casa » 2015 » setembro (página 2)

Arquivos Mensais: setembro 2015

Prefeito Zé Martins realiza ação para gestantes de Bequimão

COMPARTILHE

A prefeitura de Bequimão, através do prefeito Zé Martins (PMDB), em parceria com a secretaria municipal de saúde e a quipe da Estratégia Saúde da Família que atende na sede de Bequimão, promoveu uma ação com gestantes do município para estimular a realização do pré-natal. As mulheres assistiram a palestras educativas com nutricionista, enfermeiras, assistente social e terapeuta ocupacional. As futuras mamães ainda fizeram testes rápidos, a consulta de pré-natal e atualização das carteiras de vacinação.

M9 M10

De acordo com os especialistas, o pré-natal é quem vai garantir uma gravidez saudável e um parto sem riscos, tanto para a mãe quanto para o bebê. Com o pré-natal é possível acompanhar o desenvolvimento do feto e, se houver algum problema, detectar precocemente, aumentando as chances de deter a anomalia. No caso das mães, algumas doenças como a diabetes gestacional e a pré-eclampsia podem aparecer durante a gravidez, trazendo graves consequências para a gestante, porém, esses problemas também podem ser controlados com o pré-natal.

M1 M2

A ação aconteceu neste segundo semestre, no Centro de Saúde (antiga Unidade Mista de Saúde). A Prefeitura Municipal de Bequimão, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, confeccionou 100 kits de pré-natal, com lenço umedecido, sabonete, fraldas, mamadeira, meias e cotonetes, que foram distribuídos às gestantes.

De acordo com o prefeito Zé Martins, outras comunidades do município também receberão a ação. Para Zé Martins, essa ação é uma forma de valorizar as gestantes e prevenir doenças contra elas e os bebês. “É mais um programa que nossa gestão planejou, onde fizemos os kits de higiene e entregamos para as grávidas. Hoje Bequimão é referência em saúde pública no Estado e isso se faz pensando no povo e eu dedico minha vida por uma população que acreditou em mim”, destacou o prefeito de Bequimão.

M3 M7

Quem também falou dessa ação foi o secretário de saúde do município de Bequimão, Bastico Moraes. “Estamos fazendo o possível, e atendendo as futuras mamães, com o apoio irrestrito do prefeito Zé Martins, que tem um trabalho incansável em favor saúde de Bequimão. A visão de nossa gestão é prevenir e isso está sendo feito; começando pelas gestantes do município. Vamos trabalhar cada vez mais para melhorar a qualidade vida do povo de Bequimão”, disse o secretário.

COMO FAZER O PRÉ-NATAL

Antes mesmo de engravidar, deve-se pensar em procurar um médico para orientar e planejar a gestação. Mas como escolher um profissional? É fundamental que haja uma relação de confiança entre médico e paciente. Durante a gestação é comum a mulher sentir-se sensível e insegura. Um bom profissional, em quem a gestante confie, poderá ajudá-la a resgatar a força nesse período tão importante da vida.

M4 M5

Se a mulher ainda não tiver um ginecologista de sua confiança, é hora de procurar. Indicações de amigas são sempre bem-vindas. Uma boa ferramenta para buscar informações sobre o profissional é o site do Conselho Regional de Medicina, que traz uma relação de todos os médicos devidamente inscritos no CRM. Estude a vida profissional do médico e certifique-se de que tenha especialização em Ginecologia e Obstetrícia.

M6 M8

A grande maioria dos médicos ginecologistas é também obstetra. Alguns poucos profissionais acabam se dedicando apenas ao atendimento no consultório e não realizam partos. Se for o caso do seu médico, ele deverá indicar um colega para realizar o pré-natal.

O ideal é que antes de engravidar, o casal converse com o médico sobre como será o acompanhamento. Essa é a hora de tirar todas as dúvidas com o seu médico.

 

MOB diz que Ferry Boat Cidade de Alcântara não viajou na última terça feira (22)

COMPARTILHE

A Agência de Mobilidade Urbana (MOB), responsável pelo melhoramento do transporte de Ferry Boats, informou que o Ferryboat Cidade de Alcântara não realizou viagem no dia 22 de setembro, como foi denunciado aqui neste Portal. Segundo a Agência, a informação foi “infundada” de que a embarcação teria sofrido avarias em seu casco.

A agência ressaltou que não há registro de qualquer incidente com as embarcações que realizaram a travessia São Luís/ Cujupe/ Cujupe/ São Luís no dia 22 de setembro. De acordo com a MOB, “A fiscalização da segurança marítima, o que inclui a vistoria do estado de conservação das embarcações, é realizada periodicamente pela Capitania dos Portos do Maranhão, para garantir a segurança dos passageiros e tripulação, que fazem a travessia diariamente”.

Sobre denúncia relativa ao Ferry Boat Cidade de Araióses (Veja aqui), que foi publicada em outro veículo de comunicação, a operadora ServiPorto, segundo a MOB, apresentou o certificado da embarcação, que atesta sua construção em 2013, no Estaleiro Rio Negro, sediado em Manaus. O Cidade de Araioses entrou em operação no Maranhão, em maio de 2015.

As informações passadas a este Portal são de que o problema ocorreu com o ferryboat “Cidade de Alcântara” e não “Cidade de Araioses”, e no dia 22, terça-feira, e não 23, quarta.  O portal tira o chapéu para a MOB e entende que a Agência tem feito um grande trabalho, para que esse transporte Aquaviário no Maranhão possa ser cada vez melhor. Sabemos das dificuldades, mas entendemos que mesmo com muita resistência por parte das operadoras, o trabalho está sendo feito e respeitado. Mas também o portal deixa o espaço aberto aqui neste veículo de comunicação, para que seja divulgada qualquer ação que venha beneficiar a população da baixada maranhense. Veja abaixo a Nota na Íntegra e no Portal da Agência MOB.

Este Portal é democrático e tem espaço aberto para as Operadoras do Transporte Ferry Boats, assim como para o usuário, que igualmente este Editor, viaja diariamente para a baixada maranhense pela madrugada e volta para São Luís no fim da tarde, e que conhece cada quadrado de todos os Ferrys em operação hoje no Maranhão.

MOB

Seminário de Rádios Comunitárias se encerra com avaliação positiva de radialistas

COMPARTILHE

A participação efetiva de radialistas de vários municípios maranhenses marcou o ‘Seminário de Rádios Comunitárias’, realizado pelo Governo do Estado, na sexta-feira (25) e no sábado (26). Avaliado como um momento de avanço para a consolidação de uma comunicação mais democrática, o Seminário garantiu, aos participantes, orientações e informações para subsidiar a disputa dos editais de concessão no novo Plano Nacional de Outorgas (PNO).

Durante dois dias, o Seminário contou com mesas de debates e palestras ministradas por técnicos do Ministério das Comunicações e profissionais maranhenses da área, além do painel de abertura ‘Caminhos para uma Comunicação Democrática no Maranhão’, ministrado pelo governador Flávio Dino e o secretário Nacional de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Emiliano José.
O governador explicou que a realização do evento foi importante para fortalecer a radiodifusão comunitária no Maranhão, dando possibilidade de que rádios que já atuam, quebrando o monopólio midiático, possam adquirir as concessões e serem reconhecidas legalmente. “A democratização dos meios de comunicação é necessária, e o evento ajuda para que os profissionais tenham acesso à informação, meios e caminhos para essa democratização”, destacou o governador.

O Seminário foi realizado pelas Secretarias de Assuntos Políticos e Federativos (Seap) e de Comunicação Social (Secom), em parceria com o Ministério das Comunicações e a Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço). No centro do debate, o tema ‘Orientações para Novas Outorgas’ envolveu comunicadores populares de 29 municípios maranhenses contemplados no PNO e de mais 11 municípios de integram o Plano de Ação Mais IDH.

RD3RD2

O professor de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão, Ed Wilson Araujo, que é coordenador de formação da Abraço, avalia que o cenário das rádios comunitárias, que durante anos sofreram perseguições, começa a avançar, tendo o diálogo direto – e inédito – com o Governo do Estado e Ministério das Comunicações.
“O cenário das rádios comunitárias no Maranhão, de 1998 para cá, desde a fundação da Abraço, já passou por uma série de momentos. Momento de muita repressão, quando muitas rádios comunitárias eram fechadas pela Polícia Federal e eram objeto de fiscalização da Anatel. Este momento da repressão abrandou um pouco. Estamos vivendo um novo momento de reconstrução, de abertura de parcerias com o Governo do Estado. Pela primeira vez temos aqui executivos do Ministério das Comunicações dialogando com o movimento de rádios comunitárias, para explicar esse momento novo, da redução da burocracia. Todo esse processo é fruto de muita luta”, explicou o militante e estudioso do tema.

Atuando em rádios comunitárias há 15 anos, o radialista Neuton César, coordenador de relações institucionais da Abraço, defende que a principal marca deixada pelo Seminário é a possibilidade de diálogo. “O momento é importante porque, primeiro, a gente sai do anonimato e passa a entrar na mesa de diálogo. E, segundo, porque a gente consegue fazer isso sem intermediário e agora dialogamos diretamente com o Governo do Estado e Ministério das Comunicações. Assim, há a quebra das amarras com o coronelismo midiático, e isso é democratização”, defendeu o radialista.

Vindo de Maracaçumé, cidade que disputa concessão no PNO, o radialista José de Ribamar Sampaio, o Zequinha Sampaio, relatou que levará todo o conhecimento apreendido e a esperança de dias melhores para as rádios comunitárias locais. “É um momento muito importante, porque aqueles que já não acreditam mais passam a acreditar, ficamos mais otimistas de que esse diálogo vai se concretizar. É uma oportunidade de trabalhar na legalidade”, apontou Zequinha.

Representando os profissionais de uma das 11 cidades do Plano de Ações Mais IDH a participar do evento, o radialista Plácido Nascimento, de Pedro do Rosário, relata que é muito frágil a situação da comunicação no município, que enfrenta uma dura realidade. “O nosso objetivo ao participar desse momento é para que as rádios da cidade cumpram seu papel de rádio comunitária, nós queremos fazer a diferença para a população da nossa cidade”, destacou Plácido.

PNO

O Ministério das Comunicações lançou, durante o Seminário, um novo Plano Nacional de Outorgas para emissoras comunitárias e educativas. A intenção é desburocratizar o processo de concessões e aumentar o número de emissoras para garantir que a população tenha maior acesso à comunicação pública.

Ao todo, 761 municípios serão contemplados com rádios comunitárias. Atualmente, as rádios comunitárias estão presentes em 3.781 municípios. O objetivo do plano é ampliar o serviço para 4.277 cidades, o que representa 77% dos municípios brasileiros. Quanto às rádios e TVs educativas, 235 cidades serão beneficiadas – 205 novas outorgas para rádios FM e 30 para TVs com fins exclusivamente educativos.

 

A esquerda e os “Veadinhos” de Furtado

COMPARTILHE

POR ABDON MARINHO (ADVOGADO).

Alguém já disse que  brincando  revelamos o que verdadeiramente  pensamos sobre as coisas. Este mesmo dito tem um correspondente chulo sobre o qual me omitirei.

O deputado Estadual Fernando Furtado (PC do B), ao atacar a política indigenista nacional, a Justiça Federal, o INCRA e seus dirigentes, ao chamar os índios de vagabundos, disse, publicamente o que é o seu pensamento privado. Aquilo que no dizer do clássico musical, nem as paredes se deviam confessar.

Além da vulgaridade de suas palavras – o que o destacou no cenário nacional –, chamou a atenção o fato do deputado comunista ter ligado o “Veadômetro” para reconhecer, de longe, ao que parece, a opção sexual de alguns silvícolas. Incomodado com suas roupas, seus adornos culturais,  sentenciou: veado, veado, veado.

Demonstrando um excessivo conhecimento do assunto – algo suspeito para quem está ido nos anos – asseverou não possuir qualquer dúvida sobre o que dizia, demonstrando estranhamente ao fato de haver índios homossexuais, nas suas palavras, boiotas, veados, veadinhos.

Como de isso, o incomodasse em particular.

O parlamentar, cobrado pelo partido, por entidades de defesa dos direitos humanos e de algumas minorias, emitiu nota oficial onde pede desculpas a todos os atingidos pelos ataques (exceto ao juiz federal e aos integrantes do PT) asseverando que não teve a intenção de atacar ninguém, sendo suas palavras fruto do “calor do momento”.

O nobre representante do povo deve sentir muito calor, uma vez que tendo proferido os ataques, segundo soube, ainda em julho, só agora, no beirar de outubro, se dá conta da gravidade da fé professada.

Como hoje tudo acontece aos olhos do mundo, ao tomar conhecimento do discurso calorento do deputado maranhense, uma jornalista reconhecida nacionalmente, estranhou  que tal discurso tenha sido proferido por um parlamentar “esquerdista” e, citando o ex-ministro Delfim Neto, estaria se convencendo que os conceitos de esquerda e direita, no Brasil, seria apenas para delimitar o trânsito.

Confesso estranhar o estranhamento da colunista.

No Brasil e em diversos outros países do mundo a perseguição a homossexuais (indígenas ou não) nunca respeitou bandeiras ideológicas. Aqui mesmo no Brasil somos testemunhas disso. Os homossexuais sempre foram usados por muitos partidos políticos, sobretudo os que se dizem de “esquerda”,  por conveniência, assim como diversas outras minorias, negros, mulheres, etc.

Se o cidadão é homossexual, mas, reza a cartilha do partido está tudo bem, se não, não passa de um veadinho, como disse o deputado Furtado.

Assim é com todos os outros que discordam deles.

Se fazem de bonzinhos, mas em privado e até publicamente, como se deu no caso do deputado,  revelam o que, efetivamente, pensam.

A tola imprensa brasileira sempre embarcou na ideia de uma esquerda que apoia e abomina os preconceitos de gênero, de raça, de situação sexual, apesar de todos os exemplos que temos mostrando o contrário.

Passou em brancas nuvens, por exemplo, a piada infame de Lula, que candidato à presidência da República, sugeriu ao correligionário, prefeito de Pelotas, a construção de uma rodovia ligando aquela cidade gaúcha à paulista Campinas. Segundo ele a rodovia deveria chamar-se  transviadônica, se não me falha a memória.

Este fato é antigo, dirão. Ainda assim, infame, idiota.

Tem mais. Não faz muito tempo, a então candidata a prefeita pelo Partido dos Trabalhadores – PT, Marta Suplicy, indagou, num programa eleitoral, sobre a família do oponente Gilberto Kassab (hoje ministro do governo deste partido), insinuando que o mesmo não teria esposa, filhos, em resumo, insinuava que o mesmo seria homossexual, por conseguinte, não estaria apto a administrar uma cidade.

Ora, Marta não era apenas integrante de um partido que se dizia de esquerda, era alguém que se firmou na vida pública como sexóloga e defensora das causas das minorias. Aí, no interesse eleitoral, esquece tudo que pregou a vida inteira.

A esquerda brasileira – talvez haja uma exceção ou outra –, nunca se dignou a fazer uma critica as chamadas ditaduras do proletariado, regimes que sempre reprimiram com “mão de ferro” as liberdades de suas populações, sobretudo, as liberdades que dizem respeito a situação sexual do indivíduo.

Alguém tem dúvida que a ditadura dos Castro em Cuba reprimiu – e ainda reprime – os homossexuais e quaisquer outros cidadãos que ousem pensar diferente dos seus dogmas?

Na semi-ditadura venezuelana um dos motes do senhor Nicolás Maduro era chamar o seu  principal adversário na última campanha de “viadão”. Fez isso na presença do ex-presidente Lula,  que foi a lá ajudar na sua campanha, e de tantos outros ditos esquerdistas brasileiros, os mesmos que levam a vida a pagar p.. a ele e outros ditadores.

Outro por quem os esquerdistas brasileiros parecem ter fetiche é pelo regime autoritário e repressor da Rússia. Tão repressor que não permite, sequer, a realização paradas gays ou de outros movimentos ligados à diversidade sexual.

E agem pior, as autoridades fazem vistas grossas e/ou aquiescem com os criminosos que torturam e até matam gays naquele país. Alguém ignora o tratamento dispensado aos homossexuais na Rússia?

Nem se fale no alinhamento que os esquerdistas comunistas fazem ao regime norte-coreano onde o ditador de plantão manda matar e expurgar qualquer adversário a troco de nada, até pelo fato de cochilar durante um evento.

O governo brasileiro e os cidadãos que se dizem de esquerda defendem dialogo até com o Estado Islâmico, aquele grupo que mata e estupra cristãos e quaisquer outros que não professam sua fé e dispensa um tratamento todo especial aos que suspeitam serem homossexuais, dentre os quais, atirá-los do alto de edifícios.

Não faz um ano, em plena a Assembléia Geral da ONU, a própria presidente da República defendeu que se dialogasse com eles. Talvez repita a façanha nos próximos dias.

As palavras do deputado maranhense, indefensáveis sob qualquer aspecto, não soam mais grave que o silêncio dispensado por seus colegas de partido e aliados preferenciais dispensa aos homossexuais e outras minorias ao redor do mundo.

O silêncio da vergonha.

A indignação em relação os termos do deputado, por parte de muitos esquerdistas, soam mais como uma despropositada hipocrisia.

Participe da campanha “Doe um brinquedo ganhe um sorriso”

COMPARTILHE

Fui abordada por uma senhora comunitária, esta semana, e ele me pedia brinquedos e bombons para as crianças carentes da sua comunidade, Alto da Esperança área Itaqui-Bacanga. Então resolvi chamar a atenção dos amigos, para esta nobre causa, e comecei uma campanha de arrecadação de brinquedos “Doe um brinquedo ganhe um sorriso”.

 

A situação social na região não é fácil, aqui na área Itaqui-Bacanga, apesar de às grandes multinacionais como a Vale, Alumar que juntamente com as demais empresas formam um grande complexo industrial não só da região , mas da capital, empresas que deveriam trazer mais emprego e renda para a região, não o fazem, não investem, e nada realmente socialmente relevante acontece.

 

A região que tem mais de 300 mil habitantes e já provou que tem cacife pra decidir uma eleição, sofre com a falta de políticas públicas sociais e o abandono destas empresas que brincam de fazer serviço social, mas não investem nem 0,5% do que arrecadam nas comunidades da vizinhança e a população tem sofrido ao longo de anos com a violência resultante da falta de políticas públicas sociais direcionadas principalmente para a população mais atingida (as crianças e adolescentes), da região.

 

A área Itaqui-Bacanga é uma das áreas mais abandonadas em todos os aspectos por todas essas empresas e pelo poder público e políticos aproveitadores que só aparecem em época de eleições e depois, simplesmente, somem! Mesmo com densidade eleitoral o suficiente para eleger vários parlamentares de uma vez só, a região não consegue eleger diretamente um representante sequer,  e permanece esquecida. Só é valorizada em tempo de eleição, quando políticos de fora vêm buscar seus votos.

 

Então peço ajuda aos amigos pra atender o  pedido da amiga Angela, liderança do Alto da Esperança que me tocou e espero que toque os meu amigos, para quem peço ajuda para o sucesso desta  campanha. 

 

As doações vão até o dia 10 de dezembro, como forma de arrecadar também doações para o natal da criançada e podem ser entregues na portaria da Faculdade Estácio São Luis, localizada na rua Oswaldo Cruz, no bairro Diamante, centro da cidade.

 

Outro endereço é na rádio Bacanga FM, localizada, na Praça do Canhão no bairro Anjo da Guarda. Ás pessoas que não poderem entregar pessoalmente as doações devem ligar, que nós vamos apanhar as doações pessoalmente.

 

De já agradeço o empenho de todos e o apoio da Faculdade Estácio de e da rádio Bacanga FM

 

O QUÊ: Campanha para doação de brinquedos e bombons

 

QUANDO: As doações vão até o dia 10 de dezembro

 

ONDE: A entrega dos brinquedos devem ser feita na Faculdade Estácio São Luis no bairro do Diamante – Centro ou na Rádio Bacanga FM, na Praça do Canhão – Anjo da Guarda

 

Contatos: Tel: 9 8891-3869/98194-6693 e 3228-1127

 

E-mail: rosecastro.vip@gmail.com

Eidimar Gomes comemora reinauguração de Maternidade

COMPARTILHE

A vereadora Eidimar Gomes (PSDB) prestigiou nessa sexta-feira (25) a reinauguração da Maternidade Nossa Senhora da Penha, no bairro Anjo da Guarda que, segundo ela foi uma de suas conquistas junto ao governo do Estado. O evento contou com a presença do governador Flávio Dino (PCdoB), que fez sua primeira visita à região do Itaqui-Bacanga após ter sido eleito.

Fechada há dois anos, a Maternidade foi entregue à comunidade, após ter passado por uma ampla reforma em sua estrutura física e reaparelhamento. Os investimentos custaram R$ 372.581,83.

A unidade de saúde beneficiará cerca de 250 mil habitantes dos 58 bairros que integram a área Itaqui-Bacanga, que poderão usufruir dos serviços ofertados pela maternidade. A unidade de saúde realizará partos normais e cesáreas, além de consultas nas áreas de ginecologia e pediatria.

A tucana através de indicação ao governo do estado solicitou a reativação do hospital, após tantos anos fechado. Dentre tantas reuniões com a então subsecretária de saúde, Rosangela Curado, a vereadora recebeu a garantia da reabertura Maternidade, onde hoje comemora com a população.

— O povo está feliz pelo gesto do governador Flávio Dino, em dá estrutura para que a Maternidade Nossa da Penha volte a funcionar. Não poderíamos mais admitir que as gestantes desta região se desloquem para outras áreas, agora  temos uma maternidade totalmente equipada, pronta para receber os pacientes. Um trabalho que já víamos fazendo, para reabertura da maternidade, — concluiu Eidimar Gomes.

A inauguração da reforma e adequação dos serviços da maternidade foi possível por meio da assinatura de um Termo de Cessão entre o Centro Comunitário Nossa Senhora da Penha – antes mantenedor da unidade de saúde – e a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Agora, a gestão ficará aos cuidados do Instituto Acqua, em parceria com a SES.

— Faz dois anos que a Maternidade fechou por falta de recursos. Hoje estou muito feliz por esta conquista, agradeço a vereadora Eidimar Gomes, que é uma lutadora, e tem se dedicado para nos representar. Agora as mulheres da região poderão ser atendidas aqui, sem se deslocar para lugares distantes, — disse a dona de casa, Maria de Jesus.

Durante pronunciamento, o governador Flávio Dino afirmou que a entrega da Maternidade Nossa Senhora da Penha é mais um passo que está sendo dado para a melhoria do sistema de saúde pública do Maranhão.

— O mais difícil não é construir uma unidade de saúde, mas abrir as portas dessa unidade. Então eu gostaria de agradecer essa parceria entre a comunidade e o Governo do Estado, que só tem a ganhar daqui para frente, — completou.

Texto: Dalvana Mendes

 

Vereador Ivaldo Rodrigues vai homenagear o 24º Batalhão de Infantaria Leve do Exército Brasileiro

COMPARTILHE

SUGESTÃO DE PAUTA

O vereador de São Luís, Ivaldo Rodrigues (PDT), vai entregar em sessão solene, nesta segunda feira (28), as placas alusivas ao Exército Brasileiro em comemoração aos 145 anos de fundação do 24º Batalhão de Infantaria Leve do Maranhão.

O evento vai ocorrer no Plenário “SIMÃO ESTÁCIO DA SILVEIRA” no Palácio “PEDRO NEIVA DE SANTANA” da Câmara Municipal de São Luís. O requerimento de autoria do vereador Ivaldo Rodrigues foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares municipais.

O convite oficial para esta sessão solene foi entregue ao Coronel Azevedo (Comandante do Exército), pelo vereador Ivaldo Rodrigues que esteve pessoalmente no 24º Batalhão.

EXCIMG-20150923-WA0111

Durante conversa entre o Vereador e o Coronel, Ivaldo destacou para o comandante que essa homenagem vai ser estendida aos ex-combatentes da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que defendeu o Brasil por décadas.

O coronel Azevedo por sua vez, ficou muito feliz, e agradeceu o Vereador ao receber o convite e agradeceu a Câmara de modo geral em nome do 24º Batalhão de Infantaria Leve do Exército Brasileiro pela homenagem pelos 145 anos de serviços a capital maranhense.

O QUE? Homenagem ao 24º Batalhão de Infantaria Leve do Exército

QUANDO? Segunda Feira (28), às 12h

ONDE? Plenário da Câmara Municipal de São Luís, Rua da Estrela, Reviver.

CONTATOS: 98179-3333/98844-6322 (Tony Mota)

 

 

 

Zé Inácio propõe audiência pública sobre serviço de Ferry Boats

COMPARTILHE

Na manhã desta quinta-feira (24), o deputado Zé Inácio (PT) usou a tribuna para chamar atenção das autoridades com relação às “precárias condições de uso dos ferry boats e a falta de fiscalização deste tipo de transporte”.

De acordo com o parlamentar, a audiência tratará da relação do consumidor com os serviços oferecidos de ferry boats “A audiência pública irá tratar da questão do ferry-boat e as relações do direito do consumidor, prestação de serviço, preço de passagem, entre outros assuntos, além dos altos preços das passagens, o quê não corresponde ao conforto de milhares de pessoas que dependem desse tipo de serviço. É inadmissível ainda termos que conviver com o sucateamento desse transporte”, ressaltou o parlamentar.

O deputado, que é da Região da Baixada e, portanto, também usuário desse tipo de transporte, solicitou a audiência pública a partir da denuncia sobre o incidente ocorrido na última terça-feira (23) com o ferry boat Cidade de Alcântara, que fazia a travessia Cujupe/São Luís. Após 50 minutos de viagem, os tripulantes perceberam que a navegação estava com o casco furado e muita água estava invadindo o porão, mesmo assim, continuaram a travessia, colocando em risco a vida de todos os passageiros que estavam na navegação. “Uma tragédia anunciada, visto que o Ferry-Boat atravessou a Baía de São Marcos com o casco furado colocando em risco a vida de várias pessoas que estavam fazendo a travessia, naquele momento”.

Zé Inácio também denuncia o preço elevado cobrado pela prestação desses serviços, sem nenhuma condição de uso. “Além de termos que conviver com a situação precária dos ferry-boats, também temos que conviver com a cobrança elevada do preço das passagens que não correspondem ao conforto dos passageiros”, destaca.

A audiência irá contar com a presença de órgãos como o Ministério Público Estadual, Agência de Mobilidade Urbana, Procon, Marinha e demais órgãos competentes.

Matéria de Assessoria

 

 

Dia de festa no eixo Itaqui-Bacanga nesta sexta

COMPARTILHE

A vereadora Rose Sales recebeu nesta manhã (25), da diretoria e dos servidores do Centro Comunitário Católico, sediado no bairro do Anjo da Guarda, o Certificado de Honra ao Mérito, pela luta coletiva com a diretoria daquela entidade em prol da reativação da Maternidade Nossa Senhora da Penha.

Desde 2010, ao lado do MPE – Ministério Público Estadual, o mandato da vereadora Rose Sales vem lutando pela dignidade dos funcionários da Maternidade Nossa Senhora da Penha; pela ampliação de sua produtividade; e pela modernização estrutural e de funcionamento da Maternidade, visando efetivar um direito de todas as mulheres que residem na área Itaqui-Bacanga. É válido destacar que nessa nova administração do governo estadual, houve empenho e dedicação diuturnamente por parte da parlamentar ao lado da diretoria do Centro Comunitário Católico do Anjo da Guarda – que administra aquele estabelecimento hospitalar – objetivando a reinauguração da Maternidade Nossa Senhora da Penha pela garantia do emprego dos servidores, tendo sempre a acolhida e a vontade política do Secretário Estadual de Saúde, Dr. Marcos Pacheco.

Sales finaliza, parabenizando toda a diretoria: “Parabéns aos Srs. Oziel Melo e César Roberto pela prontidão e diligência ao lado da diretoria, e aos servidores, que, mesmo quando foram a submetidos a pró-labore menor que o salário mínimo – isso quando eram conveniados com o município – nunca diminuíram a intensidade de seu compromisso político.”, afirmou a vereadora.

 

PDT tem maior bancada na Câmara Municipal de São Luís

COMPARTILHE

Na reta final do prazo para filiações partidárias, ao menos sete dos 31 vereadores de São Luís negociam ou negociaram a troca de legenda para a eleição do ano que vem. Eles têm até o próximo dia 2 de outubro – um ano antes do pleito – para confirmar à Justiça Eleitoral a mudança de sigla.  De olho no calendário, os vereadores avaliam os riscos, negociam apoios e se preparam para a troca de legenda.

Não há uma lista oficial informando as mudanças porque os vereadores não são obrigados a comunicar à mesa diretora da Câmara, apenas ao juiz eleitoral. Mas são pelo menos sete parlamentares que trocaram de partido, inclusive o presidente da Casa, vereador Astro de Ogum, que saiu do PMN para ingressar no PR. Ao todo, cinco parlamentares trocaram de legenda até o momento. Outros dois também devem comunicar a mudança de partido, mas ainda não há registro oficial.

O vereador Osmar Filho, líder do governo,  deixou o PSB e se filiou ao PDT. Este já é o terceiro partido do parlamentar nesta legislatura. Ele se elegeu pelo PMDB e depois mudou para o PSB. Com a nova adesão, o PDT passa a ter a maior bancada da Câmara com quatro vereadores: Além de Osmar, Pavão Filho, Barbosa Lages e Ivaldo Rodrigues.

Entre os que também mudaram de partido na Câmara mais de uma vez está à vereadora Rose Sales, que foi eleita pelo PCdoB, mas havia trocado a pelo Partido Progressista (PP) e agora está sem filiação. O vereador Francisco Chaguinhas saiu do PRP e ingressou no PSB, assim como Estevão Aragão, que largou o PPS para aderir ao SD. Nos bastidores, a informação é que os dois parlamentares não disputem à reeleição pelos seus atuais partidos.

AINDA ESTÃO SEM PARTIDO

A cerca de oito dias do prazo final da Justiça Eleitoral para as filiações partidárias, três vereadores da capital não têm legenda. Antônio Marcos, o Marquinhos Silva, ex-PRB, enfrenta dificuldades para obter espaço em outra sigla; Ricardo Diniz, ex-PHS, estuda duas opções.

No caso da vereadora Rose Sales, a expectativa é que ela vá para uma das duas legendas criadas recentemente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE): Rede Sustentabilidade e Partido Novo.

O final de setembro vai marcar o encerramento do prazo para que aqueles que desejam disputar cargo eletivo no pleito de 2016 estejam devidamente inscritos em uma agremiação partidária e, assim, credenciados perante a Justiça Eleitoral para disputar um cargo eletivo.

A regra eleitoral vale também para os detentores de mandato que desejam trocar de partido para a sucessão do próximo ano, embora a mudança seja permitida apenas nos casos onde comprovadamente exista a justa causa para a troca partidária.

 

Texto: Isaias Rocha