tem me ajudado a enfrentar um terrível sofrimento que me atingiu de uns tempos pra cá.

O ano de 2016 foi demasiadamente estranho para nossa querida pátria e, em particular para mim. Foi um ano em que o Brasil descobriu a guerra fria, coisa de russos e estadunidenses do século passado. Aflorou-se um ódio que eu nunca testemunhara. Logo em um momento em que o Brasil não devia mais aos agiotas internacionais, que finalmente iríamos nos livrar do perverso modelo colonial e dependente das potências estrangeiras – especialmente dos Estados Unidos – e seguirmos a uma verdadeira soberania, com possibilidade de desenvolvimento e distribuição de renda.

Houve uma campanha impiedosa e virulenta dos meios de comunicação de massa, insuflando setores conservadores e egoístas a saírem às ruas. Tudo isso monitorado por parte dos altos escalões da república, pelo imperialismo americano e ainda por antipatriotas, que, de olhos arregalados nas nossas reservas de petróleo, se comportaram de maneira acintosamente parcial, como se a corrupção tivesse sido inventada por um partido. Os outros, entreguistas e defensores dos interesses da plutocracia, podiam arrebentar os cofres públicos ilesos. Assim, sem votos, uma matilha tomou de assalto o governo e imediatamente começou uma política de cortes de direitos dos mais pobres, entrega do patrimônio público para os abutres estrangeiros e proteção dos corruptos sócios do golpe.

Confesso que já havia lido algo sobre a banalização do mal e o fascismo, mas nunca imaginei que iria ver isso de perto. Observando atordoado e impotente, queria lutar, mas estava fora de meu alcance. Fui às ruas, esbravejei, não adiantou. Só quero que você não sinta vergonha de seu pai, pois ele não se resignou diante do arbítrio e da injustiça. Espero que você se orgulhe de mim por ter resistido para que sua geração recebesse um Brasil mais humano, justo e tolerante.

Quando vi que não tinha jeito, nada eu podia fazer, resolvi sair do Brasil para melhorar meu estado espírito tão decepcionado, tão arrasado, tão taciturno. Mas tive que voltar imediatamente. Outra dor me atingira em cheio. Recebi a amarga notícia de que sua avó havia falecido. Chorei e lamentei em seu leito de morte que ela não pode conhecer você, me senti culpado por não ter antecipado seu nascimento. Desde então, venho colecionando dores, moro sozinho e a maioria de meus amigos já morreram há muito tempo, mas são sábios e me ajudam a superar o sofrimento e desejar a vida. Heráclito, o pai da dialética, Epicuro, Epicteto, um escravo filósofo, Montaigne, Maquiavel, Dante, Shakespeare, Rousseau, Espinosa, Marx, Tolstoi, Gandhi, Sartre e muitos outros. Todas as noites eu converso com eles e peço conselhos.

Hoje, como eu disse, vou lhe apresentar um desses amigos, o nome dele é Epicuro. Ele nasceu em Samos no ano de 341 a.C. e viveu numa época também de crises de valores e de desencantamento com a política. A Grécia foi invadida por Alexandre, pondo fim à grande civilização, causando um vazio espiritual que ele pretende preencher com uma nova maneira de encarar o mundo.

Diante do cenário devastador, Epicuro recolhe-se, cria uma escola chamada O Jardim e propõe uma nova virtude, um conforto para tempos difíceis, que é o aperfeiçoamento do homem como indivíduo, fora do governo. Já que não existe mais a sua pátria, resta administrar a pátria interior, buscar a felicidade por si mesmo.

A felicidade não depende dos governantes, não depende do dono do planeta, não depende do dono do Brasil, só depende de você. A felicidade está dentro de nós e independe de como as coisas estejam fora de nós (isso me faz lembrar a passagem da Bíblia, Lucas 17, o Reino de Deus está dentro do coração do homem). Muitos pessoas procuram adequar o que está fora de nós e o que está dentro de nós, mas a lição é: se não tem jeito com o que está fora de nós, então deve ter jeito com o que está dentro de nós.

Assim, Epicuro define que a felicidade é ausência de dor e de perturbação, ataraxia (depois você pesquisa o que significa, aqui não vou usar termos técnicos ou científicos). Em outras palavras, felicidade é paz do espírito e para alcançar essa felicidade e essa paz o homem só precisa de si mesmo, não lhe servindo a política, a cidade, as instituições, a nobreza, as riquezas. Para ele, todos os homens são iguais, porque todos aspiram à paz do espírito, todos têm esse direito e todos podem alcançá-la, se quiserem. O Jardim abriu suas portas a todos, a ricos e pobres, a livres e escravos, a homens e mulheres, sendo sua resposta aos males do mundo e com isso Epicuro tornou-se o médico das almas.

Muitos não leram ou interpretaram mal o pensamento desse grande filósofo, acusando-o de alienado da luta política, mas é preciso compreender o momento em que ele viveu, o seu país fora destruído por forças estrangeiras, nada mais restava senão cuidar de si mesmo, buscar a felicidade dentro de si próprio, longe do poder. Nesse sentido, ele é muito atual. A crítica é tão injusta que pode ser facilmente afastada, só lembrando que o pensamento de Epicuro seduziu nada mais nada menos do que Karl Marx, um dos filósofos mais preocupados com a política, e que o tomou como base para a elaboração do seu materialismo histórico.

Essa forma de pensar não é o que hoje nós chamamos de autoajuda. É algo muito mais profundo, sério e reflexivo. Ele diz que não é difícil ser feliz. A felicidade é a justa e plena satisfação dos prazeres. Mas não é qualquer prazer que deve ser satisfeito. Ele dividiu os prazeres em: a) naturais e necessários; b) naturais e não necessários; e c) não naturais e não necessários. A sabedoria está justamente em satisfazer aqueles prazeres que são naturais e necessários, como por exemplo, comer e beber. Porém, uma comida requintada e cara é natural mas não é necessária. O luxo e a riqueza são prazeres nem naturais nem necessários. Um pouco de pão para matar a fome, um pouco de água para matar a sede, um pouco de palha para dormir e a amizade são fundamentais para a vida feliz. Isso me faz lembrar dos tempos em que saí da casa de meus pais para estudar. Havia dias que eu não tinha nem o pão, a água sequer era filtrada e muitas vezes dormia no chão. Nas madrugadas, depois de muito estudo de física, química e biologia, uma farinha seca com água da torneira me saciava. E a lição de Epicuro já me ajudava a não desistir dos estudos e ser feliz com o que eu tinha disponível. Dava aulas de matemática em troca de um prato de comida e era feliz, mesmo sabendo que a culpa vinha de forças opressoras que remontam às origens da formação de nosso país.

Então, Epicuro propõe que para ser feliz, devemos levar uma vida nem mergulhada na miséria nem cheia de luxos, mas dentro da justa medida, do equilíbrio sem carências nem excessos, porque, como ele diz, para quem não basta o pouco, nada basta. Não bastam os bens materiais, é preciso alimentar a alma. Se queres enriquecer, não aumente as riquezas, diminua os desejos. Esqueça as frases “eu vou ser feliz quando eu ganhar na loteria”, “eu vou ser feliz quando eu comprar o carro do ano”, “eu vou ser feliz no dia em que eu me aposentar”. Epicuro condenaria tudo isso, porque a felicidade é a satisfação do prazer, que, buscado corretamente, está à disposição de todos.

Em relação à dor, Epicuro nos ensina uma técnica para torná-la suportável, e com bastante experiência própria, tendo em vista que ele sentia fortes dores devido a um cálculo renal. Ele ensina que nós temos um equipamento de imagens na mente. Se, no momento da dor, lançarmos mão desse equipamento das boas imagens, das boas lembranças, se pensarmos em algum acontecimento ou pessoa que nos fez feliz, a dor pode ser suportada. E se a dor não puder ser suportada nem com essa artimanha, aí não é mais dor, é a morte.

E quanto à morte, Epicuro diz que ela nada é para nós. A morte é um mal só para quem nutre falsas opiniões sobre ela. Nós somos um composto de alma e de corpo, a morte não é mais que a dissolução desses compostos. E, nessa dissolução, os átomos dissipam-se por toda parte, a consciência e a sensibilidade cessam totalmente, e assim, sobram apenas restos que se dissolvem, ou seja, nada, porque a absoluta perfeição do prazer não necessita do eterno. O mais terrível dos males, portanto, a morte, não é nada para nós, uma vez que, quando somos, a morte não é, e quando ela chega nós não somos mais. O encontro é impossível. É tanto que Epicuro morreu numa banheira com água quente, degustando uma taça de vinho e brindando a vida. Até pra morrer a gente precisa ser feliz.

Depois dessa conversa com Epicuro, melhorei bastante e aprendi a encarar os sofrimentos, as dores, as perdas e o desencanto com o mundo da política. Sugiro que você se aprofunde no pensamento desse gigante da sabedoria universal porque tudo que eu falei aqui foi apenas um resumo. Leia a Carta a Meneceu, um dos poucos livros dele que se salvaram. E lembre-se, o verdadeiro bem é a vida, e para manter a vida basta pouco, e esse pouco está à disposição de todos. Tudo o mais é vaidade. Preocupe-se mais com o ser e menos com o ter. Em tempos de irracionalidade, egoísmo e intolerância, a felicidade não está nas coisas exteriores, mas na condução saudável e ética da nossa própria vida.

Com amor,

Papai.

Ano de 2017, janeiro, 21.

Texto publicado na íntegra…